Profissionais do turismo aprendem a elaborar roteiros da Costa Verde & Mar

Profissionais do turismo aprendem a elaborar roteiros da Costa Verde & Mar

Capacitação faz parte de um programa do Colegiado de Turismo da AMFRI, que busca aprimorar o atendimento prestado ao turista que visita a região.

Foi realizada na última quarta-feira (31), mais uma etapa do Programa de Capacitação para Atendentes dos Postos de Informações Turísticas da Costa Verde & Mar, região formada pelos municípios de Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Bombinhas, Camboriú, Ilhota, Itajaí, Itapema, Luís Alves, Navegantes, Penha e Porto Belo. O treinamento objetiva melhorar a qualidade do atendimento e das informações prestadas ao turista que freqüenta a região.

Desde o início da capacitação, no mês de julho, já foram trabalhados temas como noções de qualidade no atendimento, história e geografia da Costa Verde & Mar. Na etapa desta semana, os participantes aprenderam a formular roteiros turísticos com base no conhecimento adquirido nos módulos anteriores. Na metodologia adotada para as atividades em sala, cada grupo precisou desenvolver um roteiro abrangendo os principais atrativos turísticos de outro município da região, o que permitiu aprofundar o conhecimento do grupo sobre a cidade pesquisada.

Para o professor Antônio Assef, que ministrou o curso, esse processo de integração e troca de informações entre os municípios é uma importante ferramenta na busca pelo fortalecimento da região, já que a partir dessa qualificação, todos os atendentes serão capazes de promover a Costa Verde & Mar como um todo. “A nossa idéia é fazer com que todas as informações fiquem centralizadas em todos os Postos de Informações Turísticas”, ressalta Assef. Ao término do curso, o grupo fará uma segunda etapa do tour de familiarização (Famtour) nos onze municípios da região. O primeiro Famtour foi realizado em 2010.

A experiência de conhecer a Costa Verde & Mar tem agradado os participantes, já que muitos ainda não haviam tido a oportunidade de estar em todos os municípios. “No primeiro Famtour eu me surpreendi bastante. Nunca tinha visitado Ilhota e Luís Alves”, declarou a coordenadora de eventos da Secretaria de Turismo de Penha, Sarita Francisco. Para o turismólogo da Secretaria de Turismo de Navegantes, a experiência é essencial e contribui para melhorar as informações prestadas aos visitantes. “Essa vivência é muito importante para que possamos vender bem o turismo dos municípios”, acrescentou.

Nas próximas etapas, a Capacitação para Atendentes dos Postos de Informações Turísticas da Costa Verde & Mar ensinará noções de língua inglesa e língua espanhola, para o atendimento a turistas estrangeiros. O projeto de capacitação foi idealizado pelo Colegiado de Secretários Municipais de Turismo, órgão vinculado à Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí – AMFRI.

Fonte: Camila Raymundi, assessora de comunicação social da AMFRI.

Anúncios

Os últimos momentos de Getúlio

Documentário Dr. Getúlio, últimos momentos, de 2000, do cineasta Silvio Tendler. Dê um confere aí no vídeo!

Steve Jobs

Quem não conhece, vale a pena assistir aos dois vídeos do discurso de Steve Jobs (criador da Apple) em Stanford. Ele conta sua história de como foi demitido de sua própria empresa, e como deu a volta por cima. Lição para a vida inteira.

WikiLeaks sofre ataque e fica fora do ar na terça-feira

Ao que tudo indica, o site do WikiLeaks – grupo de ciberativistas comandado por Julian Assange, que divulga documentos e informações confidenciais de governos e empresas na internet – sofreu um ataque na última terça-feira, que tirou a página do ar.

Segundo notícia do Ubergizmo, a tentativa de ataque ocorreu após a publicação de centenas de documentos confidenciais do Departamento de Estado dos Estados Unidos.

No Twitter, o WikiLeaks avisou que seu site estava sofrendo ataque e, uma hora depois, tanto o site quanto os documentos secretos norte-americanos não podiam mais ser acessados. O grupo postou links alternativos no microblog para os interessados em visualizar os arquivos.

Até agora, nenhum grupo se responsabilizou pelos ataques e a página do WiliLeaks na internet voltou a funcionar normalmente.

Steve Jobs: quais lições os profissionais podem aprender com sua trajetória

Desde que Steve Jobs renunciou ao cargo de CEO da Apple, no dia 24 de agosto, o mercado questiona os impactos que essa saída terá, não só para a empresa da qual ele é co-fundador, mas também para o setor de tecnologia como um todo, uma vez que Jobs ajudou a criar produtos revolucionários, como o iPod, iPhone e iPad. Mas os profissionais deveriam tirar lições importantes da trajetória bem-sucedida do executivo, na visão do especialista em empreendedorismo Bill Taylor, co-fundador da revista Fast Company e autor de diversos livros sobre liderança.

