Ilhota implantará transporte coletivo

A prefeitura de Ilhota deu mais um passo para a implantação do transporte coletivo no município. A empresa TecTrans, vencedora da licitação, inicia nesta semana uma pesquisa de campo para levantar dados estatísticos, quantitativos e qualitativos, sobre as necessidades dos moradores. A partir destes números, a instituição começará a elaborar o Plano Municipal de Transporte Público da cidade.

De acordo com o prefeito Ademar Felisky, a elaboração deste projeto é de extrema importância para o sucesso da concessão do transporte coletivo municipal. “É o projeto básico que demonstrará todas as características da realidade da demanda local, da topografia, o tipo de vias, os horários de pico, o tamanho da frota necessário, sua idade média e máxima, os custos que a compõem, a tarifação e todas as variáveis que interferirem na disponibilização do serviço à comunidade”.

Ademar acrescenta que uma comissão foi formada para acompanhar os trabalhos, composta pelos seguintes membros: secretário de Indústria e Comércio, Paulo Vilmar Batista; Assessor para Juventude, Dialison Cleber Vitti; responsável pelo setor de licitações, Cristiane Alexandre Tives; e vereador Calinho.

O grupo se reuniu mais uma vez na última quinta-feira (12). Na oportunidade, conforme Dialison, a comissão conversou com a empresa responsável, que informou que os trabalhos irão até o dia 24 de junho. “As atividades serão divididas em três etapas: elaboração do regulamento, do edital e criação do plano municipal do transporte”, conta. O grupo colaborará com a TecTrans, fornecendo os dados necessários, bem como explicando o mapa do município, as principais vias de acesso, o itinerário do transporte escolar e a quantidade de casa/domicílios existentes em cada bairro. A comissão se reunirá semanalmente para acompanhar os resultados.

Para Ademar, esta será uma das mais importantes políticas de integração e inclusão que este governo desenvolverá. “Com o transporte coletivo, o município passará a se integrar com todas as localidades, beneficiando os setores público e privado, bem como contribuindo na geração de emprego e renda na nossa cidade”.

Ao final será realizada uma audiência pública para prestação de contas. Após esta etapa, a prefeitura dará início a abertura do edital para concessão da prestação do serviço de transporte coletivo das empresas de ônibus. O plano terá um investimento de R$ 24.675,00.

Anúncios

Bombeiros Voluntários agradecem ao Departamento de Esportes pelo apoio

A Associação do Corpo de Bombeiros Voluntários de Ilhota agradeceu nesta segunda-feira (16) ao Departamento de Esportes da prefeitura pela oportunidade de prestar serviços de bar e cozinha durante o Campeonato Municipal de Futsal “Taça Nilson Reinert”. Ao todo, a entidade arrecadou R$ 2.286,00. O recurso será utilizado na manutenção da instituição.

De 15 de março a 13 de maio, os profissionais garantiram segurança e um ambiente agradável e familiar aos que assistiram os jogos. “Nos prontificamos a fazer novas parcerias com o setor nas futuras competições esportivas, pois os bombeiros vivem de doações e todas fonte de recursos e captação serão bem-vindas. Queremos agradecer especialmente ao ex-diretor, Ivanor Januário, popular Nole, que nos procurou para deixar disponível o bar. Agradecemos o espaço e damos as boas-vindas ao novo diretor de esporte, Diego Zeferino”, afirmou o tesoureiro, Mauri Miglioli, popularmente conhecido como Nene.

Padaria Pafean vence Campeonato Municipal de Futsal

Padaria Pafean vence Campeonato Municipal de Futsal

O Campeonato Municipal de Futsal “Taça Nilson Reinert” chega ao final em Ilhota. Ao contrário do que muitos esperavam, a Fazenda Juriti, vencedora do ano passado, não conquistou o primeiro lugar, ficou em segundo. A grande vencedora foi a equipe da Padaria Pafean. O terceiro lugar ficou com Bianchessi Têxtil Pedra de Amolar. Estes três primeiros colocados ganharam premiação em dinheiro, troféus e medalhas.

Para o coordenador, Clésio Fischer, este foi um bom campeonato. “Como sempre, tivemos um bom público em praticamente todas as partidas. Alguns jogos foram mais acirrados e outros foram marcados pelo número de gols. A qualidade técnica das equipes também chamou a atenção”.

