Prêmio ODM Brasil recebe inscrições

Seleção é um reconhecimento público a projetos e ações que contribuem para o alcance dos Objetivos do Milênio.

Práticas sociais desenvolvidas por prefeituras e organizações da sociedade civil que têm contribuído para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) já podem ser inscritas na 4ª edição do Prêmio ODM Brasil. A iniciativa foi criada em 2004 pelo governo federal, por meio da Secretaria-Geral da Presidência da República, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e pelo Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade (Nós Podemos).

As inscrições vão até o dia 31 de outubro e são gratuitas. O objetivo do Prêmio é valorizar e reconhecer publicamente ações, programas e projetos significativos para o cumprimento das metas do milênio estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Podem ser inscritas práticas que atendam a um ou mais Objetivos. São eles:

  1. Erradicar a extrema pobreza e a fome.
  2. Atingir o ensino básico universal.
  3. Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres.
  4. Reduzir a mortalidade na infância.
  5. Melhorar a saúde materna.
  6. Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças.
  7. Garantir sustentabilidade ambiental.
  8. Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.

São duas as categorias de premiação: governos municipais, em que se destacam as melhores políticas públicas implementadas pelas prefeituras; e organizações, para prestigiar práticas implantadas por órgãos governamentais ou do setor privado, associações da sociedade civil, fundações e universidades. Serão premiadas, no máximo, 20 práticas por categoria, relacionadas com qualquer um dos Objetivos. Os prêmios são simbólicos, enfatizando o reconhecimento público e a divulgação do premiado. As práticas ainda receberão certificados que comprovam sua contribuição para alcançar os ODM.

Desde a primeira edição do prêmio, realizada em 2005, o número de experiências inscritas aumentou significativamente. Foram 920 naquele ano, 1062 na segunda edição, realizada em 2007, e 1477 inscrições na edição passada, ocorrida em 2009. Para este ano, a expectativa é de que este número cresça ainda mais. “Esperamos que as organizações e prefeituras participem ativamente das programações nos estados e inscrevam projetos que contribuem para o alcance dos ODM”, destaca Olavo José Perondi, da equipe de coordenação do Prêmio.

Critérios de seleção

As práticas inscritas são avaliadas e selecionadas por técnicos e especialistas nos ODM do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e da Escola Nacional de Administração Pública (Enap). As melhores iniciativas serão reconhecidas desde que atendam a alguns critérios, entre eles: contribuição para os ODM; impacto no público atendido; participação da comunidade; existência de parcerias; potencial de replicabilidade; e articulação com outras políticas públicas. Também são parceiros do Prêmio o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, o Banco do Nordeste e a Petrobras.

Clique aqui para fazer a sua inscrição e obter mais informações sobre o prêmio.

Anúncios

Ministérios anunciam edital, prêmio e projeto de intercâmbio voltados para cultura e juventude

O Ministério da Cultura (MinC), por meio da Secretaria de Cidadania Cultural, junto com a Secretaria Nacional de Juventude, vinculada à Secretaria-Geral da Presidência da República, os ministérios da Saúde e do Desenvolvimento Agrário e a Fundação Palmares, anunciaram, na última terça-feira, dia 23, em ato político na cidade de Porto Alegre (Rio Grande do Sul) – uma iniciativa inovadora para o público juvenil. A estratégia consiste em uma política interministerial, com ações desenvolvidas no âmbito da cultura, contemplando a diversidade desse segmento. As propostas serão formuladas por um Grupo de Trabalho com participação do governo e sociedade civil para serem entregues à apreciação da 2ª Conferência Nacional de Juventude, que será realizada em dezembro de 2011, em Brasília.

Os primeiros projetos foram anunciados na última terça-feira (23/8), durante cerimônia na sede do Ponto de Cultura do Instituto Cultural Afro-Sul Odomodê, com a apresentação das principais idéias do edital “Juventudes: diálogos interculturais em rede”; da 4ª edição do Prêmio Cultura Viva e do projeto “Residências Criativas” de intercâmbio internacional.

