Curta-metragem de Lumi

Lumi descobre que seu mundo pela primeira vez. Ele olha para o céu e fica tocado pelas estrelas. Então, tudo fica escuro e de repente aparece GriGro, um ser estranho que cresce fora de controle, na ausência de luz. Assista a essa animação, muito massa!

Anúncios

Somente hoje!

Uma animaçãozinha muita de um gatinho em um dia normal. Assista e comente!

Pessoal! Vamos votar nos melhores da cena de 2010

Cartaz do segundo Prêmio Válvula de Rock Catarinense

Já está valendo! O site Válvula Rock, um dos maiores promotores da cena catarinense promove o segundo Prêmio Válvula de Rock Catarinense e na manha dessa domingo, (10/04), o Válvula abriu oficialmente a temporada de votação dos melhores da cena de 2010 e o Ilhota Rock Festival concorre na categoria “Melhor Evento”. A votação vai até dia 27 desse mês.

Vamos lá pessoal, borá votar no Ilhota Rock Festival. Se você estiver afim de eleger o Ilhota Rock o melhor evento de 2010, acesse esse link (http://www.valvularock.com.br/premio/vote.html) e siga as instruções… basta apenas inserir seu nome, email e cidade e escolher um das categorias “Banda do Ano”, “Banda Revelação”, “Disco do Ano”, “Melhor EP”, “Melhor Música”, “Melhor Show”, “Melhor Videoclipe”, “Melhor Casa de Shows” e claro, o “Melhor Evento”, com o Ilhota Rock Festival.

Curiosidades

No ano passado, foram 1337 votos para o mesmo período de 17 dias. As novidades para 2011 ficam por conta da nova categoria Melhor EP – nada mais cabido, tendo em vista a trajetória de 8o% das bandas nesse cenário – e da expansão em todas as categorias, trazendo mais indicados para a disputa.

O intuito do prêmio é avaliar e reconhecer o que de melhor foi produzido no estado em 2010, nas 9 categorias ali discriminadas. Os vencedores serão anunciados na festa de encerramento do Prêmio, no começo do mês que vem. O intuito é promover uma grande integração entre os indicados – vencedores ou não – e seus públicos, imprensa, staff do site e todos os convidados da festa, como o Ahoy! presenciou até as tantas da manhã ano passado.

Miss Emily Brown com “World Traveller”

Essa música foi gravada em um cemitério como o sol se preparou para a noite, os seus tons sombrios parecia resolver-se muito bem entre os terrenos que nos cercam, naquela noite. Se alguém quiser um CD, por favor, requisitar diretamente do meu site em emilybrownmusic.com ou de cópias digitais, vá para missemilybrown.bandcamp.com.

X-Men: First Class Title Sequence

Inspirado no clássico dos anos sessenta títulos de filmes e solicitado por João Struan fama de Super Punch, eu construí uma seqüência do título 1960 do estilo para o próximo X-Men: First Class filme. Ambientado durante o meio da Crise dos Mísseis de Cuba, X-Men: First Class conta a história da primeira equipe que vem junto, antes que eles se tornariam os heróis e vilões que sabemos a partir do original X-Men Trilogy.

Esta sequência foi concebida para dar uma cartilha muito breve sobre o período de tempo, a configuração, bem como mostrar as relações dos personagens neste filme, pois eles são muito diferentes dos filmes anteriores e as audiências não deve ser confundida como a razão Professor X e Magneto, os inimigos da trilogia original, são os melhores amigos nesse prequel.

Super Punch realizou um concurso para redesenhar os cartazes do filme, que jogou pelo seguro, furando muito perto da correlação com a trilogia original, e à liquidação pouco mundano em relação ao reboque liso cheio de espionagem, o medo vermelho, e 60 cabelo. Várias pessoas se apressaram a fazer cartazes no Mod, Saul Bass, e do estilo de James Bond que eu tinha em mente, então foi decidido que eu faria uma seqüência do título em seu lugar.

E sim, essa música é uma versão muito melancólico da canção dos anos 90 cartoon tema.

Visite www.secretundergroundheadquarters.comwww.sperpunch.blogspot.com.

