Colegiado de Defesa Civil da AMFRI busca audiência com o governador Raimundo Colombo

Colegiado de Defesa Civil da AMFRI busca audiência com o governador Raimundo Colombo

A realização de uma audiência com o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo está entre as deliberações do Colegiado de Coordenadores de Defesa Civil (CODEC), órgão vinculado à Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí – AMFRI, definidas em sua reunião, realizada na última quarta-feira (28).

O objetivo do encontro com Colombo é mostrar ao Estado que a região da AMFRI está organizada, e pleitear técnicos e recursos para a elaboração de projetos na parte de prevenção de catástrofes. Além das reivindicações, o CODEC também pretende colocar sua estrutura à disposição do Estado.

As obras de prevenção desenvolvidas nos municípios da região após a enchente de novembro de 2008, como o desassoreamento de rios e a limpeza de valas, contribuíram para minimizar o efeito das fortes chuvas que ocasionaram a última enchente, evitando alagamentos em várias localidades e um estrago ainda maior.

O trabalho do CODEC durante o período foi bastante elogiado. “Nós viabilizamos a doação de mil kits com colchões, lençóis, travesseiros e cobertores para Itajaí. Também auxiliamos o município de Rio do Sul, com a doação de camas de campanha”, declarou o coordenador de Defesa Civil de Penha e presidente do colegiado, Johnny Coelho.

Coelho entrará em contato com o Estado para solicitar a audiência, e espera um retorno positivo, já que a região da AMFRI, com mais de 500 mil habitantes, tem sido uma das mais castigadas pelos eventos climáticos dos últimos três anos, e carece de investimentos.

Escrito por Camila Raymundi, assessora de comunicação social da AMFRI.

Anúncios

Hoje: Ficha Limpa ameaçada

Hoje a Ficha Limpa faz um ano, entretanto nossa grande vitória contra a corrupção pode ainda perder a grande batalha, a não ser que a Presidente Dilma a salve.

O Supremo Tribunal Federal está para decidir se a Ficha Limpa será legal e efetiva para 2012 ou não, mas o STF está dividido e sob a pressão de poderosos interesses daqueles que querem destruir a lei. A Presidente Dilma deve indicar um novo Ministro que irá salvar ou destruir a Ficha Limpa para sempre. Nós temos brigado e vencido cada luta em relação a Ficha Limpa. Vamos nos juntar mais uma vez e pedir para Dilma que escolha um Ministro comprometido a varrer a corrupção do país.

A Ficha Limpa está na corda bamba. Vamos juntos, mais uma vez, ter a certeza de que são as pessoas, e não políticos corruptos, que determinam o futuro do nosso sistema político. Mais de 154.000 de nós já assinaram a petição pedindo à Dilma para escolher um Ministro anti corrupção para o STF. Vamos urgentemente alcançar 250.000 antes de entregarmos essa petição ao escritório da Dilma – clique para se juntar e encaminhar esse e-mail para todos: http://www.avaaz.org/po/rescue_ficha_limpa/?vl.

No início desse mês nós entregamos aos conselheiros de Dilma uma poderosa petição com 150.000 assinaturas pedindo um Ministro anti corrupção. Logo depois do nosso encontro, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Ministro Gilberto Carvalho, disse: “Eu vou agora mesmo lá embaixo falar com a Presidente sobre essas assinaturas”. E o Ministro Jorge Hage nos assegurou que levaria nossas vozes e esperanças diretamente à Presidente.

O Procurador Geral e outros juristas afirmam que a lei anti corrupção é totalmente constitucional. Entretanto, a legalidade da Ficha Limpa tem sido questionada e o Supremo Tribunal Federal está para tomar uma decisão final nos próximo dias, assim que a Presidente substituir a Ministra Ellen Gracie que se aposentou e era uma apoiadora da Ficha Limpa. Com o STF dividido, essa escolha é crucial. Existem rumores de que há um lobby pesado de políticos “sujos” tentando acabar com a lei por meio de um Ministro anti Ficha Limpa. Vamos sobrecarregar o lobby deles com as nossas vozes pedindo por justiça.

Hoje, estamos celebrando o primeiro aniversário da Ficha Limpa. Vamos fazer tudo que pudermos para transformar esse momento de esperança numa vitória final na nossa luta para derrotar a corrupção e limpar a nossa democracia. Participe agora e diga a Dilma para tomar a decisão certa: http://www.avaaz.org/po/rescue_ficha_limpa/?vl.

Quando todos disseram que isso seria impossível, juntos, nosso poder derrotou os esforços de políticos corruptos que tentaram impedir a aprovação da Ficha Limpa no Congresso. A cada passo desse processo, nosso movimento tem respondido com paixão, criatividade, tática e pressão popular — vamos superar essa etapa final e construir um sistema justo e limpo que proteja nossos direitos e legitime nossas aspirações por uma forte democracia no Brazil.

