Cidasc registra estabelecimentos para a comercialização de sementes e mudas

Cidasc

A Regional da Cidasc em Blumenau – Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina está registrando estabelecimentos para a comercialização de sementes e mudas, bem como o agente fiscalizador do comércio, trânsito e armazenamento destes. A ação, com base no decreto nº 3.378, de 8 de julho de 2010, visa garantir ao agricultor catarinense sementes de qualidade.

O processo de registros foi iniciado com as casas agropecuárias que comercializam sementes e mudas para agricultura comercial. A Cidasc está realizando os registros dos demais estabelecimentos que tenham a atividade de comércio de sementes e/ou mudas. Entre eles agropecuárias que ainda não tenham o registro, mercados, empresas do ramo da floricultura e paisagismo, entre outros.

Todos os estabelecimentos e suas filiais que comercializam, armazenam, embalam e transportam sementes e mudas deverão requerer o registro na Cidasc. Para isto será necessário entrar em contato com a regional mais próxima para apresentação de documentos e pagamento de taxa.

Anúncios

VENDE-SE uma câmera filmadora Sony HVR V1n HDV nova, com pouquíssimo uso

VENDE-SE uma câmera filmadora Sony HVR V1n HDV nova, com pouquíssimo uso.Meu amigo Anderson Sotero Bento só está vendendo pois mudou de ramo de trabalho. É uma câmera muito boa de se trabalhar e bem completa, com todos recursos e ajustes profissionais. Grava inclusive em 24fps (cinema digital). Ela tem case, 2 baterias e mais alguns acessórios. Esta câmera possui ótima relação custo/beneficio. Se alguém interessar ou souber de alguém que se interesse, pode entrar em contato com meu amigo pelo seu perfil no facebook!

Configurações da HDV 1080i / DVCAM / DV recording and playback:

  • 20 x Optical lens.
  • 2 XLR mic inputs.
  • Supports both PAL and NTSC.
  • A HVR-V1N oferece captura 24P em scan progressivo e conta com três sensores CMOS ClearVid da Sony e processador (EIP- Enhanced Imaging Processor(tm)), que permitem alta sensibilidade, maior resolução de imagem, baixo nível de ruído e wide dynamic range.
  • O sensor CMOS ClearVid ainda elimina o efeito smear e tem capacidade de quatro vezes para varredura de alta velocidade permitindo função “Smooth Slow Rec”.
  • A lente Carl Zeiss Vario-Sonnar T* possui tecnologia de baixa dispersão e zoom óptico de 20x com F2.8, para maior sensibilidade de luz e longo alcance para máxima flexibilidade na filmagem.
  • O scan progressivo 24P é um recurso ideal para produtores que desejam uma qualidade cinematográfica para seu trabalho e a camcorder HVR-V1N é a única do mercado nessa categoria a trabalhar em 1080i com 24P.
  • O conteúdo filmado com scan progressivo pode ser reproduzido em qualquer camcorder e VTR profissional HDV da Sony, além de editado nos principais sistemas de edição não-lineares existentes, incluindo Sony, Adobe, Apple, Avid e Canopus.

O meu amigo não me passou o preço.

Róque!

Biblioteca do Centro Cultural da Pedra de Amolar nasce com 2635 livros

Inauguração do Centro Cultural Manoel Bittencourt

Jornal IlhotaOs autores são os mais diversos, desde Paulo Coelho até Dan Brown. Nas prateleiras do Centro Cultural Manoel Bittencourt o que não faltam são livros. A biblioteca já nasceu com 2635 títulos. As obras foram doadas por pessoas da comunidade, inclusive de outras cidades, como Itajaí e Balneário Camboriú. O espaço foi uma das grandes novidades na inauguração da casa, que aconteceu nesta quinta-feira (16).

Cerca de 150 pessoas estiveram presentes na cerminônia. O nome Manoel Bittencourt é uma homenagem a um cidadão ilhotense, que nasceu no bairro Pedra de Amolar, onde está situado o centro. Seu Nele, como era conhecido, casou-se com dona Verônica de Souza no ano de 1929 e com ela criou seus seus filhos. Viveu no município até seu falecimento, em 2010. No evento, o cerimonial registrou uma mensagem encaminhada pelo poeta Felício José Bittencourt, irmão de seu Manoel, que dizia: “a leitura é uma fonte inesgotável de prazer, mas, por incrível que pareça, a quase totalidade não sente essa”.

