Minas de Ilhota é campeão no Óleo Grande

Time venceu o Óleo Grande nos pênaltis.

Numa final equilibrada, o Minas, da cidade de Ilhota, bateu o Óleo Grande nas penalidades máximas e se sagrou campeão da Taça Henrique Roncaglio, disputada no campo do Ademir Schuart, no Óleo Grande, na manhã de domingo (12). Na disputa pelo terceiro lugar, o Britagem Barracão venceu o Patota Benaci por 5 a 2. Minas e Óleo Grande fizeram um jogo digno de uma decisão. No tempo normal, o o placar de 2 a 2.

O time de Ilhota abriu o marcador no primeiro tempo, com o atacante Edson, o Deco, mas o time do Óleo Grande empatou logo em seguida com um gol contra do zagueiro Marcelo. No início da segunda etapa, o time do Óleo Grande virou para 2 a1 com Rick, mas não conseguiu segurar o resultado e cedeu o empate. Os dois times continuaram atacando, com várias chances desperdiçadas, mas os dois goleiros estavam em dia inspirado e evitaram mais gols. Na decisão por pênaltis, os batedores foram bastante precisos, mas o goleiro Sidnei, do Minas, foi mais eficiente e defendeu uma das cobranças já na série alternada.

O dia ensolarado contribuiu para que a final da Taça Henrique Roncáglio fosse uma grande confraternização no Óleo Grande. Ademir Schuart, proprietário do campo, calcula que mais de 350 pessoas acompanharam os dois jogos. Ele aproveitou para agradecer aos times que participaram da competição, à comunidade e aos patrocinadores, entre eles Adilson Roncáglio que doou o troféu de primeiro lugar e as medalhas. “Estamos muito felizes com o resultado do campeonato, pois o Óleo Grande tem poucas opções de lazer e fizemos o campeonato justamente para integrar a nossa comunidade”. Cristiano da Silva, capitão do Óleo Grande, que pelo segundo ano consecutivo ficou com o vice-campeonato, lamentou a derrota, mas disse que o seu time jogou um bom futebol e perdeu no detalhe. Ele elogiou a organização do campeonato e bom nível técnico.

Marcelo Muller, capitão do Minas, vibrou muito com a conquista e admitiu que antes do jogo estava bastante preocupado, já que o seu time estava com vários desafalques. Dejandir Zeferino, cobrador oficial de pênaltis do Minas, era o mais festejado. Ele acertou oito cobranças consecutivas. Deco não jogou todas as partidas, mas acabou sendo também decisivo. Dos seus pés saíram os dois gols. A premiação foi também um momento de muita alegria e emoção. Lá estava a viúva de Henrique Roncáglio, o grande homenageado, Apolonia Zuchi, 94 anos, juntamente com seus filhos e netos. Ela entregou o troféu ao zagueiro Marcelo, capitão do Minas. Seus fiamiliares entregaram as medalhas. A família Roncáglio morou muitos anos no Óleo Grande.

Hoje, em função da saúde debilitada, dona Apolônia mora em Blumenau com uma filha. Ela fez questão de estar presente. “Queria agradecer em nome da minha mãe e de todos os meus familiares essa bonita homenagem prestada ao meu pai”, disse a filha Maria Tereza Roncáglio. A competição premiou ainda o goleador Henrique, do Óleo Grande, e o goleiro menos vazado, Evandro, do Patota Benaci, além do árbitro destaque, Jean.

Classificação final

  • Campeão: Minas.
  • Vice-campeão: Óleo Grande.
  • 3º lugar: Britagem Barracão.
  • 4º lugar: Patota Benaci.
  • 5º lugar: União.
  • 6º lugar: Chapa Quente.
  • Goleador: Henrique (Óleo Grande).
  • Goleiro menos vazado: Evandro (Patota Benacci).
  • Árbitro destaque: Jean
Anúncios

Campanha Nobel da Paz – mulheres africanas

Quando: Sem prazo para terminar

Onde: Em qualquer lugar

O que fazer (descrição): A África caminha com os pés das mulheres. No desafio da sobrevivência, todos os dias centenas de milhares de mulheres africanas percorrem as estradas do continente à procura de uma Paz duradoura e de uma vida digna. Num continente massacrado há séculos, marcado pela pobreza e sucessivas crises econômicas, o papel desenvolvido pelas mulheres é notório.

