Paula Hitler. A irmã mais nova de Adolf Hitler

Paulo HitlerPaula Hitler era irmã mais nova de Adolf Hitler, ele era filha de seu pai Alois Hitler com a terceira mulher klara Polzl, nascida na cidade de Hafeld, Áustria, em 21 de Janeiro de 1896.

Paula mudou o sobrenome após a guerra para evitar jornalistas e curiosos, desde então passou a se chamar Paula Wolf, tem todos os documentos com esse novo nome parecendo até mesmo que não existia Paula Hitler, mas ela existia sim e tinha muitas lembranças.

Lembra que Hitler era o único irmão que desafiava seu pai, não queria trabalhar na fazenda, então com castigo apanhava todos os dias. Confira um depoimento, acho eu que seria dela mesmo, contado um pouco da história de seu irmão! Ótimo esse documentário eu não sabia da existência dessa irmã de Hitler. Sempre pensei que não existia parente algum do Hitler, gostaria de saber se existiu algum outro parente que logicamente tivesse filhos e certamente de alguma forma seria descendente do tirano. Alguém ai pode comentar???

Meu pai era um homem duro, conservador e cruel. Já minha mãe era doce, suave e nos tratava muito bem e com muito carinho.

No inicio de janeiro de 1903 perdemos nosso pai de insuficiência respiratória, e depois de quatro anos, em 21 de dezembro de 1907 perdemos nossa queria mãe, essa perda tinha sido muito difícil para mim e para Adolf. Destes últimos anos vivemos juntos com minha mãe, lembro-me especialmente da alegria do meu irmão e seu extraordinário interesse para a história, geografia, arquitetura, pintura e música. Em casa todos os dias, ele estava sentado durante horas no piano Heitzmann bonita grande, minha mãe havia lhe dado. Este extraordinário interesse por música, especialmente para Wagner e Listz, permaneceu com ele por toda sua vida.

Paulo HitlerPoucos dias depois da morte de minha mãe, meu irmão se mudou para Viena. Fiquei no nosso apartamento em Linz, onde a irmã da minha mãe mantinha nossa casa. Recebi poucas cartas do meu irmão de Viena, ele recomendava alguns livros para mim e dava conselhos bem-intencionados. Eu me lembro que uma vez ele me enviou o livro “Don Quichote” (Dom Quixote), de Viena, que particularmente gosto. Adolf tinha sido um grande irmão para mim, apesar de brigarmos muito por sermos autoritários, nos gostávamos muito. Em 1908 parou de nos escrever, pois minha tia insistia muito em convencê-lo a de oficial. Ficamos até 1921 sem nos vermos, nos encontramos em Viena, mas Adolf já mora em Munique, nesse encontro que duraram alguns dias me contara suas aventuras na guerra, contou sobre seu ferimento, sobre o tratamento no hospital e etc… Foram dias muito felizes, sempre me presenteava, mas logo voltei para Munique eu fiquei em Viena trabalhando de secretaria em um pequeno escritório.

Paulo Hitler
Quando meu irmão ficou conhecido e o nome “Hitler” não era mais anônimo, eu mudei meu sobrenome para “Wolf”, nessa perdi meu emprego, então fui até Munique para falar com meu irmão, ele prometera cuidar de mim e que me daria um bom futuro.

Em 1941 eu comprei uma casa em Weiten com a ajuda de meu irmão, essa casa depois fora invadida pelos russos. Em meados de 1945 dois homens da SS foram me buscar e me levaram para Berchtesgaden, quando os americanos estavam prestes invadir a cidade fui para o Dietrich – Eckardhutte, onde passei o natal de 1945.

Eu não era membro do Partido ou de qualquer organização partidária. A política do meu irmão, as suas idéias e as condições não eram motivo para eu entrar no partido. Nunca foi o desejo de meu irmão. Mas, se tivesse sido o seu desejo, eu poderia ter entrado no partido para agradá-lo.

Paulo HitlerEu não acredito que meu irmão ordenou que o crime cometido aos inumeráveis seres humanos nos campos de concentração – eu acho que ele nem sabia desses crimes. O que pode acontecido com ele é que nos anos difíceis durante a sua juventude em Viena, causou sua atitude anti-judaica. Ele estava morrendo de fome em Viena, e ele acreditava que seu fracasso na pintura era apenas devido ao fato de que o comércio de obras de arte estava nas mãos de judeus.