A casa contempla, além da biblioteca, uma sala para aulas de arte e artesanto e uma outra para eventos culturais. O superintendente da Fundação Cultural, Rui Max Machado, comemorou os resultados. “Agradeço em nome de todos os que por força de vontade e do voluntariado promovem a cultura nesta cidade. Estamos entregando um espaço onde as pessoas podem contribuir e solidarizar com todas as causas culturais”, disse.

Já o secretário de educação, Raul Fernando dos Santos, ressaltou que ficou muito feliz em ver mais um sonho sendo realizado. “Lembro do convite do prefeito para assumir o departamento de cultura, quando criamos, depois, a fundação. Hoje, mais uma página é escrita desta hitória. Agora a Pedra de Amolar tem um espaço onde a comunidade pode se encontrar”.

Em seu discurso, o prefeito Ademar Felisky destacou que seu governo foi o que mais investiu em cultura. “Nós queremos mais e isso é só o começo. Com a criação da fundação cultural, deixo o meu legado de cultura e resgate histórico de nosso povo. Não tenho dúvidas que seremos referência na história da nossa cidade pelas ações que desenvolvemos”. Também memorou o carinho à família de seu Manoel Bittencourt pelo exemplo de vida de toda sua família.

Maria Salete Bittencourt, filha de seu Nele, agradeceu as palavras do prefeito Ademar. “Meu pai era uma pessoa muito boa e nós aprendemos muito com seus ensinamentos e ficamos muito agradecidos pela homenagem. Graças a Deus pelo reconhecimento das autoridades . Nossa família ficará mais unida e ajudaremos a manter esse prédio que leva o legado de nosso pai”. A esposa Verônica ficou emocionada durante toda cerimônia.

Seu Nele

Expressivo e popular. Assim podia ser definido seu Nele, que deu nome ao Centro Cultural da Pedra de Amolar. Bom conselheiro, amigo fraterno e solidário para com todos sem distinção. Acolheu vários indigentes; doou terreno para a construção da Capela São Francisco de Assis; e presidiu a instituição por vários anos. Participou de inúmeras pastorais. Teve 58 afilhados. Humilde, sempre teve como meio de transporte a sua bicicleta. Trabalhou na roça, teve engenho de cana e de farinha, serraria e bar. Foi vereador na década de 1960, época em que os vereadores não eram remunerados. Prestava serviços ao município por mérito e respeito aos que nele depositavam confiança, sem disputa de cargo ou favorecimento pessoal.

Câmara de Ilhota repassa sobra do duodécimo para Bombeiros

Câmara de Ilhota repassa sobra do duodécimo para Bombeiros

O saldo financeiro referente ao duodécimo recebido pela Câmara de Vereadores de Ilhota no ano de 2011 foi repassado ao Corpo de Bombeiros Voluntários da cidade. O valor de R$8 mil foi devolvido ao Poder Executivo Municipal sob a recomendação de que fosse entregue aos bombeiros, que desde 2005 atuam no salvamento de vítimas de incêndios e acidentes de trânsito na capital da lingerie e linha praia.

A recomendação foi indicada pelo presidente da Casa, vereador Luiz Peixe, PDT, aprovada por unanimidade pelos demais legisladores e atendida pelo prefeito da cidade, Ademar Felisky.

“Escolhemos repassar o valor aos bombeiros pois o trabalho que eles realizam é essencial para o bem estar da população de Ilhota. Esta é uma forma que encontramos de apoiá-los e ajudá-los”, explica o presidente da Câmara.

Vilmar Baptista, presidente da Associação dos Bombeiros Voluntários, destaca que o valor repassado pela Câmara é primordial para o funcionamento da entidade. “Todos os anos recebemos este valor, que ajuda nas despesas gerais do quartel. Conforme aumentam as ocorrências, também aumentam as despesas”, explica Expresso, como é conhecido na comunidade.