Com esperança e determinação, Luis, Diego, Caroline, Morgan, Alice, Ricken and the rest of the Avaaz team.

Mais informações

Música desperta o interesse de estudantes

Todos os alunos da classe participam das atividades

Um projeto criado para que os estudantes se interessem pela música e percebam as diferentes linguagens usadas na produção das obras musicais movimenta as aulas do primeiro ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Deputado Caio Prado Júnior, em Barueri (SP). A iniciativa, da professora Ana Lúcia Pereira Lima, surgiu para estimular os alunos, que não demonstravam interesse em participar das diferentes atividades oferecidas.

Estudos já comprovaram que a música desenvolve a inteligência, contribui para a organização e o desenvolvimento da criança –, diz a professora. Sabendo disso, não podemos descartar nenhuma possibilidade de obter sucesso com nossos educandos.

Formada em pedagogia, Ana Lúcia atua no magistério há 19 anos, 11 dos quais com alunos da educação infantil. Segundo ela, as crianças ficaram entusiasmadas com o projeto, que recebeu o nome de Musicalizando e Aprendendo. Dividida em três etapas, a proposta da professora apresenta, em primeiro lugar, a música com sons da natureza, como os da chuva, do vento e dos animais.

Depois, vem a apresentação do primeiro instrumento inventado pelo homem — a flauta. No terceiro momento, as crianças são estimuladas a estabelecer a relação da música com as diferentes linguagens envolvidas — de textos, visual e instrumental — e a perceber que a música não ocorre num único momento nem apenas com uma única pessoa.

Durante a realização do projeto, Ana Lúcia leva diversos instrumentos para os estudantes conhecerem. Sempre que possível, convida músicos para tocar na sala de aula.

A música é um despertar para aprender a aprender –, diz a professora.

Além de conversarem informalmente sobre as atividades realizadas, os estudantes registram ideias e sentimentos de várias formas, bem como as experiências vivenciadas, por meio de ilustrações, lista coletiva ou escrita espontânea. Surge assim o portfólio dos alunos.

Ana Lúcia considera fundamental usar diferentes linguagens para despertar o interesse do aluno em aprender e, assim, alcançar o maior número possível de crianças.

Sabemos que os educandos têm diferentes maneiras de aprender; não podemos nos limitar a uma única forma, pois assim estaríamos prejudicando uma parcela dos aprendizes –, analisa.

Todos os alunos da classe participam das atividades propostas, seja a gravação de canções ou a execução de dramatizações e coreografias.

Enfatizando o que eles já desenvolveram no projeto, com músicas do universo infantil, valorizando suas produções, pretendo mostrar a importância da escrita e da poesia na produção musical –, revela a educadora.

Ela ressalta que todo o trabalho ocorre atrelado ao processo de alfabetização. No fim do projeto, os alunos recebem cópia de todas as atividades das quais participam ao longo do ano, com as dramatizações, coreografias e músicas executadas por eles, além do portfólio.

O projeto de Ana Lúcia, que concorre ao prêmio Professor Giz de Ouro, da prefeitura de Barueri, surgiu por iniciativa da própria professora, mas conta com o apoio da instituição de ensino.

Procuramos, enquanto gestão, motivar os professores a buscar estratégias diferenciadas de ensino, para que a aprendizagem ocorra de forma prazerosa e eficaz –, salienta a diretora, Fátima da Conceição Manso.

Para ela, o trabalho de Ana Lúcia condiz com a proposta pedagógica da escola, pois estimula práticas inovadoras por parte dos professores.

Participe e envie seu protesto

Todas as empresas petrolíferas que receberam as cartas do Greenpeace com o pedido de moratória na exploração de gás e petróleo na região dos Abrolhos mencionaram em suas respostas que vão operar seus blocos dentro dos mais altos padrões de segurança. O Greenpeace agora está na cola dessas empresas para saber: quais são as especificações desses planos de segurança – se é que eles existem?

Enquanto isso, nossa petição on-line em favor da moratória continua no ar. Assine ela aqui. Dê uma forcinha para as baleias e tantos outros animais marinhos que fazem de Abrolhos uma jóia mundial da biodiversidade, para deixá-los livres da ameaça do petróleo. E aproveite, se for possível, para dar uma força também para as nossas florestas, ameaçadas pelo trator ruralista que, no Congresso, tenta desfigurar o nosso Código Florestal.