Para a secretária de Cidadania Cultural do MinC, Marta Porto, “ a iniciativa inaugura a construção conjunta para uma política estruturante ao mesmo tempo que já anuncia ações concretas e imediatas. Ações essas que buscam valorizar iniciativas culturais juvenis, diretamente propostas por eles, que reconheçam e ou promovam especialmente os direitos humanos, os valores éticos e a qualidade de vida”. Já Severine Macedo, secretária nacional de Juventude, ressalta que estas iniciativas marcam um importante momento da política de cultura e juventude: “O envolvimento dos ministérios demonstra que o governo federal, de fato, aposta na capacidade do jovem de produzir as suas ações culturais. O acesso à cultura é um direito e não somente um privilégio”.

O edital “Juventudes: diálogos interculturais em rede”, que será oficialmente lançado em setembro, consiste em um concurso público, por meio do qual o governo pretende valorizar as ações culturais protagonizadas e desenvolvidas por jovens em todo país. A iniciativa busca reconhecer e promover a diversidade da juventude com critérios de seleção que priorizam jovens afrobrasileiros, indígenas, jovens do campo e aqueles que integram os povos e comunidades tradicionais.

Com investimentos da ordem de R$ 4,5 milhões, a ação prevê a oferta de bolsas individuais e coletivas para novos projetos e premiações de iniciativas culturais já finalizadas. Serão selecionadas 1.250 iniciativas, sendo: até 600 bolsas individuais no valor de até R$ 15 mil; até 250 bolsas coletivas no valor de até R$ 40 mil; até 200 bolsas para viagens de intercâmbio nacional de até R$ 1.500,00; e até 200 prêmios individuais ou coletivos no valor de até R$ 40 mil. As bolsas são para jovens de 15 a 24 anos e os prêmios para aqueles de 15 a 29 anos. Os interessados devem buscar outras informações e período de inscrições no site do Ministério da Cultura  www.cultura.gov.br/culturaviva.

A segunda iniciativa diz respeito à 4ª Edição Nacional do “Prêmio Cultura Viva”, que terá como tema “Cultura e Juventudes” e será desenvolvido pela Secretaria de Cidadania Cultural (SCC-MinC) com a parceria do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec). Com investimentos de R$ 3,1 milhões, a edição vai premiar ações culturais desenvolvidas pelo público jovem. Os projetos passam por um processo seletivo, composto por quatro etapas de avaliação: análise preliminar, pré-seleção regional, visitas técnicas e seleção final em nível regional. Outras informações sobre o Prêmio estão disponíveis no endereço http://www.premioculturaviva.org.br.

Já as “Residências Criativas” de intercâmbio internacional, consistem em residências e intercâmbios, parcerias firmadas entre empresas de artes, visitas de estudos, cujas atividades envolvam iniciativas dirigidas, especialmente, a jovens em situação de risco.  A iniciativa é realizada em parceria com o People´s Palace Projects, do Reino Unido, entidade com a qual o Programa Cultura Viva mantém intercâmbio desde 2010. Para saber mais sobre o projeto acesse http://www.cultura.gov.br/site/2010/03/23/pontos-de-contato-intercambio-cultural-brasil-reino-unido/).

Incentivo às artes circenses e de rua

Estão abertas as inscrições para Prêmio Funarte/Petrobras Carequinha de Estímulo ao Circo 2011 e Prêmio Funarte Artes na Rua (circo, dança e teatro) 2011. O Carequinha oferece recursos financeiros a projetos de artes circenses. Circos, companhias, empresas, trupes, grupos ou artistas circenses de todo o Brasil podem se inscrever.

O projeto poderá ser inscrito em sete módulos: Circo itinerante; Artista independente (solo ou dupla); Trupes e grupos; Formação; Pesquisa; Mérito artístico e Eventos. As diretrizes de análise são excelência artística do projeto, qualificação dos profissionais envolvidos e viabilidade prática do projeto. Já o Prêmio Funarte Artes na Rua oferece prêmios de apoio financeiro a projetos de montagem ou circulação de espetáculos, performances cênicas ou intervenções de rua. Podem participar artistas, grupos e companhias de natureza cultural.