Segundo ele, agora já começam os preparativos para a próxima edição. “Teremos, em breve, a etapa municipal do Moleque Bom de Bola. Nossos esforços estarão direcionados neste sentido. Quando terminar esta fase, vamos começar a pensar no campeonato 2012”, contou.

Ao todo, 11 equipes disputaram a competição: Têxtil Cristina, Fazenda Juriti, Anjinhos, NDN 10, Padaria Pafean, Cobra de Laboratório, Unidos do Braço do Baú, Supermercado Soares, Bianchessi Têxtil Pedra de Amolar, Digital Têxtil e Vila Nova.

Ilhota atinge meta de vacinação em idosos e crianças

A campanha de vacinação contra a gripe, em Ilhota, foi um sucesso. A secretaria de saúde já conseguiu atingir a meta de crianças (233) e idosos (972). No entanto, as gestantes estão longe do esperado. Somente 83 receberam a vacina até agora. Por este motivo, a campanha foi prorrogada por mais uma semana. Até sexta-feira (20), os moradores da cidade podem procurar uma das unidades de saúde, das 8h às 17h. A meta da prefeitura é atingir 1729 pessoas, sendo que 1347 já receberam o medicamento.

A coordenadora, enfermeira Ana Teresa Americano, lembra que os que possuem doenças crônicas também devem procurar um posto para tomar a vacina. A profissional reforça que a vacina é totalmente segura. Ela é fabricada com os vírus inativos dos tipos mais comuns de gripe. “Para os idosos a dose é única. Para as crianças o esquema completo inclui duas doses, a segunda 30 dias após a primeira”, informou. A vacina protege contra os três principais vírus que estão em circulação no hemisfério sul, entre eles o da influenza A (H1N1).

Mais sobre a gripe

A gripe, ou influenza, é uma infecção causada por vírus que afeta o sistema respiratório, mais precisamente o nariz, garganta e brônquios. O contágio ocorre de forma direta através das secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar ou de forma indireta, por meio das mãos que, após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

A doença pode se apresentar desde uma forma leve e de curta duração, até formas clinicamente graves e complicadas. A gripe é responsável por elevada taxa de adoecimento e morte em grupos de maior vulnerabilidade.

Pena de morte para gays em Uganda – Nós ganhamos!!

A lei homofóbica de Uganda caiu! Parecia que seria aprovada na semana passada, mas depois da petição com 1,6 milhão de assinaturas entregue ao parlamento, das dezenas de milhares de chamadas telefônicas para nossos governos, das centenas de reportagens na mídia sobre nossa campanha e de uma manifestação global massiva, os políticos ugandenses desistiram da lei!

Estava prestes a ser aprovada — extremistas religiosos tentaram aprovar a lei na quarta-feira, e então concordaram com uma sessão de emergência sem precedentes na sexta-feira. Mas a cada vez, no espaço de algumas horas, nós reagimos. Um enorme parabéns a todo mundo que assinou, ligou, encaminhou e doou para essa campanha — com sua ajuda, milhares de pessoas inocentes na comunidade gay de Uganda não acordam nessa manhã enfrentando a execução apenas por causa de quem escolheram amar.

Frank Mugisha, um corajoso líder da comunidade gay em Uganda, enviou-nos essa mensagem:

“Corajosos ativistas LGBT ugandenses e milhões de pessoas ao redor do mundo ficaram juntos e enfrentaram essa horrenda lei homofóbica. O apoio da comunidade global Avaaz pesou na balança para evitar que essa lei fosse adiante. A solidariedade global fez uma enorme diferença”.

O Alto Representante da Secretaria de Negócios Estrangeiros da União Europeia também escreveu para a Avaaz:

“Muito obrigado. Como vocês sabem, em grande parte graças ao lobby intensivo e esforço combinado de vocês, de outros representantes da sociedade civil, da União Europeia e outros governos, mais nossa delegação e embaixadas no local, a lei não foi apresentada ao parlamento esta manhã”.