Correa acusou EUA tem se infiltrado na polícia e forças armadas do Equador

Equador não é o mais uma parte do quintal de dois Estados Unidos… Equador é um país livre, soberano e, com um governo eleito democraticamente… precisa e deve ser respeitado pelos imperialistas do norte! Creio que esta notícia não saiu Globo, mas aqui em meu blog nada escondemos de ninguém!

 

O presidente do Equador, Rafael Correa, informou terça-feira que os Estados Unidos (EUA) tem se infiltrado na polícia e das forças armadas, uma acusação que veio no mesmo dia que seu governo pediu a saída do embaixador país norte-americano por se recusar a explicar uma declaração dela apareceu em um diplomática cabo vazada por WikiLeaks sobre a política interna do país andino.

Correa disse em uma entrevista de rádio que as relações com EUA estão em boas condições, porém, arrependeu-se “entre os racks estão fazendo essas coisas, espiar a nossa polícia, na tentativa de envolver o presidente em casos de corrupção”.

Diante disso, Correa chamou de um “mau gestor” para a U. S. Embaixador Heather Hudgen que representou Washington em julho de 2008.

“Esta é basicamente a responsabilidade do embaixador Hudgen, que nunca quis o nosso governo”, disse ele.

No entanto, o líder equatoriano said”I esperança de que isso não vai prejudicar as relações EUA – Equador, porque se estiverem danificados, o que é uma vergonha, mas aqui nós respeitamos a soberania do país “.

O governo equatoriano declarou terça-feira por pessoa non grata ao embaixador dos EUA em Quito, Heather Hudgen, e lhe pediu para sair do país [4] imediatamente. Isto segue a sua incapacidade para explicar o conteúdo dos cabos divulgado hoje pelo site WikiLeaks, o que mostra que possui informações exclusivas sobre os órgãos internos da polícia política.

A diplomática cabo dos EUA foi enviado em 2009 e afirmou que o presidente do Equador, Rafael Correa, tinha conhecimento de denúncias de corrupção contra o agente Jaime Hurtado Vaca e ainda nomeou o comandante do corpo. Também foi reivindicada no texto que “a corrupção é generalizada nas fileiras da polícia” no país.

Naquele mesmo ano, o Equador expulsou dois funcionários da embaixada dos EUA a quem acusava de interferência nos assuntos internos da polícia.

O ministro das Relações Exteriores equatoriano Ricardo Patiño, disse terça-feira que é “absolutamente falsa e irresponsável”, disse o comunicado divulgado pelo cabo WikiLeaks e esclareceu que o governo Correa agiu “muito forte” para melhorar a polícia.

Mais tarde, o ministro das Relações Exteriores disse em uma entrevista à Telesur que o embaixador não fez nenhum esforço para refutar a afirmação nos cabos eo governo equatoriano “não pode tolerar tal ação”.

“A resposta dele (a hudge) foi insuficiente, (…) inaceitável que nós não esperamos uma declaração ou uma declaração pública, mas temos de esperar que um diálogo informal de admitir que (informação) não era verdade. Não podemos aceitar que um representante informa, portanto, para seu próprio governo, dizendo descrições ofensiva do nosso presidente “, disse ele.

Por seu turno, o embaixador dos EUA no disse em um comunicado que a expulsão de diplomata dos EUA is”unjustified “e lamentou” profundamente “a situação. O texto acrescenta que o estado norte-americano irá explorar formas para responder à ação do governo do país América do Sul.

 

Fonte: Fórum Socialismo ou Barbárie.

Mais uma da iPhoto

DVD aprendendo composição fotográfica.

Pelo fim do monopólio das comunicações no Brasil

Não é essa a TV que a gente merece. Precisamos de uma mídia que não esteja amarrada a interesses de empresários, políticos ou igrejas. Que atenda as necessidades do povo. O que o Brasil precisa é o fim do monopólio das comunicações. Vídeo apresentado por Carlos Latuff e produzido por Vanor Correia.

Torturado por causa das informações do WikiLeaks

Pare a Tortura Wikileaks

Agora mesmo Bradley Manning, o delator do Wikileaks, está sendo torturado em uma prisão militar nos Estados Unidos. O Manning está sendo sujeitado ao isolamento absoluto, tática que pode enlouquecer a pessoa, com curtos períodos por dia onde ele é totalmente despido e abusado verbalmente pelos outros presos.