Voluntários

Atualmente, 45 bombeiros voluntários integram a corporação de Ilhota. entidade se sustenta com recursos repassados pelo Município, seja pelo poder Executivo ou Legislativo, e também através de doações feita pela própria comunidade, através da conta de energia elétrica. “Esta é uma grande parceria que temos e que muito nos ajuda. Só temos a agradecer a comunidade pela doação e por acreditar no trabalho que realizamos”, afirma o presidente da Associação.

Clube de Cinema Fora do Eixo no Grito Rock 2012

Bollywood Dream

Longa Bollywood Dream é a 1ª distribuição do Compacto.Cine

Compacto.Cine é um novo modelo de distribuição adotado pela DF5, através do qual serão lançados longas e curtas metragens independentes bimestralmente. O lançamento do projeto acontece justamente durante o Grito Rock e os filmes pretendem atingir coletivos, cineclubes e pontos exibidores por todo país!

Para iniciar o projeto foi escolhido o filme Bollywood Dream, de Beatriz Seigner. A narrativa envolve três atrizes brasileiras que decidem tentar a sorte em Bollywood, indústria cinematográfica da Índia. Entretanto, uma vez inseridas no coração da cultura indiana, seus sonhos se modificam pelo contraste entre o oriente e o ocidente, o ancestral e o novo, os valores individuais e os coletivos.

Bollywood Dream acaba de ser indicado em todas as categorias para o prêmio Sesc Melhores Filmes 2012.

Longa Bollywood DreamPara participar da campanha e exibir o longa na sua cidade você só precisa preencher o formulário de inscrição. Em seguida, a equipe do Clube de Cinema entrará em contato para compartilhar a ficha de sessão e o link para download do filme.

Qualquer dúvida que surja, não hesite em acessar os agentes do Clube de Cinema FDE, através do e-mail clubedecinema@foradoeixo.org.brPor enquanto, fique com o ótimo trailer.

PósTV

PosTV

Sexta campanha do Festival, a da PosTV estimula a integração online do grito ao vivo, no momento que ele é realizado na sua cidade, re-transmitindo shows, entrevistados; e integrando a comunicação web do festival. É idealizada pela Emissora Fora do Eixo, e atua para que cada Grito amplifique sua comunicação com o público online e com outros gritos, interagindo nas redes sociais.Para participar basta preencher o formulário e se cadastrar. A Universidade Fora do Eixo disponibilizou uma cartilha para transmissão ao vivo em vídeo, com o objetivo de capacitar agentes com noções básicas de audiovisual.

Com os dados do cadastro, a equipe de comunicação irá acompanhar o trabalho na área técnica e de geração de conteúdo online (integração com outras transmissões de gritos de outras cidades). Participe!

Obs* Caso a transmissão seja realizada com convidados, tenha mediação, divulgação prévia, vise a formação e aprofundamento do conhecimento; se caracterizando como DEBATE; é uma ação da campanha #9 Observatório No Grito.

Grito DOC

GritoDOC

A idéia geral da campanha Grito.DOC é estimular a experimentação geral de filmagem e expandir a produção do gênero documentário, produzindo vídeos das edições do Grito de maneira livre, cada realizador decide o formato para o seu filme utilizando gêneros como Videoclipes, Videopoemas, Videoarte, Videodança bem como Documentários de Ficção podem utilizar de interpretação e encenação como possibilidades de criação.

Uma das interfaces que o Grito.DOC pode realizar também é o diálogo com o material em foto e vídeo gerado pela Cobertura Colaborativa de cada edição do Grito. Os resultados produzidos pela campanha serão compilados para constituir um vídeo final, que será o documentário integrado de todo o festival.

Para inscrever a proposta de realização do Grito. DOC, leia o regulamento e preencha o formulário até o dia 14/02.