Essa luta não acabou. Os extremistas por trás dessa lei podem tentar novamente dentro de apenas 18 meses. Mas essa é a segunda vez que ajudamos a derrubar essa lei, e nós vamos continuar até que os propagadores do ódio desistam.

Transformar as causas mais profundas da ignorância e do ódio por trás da homofobia é uma batalha histórica e de longo prazo, uma das grandes causas da nossa geração. Mas Uganda tornou-se uma linha de frente nessa batalha, e um símbolo poderoso. A vitória lá ecoa através de muitos outros lugares em que a esperança é extremamente necessária, mostrando que bondade, amor, tolerância e respeito podem derrotar ódio e ignorância. Novamente, um enorme obrigado a todos que tornaram isso possível.

Com enorme gratidão e admiração por essa incrível comunidade, Ricken, Emma, Iain, Alice, Giulia, Saloni e toda a equipe Avaaz.

Destaques na mídia

Apoie a comunidade da Avaaz!

Nós somos totalmente sustentados por doações de indivíduos, não aceitamos financiamento de governos ou empresas. Nossa equipe dedicada garante que até as menores doações sejam bem aproveitadas — clique para doar.

Essa semana tem Matinê do Rock

Neste sábado (21/05) rola mais uma Matinê do Rock no Taliesyn Rock Bar com as peças raras da cena catarinense, Motel Overdose e Quadrijet (desconheço, mas não se custa pesquisar). O local já sabemos, mas desta vez veio com um blog de orientação, confira no link ao lado http://taliesynrockbar.blogspot.com/p/localizacao.html. Os shows começam cedo às 19hs e o valor continua o mesmo, 10 pila.

Mais informações da Motel Overdose, aqui, pelo MySpace, Twitter, Facebook.


III Feira de Matemática acontecerá em agosto

Logo oficial da Secretaria de Educação da III Feira de Matmática

Os números ganharão ainda mais sentido no mês de agosto, em Ilhota. A secretaria de educação promoverá a terceira edição da Feira Municipal de Matemática. O evento acontecerá no dia 10 e envolverá APAE, escolas municipais, estaduais, particular e centros de educação infantil. Sete trabalhos serão escolhidos para representar a cidade na etapa regional, que ocorrerá em 22 de setembro, em Pomerode.

Segundo a organizadora da feira e diretora de ensino, Elaine Cristina Custódio, cerca de 30 apresentações serão feitas na fase municipal. “Teremos a modalidade de matemática, a de jogos e a de matemática aplicada”, conta. A abertura ocorrerá às 8h30. Os trabalhos ficarão expostos para visitação até o final do dia.

Atualmente o departamento de comunicação trabalha no desenvolvimento de uma logomarca. Em breve, a arte será divulgada, mas o blog dcvitti já divulga ela!

Biografia de Bob Dylan é lançada no Brasil

A editora Larousse está trazendo o livro “No Direction Home: a Vida e a Música de Bob Dylan” para o Brasil, num relançamento mundial para comemorar o septuagésimo aniversário do músico, no dia 24 de maio.

A nova edição da obra foi atualizada com a completa discografia do músico, análises sobre cada canção e 16 páginas de fotos dos momentos mais marcantes da vida dele, além de ser acrescida de vários trechos inéditos do manuscrito original encontrados no espólio de Robert Shelton – famoso crítico de música popular do jornal “New York Times”.

Amigo íntimo do músico, Shelton pode conhecer e entrevistar toda a família de Bob, amigos de infância, namoradas e desafetos, mergulhando profundamente na formação cultural e musical dele. Amigo, observador e, às vezes, conselheiro, o escritor consegue dar luz e humanidade a um homem taciturno, introspectivo e de um humor cáustico.

“No Direction Home: a Vida e a Música de Bob Dylan” chega às livrarias em uma edição de alta qualidade.

No Direction Home: a Vida e a Música de Bob Dylan

  • Autor: Robert Shelton
  • Atualização: Elizabeth Thomson e Patrick Humphries
  • Tradução: Gustavo Mesquita
  • Número de páginas: 768
  • Preço Sugerido: R$ 99,00

Fonte: Escrito por Katy Freitas, da redação TDM.