O Greenpeace está nas ruas, engrossando o coro contra o texto do projeto de lei que, se aprovado, dará carta branca aos desmatadores das florestas brasileiras. Em Belo Horizonte, Recife e São Paulo, os ativistas estenderam faixas com a mensagem “Desliga essa motosserra” convidando a população para conhecer mais sobre o assunto e participar do movimento.

Entre no site do Greenpeace e descubra como você pode ajudar a perpetuar a fauna marinha de Abrolhos e as florestas brasileirasDivulgue a mobilização do Greenpeace nas suas redes sociais.

Cuba e Brasil analisam cooperação em biotecnologia e alimentos

Brasil e Cuba analisam estreitar sua cooperação nas áreas de farmacêutica, biotecnologia e alimentos, disse na última quarta-feira (28/09) o ministro de Relações Exteriores cubano, Bruno Rodríguez, depois de se reunir com seu colega brasileiro, Antonio Patriota.

“A relação com o Brasil é uma prioridade, é a relação entre uma economia que avança impetuosamente e uma pequena ilha bloqueada como Cuba”, disse Rodríguez a jornalistas em Brasília, após a reunião.

Patriota avaliou a cooperação que o Brasil realiza com Cuba na área de saúde no Haiti e destacou que a ilha caribenha é “uma potência na formação de médicos”.

O programa que Brasil e Cuba desenvolvem no Haiti de forma conjunta contempla iniciativas como a construção de postos de saúde e a formação de agentes comunitários e técnicos neste campo.

No âmbito bilateral, Patriota assegurou que as obras do porto de Mariel, que está sendo construído em Cuba com financiamento brasileiro, “seguem seu cronograma” e serão entregues no final de 2013, como está previsto.

Na reunião, ambos chanceleres também repassaram outras questões de sua agenda bilateral e da atualidade da América Latina. Antes da reunião com Patriota, Rodríguez visitou Celso Amorim, que deixou a Chancelaria no dia 1º de janeiro e voltou ao governo como ministro da Defesa.

Morre o escritor francês Émile Zola

Aos 62 anos, o grande romancista francês, fundador do naturalismo, Émile Zola, cuja obra principal é um vasto afresco em 20 volumes, contando a história de uma família sob o Segundo Império, morreu asfixiado pelo gás em seu dormitório, em 29 de setembro de 1902. Correu o boato que tinha se suicidado ou havia sido assassinado. Alguns imaginaram que tinha sido vítima pelo seu engajamento em favor de Alfred Dreyfus. Os restos de Zola foram levados ao Panthéon em 4 de junho de 1908.

Nascido em 2 de abril de 1840 em Paris, Zola passou toda a juventude em Aix-en-Provence. A morte de seu pai, quando tinha 7 anos, mergulhou a família numa situação financeira instável. A partir de 1858, Zola se estabeleceu em Paris. Após ter sido reprovado duas vezes em francês ao tentar ingressar na universidade, levou uma vida incerta, sem dinheiro. Zola foi empregado na editora Hachette de março de 1862 a janeiro de 1866, como chefe da publicidade. Escreveu à época diversos textos em prosa, indo do conto de fadas à sátira política.

Ele conseguiu publicar em novembro de 1864 uma pequena coleção de contos, Contos a Ninon, que recebe favorável acolhida. Em 1865, conheceu aquela que viria a ser sua mulher, Alexandrine Meley. Decide então viver de sua pena. Em 1867, chega seu primeiro sucesso comTeresa Raquin, que anuncia o ciclo da Saga dos Rougon-Macquart. O livro apresentou uma abordagem inovadora, inspirado pelos estudos científicos da época, propondo não um simples romance, mas uma análise científica pormenorizada do ser humano, da hereditariedade, da loucura, da moral e da sociedade. A imprensa o tratou de ‘autor pornográfico’, de ‘homem do esgoto’ ou ainda partidário da ‘literatura putrefata’.

Após a guerra franco-prussiana de 1870, tornou-se jornalista parlamentar. Em 22 de julho de 1872, quando assinou com o editor Georges Charpentier, é que começa de fato sua carreira literária. Pouco a pouco, seus romances lhe valem a amizade de escritores como Flaubert, os irmãos Goncourt, Daudet e Turgueniev. Quando resolve empreender seu amplo afresco romanesco, preocupado com o método, montou um plano geral antes mesmo de escrever a primeira linha. Zola quis estabelecer diferença com um antecessor de peso, Balzac e sua Comédia Humana: “Não quero pintar a sociedade contemporânea como um todo e sim uma só família, mostrando sua saga modificada pelo meio. (…) Meu jeito é ser puramente naturalista, fisiologista”.

