Bahia: trágica comédia de erros

Greve da PM de Bahia

Sugeri modestamente nas redes sociais que procuremos lançar um olhar para a greve da PM na Bahia com disposição para escapar do “lá ou cá, do tudo ou nada, dos anjos e demônios”, buscando também sutilezas e nuances de análise.

Greve é direito constitucional, instrumento de luta política, de emancipação do trabalhador. Reivindicar aumento de salário e condições dignas de trabalho, que minimizem a exploração pelo capital, é não só legal, mas justo e legítimo. Tais movimentos, no entanto, não podem ser conduzidos sob a ameaça de armas. Não podem, por exemplo, resultar em barricadas, ataques e incêndios a ônibus praticados por policiais, dentre tantos outros atos de barbárie, como denunciam moradores de Salvador. Sem generalizar – mas há certamente malandros, irresponsáveis e oportunistas no movimento, flertando muito de perto com o banditismo social, que se aproveitam da greve para fazer politicagem (não política) e disseminar pânico e terror na população, às vésperas do carnaval e em ano eleitoral.

Ao mesmo tempo, lamento, mas não me cheira bem essa tentativa de blindar e de santificar o governador Jaques Wagner, só porque ele é do PT – partido que, aliás, foi ponta de lança da greve da PM ocorrida na capital baiana em 2001, quando estava na oposição. Agora que é governo… Wagner foi no mínimo pouco hábil, politicamente insensível, omisso.

Escreve o jornalista Ricardo Kotscho, que inclusive é amigo de Jaques Wagner: “ex-líder sindical, não é possível que o governador não estivesse informado sobre o barril de pólvora armado pelos policiais militares às vésperas do Carnaval, quando embarcou para Havana, acompanhando a presidente Dilma Rousseff, na segunda-feira passada. No dia seguinte, a assembléia dos policiais decretou greve, que já conta com o apoio de um terço da categoria. (…) Deveria ter negociado e tomado providências antes, como bem sabe por sua formação sindical e a experiência de 2001, quando houve a primeira grande rebelião da PM”.

pena lúcida da jornalista Cynara Menezes tenta também fazer um convite à racionalidade. Ela lembra que não é mais possível aceitar que o governo petista jogue na conta do carlismo (legado de Antônio Carlos Magalhães) o cenário de caos que se instalou na capital baiana. “É correto que policiais, para fazer reivindicações, amedrontem a população? Não. Mas tampouco é correto que policiais, numa sociedade democrática, nem sequer tenham suas reivindicações ouvidas pelas autoridades”. “Nem plano de cargos e salários eles têm”, diz o professor de Desenvolvimento Urbano Carlos Alberto da Costa Gomes, coordenador do Observatório de Violência da Bahia. Costa Gomes também é contra policiais intimidarem pessoas. Mas adverte que tudo chegou a esse ponto porque há 30 anos os policiais baianos pedem praticamente as mesmas coisas. Ou seja, “não foram atendidos por ACM –nem por Jaques Wagner”, escreve a repórter de “Carta Capital”.

Claro está que o governo do estado também pisou feio na bola. Poderia ter evitado o confronto. Mas preferiu ignorar sinais evidentes de que algo não ia bem. Na segunda-feira, dia 06 de fevereiro, em entrevista publicada pela “Folha de São Paulo”, Jaques Wagner admite que a avaliação feita pelos órgãos de inteligência da administração municipal que monitoravam as assembléias dos policiais militares foi equivocada. É quase uma confissão de culpa: o governo foi surpreendido pelo tamanho do movimento grevista.

A sensação que fica é de uma mistura de soberba com descaso e desdém, algo como “vamos empurrar com a barriga, não vai dar em nada, deixa estar para ver como é que fica”. O problema é que ficou – e a situação agora está para lá de enroscada. As posições se radicalizaram, os policiais militares estão aquartelados, a Assembléia Legislativa foi cercada por tropas federais. Não há interlocução. E o governo agora não sabe muito bem o que fazer.

E só para fechar com mais um convite à reflexão – na verdade, é uma provocação ao cabo-de-guerra PT x PSDB que monopoliza (e empobrece ao extremo) o debate político nacional: já imaginaram se uma greve da PM explodisse em São Paulo e Geraldo Alckmin estivesse no exterior? O que estaríamos escrevendo nos blogs e nas redes sociais? Pois é.