Os editais e ficha de inscrição estão disponíveis na página da Funarte.

Complexo Cultural do Bumba-Meu-Boi é o mais novo Patrimônio Cultural do Brasil

O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural aprovou o registro do Complexo Cultural do Bumba-Meu-Boi no Maranhão como Patrimônio Cultural do Brasil.

A decisão, tomada na terça-feira, foi o resultado de uma luta de seis anos. A proposta de registro foi apresentada em 2008 ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) pela Comissão Interinstitucional de Trabalho, composta pela Superintendência Regional do Iphan e atual Superintendência do Iphan no Maranhão, pela Secretaria estadual de Cultura, a Fundação Municipal de Cultura, a Comissão Maranhense de Folclore, o Grupo de Pesquisa Religião e Cultura Popular da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), representantes dos grupos de Bumba-Meu-Boi dos Sotaques da Baixada, da Matraca, do Zabumba, da Costa-de-Mão, Orquestra e de Bois Alternativos.

Receber um título desse dignifica, mas cria a responsabilidade pela salvaguarda dessa  manifestação cultural, para que ela se fortaleça cada vez mais e não seja modificada na sua essência., diz  a superintendente do Iphan no Maranhão, Kátia Bogea.

O conselho, que avalia os processos de tombamento e registro de bens do patrimônio cultural brasileiro e é comandado pelo presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida, é formado por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia. Ao todo, são 22 conselheiros de instituições como o Ministério do Turismo, Instituto dos Arquitetos do Brasil, a Sociedade de Arqueologia Brasileira, o Ministério da Educação, a Sociedade Brasileira de Antropologia, o Instituto Brasileiro de Museus e a sociedade civil.

Estimativas populacionais dos municípios em 2011

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira (31) as estimativas das populações residentes nos 5.565 municípios brasileiros em julho de 2011. Os dados são fundamentais para o cálculo de indicadores econômicos e sociodemográficos e servem como parâmetro para o Tribunal de Contas da União na distribuição do Fundo de Participação de Estados e Municípios.

Estima-se que o Brasil tenha 192.376.496 habitantes, 1.620.697 a mais que em 2010. São Paulo continua sendo a cidade mais populosa, com 11,3 milhões de habitantes, seguida por Rio de Janeiro (6,4 milhões), Salvador (2,7 milhões), Brasília (2,6 milhões) e Fortaleza (2,5 milhões). A capital federal, que em 2000 ocupava o 6º lugar entre os municípios mais populosos, passou, em 2011, para o 4º lugar. Belo Horizonte, que em 2000 estava na 4ª posição, em 2011 caiu para a 6ª (2,4 milhões), sendo ultrapassado por Brasília e Fortaleza. Os 15 municípios mais populosos somam 40,5 milhões de habitantes, representando 21% da população.Os dados podem ser acessados aqui.

Capacitação orienta profissionais sobre os cuidados no manuseio de alimentos ofertados nos equipamentos sociais da região

Capacitação orienta profissionais sobre os cuidados no manuseio de alimentos ofertados nos equipamentos sociais da região

Pensando na qualidade dos alimentos oferecidos nos equipamentos sociais CRAS, CREAS e Acolhimentos Institucionais, e na segurança da população que utiliza estes serviços, a Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí – AMFRI realizou na última terça-feira (30), uma capacitação sobre Manuseio de Alimentos. Durante toda a tarde, auxiliares de serviços gerais e educadores sociais da região receberam orientações sobre os cuidados que devem ser tomados no preparo das refeições.

Além das dicas para uma alimentação saudável e adequada, os participantes foram alertados quando à importância de conservar bons hábitos de higiene, que vão desde o asseio pessoal e os cuidados na manipulação dos alimentos, até a hora de servi-los para o consumidor. A principal razão destes cuidados é evitar a ocorrência de doenças provocadas pelo consumo de alimentos contaminados. “A saúde de muitas pessoas está nas mãos de quem prepara o alimento”, salienta a nutricionista Carolina Marini, que ministrou a capacitação, reafirmando a importância do trabalho das cozinheiras.