Obras

A fortuna dos Rougon (1871), o primeiro volume, é a base que sustenta todo o edifício. O romance relata o golpe de Estado de Luis Napoleão Bonaparte em 2 de dezembro de 1851, visto de uma cidade da Provence. Com a agitação política, ambições se desencadeiam. Dois ramos rivais de uma mesma família, os Rougon e os Macquart, se enfrentam. Os primeiros se revelam bonapartistas por cálculo, os segundos liberais por pobreza e inveja.

Entre os principais romances de A saga ds Rougon-Macquart estão: O Ventre de Paris (1873), A Terra(1887), Nana (1880) e, em especial, a obra máxima, Germinal (1885) que descreve as condições de vida subumanas de trabalhadores de uma mina de carvão. Após ter contato com idéias socialistas que circulavam pela classe operária européia, os mineiros revoltam-se contra a opressão e organizam uma greve geral, exigindo melhores condições de vida e trabalho. A manifestação é reprimida, entretanto permanece viva a esperança de luta e conquista.

Indignado pela degradação do capitão Alfred Dreyfus e a campanha de imprensa contra a república e os judeus, e convencido que o verdadeiro culpado do caso é o comandante Esterhazy, Zola publica no jornal L’Aurore o famoso artigo “J’accuse”. Condenado a um ano de prisão e a 3 mil francos de multa, teve de deixar a França em 18 de julho de 1898. Em seu retorno, em 1899, injuriado, excluído da Ordem da Legião de Honra, abandonado por uma boa parte de seus leitores, morre, três anos depois, asfixiado em sua casa.

Outros fatos marcantes da data

Morre Machado de Assis, o bruxo do Cosme Velho

Joaquim Maria Machado de Assis (1839-1908)

O autor da obra mais consagrada da literatura brasileira, Machado de Assis, 69 anos, morreu em sua casa no bairro carioca do Cosme Velho. Chegava ao fim o sofrimento em que sobrevivia desde a perda da sua esposa, Carolina, três anos antes.

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 21 de junho de 1839, no Morro do Livramento, nesta cidade. De origem humilde, neto de escravos alforriados, filho de um pintor de paredes e de uma lavadeira portuguesa, o escritor soube vencer dificuldades de toda ordem até tornar-se um dos mais respeitados nomes da nossa literatura. Autodidata por necessidade e aptidão, aos 16 anos publicou o seu primeiro trabalho literário, e conquistou o seu primeiro emprego como aprendiz de tipógrafo na Imprensa Nacional. No ano seguinte começou a escrever durante o tempo livre. Seu primeiro romance, Ressureição, foi lançado em 1872.

Machado de Assis foi um autor singular no panorama literário do seu tempo. Primou pelo uso essencial das palavras para exprimir seu pensamento. Usou intensamente recursos de metalinguagem e envolveu a participação do leitor em suas narrativas. Exercitou a ironia e o sarcasmo como ferramentas de crítica social.

O conjunto de sua obra retrata a coexistência do amor e do ciúme, da verdade e da mentira, do ser e do parecer. Chama a atenção para a ambiguidade e as sutilezas emocionais dos seus personagens, e para as mazelas da sociedade do seu tempo. A sua obra mantém-se tão atual e tão influente quanto há um século atrás. Desde sempre revisitado por gerações, os estudos de sua obra são incontáveis. Jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e dramaturgo, foi fundador Academia Brasileira de Letras, instituição que presidiu de 28 de janeiro de 1879 até o fim da vida.

Quem respirava de perto

Jornal do Brasil: Edição especial 'Jornal do Século'O enterro do insigne homem de letras,Machado de Assis, foi velado por amigos do timbre de Euclides da Cunha, Mário de Alencar, José Veríssimo, Raimundo Correia e todos os colegas da ABL.

Rui Barbosa, com sentimento e eloqüência, fez o discurso de despedida:

Designou-me a Academia Brasileira de Letras para vir trazer no amigo que de nós aqui se despede.(…) Não é o clássico da língua; não é o mestre da frase; não é o árbitro das letras; não é o filósofo do romance; não é o mágico do conto; não é o joalheiro do verso, o exemplar sem rival entre os contemporâneos, da elegância e da graça, do aticismo e da singeleza no conceber e no dizer: é o que soube viver intensamente da arte, sem deixar de ser bom. (…)

Músico transforma aparelhos eletrônicos em instrumentos

Mikael Mutti faz música usando Wii Remote, telefone, mistura de guitarra de Rock Band com iPad e tapete de Dance Dance Revolution.

Tudo por virar um instrumento musical nas mãos de Mikael Mutti. O rapaz usou uma série de aparelhos eletrônicos e acessórios de videogame para criar instrumentos e novos sons para suas músicas. Entre os instrumentos criados por Mutti estão um Wii Remote, um telefone, uma guitarra de Rock Band misturada com um iPad e um tapete do jogo de dança Dance Dance Revolution.