Chama a atenção a luta e o crescente papel que as mulheres africanas desenvolvem, tanto nas aldeias, quanto nas grandes cidades, em busca de melhor condição de vida. São elas que sustentam a economia familiar realizando qualquer atividade, principalmente na economia informal, que permite cada dia reproduzir o milagre da sobrevivência.

Existem na África milhares de cooperativas que reúnem mulheres envolvidas na agricultura, no comércio, na formação, no processamento de produtos agrícolas. Há décadas, elas são protagonistas também na área de microfinanças, e foi graças ao microcrédito que surgiram milhares de pequenas empresas, beneficiando o desenvolvimento econômico e social, nas áreas mais remotas até as mais desenvolvidas do continente.

Além de terem destaque cada vez mais crescente na área de geração de emprego e renda, as mulheres, com seu natural instinto materno e protetor, lutam pela defesa da saúde, principalmente, contra o HIV e a malária. São elas, as mulheres africanas, que promovem a educação sanitária nas aldeias. E, além de tudo, lutam para combater uma prática tão tradicional e cruel na região: a mutilação genital.

Sem o hoje das mulheres, não haveria nenhum amanhã para a África.

Em virtude de toda essa luta e para reconhecer o papel de todas elas é que surgiu a proposta de lançar uma Campanha Internacional para dar o Prêmio Nobel da Paz de 2011, a todas as mulheres africanas. Trata-se de uma proposta diferente, já que esta não é uma campanha para atribuir o Nobel a uma pessoa singular ou a uma associação, mas sim, um Prêmio Coletivo, a todas essas guerreiras.

A ideia é lançar um manifesto assinado por milhões de pessoas, por personalidades reconhecidas internacionalmente e criar comitês nacionais e internacionais na África e em outros continentes. Além de recolher assinaturas, a campanha deve estimular também encontros organizados com mulheres africanas, convenções e iniciativas de movimento.

Nós, latino-americanos e latino-americanas, temos muito sangue africano em nossas veias e em nossas culturas. Vamos gritar nossa solidariedade com a África assinando a petição.

Participe: http://www.noppaw.net/?page_id=16.

Links: http://www.noppaw.org.

Crie o seu personagem no mundo dos Simpsons!

Crie o seu personagem no mundo dos Simpsons!

Site permite que qualquer um faça a sua própria ‘versão’ para Springfield. Que tal experimentar?

Já pensou fazer parte de uma família de desenho animado? E se essa família fosse a do Homer Simpson? Com esse site, você cria um avatar que será a sua versão no desenho animado.

Para começar a se transformar em um dos personagens, entre no site e clique aqui. Selecione “Crie novo personagem” e escolha se quer fazer um homem ou uma mulher. A gente escolheu um jovem conhecido por todos para entrar na brincadeira, ninguém menos que Mark Zuckerberg, o criador do Facebook. Então, escolha a cor da pele do seu avatar, o estilo do corpo e passe para a próxima fase. Aqui você tem dezenas de opções de cabelos que vão desde o tradicional corte do Bart até os mais convencionais. Selecione um tipo, dê uma cor para os fios e passe adiante. Agora é a vez de escolher os olhos e, talvez essa seja a parte mais difícil, porque os olhos do nosso personagem são bem difíceis de copiar. A seguir, passe para os tipos de bigode e, caso seu avatar não tenha, siga para as opções de narizes, outra escolha difícil. Agora é a hora de selecionar os lábios e os dentes. Pronto. Com o rosto completo, falta vestir o seu avatar. Escolha a camiseta, a cor da calça e do sapato e pronto! Seu personagem dos Simpsons está criado.

Nosso Mark Zuckerberg na versão Simpsons não ficou dos melhores, mas com o tempo fica mais fácil pegar a manha e criar avatares cada vez mais parecidos com os personagens. Aí é possível salvar seu avatar, enviar para um amigo por email, fazer o download, imprimir e até fazer uma versão impressa para ser a capa de um box de DVD. O site ainda dá opções de criar avatares aleatórios, que são bem engraçados.

Legal, não é? Se você quer fazer a sua versão dos Simpsons ou até se arriscar em criar avatares do seus amigos, clique no link que acompanha esta matéria e boa diversão!

Faça um avatar dos Simpsons com a sua cara! Clique neste link.