Campanha de Segurança Pública em Gaspar inicia na próxima terça-feira

Campanha de Segurança Pública em Gaspar inicia na próxima terça-feira

A luta do vereador Kleber Wan-Dall (PMDB) tomará corpo na próxima semana. Na terça-feira (24) Gaspar dará início a uma Campanha de Segurança Pública. O lançamento ocorrerá no plenário do legislativo. Na oportunidade serão distribuídos cartazes, folders e adesivos para divulgação da iniciativa.

Segundo o parlamentar e organizador, o ponto alto acontecerá no dia 11 de junho, quando representantes de entidades, poder público e população se concentrarão, a partir das 9h, no centro da cidade. “Inclusive, estamos convidando deputados estaduais e federais para participar desta mobilização. Queremos e exigimos mais segurança para a nossa cidade. Vamos envolver todas as organizações, associações, clubes, igrejas, enfim, a comunidade em geral para dizer as autoridades competentes que o desejo de mais segurança em Gaspar é de todos”, afirma.

Kleber lembra que as estatísticas da Polícia Militar da cidade vêm crescendo a cada ano. E, infelizmente, não é na quantidade de policiais e viaturas. Os números de furtos, roubos e assaltos são os que aumentam assustadoramente. “Em 2009, a PM contabilizou 4.478 atendimentos. Em 2010 subiu para 5.200. Neste ano, somente até março, já somam-se 1.061 ocorrências”, explica.

Na Polícia Civil não é diferente. “O número de ocorrências só cresce e ainda tem o agravante da “desova” de cadáveres em Gaspar, ou seja, o crime (assassinato) acontece em outra cidade e o corpo é deixado no interior do município”. Na prática isso significa mais trabalho investigativo para Polícia Civil”.

O peemedebista acredita que o baixo efetivo de policiais, os equipamentos ultrapassados, o fácil acesso a cidade e o trânsito intenso são as principais causas da falta de segurança. “Estes fatores facilitam o trabalho dos bandidos. A população, desta forma, de praticamente 58 mil habitantes, fica a mercê da atuação dos ladrões. Esta situação não pode continuar”.

Gaspar faz divisa com sete municípios: Massaranduba, Luiz Alves, Ilhota, Blumenau, Guabiruba, Brusque e Itajaí. Somados, os acessos chegam a 18. “Se um ladrão quiser fugir da cidade, ele terá toda a facilidade. Não temos policiais suficientes para cuidar de todos estes limites geográficos e nem para atender a todas as ocorrências diárias”.

A campanha tem como principal objetivo aumentar o efetivo de policiais militares e civis, construção de uma nova delegacia e instalação de vídeo-monitoramento no centro da cidade.

Em defesa do direito da juventude negra à vida

Mapa da Violência 2011

De 1998 a 2008, foram assassinadas no Brasil 521.822 pessoas, a imensa maioria do sexo masculino, de acordo com o “Mapa da Violência 2011: os jovens do Brasil”, encomendado pelo Ministério da Justiça ao Instituto Sangari. Nessa guerra não declarada, a principal vítima é a população jovem. Os dados de 2008 mostram que, enquanto entre as pessoas menores de 15 e maiores de 24 anos apenas 1,8% dos óbitos são causados por homicídios, entre jovens na faixa etária intermediária os assassinatos são responsáveis por 39% das mortes.

A juventude negra é de longe a que mais sofre com esse massacre e a diferença tem aumentado em relação aos brancos. Ao mesmo tempo em que o número de homicídios de jovens brancos caiu 30% de 2002 a 2008, entre os negros subiu 13%. Disso resulta que, se em 2002, a probabilidade de um jovem negro morrer era 45% maior do que a de um branco, em 2008 esse índice atingiu assustadores 127%.

Dados alarmantes como esses, em um país que muitas vezes se gaba de ser pacífico, evidenciam o que há muito tempo se sabe: ocorre no país um verdadeiro extermínio de jovens do sexo masculino, negros e, em sua maioria, pobres. Nas últimas décadas, o movimento negro brasileiro vem denunciando essa tragédia cotidiana, e já fez inúmeras campanhas para exigir uma atitude do poder público. No entanto, as medidas que vêm sendo tomadas para enfrentá-la não estão surtindo efeito, já que o problema tem se agravado e a tendência é que piore ainda mais.