Downloads

Prefeitura pede ampliação da rede de energia elétrica da cidade

Vereador Calinho e a secretária de administração Ana Lúcia Wilvert

Jornal IlhotaA secretária de administração e finanças de Ilhota, Ana Lúcia Wilvert, juntamente com o vereador Calinho, realizou uma reunião nesta semana com a Celesc Itajaí para solicitar a ampliação da rede de energia elétrica pública na área central de Ilhota. “Este encontro se fez necessário para que possamos proporcionar alternativas para o desenvolvimento social, visando o atendimento de toda comunidade”, comenta Ana.

Quem recepcionou os representantes da cidade foi o gerente regional Omar Bernardino Rebello, que prometeu analisar o caso. Segundo o vereador Calinho, o projeto será muito útil, principalmente para o bairro Ilhotinha. “A comunidade cresceu muito nos últimos anos e há a necessidade de expansão da rede, já que o bairro encontra-se com uma crescente expansão no ramo imobiliário”. Conforme Ana, a “expansão da energia elétrica é um compromisso do governo do estado, mas a prefeitura está investindo neste serviço para atender todos com igualdade”.

Brusque passa Criciúma no ranking de repasse de ICMS. Joinville, Itajaí e Blumenau seguem na ponta

DinheiroBrusque passou Criciúma no ranking das cidades catarinenses que recebem o maior volume de recursos referentes a repasses do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A cidade do Vale, famosa por seu polo têxtil, foi contemplada em 2011 com R$ 58,0 milhões, uma variação de 17,31% se comparado ao ano anterior, contra R$ 55,8 milhões da cidade do Sul do Estado, cuja expansão foi de 12,71%. Esta foi a única alteração na lista dos dez municípios que recebem as maiores fatias, revela cruzamento de dados realizado pelo Noticenter a partir de dados da Secretaria da Fazenda de Santa CatarinaJoinville segue na liderança absoluta. A maior cidade catarinense recebeu no ano passado R$ 294,4 milhões, incremento de 15,98% em relação a 2010.

VALOR DO ICMS REPASSADO AOS MUNICÍPIOS CATARINENSES EM 2011

Pos. Cidade Valor ICMS(R$) Var
(%)*
1 Joinville 294.465.203,18 15,98
2 Itajaí 185.241.502,75 20,63
3 Blumenau 160.846.021,25 16,75
4 Jaraguá do Sul 133.525.915,88 16,14
5 Florianópolis 115.265.038,57 12,49
6 São José 71.084.197,69 18,01
7 Chapecó 70.776.151,36 19,08
8 Lages 61.862.855,69 13,75
9 Brusque 58.009.723,43 17,31
10 Criciúma 55.821.337,14 12,71
*Em relação ao repassado em 2010
Fonte: Secretaria da Fazenda do Estado de Santa Catarina

Itajaí, que em 2010 tomou o segundo lugar de Blumenau, abriu ainda mais vantagem. Os repasses ao município portuário no ano passado chegaram a R$ 185,2 milhões, acréscimo de 20,63%. Já a capital da cerveja se manteve na terceira posição, com R$ 160,8 milhões, crescimento de 16,75%. Jaraguá do Sul (R$ 133,5 milhões) e Florianópolis (R$ 115,2 milhões) completam a lista das cinco primeiras (veja na tabela ao lado as dez cidades que mais receberam repasses), as únicas cuja quantia ultrapassa a casa dos R$ 100 milhões.

São José (R$ 71,0 milhões), Chapecó (R$ 70,7 milhões) e Lages (R$ 61,8 milhões) são as outras três cidades que aparecem antes de Brusque e Criciúma na lista.

Palhoça registra o maior aumento entre as principais cidades

AS 5 MAIORES…

Pos. Cidade Valor ICMS
(R$)
Var
(%)*
1 Anita Garibaldi 6.778.971,58 140,73
2 Garuva 6.345.600,38 71,14
3 Iomerê 6.219.383,31 43,70
4 Palhoça 26.794.228,28 36,45
5 Arvoredo 3.665.612,03 34,15
*Em relação ao repassado em 2010
Fonte: Secretaria da Fazenda do Estado de Santa Catarina

Das 20 cidades que receberam os maiores valores referentes ao ICMS, Palhoça, na Grande Florianópolis, foi a que teve o maior incremento de 2010 para 2011: 36,45%, passando de R$ 19,6 milhões para R$ 26,8 milhões. A expansão é bem superior à da segunda colocada desta seleta lista, que é Itajaí (20,63%). Por outro lado, o crescimento mais acanhado foi de Tubarão, com 6,99% – de R$ 27,0 milhões para R$ 28,9 milhões.

