Participação de ONGs brasileiras na Parceria para Governo Aberto

Ongs

Com relação à nota emitida pela entidade Transparência Brasil (TB) a respeito da participação de ONGs brasileiras na Parceria para o Governo Aberto (OGP), a CGU esclarece que:

  1. Em 16 de junho de 2011, a iniciativa foi formalmente apresentada à Transparência Brasil durante a reunião do Conselho da Transparência e Combate à Corrupção, órgão consultivo e colegiado vinculado à CGU, do qual a entidade é membro integrante. Naquela oportunidade, o representante da Transparência Brasil presente, Sr. Antônio Augusto de Miranda, participou dos debates sobre a OGP, efetuando inclusive sugestões de pontos a serem inseridos como critério de avaliação dos países participantes.
  2. Em 29 de agosto de 2011, a CGU enviou e-mail ao Diretor-Executivo da Transparência Brasil, Sr. Cláudio Abramo, convidando-o para participar de reunião programada para ocorrer no dia 02 de setembro de 2011, com o intuito de discutir a OGP.
  3. Em 30 de agosto de 2011, o Sr. Cláudio Abramo respondeu o e-mail, informando que não iria comparecer. Na mesma data, encaminhou carta ao Ministro-Chefe da CGU apresentando sugestões acerca das posições a serem adotadas pelo Governo Brasileiro no âmbito da iniciativa e solicitando a inclusão da Transparência Brasil como membro do comitê diretor da OGP. Essa última, entretanto, não constitui providência ou decisão que caiba à CGU. O comitê diretor da OGP é constituído de governos de nove países e de nove entidades da sociedade civil que já se encontravam escolhidas e convidadas quando a CGU foi também convidada para a primeira reunião em Washington (EUA), em janeiro de 2011. A maioria delas é de âmbito internacional, sendo que a única entidade brasileira que ali se encontrava era o Inesc. A CGU não teria motivo algum para propor a exclusão dessa entidade brasileira, respeitada e conceituada por longos anos de atividade.
  4. As regras da OGP, pactuadas entre os membros fundadores (nove governos e nove ONGs), aprovadas na reunião de ontem do comitê diretor, preveem que caberá à própria sociedade civil, sem qualquer interferência dos governos, escolher seus representantes para os próximos períodos no comitê diretor. O sistema de renovação será progressivo, devendo ser substituídas três das nove ONGs atuais, quando da próxima conferência em março de 2013, a ser realizada em Londres.
  5. Em 25 de novembro de 2011, a CGU enviou novo convite ao Secretário-Executivo da Transparência Brasil para participar, em 07 de dezembro de 2011, de mais uma reunião que trataria da OGP e do Plano de Ação Brasileiro, sem, no entanto, receber qualquer resposta por parte da entidade.
  6. Quanto à participação da sociedade civil na formulação dos compromissos do Plano de Ação Brasileiro, a CGU pretende que ela seja a mais ampla possível. Esse processo já se iniciou, reuniões foram realizadas, inclusive as acima mencionadas, e várias ONGs aceitaram nosso convite e contribuíram com suas ideias. Como os planos dos países são dinâmicos, estão previstas revisões anuais, e para isso serão colhidas sempre sugestões da sociedade civil. Amanhã, por exemplo, estará ocorrendo uma ampla reunião com a participação de dezenas de ONGs, dentre as quais o Inesc, a Transparência Hacker, a Artigo 19, o MCCE, o Ibase, o Idec, o W3C e a Conecta, para avaliar o plano brasileiro e sugerir outros mecanismos de participação da sociedade civil.
  7. Por outro lado, ressalte-se que a participação na conferência de hoje em Brasília era livre a qualquer pessoa ou entidade. Tanto assim que um representante da entidade Transparência Brasil se inscreveu para participar.

Em conclusão, a CGU não pode nem quer ser o juiz da legitimidade de qual (quais) das ONGs brasileiras devem ter assento no Comitê Diretor da OGP no âmbito internacional. Para tanto, a TB terá que buscar esta legitimidade junto às demais ONGs brasileiras e internacionais que estão democraticamente participando do processo.

 

Anúncios

O veneno está na mesa

Assista ao vídeo completo e assustador “O Veneno Está na Mesa” e depois se mate antes que os defensivos agrícolas farão isso por você! O veneno posto à mesa vai pra dentro de você! Esta campanha contra os ofensivos agrícolas no Brasil. Documentário de Silvio Tendler. “Desde 2008 o Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxicos”. Estamos comento veneno!

A primeira foto de um ser humano

A primeira foto de um ser humano

Robert Cornelius era um jovem estudante de química e metalurgia. Quando concluiu seus estudos foi trabalhar com a família, por volta de 1831. Especializou-se em revestimento de prata e polimento de metal.

Por ostentar a fama de ser um grande químico, foi procurado por Saxton para fazer uma placa para seu daguerreótipo, e então surge seu interesse pela fotografia. Tanto, que largou o trabalho com seu pai para se dedicar ao aprimoramente de técnicas fotográficas.

A foto acima é considerada a primeira tirada de um ser humano, um auto-retrato ao lado da loja de sua família em 1839. A imagem com os braços cruzados e os cabelos desgrenhados eram algo de pura rebeldia para a época.

Eu preciso de você!

Eu preciso de você!

Eu preciso que você me olhe!

Eu preciso que você me escute!

Eu preciso que você me perceba!

Eu preciso que você me queira!

Eu preciso que você me considere!

