Bombeiros Voluntários de Ilhota atendem ocorrência em Itajaí

 

Jornal IlhotaBombeiros Voluntários de Ilhota prestam ajuda no combate ao incêndio no depósito de contêiner em Itajaí na tarde do dia 17/02/2012. Cerca de 80 bombeiros atenderam a ocorrência, que aconteceu na sexta-feira (17). Corporações de Itajaí, Navegantes, Brusque, Balneário Camboriú, Barra Velha, Itapema, Luiz Alves, Navegantes, Joinville e Ilhota estiveram no local. “A Infraero forneceu um caminhão especializado que utiliza espuma química para o combate ao incêndio. A aeronave do Corpo de Bombeiros também deu suporte à ação”, conta o sócio-proprietário do Jornal Ilhota, Dialison Cleber Vitti, que acompanhou toda a ação.

Os bombeiros de Ilhota foram acionados logo após que o fogo começou a ganhar dimensões maiores. “Estávamos prontos a deslocar nosso veículo de combate a incêndio, porém aguardávamos a confirmação do comandante da missão na ocorrência. Assim que solicitado, de imediato, deslocamos nossa ambulância, pois eram o que mais precisavam no momento”, explica o comandante operacional,  Helmut Aggens.

Anúncios

Bombeiros Voluntários de Ilhota ajudam no combate a incêndio em Itajaí

Bombeiros Voluntários de Ilhota ajudam no combate a incêndio em ItajaíJornal IlhotaO horário era de almoço, mas muitas pessoas não conseguiram fazer a sua refeição devido ao incêndio que tomou conta de um terminal de contêineres, no bairro Salseiros, em Itajaí. O galpão da empresa Embrareef/Embrafril, que armazenava óleo vegetal de cozinha, estava destelhado em função do forte vendaval que ocorreu na última semana, o que pode ter agravado a situação.

Cerca de 80 bombeiros atenderam a ocorrência, que aconteceu na sexta-feira (17). Corporações de Itajaí, Navegantes, Brusque, Balneário Camboriú, Barra Velha, Itapema, Luiz Alves, Navegantes, Joinville e Ilhota estiveram no local. “A Infraero forneceu um caminhão especializado que utiliza espuma química para o combate ao incêndio. A aeronave do Corpo de Bombeiros também deu suporte à ação”, conta o sócio-proprietário do Jornal Ilhota, Dialison Cleber Vitti, que acompanhou toda a ação.

Os bombeiros de Ilhota foram acionados logo após que o fogo começou a ganhar dimensões maiores. “Estávamos prontos a deslocar nosso veículo de combate a incêndio, porém aguardávamos a confirmação do comandante da missão na ocorrência. Assim que solicitado, de imediato, deslocamos nossa ambulância, pois eram o que mais precisavam no momento”, explica o comandante operacional,  Helmut Aggens.

Helmut afirma que, felizmente, não houve vítimas, apenas danos materiais. “Técnicos do corpo de bombeiros militar farão uma perícia no local para determinar as causas do incêndio”, afirma Roberto Carlos Merlini, bombeiro voluntário.

Não é a primeira vez que os Bombeiros Voluntários de Ilhota prestam atendimento a este tipo de ocorrência. “Em 2009 atendemos a ocorrência no incêndio ao terminal de carga da Portonave, em Navegante. Lá foi a maior ação que já prestamos em combate a incêndio”, ressalta Helmut.

Foram usados mais de 300 mil litros de água e 400 mil litros de uma espuma especial para conter incêndios que envolvem combustível inflamável.

Veja mais fotos do incêndio!

Continuem firmes. Salvem a Amazônia

Continuem firmes. Salvem a Amazônia

Neste exato momento, o governo da Bolívia está exercendo uma enorme pressão sobre as comunidades indígenas para aprovar a construção de uma mega-rodovia que passará por uma área protegida bem no coração da Amazônia. Mas estas comunidades estão lutando contra isso e nós podemos ajudá-las a resistir.

No ano passado, fizemos nossas vozes serem ouvidas em apoio a esscorajosas comunidades indígenas e juntos forçamos o presidente Morales a assinar uma lei que prometia preservar o parque natural do TIPNIS para sempre. Mas o governo, apoiado pelo Brasil e pelos interesses da poderosa indústria do petróleo internacional e dos produtores de coca, lançou uma contra-ofensiva para derrubar a lei. Agora eles estão tentando conduzir um processo de consulta falho a fim de neutralizar as vozes dos proprietários légitimos da terra e liberar a área para a exploração desenfreada e o desmatamento.