Ao final do curso, uma série de receitas saudáveis e que ensinam a reaproveitar alimentos a fim de evitar o desperdício foram ensinadas. Para a cuidadora social do município de Itajaí, Simone Guardia, a experiência do treinamento foi enriquecedora. “Esses momentos são muito importantes. Enquanto educadora referência irei repassar todas essas informações para as responsáveis pelo manuseio de alimentos em nosso Abrigo”. Contente com o que aprendeu na capacitação, a merendeira do município de Camboriú, Cleusa Florêncio espera agora conseguir material adequado para o trabalho. “Seria importante também a participação dos nossos chefes, para que percebam a necessidade de fornecer uniforme e material adequados”.

Para a cozinheira do município de Balneário Camboriú, Áurea Maria Antônia Crescêncio, capacitações como esta deveriam ser oferecidas com freqüência. Segundo ela, tão importante quanto o treinamento é a motivação das funcionárias em fazer um trabalho cada vez melhor. “Precisamos de gente com disposição e boas idéias, até para conseguir inserir no cardápio certos alimentos saudáveis, mas que as crianças geralmente têm rejeição”.

Fonte: Camila Raymundi, assessora de comunicação social da AMFRI.

Deixem as baleias namorarem

Pérola do litoral baiano, Abrolhos foi o primeiro Parque Nacional Marinho criado no Brasil, em 1983, com aproximadamente 910 km2. É a zona mais importante em biodiversidade marinha do Atlântico Sul, onde está o maior e mais exuberante banco de corais desse pedaço do oceano. Abrolhos é lar de mais de 1.300 espécies de invertebrados, peixes, tartarugas, aves e mamíferos marinhos. Destas espécies, 45 são consideradas ameaçadas pelo IUCN e pelo Ibama.

É também área de acasalamento e reprodução de baleias jubarte, espécie que foi quase dizimada por séculos de caça comercial. Com grande potencial turístico, Abrolhos atrai 80 mil visitantes a cada ano.

Hoje o entorno de Abrolhos encontra-se desprotegido. A área que é delimitada como Parque Nacional abrange apenas 2% do complexo total, deixando a desejar em termos de conservação. Em 1983, ano de criação do parque, a ciência pouco sabia sobre as dimensões necessárias para a proteção efetiva da região. Agora, não bastasse a pesca predatória, o aquecimento global e a cultura de camarão, a situação se agrava mais com o iminente licenciamento de blocos de exploração de petróleo em seu entorno.

A atividade humana na região pode ter impactos na biodiversidade sensível à poluição, além dos riscos de vazamento inerentes a esse tipo de operação. Explorar petróleo em Abrolhos é colocar em risco uma riqueza incalculável.

Nesse contexto, o Greenpeace pede uma moratória de 20 anos na exploração de gás e petróleo no banco de Abrolhos e a ampliação do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos em 20%. A moratória é um acordo estabelecido pelo governo e pelo setor privado, respondendo à pressão dos brasileiros que desejam um modelo econômico mais verde e limpo para o Brasil.

Secretário-Geral da ONU vai conversar ao vivo com internautas em 13 de setembro

O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, vai responder a perguntas do público em conversa ao vivo pelo Twitter, Facebook, Livestream e Webcast da ONU. O bate-papo com internautas será na terça-feira, 13 de setembro, das 12h às 13h (horário de Brasília) / das 11h às 12h (horário de Nova York).

As perguntas – que podem ser enviadas em português – serão coletadas pelo Twitter, usando a hashtag #asktheSG, e um moderador as apresentará ao Secretário-Geral.

Enquanto os líderes mundiais se preparam para a Assembleia Geral da ONU, esta é a oportunidade para perguntar diretamente ao Secretário-Geral o que fazer para acabar com as guerras, como cada indivíduo pode lutar contra o aquecimento global e outros temas internacionais. Confirme sua participação no evento pelo Facebook!