Escrito por Chico Bicudo é jornalista. Blog do autor: http://oblogdochico.blogspot.com.

Anúncios

Conjuve dá o pontapé inicial para o próximo biênio

Conjuve

Em meio aos desafios da aprovação do Estatuto da Juventude no Senado, o Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) iniciou o processo eleitoral que garante sua saúde e existência. Nesta quinta-feira, dia 9, foi publicado no D.O. a convocação da Assembléia de Eleição dos representantes da sociedade civil que vão compor o colegiado no biênio 2012 e 2013.

O Conselho é constituído por 60 membros, entre titulares e suplentes, sendo 20 representantes do poder público e 40 representantes da sociedade civil. As inscrições devem ser feitas até o dia 5 de março, mediante o preenchimento de formulário específico, disponível no site www.juventude.gov.br/conjuve ou solicitado pelo email eleição.conjuve@presidencia.gov.br.

Os interessados em integrar o Conjuve devem ser membros da sociedade civil, como movimentos, associações ou organizações da juventude de atuação nacional; fóruns e redes de juventude, além de entidades de apoio às Políticas Públicas de Juventude. Cada organização concorrerá a uma única cadeira e somente em uma das três categorias previstas.

Além de inscrição eletrônica através do site do Conjuve, os candidatos devem complementar com o envio fisíco da inscrição. É imprescindivel imprimir o formulário, assinar e enviar para a Secretaria-Executiva do Conjuve, no endereço SCES, Trecho 2, Lote 22, Edifício Tancredo Neves, 2º andar, Centro Cultural Banco do Brasil, Brasília-DF, CEP 70200-002.

Com informações da Secretária de Juventude.

Um rebelde com causa

Um rebelde com causa

O trabalho do Greenpeace Brasil ganhou um merecido reconhecimento internacional. O diretor da campanha da Amazônia, Paulo Adario, recebeu uma premiação inédita da ONU (Organização das Nações Unidas). Ele foi eleito “Herói da Floresta” por seu trabalho incansável em defesa da Amazônia. O prêmio chega no ano que o Greenpeace Brasil completa 20 anos.

Paulo já teve sua cabeça a prêmio, mas nunca fraquejou diante de sua missão de mostrar ao mundo as mazelas que estão empurrando a Amazônia e o clima global para o fundo do poço.

Paulo chegou na Amazônia no início dos anos 90 e rapidamente identificou e denunciou as principais causas do desmatamento. Para isso, teve que encarar madeireiros, empresas, assassinos e até políticos.

Atualmente, sua principal batalha é política. O Projeto de Lei que muda o Código Florestal permitirá mais desmatamentos na Amazônia. Paulo tirou essa discussão dos muros do Congresso e levou às ruas. Uma petição foi criada para que a presidente Dilma vete as alterações. Se você ainda não assinou, clique aqui e participe dessa luta.Junte-se a nós e ajude a construir uma história de defesa do meio ambiente.

Assim como você, Paulo é um autêntico “guerreiro do arco-íris”. E você, quer fazer parte deste exército verde? Clique aqui e junte-se a nós e ajude a construir uma história de defesa do meio ambiente.

Onze Gritos de Rock em Santa Catarina! Um pré-guia do maior festival integrado da América Latina

Grito Rock 2012

Vem chegando o carnaval e com ele um dos eventos mais significativos para a música independente nacional, o Grito Rock! Capitaneado pela Rede Fora do Eixo, o festival em 2012 chega a sua décima edição ratificando o título de maior festival integrado da América Latina: serão 200 cidades em 14 países. Em Santa Catarina o Grito terá um grande reflexo, com 11 cidades se escalando para promoverem seus shows.

Curiosamente, o único Grito que acontece no carnaval é do nosso estimado Válvula Rock Pub, em Barra Velha. O restante está programado para março. Além de abrir várias oportunidades para os artistas barriga-verdes, o Grito deste ano proporcionará shows nacionais de ponta a nós catarinenses. Estão caminho de Santa Catarina bandas de peso no meio independente e muitas novidades, podem ter certeza.

