Mais famílias produzindo palma para biodiesel no Norte do País


Número de produtores da planta passará de cerca de 700 em 2011 para oito mil em quatro anos.

Nas regiões onde o zoneamento agroecológico feito em 2010 localizou áreas de expansão para o plantio Palma na Amazônia, o número de famílias que têm o Selo Social deverá passar dos atuais 700 para cerca de oito mil nos próximos quatro anos. A maior parte dos beneficiados serão do Pará, Amazonas e Roraima, sendo que haverá áreas também em Rondônia e no Acre.

O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) já mapeou seis mil famílias interessadas em entrar na cadeia produtiva do biodiesel e pretende cadastrar outras 10 mil em 2012. Além do interesse, a família tem de ter área para plantar, saúde financeira para poder assumir o crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e estar na área de abrangência de uma usina de beneficiamento.

Hoje, há 90 mil hectares com palma na Amazônia e o MDA planeja acrescentar outros 70 mil plantados por agricultores familiares, sem contar a produção pela agricultura empresarial.

A planta começa a produzir com quatro anos de idade e atinge a maturidade aos oito. Há 17 projetos de novas usinas para absorver essa produção, que pode ser direcionada também para outros usos do óleo na indústria alimentícia e de cosméticos.

O MDA investe também em duas outras frentes. A primeira é a falta de mão de obra qualificada para a extensão rural que as usinas devem oferecer aos produtores de matéria prima. A meta é formar 160 profissionais até 2012, sendo que 80 deles já estão formados e outros 40 em sala de aula.

Outro objetivo é popularizar o plantio de uma variedade híbrida resistente ao amarelecimento fatal, que dizima as plantações de palma na região do Pará, onde se concentra a maior parte dos territórios demarcados no zoneamento da palma.

Zoneamento

O uso da palma de óleo na produção de biocombustíveis foi definido em 2010, pelo governo federal, no lançamento do Programa de Produção Sustentável de Palma de Óleo no Brasil. A palma pode oferecer uma alternativa de produção sustentável, com alta produtividade e rentabilidade.

O programa proíbe a derrubada de floresta, determina áreas aptas para plantio, oferece linhas de crédito especiais e amplia a assistência técnica e extensão rural.

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s