Governo quer quarta geração de celulares em todas as cidades-sede da Copa de 2014

A Copa do Mundo de 2014 deve acelerar a implantação no país da quarta geração da telefonia móvel (4G). Segundo o diretor do Departamento de Banda Larga do Ministério das Comunicações, Artur Coimbra de Oliveira, até o início do campeonato, prestadoras de serviços de telecomunicações nas 12 cidades-sede já devem oferecer ao público a nova tecnologia.

Oliveira disse hoje (2) que a implantação da telefonia celular 4G é um dos legados que a Copa deixará para o país. Por isso, o Ministério das Comunicações e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) trabalham para acelerar as licitações para a oferta dessa tecnologia.

“A Anatel deve licitar o primeiro lote de 4G em abril de 2012”, estimou Coimbra, que participou de um debate sobre telecomunicações promovido pela Câmara Americana do Comércio Brasil-Estados Unidos. “Queremos que, pelo menos, 80% das áreas das regiões metropolitanas de todas as cidades-sede estejam cobertas por redes 4G”.

O nova tecnologia já deve estar disponível na Copa das Confederações, em 2013. O torneio preparatório para o Mundial pode ter até nove cidades-sede e boa parte delas já deve contar a telefonia 4G. “Mas isso não é garantido”, ressalvou Oliveira. Para ele, a oferta da 4G vai marcar a equiparação do Brasil com países de ponta no que diz respeito à telefonia. Pela primeira vez, disse ele, uma nova tecnologia de telecomunicação será implantada no país ao mesmo tempo que está sendo implantada nos países mais desenvolvidos do mundo.

Escrito por Vinicius Konchinski, Repórter da Agência Brasil.

Anúncios

Vídeos chamam atenção para a importância do desarmamento

tirearma.jpg

Até o momento, 15 mil armas foram entregues à Campanha do Desarmamento 2011, iniciada em 6 de maio no Rio de Janeiro. É o que afirma o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em vídeo produzido para esclarecer dúvidas e levar informações para a sociedade civil sobre a referida ação de segurança pública.

A nova campanha foi aprimorada para que o maior número de armas seja retirado de circulação e que o cidadão possa fazer a entrega de forma tranquila. Entre as principais novidades, está o anonimato, que preserva a identidade do cidadão que decide se livrar da arma, sem qualquer risco de problemas judiciais. Além disso, as armas são inutilizadas no ato da entrega, ou seja, destruídas na frente do cidadão.

O pagamento de indenização – que varia de R$ 100,00 a R$ 300,00 – também foi aperfeiçoado e pode ser efetuado 24 horas após a entrega, graças a uma parceria com o Banco do Brasil. A edição 2011 da Campanha do Desarmamento ainda cadastrará novos postos de recolhimento, inclusive entidades da sociedade civil.

“A maioria dos especialistas em segurança pública deixa absolutamente claro que o uso de armas sempre envolve muito risco, inclusive para quem pretende usar em sua defesa”, afirma o ministro Cardozo.

A campanha, que já foi lançada em 13 estados, busca mobilizar a sociedade brasileira para reduzir o número de armas em circulação e promover no país um debate sobre a cultura de paz.