Anita Garibaldi tem incremento de 140%

…E AS 5 MENORES VARIAÇÕES

Pos. Cidade Valor ICMS
(R$)
Var
(%)*
1 Ilhota 3.351.360,04 -11,17
2 Otacílio Costa 9.473.583,92 -5,28
3 Rio Negrinho 14.252.359,14 -2,23
4 Xaxim 17.206.671,56 -0,05
5 Timbó Grande 3.175.652,41 1,01
*Em relação ao repassado em 2010
Fonte: Secretaria da Fazenda do Estado de Santa Catarina

O cruzamento de dados realizado peloNoticenter revela que o município de Anita Garibaldi, na região Serrana, teve o maior crescimento no repasse de recursos do ICMS entre todas as cidades de Santa Catarina. Os valores passaram de R$ 2,8 milhões, em 2010, para R$ 6,7 milhões no ano passado, um expressivo incremento de 140,73%. O repasse à cidade, inclusive, já tinha crescido 70,91% de 2009 para 2010. O segundo maior aumento foi de Garuva, com 71,14% – de R$ 3,7 milhões para R$ 6,3 milhões.

Repasse a quatro cidades diminui

De todos os 293 municípios de Santa Catarina, apenas quatro viram os repasses referentes ao ICMS diminuírem no ano passado. Ilhota, no Vale, teve a maior baixa: -11,17%. Os valores caíram de R$ 3,7 milhões em 2010 para R$ 3,3 milhões em 2011. As outras cidades que contabilizaram queda foram Otacílio Costa (-5,28%), Rio Negrinho (-2,23%) e Xaxim (-0,05%).

Desde 2001, Joinville e Blumenau já receberam mais de r$ 1 bilhão cada

Somados os últimos 11 anos, Joinville já recebeu R$ 1,86 bilhão em recursos referentes ao repasse de ICMS. Blumenau, que superou a barreira do bilhão em 2011, totaliza R$ 1,06 bilhão. A partir do ano que vem, Itajaí vai passar a integrar esta lista, já que no somatório a cidade já contabilizou R$ 965,0 milhões.

Imobiliária devedora de IPTU quer despejar 700 famílias em Carapicuíba

IPTUA Favela do Savoy – que adotou o nome da empresa – já vive essa briga pela posse do local desde 2005, dois anos depois que as pessoas iniciaram a ocupação. Mas desta vez o prazo apertou e os moradores, que receberam no dia 25 de janeiro o aviso de reintegração, buscam acreditar nas promessas que lhes são feitas. A ação de reintegração de posse, marcada para 6 de março, pode dar vitória à Savoy Imobiliária Construtora na disputa do terreno de 66 mil metros quadrados.

Mais 700 famílias podem ficar sem moradia em um despejo marcado para o dia 6 de março em Carapicuíba, em São Paulo. A ação de reintegração de posse, marcada para às 6 horas, pode dar vitória à empresa Savoy Imobiliária Construtora na disputa do terreno de 66 mil metros quadrados. A empresa ficou marcada na CPI do IPTU, realizada em 2009 pela Câmara dos Vereadores de São Paulo, por ser o maior grupo devedor de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) da cidade, e provavelmente do Brasil.

A Favela do Savoy – que adotou o nome da empresa – já vive essa briga pela posse do local desde 2005, dois anos depois que as pessoas iniciaram a ocupação. Mas desta vez o prazo apertou e os moradores, que receberam no dia 25 de janeiro o aviso de reintegração, buscam acreditar nas promessas que lhes são feitas.

Segundo Tião, que mora lá, as famílias passaram a ter esperanças nas palavras do prefeito Sergio Ribeiro (PT), que prometeu, na campanha eleitoral, que este caso poderia ser resolvido quando ele assumisse a gestão da Prefeitura.