Grito Rock Floripa (2011-03-19)

O Grito Rock é famoso por ser uma ótima oportunidade para as bandas menores, que ainda precisam fazer seu nome e mostrarem a que vieram. Por outro lado, é também um chamariz muito grande para atrair os produtores novatos, que querem arregaçar as mangas, mas precisam chamar a atenção de suas cidades para o movimento.

Além do fator divulgação, eis mais um ponto positivo. O Grito proporciona ao produtor poder escolher as bandas que estão dentro das suas condições, sem qualquer vergonha de não ter muito a oferecer. Através do portal Toque no Brasil, as bandas podem se inscrever nos eventos que querem participar, onde o produtor deixa claro o que tem condições de financiar, como cachê, transporte, hospedagem e alimentação.

Grito Rock Floripa (2011-03-19)

Como organizador do Grito Rock Itajaí no ano passado, pude comprovar que a magnitude latina chama a atenção da imprensa. Em cinco anos de produção, nunca dei tantas entrevistas nos meios locais e estaduais como no Grito. Até mesmo colegas da faculdade de jornalismo que trabalhavam em emissoras da cidade só descobriram o meu “hobby” como produtor por causa do Grito Rock. Neste ano o festival volta a Itajaí e faremos a primeira edição de Barra Velha, onde desde dezembro nos estabelecemos com o Válvula Rock Pub.

Abaixo um calendário e algumas informações extras para você escolher onde vai gritar rock em Santa Catarina. Um pré-guia do Grito Rock:

Grito Rock Floripa (2011-03-19)

Fevereiro

18 – Sábado:

  • Barra Velha: O carro abre alas do Grito Rock em Santa Catarina vem junto com a primeira experiência do festival em Barra Velha. Uma atração nacional, uma estadual e uma banda local devem ser escaladas. O evento rola durante a tarde.

Março

8 – Quinta-feira

FlorianópolisA fórmula do Grito Rock Floripa na UFSC deu tão certo no ano passado que o Coletivo Cardume irá repetir a dose. Dessa vez os organizadores oferecem só uma vaguinha para o evento, que em 2011 reuniu mais de 4 mil pessoas. As bandas podem tentar a sorte até dia 15. Inscrições: http://tnb.art.br/oportunidades/grito-rock-america-latina/grito-rock-florianopolis-2012/.

10 – Sábado

  • LagesA Serra Catarinense pela primeira vez faz parte da rota do Grito Rock, graças ao esforço da banda Os Americanos. A empolgação com o evento foi tanta que os organizadores ampliaram para dez vagas no show, que ficam abertas aos postulantes até esta sexta-feira, dia 10. Inscrições: http://tnb.art.br/oportunidades/grito-rock-america-latina/grito-rock-lages-2012/.
  • CriciúmaO Sul esteve representado por Urussanga em 2011 e agora passa a bola para Criciúma, onde o Coletivo de artistas Murro toma a frente do Grito Rock. São sete vagas esperando para serem preenchidas até o dia 16. Informações dão conta que uma das melhores bandas independentes deste país está de malas prontas para desembarcar por lá. Inscrições: http://tnb.art.br/oportunidades/grito-rock-america-latina/grito-rock-criciuma-2012/.
  • Jaraguá do Sul: As meninas da Motriz Produções saíram na frente e já divulgaram a sua lista de atrações para  o primeiro Grito Rock do seu currículo. Especialistas no punk e hardcore, as produtoras selecionaram as catarinas Rejects SA, Fatal Blow e Estado Deplorável, além da paulista Paura, para fazerem o barulho no Espaço Oca.