Últimas Vagas! Restam menos de 50 vagas para esgotar as inscrições

A fotografia é a arte que revela a alma das pessoas. Diante das lentes, o ser humano, num primeiro momento, reage num movimento de contração, de timidez, de vergonha, como se aquele olhar de vidro pudesse ver o que nenhum olho humano consegue ver. Quando na verdade, a lente é um extensor da nossa capacidade de perceber o mundo de uma forma mais próxima e intíma, sem nenhum tipo de preconceito ou intenção. Apenas um olho que enxerga.

Câmera na mão, olhar ávido, personagem em cena, chegou a hora do mergulho na origem da nossa própria história.

O nu é uma das áreas mais inquietantes e instigantes da fotografia. O nu e o sensual alimentam sonhos, fetiches e, literalmente, faz o ser humano despir-se de qualquer tipo de proteção para revelar de forma pura a sua essência. É a criação divina exposta de maneira inocente e bela.

A história do nu começa com a própria história da humanidade: de Adão e Eva aos mestres da pintura e da escultura. E o contrário do que se imagina, a arte de fotografar o nu é tão antiga quando a fotografia. Quando a fotografia começou a florescer, entre 1830 e 1840, sua principal função era retratar indivíduos. E diferente da pintura, apenas acessível aos nobres, a fotografia tornou-se comum entre todas as classes sociais. Assim, os fotógrafos perceberam que havia um mercado emergente. A partir dessa percepção, surgiu a comercialização de fotografias que retratavam objetos, ruas, cidades, paisagens e, finalmente, o corpo sensual ou nu.

Por muitas vezes, o nu e o sensual foram confundidos com a vulgaridade. Mas a história tratou de colocar o nu como essência da arte. Como definiu Ariano Cavalcanti de Paula: “O corpo humano é a fonte de quase todas as inspirações. A nudez é sempre inquietante, instigadora e bela. Por isso o artista, seja na pintura, escultura, na dança ou fotografia, encontra no corpo nu uma profunda ligação com a pureza do ser. É a sensualidade que move a criação em todos os sentidos. É a sensualidade que evoca o amor, a paixão e a criação do homem”.

A criação do Nu Photo Conference, o primeiro congresso brasileiro especializado em fotografia de nu e sensual é um marco na história da fotografia no Brasil. Não há notícias de que em qualquer outra parte do planeta exista algo do gênero – um congresso exclusivo dedicado a fotografia de nu, com tamanha densidade e profundidade. O objetivo é inovar e apresentar aos profissionais de fotografia um novo segmento de grande potencial artístico e econônico. Apesar da fotografia de nu ser tão antiga quanto a história da própria fotografia, há inúmeras lacunas no mercado para serem preenchidas. O objetivo do Nu Photo Conference é reunir em São Paulo, fotógrafos e profissionais de imagem de todo o Brasil para um congresso único, para potencializar a criatividade e as técnicas para a produção, captação e direção de ensaios de nu e sensual. No ról de palestrantes, os maiores especialistas do país, tanto do mercado editorial, como artístico.

O Nu Photo Conference será realizado nos dias 19, 20 e 21 de setembro, no Teatro das Artes | Shopping Eldorado, em São Paulo/SP, que oferece conforto para os participantes, onde será montado uma grande estrutura para mostrar, ao vivo, todos os recursos e possibilidades para a produção e captação de ensaios sensuais e nu.

Website oficial: www.nuphotoconference.com.br

Bobby Fischer é coroado campeão mundial de xadrez

Bobby Fischer, com 17 anos, desafia o campeão soviético Mikhail Tal em Leipzig, na Alemanha

Bobby Fischer, 29 anos, é coroado campeão mundial de xadrez ao derrotar o russo Boris Spassky em Reykjavik, Islândia em 1º de setembro de 1972. Fischer perderia o título em 1975, ao recusar as regras do torneio contra o russo Anatoly Karpov, que se tornaria campeão do mundo por desistência.

