Finalmente, Twitter lança versão em Português

Página web, site móvel e app para Android foram traduzidos.

O Twitter anunciou hoje (07/06), por meio de um post em seu blog, que a versão do microblog em Português do Brasil está disponível. O texto informa que a tradução foi feita em apenas 3 dias, fazendo com que esta seja a tradução mais rápida da plataforma até agora. Para fazer a mudança de idiomas, clique em “Settings” e selecione “Portuguese” no campo “Languages”. Clique em “Save” ao final da página e pronto! Além da página web do Twitter, o site móvel e o app para Android também já foram traduzidos há alguns meses. Para mais notícias, siga @twitter_pt e, para suporte, siga o @ajuda.

Anúncios

Cartaz Ilhota Rock Festival 2011

Cartaz Ilhota Rock Festival 2011

Hoje, divulgamos oficialmente o cartaz da sétima edição do Ilhota Rock Festival 2011.  Este ano, por questões financeiras e falta de subvenções sociais e culturais, nossa comunicação se resumirá apenas na campanha virtual, pois não teremos como fazer a impressão do material. A arte foi produzida pelo Dialison, Assessor da Juventude.

A organização irá publicar alguns modelos pela cidade em impressão convencional no padrão A4 colorido. A organização pede ainda que os amigos e apoiadores promovam a distribuição da arte a todas as demais redes sociais. Ficaremos focados neste método de divulgação. Podem copiar a vontade!

Luiz Garrido lança “Retratos: Técnica, Composição e Direção”

Luiz Garrido lança “Retratos: Técnica, Composição e Direção”

Luiz Garrido lança o livro “Retratos: Técnica, Composição e Direção” com fotos de celebridades como John Lennon. Ele apresenta um DVD que explica as fotos sem usar o Photoshop e comenta o livro é composto de 29 personagens. O fotógrafo contou como surgiu a oportunidade de fotografar John Lennon. Luiz Garrido viveu como “paparazzo” em Paris e assim conseguiu fotografar a lenda dos Beatles junto com Yoko Ono. Jô Soares mostrou no telão algumas fotos de Luiz Garrido para que ele comentasse. O fotógrafo terminou a entrevista contando que seu livro é um manual para pessoas que estão começando a fotografar.

Para aqueles que perderam a entrevista na madrugada desta segunda para terça-feira, podem assistir ao conteúdo, clicando sem medo, neste link. Vejam logo, pois o portal Globo.com espira e poderá ser tarde.

Fonte: site do Programa do Jô.

25% dos crackers dos EUA trabalham para o FBI, mostra pesquisa

Resultados estão ligados às ações do governo para forçar criminosos a cooperar com investigações, em troca do abrandamento da prisão.

O jornal britânico The Guardian publicou uma matéria na qual destaca que cerca de um a cada quatro crackers dos Estados Unidos trabalha como informante do FBI (agência de investigação norte-americana) e para o serviço secreto do país. A conclusão foi obtida a partir de um estudo sobre crimes cibernéticos, realizado por Eric Corlei.

Essa ligação direta entre crackers com o governo norte-americano deve-se ao sucesso das ações para forçar criminosos virtuais a cooperar com investigações federais, em troca do abrandamento das penas de prisão.

“Em alguns casos, fóruns de discussão populares usados por cibercriminosos como ambientes para roubar identidades e números de cartões de crédito têm sido utilizados como disfarce para atuação de informantes do FBI”, indica a reportagem. Ela cita também que, em muitos casos, agentes disfarçados se fingem de especialistas em roubo de informações como forma de detectar e prender criminosos.

O FBI não quis comentar a reportagem do The Guardian. Mas, na semana passada, a secretaria de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, deu uma entrevista na qual destacou que o governo norte-americano está empenhado em combater os crimes cibernéticos e em criar uma política específica sobre esse tema. A preocupação de Hillary estava relacionada ao ataque contra o Gmail, do Google, e que, pelos indícios, tinha como alvo roubar informações de autoridades do país.

Quanto à ideia de usar os cibercriminosos a favor do governo e das empresas, não trata-se de uma novidade. Um dos mais famosos crackers do mundo, Kevin Mitnick foi preso em 1995 por conta de fraudes online e, após sair da prisão, em 2002, tornou-se consultor de segurança.