Paula Hitler faleceu em 01 de junho de 1960 em Berchtesgaden, Alemanha sem marido e sem filhos, viveu toda sua vida em total isolamento.

Chupa do site ecos da segunda guerra.

Anúncios

O PSD será um peemedebezão patrimonialista?

Será?

A pergunta mais recorrente, no momento, é sobre a identidade que assumirá o PSD, partido em gestação, que está proporcionando um ajuntamento de políticos que vão da extrema direita à esquerda. Na verdade é mais um balaio de gato, que após se firmar como força política, terá o mesmo destino das tantas agremiações partidárias já existentes. Correntes internas entram em lutas intestinais com o objetivo de dar uma “cara” ao partido, que acaba optando pelo meio termo, para agradar a gregos e troianos. Com isso, torna-se um grande negócio ao encalço do poder.

No Brasil, a corrente ideológica predominante é, sem dúvida nenhuma, o esquerdismo. Mais do que dominante, pode ser considerada quase como hegemônica. Não há nenhum político brasileiro que se declare de direita (liberal). No máximo, ele se considerará como um centrista. As pessoas declaradamente esquerdistas ocupam não apenas a maioria dos cargos eletivos, mas também dos postos reservados à “intelectualidade”, como os professores universitários (nas universidades públicas, a hegemonia esquerdista é total e absoluta), os burocratas da Administração Pública e aqueles que escrevem periodicamente na imprensa. Os liberais brasileiros são uma nulidade em termos políticos e, como formadores de opinião, ocupam espaços restritíssimos, normalmente confinados a sites e blogs.

É preciso, ainda, uma referência aos políticos patrimonialistas, uma espécie bastante comum em terras brasileiras. Eles não aderem a nenhum conjunto de ideias, pois seu interesse é, somente, auferir o máximo de vantagens, em termos de dinheiro e poder, do Estado. Exatamente pela ausência de ideologia definida, esse grupo tende, com enorme frequência, a unir-se com todos os matizes de liberais e esquerdistas com o único objetivo de manter-se no poder e de auferir as vantagens daí decorrentes.

De forma extremamente simplificada, pode-se fazer uma gradação dos principais partidos políticos brasileiros quanto à ideologia: DEM (centro), PSDB (centroesquerda), PT (esquerda), PSOL e outros pequenos partidos (extrema esquerda). Em todos esses partidos, o componente patrimonialista é sempre bastante influente. No caso específico do PMDB, é possível considerar que, atualmente, é insignificante seu aspecto ideológico, sendo um partido quase que exclusivamente patrimonialista.

O termo “conservador”, atualmente, é utilizado muito mais como um insulto do que como seria sua conotação exata. Em tempos progressistas, em que as outras ideologias querem encaminhar o mundo para “um lugar melhor”, produto de mais liberdade, para os liberais, ou de mais igualdade, para os socialistas, pode-se questionar: o que propõem os conservadores? Em primeiro lugar, uma saudável dúvida a respeito do que deve ser mudado, em contraposição àquilo que precisa ser mantido. Porém, a simples reserva contra o progressismo e o apreço pela tradição não são suficientes para definir o conservadorismo.

Por isso, liberais e esquerdistas concordam em diversos aspectos. Primeiramente, há um repúdio, quase automático, a quaisquer posicionamentos ligados à tradição judaico-cristã ocidental. São encontrados exemplos nítidos na defesa, muitas vezes incondicional, do aborto e da legalização das drogas. Também há o desprezo por institutos como o casamento e a monogamia. Finalmente, também é bastante comum a defesa de um relativismo moral, considerando que as noções de certo e de errado podem, legitimamente, variar de indivíduo para indivíduo (liberais); e de sociedade para sociedade, e até em uma mesma sociedade, a depender do momento histórico (esquerdistas).

Por Ivan Lopes da Silva, Vera Silva, interina. Contato com a Coluna Exxtra: ivan@exxtra.com.br.

Libertem Ai Weiwei

O artista chinês conhecido e amado no mundo todo Ai Weiwei foi abduzido pelas forças de segurança da China. Todo vestígio da vida e da arte de Ai foi apagado da internet chinesa, e sua única esperança pode ser uma manifestação global por sua libertação.