Tudo pelo que as comunidades indígenas lutaram está sob ameaça neste momento, mas eles estão planejando mais uma audaciosa marcha. Se organizarmos um protesto regional maciço, poderemos convencer o presidente Morales e seus aliados brasileiros a repensarem o projeto e criarem uma nova rota para a estrada em torno do parque. Assine a petição para salvar a Amazônia boliviana e, em seguida, divulgue-a para todos. A petição será entregue aos gabinetes de Evo Morales e Dilma Rousseff quando alcançarmos 500.000 assinaturas: http://www.avaaz.org/po/save_the_bolivian_amazon_es_1/?vl.

O parque do TIPNIS na Amazônia continua sendo um dos mais preciosos tesouros da América do Sul, famoso por suas árvores majestosas, fauna única e água fresca. Não é de se admirar que lhe tenha sido concedido o estatuto de área duplamente protegida – como Parque Nacional e como reserva indígena. Mas agora o seu futuro está em risco, e sua preservação ou desmatamento por completo dependerá se agirmos agora ou não.

Nos últimos 30 anos, a Bolívia perdeu mais de 5 milhões de hectares de floresta e o TIPNIS pode ser o próximo alvo. Estudos afirmam que se a mega-rodovia for construída, o território protegido desapareceria e mais de 600.000 hectares deixariam de existir em poucos anos. A parte mais assustadora é que 2 segmentos da rodovia estão em seu caminho, e as árvores já estão sendo derrubadas ilegalmente dentro da área protegida.

Povos indígenas locais, detentores do título coletivo de posse do território, têm lutado duramente para proteger seu parque e mantê-lo ileso do desmatamento. No ano passado, eles conquistaram um projeto de lei que declarou o TIPNIS como intocável, mas agora tanto o governo quanto a maioria dominante no Congresso estão usando todos os truques possíveis para implementar um processo de consulta falho, projetado para passar por cima das vozes das comunidades indígenas no TIPNIS e favorecer a minoria, incluindo os produtores de coca, que querem derrubar a floresta e construir a mega-rodovia.

O Brasil, principal financiador e construtor da estrada, disse que consideraria uma rota alternativa por conta das preocupações ambientais e sociais, mas agora está lavando as suas mãos de toda a responsabilidade, permitindo ao governo boliviano demolir a lei de proteção do TIPNIS e violar os direitos constitucionais dos povos indígenas. Mas essas corajosas comunidades estão reagindo e vão tomar as ruas novamente nos próximos dias. Vamos mostrar aos líderes do Brasil e da Bolívia que todos nós desta região apoiamos os indígenas para salvar o TIPNIS. Assine agora e divulgue para todos:
http://www.avaaz.org/po/save_the_bolivian_amazon_es_1/?vl.

No ano passado, quase meio milhão de membros da Avaaz de todo o mundo assinaram uma petição apoiando as comunidades do TIPNIS, cujos líderes marcharam durante semanas para se opor ao projeto da mega-rodovia. A nossa mensagem foi manchete, chegou aos principais ministros do governo e, finalmente, nós comemoramos uma vitória surpreendente quando o Parlamento aprovou uma lei para preservar o parque natural. Mas o TIPNIS está em perigo novamente – vamos ajudar a vencer essa batalha de uma vez por todas.

Com esperança, Luis, Laura, Emma, Ricken, Allison, Diego, Carol e o resto da equipe da Avaaz.

Mais informações

Ponte deverá ficar pronta em 2013

Ponte de Ilhota

Jornal IlhotaO cronograma aponta que as obras da ponte de Ilhota ficarão prontas em dezembro deste ano. No entanto, o prefeito da cidade, Ademar Felisky, prefere ser mais realista. “Não quero dar datas, pois inúmeros fatores podem modificar o previsto. Mas acredito que a conclusão venha só em 2013″, ressalta.

A travessia da margem esquerda para a direita do rio Itajaí-Açú deveria ter ficado pronta no final de 2011, mas a demora na aprovação do projeto executivo prorrogou a entrega para agosto de 2012, o que também não será cumprido.

De acordo com o secretário-adjunto da secretaria estadual de Infraestrutura, Paulo França, a liberação da Marinha de Itajaí e Florianópolis, necessária para poder trabalhar dentro do Rio Itajaí-Açu, já saiu. “O projeto executivo foi revisado conforme as novas diretrizes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e foi aceito”, comemora.

Na próxima etapa, os trabalhos ocorrerão efetivamente dentro do rio. Serão construídas vigas, além da fundação da ponte e o monitoramento do aterro e terraplenagem. O prefeito Ademar afirma que cerca de 25% da obra já está pronta. A expectativa é que os operários voltem a trabalhar até o fim deste mês.

A ponte custará R$32.535.928,11. A União é responsável por 80% do valor total e o estado de Santa Catarina, 20%. Entre ponte e acessos são 2,4km. Ao todo foram desapropriados 235 mil metros quadrados de terra. A previsão é que passem por cima da ponte, no primeiro ano, 5mil500 carros por dia. Por enquanto, os moradores se deslocam através de uma balsa, que é mantida pela prefeitura.