O Manning está aguardando julgamento por liberar documentos militares secretos ao Wikileaks, incluindo o vídeo dos soldados americanos massacrando civis iraquianos. Este tratamento brutal parece ser parte de uma campanha de intimidação para silenciar qualquer delator e derrubar o Wikileaks. O governo dos EUA está dividido sobre este assunto com diplomatas criticando publicamente o exército pelo tratamento do Manning, mas com o Presidente Obama ainda alheio ao caso.

O Obama se preocupa com a reputação global dos EUA — nós precisamos mostrar para ele o que está em jogo. Vamosgerar um chamado global massivo ao governo dos EUA pedindo o fim da tortura de Manning e observação da lei. Assine a petição abaixo — a nossa mensagem será entregue através de anúncios ousados e atos públicos em Washington DC assim que conseguirmos 250.000 assinaturas: https://secure.avaaz.org/po/bradley_manning/?vl.

No papel, os EUA são contra a tortura. A constituição do país proíbe “punições cruéis e incomuns”. E junto com outras centenas de países, os EUA assinaram a convenção internacional que promete tratar todos os prisioneiros “com humanidade e respeito pela dignidade inerente da pessoa humana”. Mas hoje o Bradley Manning está completamente isolado na sua cela, sem lençóis, sem poder se exercitar e sendo sujeito à humilhação brutal que está causando danos psicológicos sérios. Isso viola a lei internacional e dos Estados Unidos.

Bradley está sendo mantido sob o status de “prevenção de danos” apesar de 16 relatos de profissionais de saúde mental do exército declararem que ele deve ser removido destas condições severas. Os seus advogados estão tentando garantir os seus direitos humanos e constitucionais básicos nos tribunais, mas por enquanto o tribunal militar responsável pelo destino do Bradley ignorou o seu sofrimento.

Desde as revelações explosivas dos crimes militares dos EUA no Afeganistão e Iraque, e outros numerosos cabos diplomáticos, houve uma perseguição ao Wikileaks. Muitos especulam que esta pressão brutal sobre o Bradley tem a intenção de forçá-lo a comprometer o fundador do Wikileaks Julian Assange. Porém, o Obama prometeu ao mundo e aos EUA que ele iria proteger e não perseguir delatores:

“Geralmente a melhor fonte de informação sobre desperdício, fraúde e abuso nos governos vem de um funcionário do governo comprometido com a integridade pública que está disposto a fazer uma denúncia. Estes atos de coragem e patriotismo, que às vezes salvam vidas e geralmente economizam verbas públicas, deverão ser incentivados e não amordaçados”.

O tratamento cruel do Bradley é o contrário, ele manda uma mensagem tenebrosa a outros que queiram expor informações importantes. Vamos agir rapidamente para colocar pressão internacional sobre os Estados Unidos, para eles honrarem o seu compromisso com os direitos humanos e a proteção de delatores, acabando com este tratamento cruel e chocante de seu próprio cidadão. Assine a petição agora: https://secure.avaaz.org/po/bradley_manning/?vl.

O Bradley Manning diz que é um patriota e admite ter liberado informações que ele sentiu que o mundo tinha o direito de saber. Mesmo para as pessoas que discordam com o Wikileaks e os méritos ou deméritos daqueles que entregam informações para eles, a tortura ilegal do Bradley Manning, que ainda não foi a julgamento nem foi condenado por nenhum crime, é uma violação vergonhosa dos direitos e dignidade humana.

Com esperaça e determinação, Emma, Ricken, Pascal, Janet e toda a equipe da Avaaz.

Fontes

“Caso Manning”: Ameaça para Liberdade de Expressão nos Estados Unidos: http://portuguese.ruvr.ru/2011/03/20/47703398.html.

Wikileaks. Porta-voz de Clinton demite-se depois de críticas duras: http://www.ionline.pt/conteudo/110214-wikileaks-porta-voz-clinton-demite-se-depois-criticas-duras.

Trinta pessoas presas durante manifestação pró-soldado do WikiLeaks: http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5gIa9Xs_VWy6GKjYt_lzJDh-n9Olw?docId=CNG.ebde7defc38231277e5314d8eb0d2c60.161.