Temeroso pelos protestos pró-democracia que têm varrido o mundo, o governo tem reprimido centenas de artistas, intelectuais, estudantes e cidadãos chineses críticos ao governo. Mas ao redor do mundo, artistas e amantes da arte começaram a se manifestar em solidariedade a Ai.

A elite chinesa é uma grande consumidora de arte contemporânea, e está planejando uma grande feira de arte em Beijing. Se artistas e galerias internacionais permanecerem distantes da China até que Ai seja libertado, eles atingirão o regime. Vamos construir uma onda global massiva de apoio para que os principais artistas e galerias parem de exibir suas obras na China até que Ai Weiwei seja libertado. Nós entregaremos a petição na próxima Bienal de Veneza e em outras mostras: http://www2.avaaz.org/po/artists_for_ai_weiwei/?vl.

Dezenas de galerias e artistas de mais de 15 países estão neste momento se preparando para a Beijing Art Expo e outras mostras. Nós apresentaremos nossa petição a todos os artistas e galerias proeminentes, e apresentaremos suas respostas em nosso site, mobilizando o mundo artístico a se posicionar fortemente em favor de Ai e de todas as outras pessoas presas por expressarem suas opiniões.

A China por vezes parece imune à pressão internacional, mas o ativismo artístico poderá funcionar. Quando estrelas do esporte permaneceram distantes da África do Sul, chamaram a atenção para o regime brutal de apartheid, apressando a libertação de Nelson Mandela. Junto com artistas e marchands internacionais nós podemos conseguir agora alcançar o mesmo efeito.

O crime de Ai Weiwei foi se manifestar contra a corrupção e a injustiça na China. Por princípio ele se demitiu da equipe que estava projetando o estádio olímpico “Ninho de Pássaro”, criticou a corrupção por trás das escolas pobremente construídas que mataram crianças no terremoto de Sichuan e expressou esperança de que as revoluções no Oriente Médio possam levar à mudança na China. Agora ninguém sabe onde ele está sendo mantido e porquê. Vamos convocar artistas e galerias a se unirem pela libertação de Ai Weiwei: http://www2.avaaz.org/po/artists_for_ai_weiwei/?vl.

Os pais de Ai passaram 16 anos em um campo de trabalhos forçados por seus princípios. Naquele tempo a China estava isolada do mundo, mas agora os tempos mudaram. As nossas vozes contam – vamos usá-las agora por Ai e pelos artistas vocais da China, e pela nova China que eles estão lutando para criar.

Com esperança, Alex, Ricken, Maria Paz, Morgan e toda a equipe da Avaaz.

Leia mais

Apoie a comunidade da Avaaz! Nós somos totalmente sustentados por doações de indivíduos, não aceitamos financiamento de governos ou empresas. Nossa equipe dedicada garante que até as menores doações sejam bem aproveitadas — clique para doar.

Belo Monte: guerrilha de contra-informação

O Consórcio Norte Energia criou alguns spots de propaganda enganosa sobre Belo Monte que estão sendo veiculandos em 17 aeroportos brasileiros. Estão sendo criandos materiais de “guerrilha” de contra-informação. Guerrilha porque obviamente não temos dinheiro para comprar espaços em aeroportos… por isso contamos com a ajuda de todos os amigos para reproduzir ao máximo os nossos spots. Twittassos, facebook, e-mails, tudo ajuda. O primeiro já está disponível ai em cima. Acompanhe tudo pelo canal do movimento no YouTube.

O Brasil é nosso!

Olha o tipo de bobagem que eu recebi por e-mail! Eu dei uma olhada no site e tem coisa até pior publicada, tipo defender internacionalização da nossa Amazônia dando tudo de graça para os gringos! Dar Amazônia? Fala sério!

Sem contar a proposta de rodízio de carro todos os dias e controle de natalidade rigoroso punido por lei para preservar os recursos naturais? Eles são malucos!!! Somos a China ou o Japão? Esses imbecis não tem noção do que vai acontecer com o pequenos produtores se o código florestal não for aprovado. Presta atenção nesse vídeo aqui, é esse o ruralista desmatador que eles querem ferrar?