Fischer foi um grande mestre norte-americano de xadrez. É por muitos considerado um dos maiores enxadristas de todos os tempos, um gênio descrito por um grande-mestre russo como “um Aquiles sem o calcanhar de Aquiles”.

Aos 13 anos já era tido como uma “lenda do xadrez”. Aos 15 anos, tornou-se o mais jovem grande mestre e candidato ao Campeonato Mundial até então. Fischer ganhou o campeonato nacional 1963–64 por 11 a 0, o único placar perfeito da história do torneio. Tornou-se em 1971 o primeiro colocado do primeiro ranking oficial da Federação Internacional de Xadrez, posto em que permaneceu ao longo de 54 meses.

Spassky, por sua vez, era considerado um jogador equilibrado podendo adaptar seu estilo de jogo ao do adversário, o que lhe conferia vantagem para levar de vencida muitos grandmasters. No match final do torneio dos candidatos contra Mikhail Tal o lendário tático em Tbilisi, 1965, Spassky conseguiu conduzir o jogo evitando a força da tática de Tal. Esta vitória conduziu-o para o seu primeiro match pelo Campeonato do Mundo contra Tigran Petrosian em 1966. Spassky acabou perdendo por 12,5 a 11,5, mas ganhou o direito a desafiar Petrosian novamente três anos depois. Mais uma vez, a flexibilidade do estilo de Spassky foi a chave para a vitória sobre Petrosian por 12,5 a 10,5, em 1969.

A disputa Spassky vs. Fischer foi amplamente divulgada como mais um confronto da Guerra Fria. O torneio atraiu maior interesse mundial do que qualquer disputa enxadrística anterior. Fischer teimosamente escolheu Belgrado, Iugoslávia como local da disputa, enquanto Spassky optava por Reykjavik. Por um momento parecia que o encontro se dividiria entre as duas cidades. Depois de resolvida essa questão, Fischer recusou descer na Islândia até que o prêmio pela conquista fosse elevado. O financista londrino aportou 125 mil dólares adicionais, trazendo o prêmio para inéditos 250 mil dólares.

Fischer prestou especial atenção ao seu preparo físico, o que era um comportamento relativamente novo para os jogadores de xadrez à época. O confronto teve lugar de julho a setembro. Fischer perdeu as duas primeiras partidas de modo inusual: a primeira quando fez um arriscado lance com o peão em final de partida que se encaminhava para empate e na segunda por ausência ao se recusar a jogar nas condições existentes.

Fischer preferia abandonar o torneio, porém Spassky, não querendo ganhar por ausência, cedeu às exigências do oponente, mudando o local da partida seguinte para uma sala interior, longe das câmeras. Após essa partida, o match voltou ao palco e seguiu sem mais incidentes. Das 19 partidas restantes, Fischer ganhou sete, empatou 11, perdeu apenas uma, ganhando o torneio por 12½ a 8½, tornando-se o 11º Campeão Mundial.

A Guerra Fria no auge transformou a disputa em sensação nos meios de comunicação. Chamado de “O Torneio do Século” recebeu cobertura de primeira página. O triunfo de Fischer foi uma vitória de Washington num campo em que os jogadores soviéticos haviam dominado por mais de meio século.

Cidadania

Nos últimos anos, Fischer viveu na Hungria, Alemanha, Filipinas, Japão e Islândia. Durante esse tempo emitiu declarações fortemente antiamericanas e anti-semitas, a despeito de sua ascendência judaica. Tendo seu passaporte norte-americano cancelado, foi detido pelas autoridades japonesas por 9 meses sob ameaça de deportação.

Em fevereiro de 2005, a Islândia concedeu-lhe o direito de residência como um ‘apátrida’. Tendo o Japão recusado libertá-lo com essa condição, o parlamento islandês votou pela concessão de cidadania plena em março de 2005. Passou a viver na Islândia até sua morte em 2008. Spassky vive na França, casado com uma francesa.

Outros fatos marcantes da data