Ivan Lessa: O prisioneiro Bradley Manning: http://www.estadao.com.br/noticias/arteelazer,ivan-lessa-o-prisioneiro-bradley-manning,694913,0.htm.

 

Apoie a comunidade da Avaaz! Nós somos totalmente sustentados por doações de indivíduos, não aceitamos financiamento de governos ou empresas. Nossa equipe dedicada garante que até as menores doações sejam bem aproveitadas — clique para doar.

Representante do governo Dilma garante que será criada comissão para discutir novo marco regulatório das OSCs

Organização da Sociedade Civil de Interesse Público

Durante a Consulta Nacional do Fórum Aberto para a efetividade do desenvolvimento das Organizações da Sociedade Civil (OSCs), realizado pela ABONG em São Paulo, nos dias 21 e 22 de março, a chefe de gabinete da Secretaria Geral da Presidência da República, Maria Victoria Hernandez, afirmou que será criada uma comissão do governo federal, com a participação de diversos ministérios e de entidades da sociedade civil, para discutir e elaborar uma proposta de um novo marco regulatório para as OSCs, uma bandeira histórica da ABONG e de suas associadas.

Em 2010, uma série de articulações, redes, movimentos e organizações, entre elas a ABONG, apresentaram aos candidatos e candidatas à presidência da República uma Plataforma por um Novo Marco Regulatório para as Organizações da Sociedade Civil. O documento reivindicava uma política de Estado com instrumentos e mecanismos que assegurem a autonomia política e financeira das OSCs para o fomento à participação cidadã, no sentido de contribuir para a radicalização da democracia e a revitalização de processos contemplando instrumentos deliberativos e de controle social.

A presidenta Dilma Russef respondeu à iniciativa, comprometendo-se a criar um grupo de trabalho, sob liderança da Secretaria da Presidência da República, com forte envolvimento da Casa Civil, com o objetivo de elaborar, no prazo máximo de um ano, uma proposta de legislação. Passados três meses da posse da nova presidenta, essa instância ainda não foi criada, o que preocupa as organizações envolvidas com essa luta.

Entretanto, de acordo com a representante da Secretaria Geral da Presidência da República, o marco regulatório das OSCs é uma prioridade do governo Dilmae a comissão será criada. “Temos também uma questão que é de longo prazo: pensar uma política de fomento, algo maior do que o marco, que não fique ao sabor dos governos”, acrescentou Maria Victoria.

Plataforma

“Nos últimos 20 anos, quase toda mudança complicou a vida das entidades”, afirma Silvio Sant´Ana, presidente da Fundação Esquel. Segundo ele, ocorreu um processo de crescente burocratização e de super regulação do trabalho das OSCs, que precisa ser simplificado. A criminalização das ONGs e o clima generalizado de hostilidade e descrédito em relação a elas também contribuem para dificultar ainda mais a atuação dessas entidades.

Por isso, a agenda da Plataforma está centrada em três pontos: no estímulo ao envolvimento da cidadania com as causas públicas, criando um ambiente favorável para a autonomia e fortalecimento das OSCs; na criação de mecanismos que viabilizem o acesso democrático aos recursos públicos e que permitam a operacionalização desburocratizada e eficiente das ações de interesse público;  e em um regime tributário apropriado e favorecido para as OSCs, incluindo a criação e aprimoramento de incentivos fiscais para doações de pessoas físicas e jurídicas.

“Entendemos que o ambiente facilitador que incentive o engajamento cidadão em causas de interesse publico depende muito de um Estado e de uma democracia que reconheça o papel da sociedade civil não como correia de transmissão de políticas ou oferta precária e barata de serviços, mas como atores autônomos, cujo papel é incentivar o debate ampliado de políticas, acompanhá-las e avaliá-las”, defendeu Vera Masagão, diretora executiva da ABONG. Segundo ela, o engajamento cidadão em causas públicas é um bem público que a sociedade deve incentivar e promover. “Por isso, somos organizações que legitimamente podemos acessar recursos públicos geridos pelo Estado e da sociedade que reconheçam este engajamento social como um bem para a sociedade e para a democracia” completou.

Para saber mais: www.forummarcoregulatorio.org.br