16 – Sexta-feira

17 – Sábado

  • Chapecó: Organizado pelo grupo do Entrevero Rock, que volta e meia agita a cena local, o Grito Rock vai tomando forma pela primeira vez na cidade. O oeste tem uma tradição róque e não deve decepcionar.
  • Ilhota: Terra do saudoso Ilhota Rock Festival, o Grito não poderia ser organizado por outro grupo que não a organização do folclórico festival. São 5 vagas para tocar, podendo se inscrever até este domingo. Inscrições: http://tnb.art.br/oportunidades/grito-rock-america-latina/grito-rock-ilhota-2012-2/.
  • Rio do SulO Coletivo Barriga Verde, que em 2011 realizou um senhor Grito Rock, aos poucos vem se reabilitando das enchentes que invadiram sua sede em setembro. Ainda sem muitas definições sobre o evento, a turma do coletivo tem realizado reuniões públicas para traçar os rumos desta edição.
  • Itajaí: Apesar de inicialmente ter anunciado o dia 3 com data do seu Grito Rock, o Válvula deve confirmar ainda essa semana a alteração para 17, facilitando assim a rota da tour de bandas de fora pelo Estado. O público não vai se arrepender nem um pouco. Bandas locais completarão o line-up.

18 – Domingo

Obs: Se esquecemos de alguma cidade, ou alguma informação do mini-guia estiver incorretas, mandem para contato@valvularock.com.br que corrigiremos assim que possível!

Ilhota terá representante no Miss Santa Catarina

Eduarda Siementkowski representará Ilhota no Miss Santa Catarina

Jornal IlhotaA princesa da II Expobelga, Eduarda Siementkowski, representará a capital da moda íntima e praia no concurso Miss Santa Catarina 2012. A competição tem como finalidade escolher os representantes para os concursos de Miss Brasil Globo Internacional, Miss Brasil Mundo, Mister Universo e Mister Mundo. A eleição e festa de coroação acontecerá no dia 17 de março, na Sociedade Navemar, localizada no município de Navegantes. O evento ocorrerá às 21h e os ingressos custarão R$ 15.

Duda, como é conhecida na cidade, está muito feliz em participar do concurso. “Estou maravilhada. Acredito no concurso e espero representar muito bem minha cidade ao qual tanto amo”, disse a jovem de 17 anos.  A maior incentivadora de Eduarda é a educadora Célia Merlini. “Célia sempre esteve a frente de todo processo de beleza das majestades e sempre motiva para que elas possam um dia ganhar destaque na carreira”, conta Paulo Drun, coordenador da ExpoBelga. Célia acredita na vitória da candidata. “Ela é uma menina muito bonita e simpática e tem todas as qualidades para nos representar muito bem”.

A Fundação Cultural de Ilhota, juntamente com a Secretaria de Turismo, está apoiando a iniciativa. Segundo Rui Max, superintendente da fundação, Duda será uma forte candidata. “Isto mostra que estamos organizados e nossas ações começam a frutificar”.

Fonte: Jornal Ilhotta

Rua Guilherme João Brockweld recebe pavimentação

Seu Osmar Antonio Pfleger acompanhou o início das obras

Jornal IlhotaO ano era 1993 e Hercules Geraldo de Oliveira (PMDB) estava à frente da prefeitura de Ilhota. Na época era muito mais difícil se fazer obras de infraestrutura na cidade. Mesmo assim, o visionário tentou e conseguiu. Depois de um ano terminou  o calçamento dos 1,2 quilômetros da rua Guilherme João Brockweld. “Foi um grande marco do meu primeiro mandato”, recorda o ex-prefeito. Agora, em 2012, o atual prefeito, Ademar Felisky, decidiu dar mais um presente aos moradores da via e irá fazer toda a drenagem pluvial e pavimentação asfáltica. As obras tiveram início nesta quinta-feira (09).

Seu OsmarAntonio Pfleger, de 69 anos, mora há décadas no local e nem se acreditou quando soube da novidade. “Antes do prefeito Hercules calçar, cansei de tirar carro e caminhão de atoleiro em frente a minha casa com os meus bois. Depois que calçou, as coisas mudaram e não me lembro de nenhum outro prefeito que fez ao menos reparos e manutenção, desde aquela época”, rememora. O morador diz que esta é uma das grandes conquistas do bairro Ilhotinha na atual gestão. “Tenho certeza que ficará muito bom”, comenta o aposentado.

Ao todo serão investidos R$ 613.369,89. Todos recursos da própria prefeitura.  A obra iniciou no sentido Ilhotinha/Centro, envolvendo primeiramente a retirada do calçamento. A empreiteira vencedora da licitação é a Rodomaq. O prazo de conclusão é de 100 dias. Veja mais fotos!

Fonte: Jornal Ilhota