O prefeito Ribeiro explicou que desapropriou o terreno em 2009 por decreto, e hoje ele só poderá ser utilizado para construção de moradias populares. No entanto, segundo ele, a Prefeitura não consegue pagar os 6 milhões de reais estipulados como valor de 2011 do local. “Carapicuíba tem o menor orçamento per capta e ao mesmo tempo a terceira maior densidade demográfica do estado”, argumenta.

O petista, no entanto, demonstrou otimismo nas tratativas para a construção de casas do programa Minha Casa Minha Vida do governo federal em conjunto com o programa Casa Paulista, do governo estadual. Durante a construção das 1080 unidades previstas no projeto, o prefeito garante que a cidade abrigaria os moradores em terrenos provisórios.

Perguntado sobre a reintegração de posse, Ribeiro disse que “se ela for cumprida no dia 6, aí sim temos um grande imbróglio. Então não posso assegurar nada. Demos passos firmes e seguros, mas só vamos ter certeza do acordo no dia em que depositarem o dinheiro para compra do terreno”.

Já Tião, sobre a possibilidade das forças policiais retirarem as famílias do local, se coloca em silêncio um instante pra depois falar. “Nem casa eu procurei ainda. As famílias não conseguem nem alugar casas, não tem condições. A renda é muito baixa, o aluguel é alto. As pessoas que têm muitos filhos não conseguem empregos”, responde, encerrando o assunto.

Savoy

A CPI do IPTU, apesar de concluir que a empresa faz parte da lista dos maiores devedores, não conseguiu ser elemento suficiente para que a empresa Savoy pagasse definitivamente suas dívidas. Dono e administrador de grandes terrenos na grande São Paulo, no centro da cidade – alguns alugados pela Prefeitura de Kassab – e em regiões valorizadas como a Avenida Paulista – local de sua sede – o grupo questiona as suas dívidas na Justiça há mais de dez anos.

Em 2010 o grupo devia cerca de 56,8 milhões de reais, boa parte por conta dos shoppings da qual é proprietário. A empresa pagou este valor como forma de continuar suas atividades sem ficar como devedora. Mas quer reaver isso na justiça. Na visão da Savoy, depois da própria CPI os valores do IPTU passaram a ser lançados com menos erros. Otávio Caetano, assessor jurídico da empresa, falou que eles vencem a maioria dos processos e disse com risos que “a Savoy pode até estar na lista de devedores, mas bem longe do primeiro lugar”.

Em Carapicuíba, segundo o próprio prefeito da cidade, a empresa também deve impostos. E também questiona os valores, justamente do terreno em disputa. Ao colocar que a Savoy sempre teve aberta para as tentativas de negociação, Caetano se solidariza com as limitações financeiras da prefeitura. E joga pros moradores o problema do não pagamento de impostos. “O pessoal que tá lá usa serviço de saúde, educação, etc – às vezes até mais do que o normal pela falta de saneamento básico – mas não paga impostos”.

O assessor da Savoy vê pouca chance da verba federal vir pois a cidade não deve cumprir determinados pré-requisitos. E contou a sua versão da história da Favela do Savoy. Em 2005, numa das três tentativas de despejo que foi adiado, haviam menos de 100 famílias cadastradas pela polícia e “o problema é que quando você suspende [o despejo] dá mais força aos invasores e muitos se encorajaram para também entrar no terreno”. Ele disse nem saber o número atual de moradores no local.

“Nossa empresa tem uma experiência de controle de patrimônio muito rígido”, diz Otávio. Ele contou, na tentativa de mostrar em cifras a impossibilidade da empresa cancelar o despejo, que uma operação deste porte custa de 500 a 600 mil reais. “Essa invasão é diferente do Pinheirinho. O pessoal sabe que a ordem judicial é de reintegração. A empresa se dedicou para resolver por todos os meios, mas chega um momento que a solução é a lei, e a lei é a reintegração de posse”.

Enquanto os moradores esperam para saber seu destino, a empresa se esforça, em reuniões com a polícia, para efetivar mais uma vitória do “direito à propriedade privada” sobre o “direito à moradia”.

Escritos por Fábio Nassif