PDT volta a apoiar a administração Felisky

PDT volta a apoiar a administração Felisky

PMDB e PDT estão reatados em Ilhota. As legendas que estiveram juntas nas eleições de 2008 e se separaram no começo de 2009, após uma polêmica votação da Mesa Diretora da Casa, estão acertando os ponteiros visando a disputa de 2012.

A aliança foi confirmada nesta semana pelo prefeito Ademar Felisky (PMDB) e pelo presidente da comissão provisória do PDT, Antônio Lessa. A princípio, os brizolistas não terão cargos no Executivo, mas garantirão o apoio nos projetos enviados ao Legislativo. Se a parceria funcionar, as duas siglas estarão coligadas no próximo ano.

Ex-presidente da Câmara na época em que houve o rompimento, Lessa conta que o PDT nunca fez oposição de fato, ao governo Felisky. “Atuamos de forma independente e aprovamos todos os projetos que eram de interesse da comunidade. Estamos, portanto, nos aliando novamente em virtude dos bons projetos que o Executivo tem para a cidade em seu último ano de governo”, declara.

Sobre a eleição, Lessa confirma que o PDT tem sim, interesse em indicar um vice para o PMDB. O nome de Lessa é um dos mais cotados. Os peemedebistas já anunciaram que estarão na cabeça de chapa. Três nomes buscam a indicação do diretório.

Lessa lembra ainda, que a posição de se alinhar com o governo é dele, do atual presidente da Câmara, Luiz Peixe, mas ainda não houve uma conversa com todo o partido. “Somos em 220 filiados, não conversamos com todos. Mas vários já declararam apoio”, afirma.

Felisky confirma as negociações entre as legendas. “Isso já vem de uns dois meses. Até então, eles (Lessa e Peixe) ainda não tinham se posicionado oficialmente. Com a confirmação, podemos planejar a nossa administração para o último ano do governo e as eleições”, explica. Além do PDT, o PMDB tem o PSDB na base aliada (com cargos no governo) e o Democratas.

Detentos de Chapecó serão treinados para trabalhar em empresa de abate de aves

Abate de frangos

Um projeto inicial irá capacitar 70 detentos do regime semiaberto e a expectativa é chegar até 200 presos atuando dentro da linha de produção da Bondio Alimentos, uma das maiores da região Oeste de Santa Catarina. Serão contratados 35 detentos  mas o projeto prevê o treinamento inicial de 70 e a perspectiva é inserir no programa um total de 200 presos da Penitenciária Agrícola de Chapecó.

A empresa, que trabalha com a produção e abate de aves, tem mais  de 1.200 funcionários e é certificada pela comunidade europeia e ainda está ampliando sua participação no mercado internacional. “É dessa forma, junto com a sociedade organizada e com a parceria dos empresários que faremos de Santa Catarina um estado modelo para o Brasil“, disse a secretária da Justiça e Cidadania, Ada Faraco de Luca.

A assinatura do convênio nesta sexta-feira, dia 04 de novembro em Guatambu, município próximo a Chapecó, contou com a presença da secretária da Justiça, Ada de Luca, do juiz de Execução Penal, Rafael Goulart Sardá, do secretário de Desenvolvimento Regional, Eldimar Jagnov, do prefeito de Guatambu, Pedro Borsai, do presidente da Bondio Alimentos, Valdir Luiz Sperandio, do presidente do Deap (Departamento de Administração Prisional), Leandro Soares Lima e do diretor da penitenciária agrícola, Adriano Cecchin.

A empresa será responsável pelo transporte e treinamento dos detentos que receberão um salário mínimo previsto em lei. Todos deverão passar por um exame admissional e terão os mesmos benefícios que os outros trabalhadores da empresa como médico, dentista e fisioterapeuta, além da garantia de um certificado. A penitenciária ficará responsável somente pela segurança dos presos.

“Um dos pontos mais importantes deste convênio é que a empresa se compromete a contratar cada um dos presos após o cumprimento da pena. Com esta iniciativa ela está dando um excelente exemplo”, afirma a secretária Ada de Luca. “É uma excelente ferramenta para impedir a reincidência criminal com a reabilitação econômica. É um passo inédito no estado”, complementou Leandro Lima.

Fonte: Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa do Cidadão