O massacre de jovens afrodescendentes é apenas o ponto final de trajetórias permeadas por diferentes formas de racismo, violações de direitos humanos desde antes do nascimento, exclusão, falta de oportunidades e de perspectivas de futuro.  As profundas desigualdades sociais e os processos discriminatórios que em geral marcam o percurso da juventude negra, herdados do período escravista e reiterados cotidianamente pela sociedade brasileira, deixam poucas saídas para essa parcela da população. Tais jovens estão entre os que têm os piores níveis de escolaridade, entre os que recebem os salários mais baixos, encabeçam a lista dos não alfabetizados, dos desempregados, dos que ocupam os empregos informais, dos que superlotam os presídios.

São milhares de vidas abreviadas pela violência letal, potencialidades desperdiçadas, famílias destruídas. Um verdadeiro massacre que resulta da conjunção de múltiplos fatores. Da ausência de políticas públicas, principalmente relacionadas a uma educação pública de qualidade e a oportunidades de trabalho e renda.  Do aumento do narcotráfico e do consumo de drogas, que aparecem como possibilidades de ascensão social ou de fuga dessa dura realidade, recrutando jovens para o crime organizado e aumentando a criminalidade.

Também decorre de uma política de segurança pública a serviço da elite brasileira. Da persistência da violência institucional, impetrada pela polícia e por outros agentes do Estado, que se manifesta nas revistas pessoais banalizadas, nas abordagens truculentas, nas humilhações, nas agressões, nas prisões arbitrárias, na tortura, na execução sumária de suspeitos. Ações que quase sempre terminam impunes, atingindo muitas vezes jovens inocentes, considerados criminosos simplesmente por serem negros. Da ação das milícias, dos grupos de extermínio, muitas vezes também formados por policiais, que promovem chacinas nas periferias, do contrabando de armas, da proliferação da segurança privada.

Perpetua-se essa situação por conta de uma indignação tímida da opinião pública, que não se mobiliza de verdade enquanto são os pobres os que morrem. Os meios de comunicação tendem a apenas naturalizar a questão ou tratá-la de maneira sensacionalista. Traços de uma sociedade que em grande medida silencia frente ao horror e assim compactua com essa tentativa de extermínio.

Na última década, em reação a essa realidade, a juventude negra vem se organizando para enfrentar a violência da qual constitui o principal alvo, por meio de campanhas, encontros e propostas. Representantes da cultura hip hop, dos grupos culturais, da capoeira, das manifestações regionais, dos coletivos de estudantes, denunciam o problema em sua complexidade e se articulam para aumentar sua participação política, buscando incidir na construção e implementação de políticas públicas. Nesse período, foram criadas instâncias como o Fórum Nacional da Juventude Negra, os fóruns estaduais, e a Rede Nacional de Juventude Negra.  Uma população que, à revelia da tentativa de genocídio, assume o protagonismo no enfrentamento à questão e afirma veementemente que quer viver.

Diante da gravidade desse problema, a ABONG e suas associadas defendem, neste 13 de maio, que ele deve ser encarado verdadeiramente como uma preocupação central de toda a sociedade brasileira, e que revertê-lo precisa ser uma prioridade na atuação dos poderes públicos – executivo, legislativo e judiciário, em nível federal, estadual e municipal. Fazem-se urgentes políticas públicas integradas e articuladas, políticas afirmativas, reparadoras de uma história que colocou a população negra à margem. Não apenas políticas de segurança pública, mas também de saúde, educação, assistência social, moradia, geração de trabalho e renda, cultura, lazer, esporte, comunicação, direcionadas à juventude negra, construídas com a participação desse coletivo, e que levem em conta suas especificidades.

Como sustenta em artigo recente Deise Benedito, presidente da Fala Preta! – Organização de Mulheres Negras, é necessária a elaboração de um plano nacional que contemple medidas de prevenção, enfrentamento, proteção e qualificação, voltado ao combate à letalidade da juventude negra no Brasil, com orçamento próprio e compromisso em sua implementação. Só com vontade política será possível reverter esse problema que traz consequências dramáticas para a sociedade brasileira.

O “Mapa da Violência 2011: os jovens do Brasil” pode ser baixado na íntegraaqui.