“Poucos de nós tivemos a chance de alcançar um centésimo do que Steve Jobs conseguiu”, afirmou Taylor, em artigo publicado na versão norte-americana da revista de gestão Harvard Business Review. “Mas todos nós podemos olhar para a forma de trabalho dele e a reação a esse modelo e usar isso como uma oportunidade para nos perguntarmos quais as chances que nós, enquanto líderes e inovadores, temos de fazer uma pequena diferença para nosso mercado, nossos clientes e nossos colegas”, acrescentou.

Para Taylor, o melhor que os profissionais podem fazer é entender o modelo de liderança de Jobs e se inspirar nele para serem executivos ou empreendedores melhores. Para isso, ele sugere que as pessoas se façam cinco perguntas essenciais, inspiradas no co-fundador da Apple:

1. “Por que pessoas incríveis gostariam de trabalhar com você?”

Steve Jobs se cercou dos melhores talentos na área de design, vendas e engenharia depois que ele entendeu que essas pessoas que apresentam uma performance acima da curva não são motivadas, inicialmente, por dinheiro ou status. Os profissionais talentosos, de forma geral, têm prazer em trabalhar com projetos desafiadores. “Pessoas incríveis gostam de se sentir como parte de algo maior do que elas mesmas – elas gostam de ser, usando a frase favorita de Jobs, ‘insanamente incríveis'”, ressaltou o especialista.

2. “Você reconhece um profisisonal talentoso quando se depara com um?”

É bem mais fácil ser o chefe, quando se tem uma equipe formada pelas pessoas certas. Mas só isso não é suficiente, nas melhores empresas para trabalhar, os líderes, de forma geral, gastam muito tempo e energia com as pessoas com quem trabalham. A razão para isso, segundo Taylor, está no fato de que conhecer a fundo os profissionais e conseguir tirar deles o melhor exige muita dedicação. Não à toa, ele cita que Jobs era tão exigente com sua equipe quanto era na hora de desenvolver um novo produto.

3. “Você consegue descobrir um talento, mesmo quando ele está escondido?”

As pessoas tendem a apresentar uma melhor performance quando elas têm prazer no trabalho que fazem, nas pessoas com as quais atuam e em projeto desafiadores. “Então, líderes que se contentam em manter suas empresas com pessoas que estão o tempo todo insatisfeitas, atraem profissionais descontentes e com uma performance medíocre”, pontuou o especialista. O segredo, segundo ele, é buscar pessoas – fora da empresa ou em áreas diferentes – que consigam se apaixonar pelo trabalho que elas precisam desempenhar. Nesse sentido, o especialista destaca que Jobs foi um excelente recrutador de profissionais.

4. “Você é excelente em ensinar como sua trabalha e como torná-la vencedora?”

“Até os especialistas mais focados (programadores de software, designers gráficos e assistentes de marketing) são melhores quando entendem como o negócio funciona como um todo”, ressaltou Taylor. Isso passa, segundo ele, por compartilhar resultados financeiros, entender o que cada um faz na empresa e compreender o que realmente interessa para o sucesso ou o fracasso da companhia. “E ninguém foi melhor do que Steve Jobs para comunicar a missão a empresa”, complementou.

5. “Você é tão duro com você mesmo quanto é com sua equipe?”

Os profissionais talentosos e ambiciosos têm, por natureza, uma grande expectativa de resultados, não só seus, mas das pessoas com as quais trabalham e da companhia. O que justifica o fato de os grandes líderes serem sempre vistos como indivíduos difíceis de agradar. E Jobs, segundo o especialista, sempre foi considerado um perfeccionista, “mas minha visão é que as pessoas respondiam ao impulso perfeccionista dele porque ele era alguém tão exigente consigo mesmo, como era com todos em torno dele”, concluiu.

Fundador do WikiLeaks diz que a mídia tem medo de divulgar informações

Criador do site WikiLeaks, o australiano Julian Assange não poupou críticas à imprensa ao participar nesta quarta-feira (1/9) do Info@Trends, evento realizado em São Paulo. “Pelo que coletei de experiências em vinte anos de jornalismo, percebi que a oferta de fontes não é o problema. O problema é achar mídias que publiquem a informação de forma sólida”, lamentou.

Assange continua a disparar contra o trabalho da mídia e afirmou que muitos veículos de comunicação têm medo desnecessário para divulgar informações que denunciem práticas ilegais feitas por Estados e que se sentem ameaçados por empresas e pelo tráfico de drogas. Ele creditou ao seu site a mudança dessa atitude da imprensa.

“Muita gente acusa o WikiLeaks de proteger fontes. Na verdade, ao garantir o anonimato da fonte, nós estamos incentivando outras as pessoas a terem a mesma coragem para abastecer a mídia de informações sobre violações aos direitos humanos”, declarou Assange.

A palestra durante o Info@Trends foi a primeira de Assange após a condenação por abuso sexual feita pela justiça britânica. A participação aconteceu via telepresença, pois ele cumpre prisão domiciliar e atualmente mora em Norfolk, região de Londres. O criador do WikiLeaks não pode deixar o Reino Unido.

Projeto extingue multas de trânsito registradas por pardal

A Câmara analisa o Projeto de Lei 922/11, do deputado Pauderney Avelino (DEM-AM), que estabelece regras e limites para o uso dos radares eletrônicos e demais equipamentos audiovisuais utilizados para comprovar infrações de trânsito. Entre outras medidas, a proposta isenta de multa as infrações de trânsito registradas por radar móvel ou fixo. Nesses casos, o infrator apenas perderá pontos na carteira de motorista.

Segundo o projeto, as multas de trânsito somente incidirão nos casos de infrações lavradas por agentes de trânsito e demais autoridades competentes e nas transgressões verificadas por sistema de lombada eletrônica.

“A medida visa pôr um fim na rede fraudulenta de arrecadação das multas provenientes dos radares”, diz o autor do projeto. “A receita originada com as multas tem servido de fomento à corrupção e à imoralidade que está entranhada nos órgãos e departamentos de trânsito em todo o país”.

Instalação de radares

A proposta, que altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97), também exige estudo científico prévio para a instalação de radares, lombadas eletrônicas e demais equipamentos de fiscalização. Esse estudo deverá levar em conta a prevenção de acidentes e a educação de tráfego.

Já a construção de lombadas eletrônicas só será autorizada em locais de alto risco, como áreas de travessia de pedestres ou com intenso cruzamento de veículos, depois de estudos técnicos sobre a necessidade da instalação.

Pauderney Avelino afirma que a instalação e o manejo dos radares são feitos atualmente de forma indiscriminada, sem qualquer planejamento ou explicação convincente. “A pulverização desses instrumentos banalizou o sistema de educação no trânsito”.

Na opinião do deputado, muitas vezes o aparelho é fixado em vias onde não há riscos de acidentes ou em locais afastados, “em que a presença do radar revela a avidez na busca pelo produto das multas”.

Gerenciamento

Segundo o projeto, o gerenciamento dos radares será feito pelos órgãos de trânsito ou por empresas contratadas por licitação. Nestes casos, a empresa não poderá receber percentual por multa arrecadada. Além disso, cada departamento estadual de trânsito (Detran) deverá publicar trimestralmente a lista dos aparelhos de radar móvel, fixo, lombadas eletrônicas e outros equipamentos em funcionamento.

Receita das multas

O projeto permite que os recursos do Fundo Nacional de Segurança e Educação no Trânsito (Funset) sejam destinados à manutenção e à melhoria das rodovias federais. Atualmente, as verbas do fundo só podem ser aplicadas em segurança e educação no trânsito.

O fundo é administrado pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e recebe, mensalmente, 5% do valor arrecadado com as multas de trânsito.

A proposta estabelece que os valores não destinados ao fundo (95% da arrecadação com multas) deverão ser aplicados exclusivamente em manutenção e melhoramento das vias; sinalização de tráfego; pavimentação e instalação de novas rotas de trânsito; instalação de sistemas de prevenção de alagamentos e escoamento de enxurradas; e mecanismos de mobilidade e acessibilidade.

A autoridade que não cumprir a destinação dos recursos poderá ficar sem receber salário, além de outras punições previstas na legislação penal.

Punição para infrator

O projeto diminui de 20 para 18 o número de pontos que cada infrator pode ter na carteira de motorista até seu direito de dirigir ser suspenso.

Além disso, está prevista a cassação da carteira do infrator que computar mais de 50 pontos decorrentes de infrações. O infrator que reincidir na penalidade de cassação ficará impedido de requerer a reabilitação pelo período de cinco anos. Para solicitar uma nova CNH, esse condutor deverá comprovar participação em curso de reciclagem e fornecer laudo psicotécnico e exame físico específico.

Em caso de multa de veículos de pessoa jurídica, quando o condutor não for identificado, quem sofrerá as penalidades será o dono ou presidente da entidade. Atualmente, o código não prevê esse direcionamento da penalidade.

Tramitação

A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Viação e Transportes; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.