Eu preciso que você me espere!Quando você não me vê eu perco o meu brilho!

Quando você não me ouve eu perco o som da vida!

Quando você não me nota eu perco a imagem de mim!

Quando você me abandona eu fico sem rumo!

Quando você me despreza eu fico sem esperança!

Quando você vai muito rápido eu fico sem fôlego!

Eu não sou dependente de você, mas você pode me ajudar com o que você é com aquilo que você faz!

Você é demais!

Dá-me neste dia um pouquinho de você para mim!

Poema de Ainor Francisco Lotério

Fim à Escravidão no Brasil

Fim à Escravidão no Brasil

Em poucos dias, o Congresso pode votar uma histórica reforma constitucional que pode punir pessoas que mantenham escravos e confiscar terras onde forem encontradas pessoas escravizadas para reforma agrária. É a legislação mais forte que já propuseram para lutar contra o flagelo do trabalho escravo no Brasil.

É inaceitável que, no século 21, o horror da escravidão ainda assombra todos os cantos do país — à medida que centenas de milhares pessoas são escravizadas atualmente. No mês passado, adultos e crianças foram resgatados de uma fazenda cujo proprietário era um deputado estadual! Eles moravam em pequenas barracas e bebiam da mesma água suja que as vacas e outros animais.

Agora é hora de agir. Nosso protesto em todo o país pode forçar o Congresso a fazer os donos de fazenda pagarem o preço por torturarem ou escravizarem seus concidadãos. Clique abaixo para se juntar e construir um protesto ensurdecedor antes da Avaaz se reunir pessoalmente com o Presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, para entregar nossa mensagem: http://www.avaaz.org/po/stop_slavery_in_brazil/?vl.

Os livros escolares nos ensinam que a escravidão foi abolida há 124 anos pela princesa Isabel, mas a verdade é que ainda hoje há pessoas que vivem na escravidão — os mais pobres de nós são levados a acreditar em empregos prósperos, mas acabam arriscando suas vidas em plantações de cana-de-açúcar, carvoarias, criação de gado, prostituição e outras atividades. Muitas vezes eles são literalmente forçados a trabalhar com uma arma apontada para suas cabeças.

Uma chave para acabar com a escravidão está prestes a ser entregue ao Congresso. Vamos abafar o lobby dos ruralistas, que querem acabar com essa PEC, e aumentar o coro retumbante para derrotar o vergonhoso mercado da escravidão do Brasil de uma vez por todas. Assine a petição e encaminhe para todos: http://www.avaaz.org/po/stop_slavery_in_brazil/?vl.

Cada vez mais, vemos que o poder popular pode fazer o impossível. A escravidão é uma crise que afeta todo o planeta e temos uma chance de encabeçar a abolição. O Congresso deu o primeiro passo, agora podemos ajudar a alcançar um Brasil livre de escravos.

Com esperança, Pedro, Emma, Diego, Laura, Carol, Ricken e toda a equipe da Avaaz.

Mais informações

Diálogos Globais trata questões da Cúpula dos Povos

A chuva pode ter esfriado a mobilização de outro evento no domingo, dia 22, no Rio de Janeiro, mas não desencorajou os ambientalistas do Dialógos Globais. Na reunião, participantes dialogaram sobre as pautas da Cúpula dos Povos, evento que acontecerá de 15 a 23 de junho, no Aterro do Flamengo, paralelo à Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável.

O encontro, que ocorreu no Museu de Arte Moderna (MAM), teve rodas de debates sobre as questões ambientais que serão abordadas daqui a dois meses e celebrado o Dia da Terra.

Em entrevista ao jornal O Globo, Augusto Gutierrez, membro do Grupo de Trabalho do Rio de Janeiro de mobilização para a Cúpula dos Povos e coordenador do movimento Diálogos Globais, frisou a importância de um diálogo global e simultâneo com as mesmas pautas.

— Queremos discutir soluções para o planeta. Nosso objetivo é trazer para rua conversas sobre o futuro que queremos juntos. A intenção não é preparar um documento para os chefes de estado que virão para a Rio+20. Acreditamos na multiplicação das práticas sustentáveis e no papel de cada indivíduo nessa mudança, revelou.

Cúpula dos Povos

A expectativa da organização é de que a Cúpula dos Povos reúna cerca de 30 mil pessoas por dia. Trata-se de uma oportunidade rara de dialogar com outras organizações e indivíduos sobre justiça social e ambiental, contra a mercantilização da vida e em defesa dos bens comuns.

Como participar da Cúpula dos Povos?

O prazo de inscrições para as atividades e para imprensa durante a Cúpula dos Povos vai até 5 de maio. É preciso detalhar ao máximo as atividades propostas para que a organização possa garantir a fluidez e logistíca necessária ao espaço e a ação.

As inscrições individuais – para pessoas que desejam participar do evento – ainda não foram disponibilizadas. Os interessados nesse tipo de participação devem ficar atentos aos site do evento e as notícias veículadas na imprensa e nas redes.

Menina mulher

Menina mulher

Quando recebo seus posts no facebook…

… pareces uma menina!

Que num passe de mágica viras mulher.

 

Uma mulher maravilhosa, encantadora…

Atraente e cheia de luz!

Que com seus encantos…

Embriaga-me, e me seduz.

 

Quando penso em você

Penso no amor

E saibas que naquela noite…

Não pode dormir.

Tal o fascínio que produzi-se…

…em mim.

 

Até porque você pode não…

… acreditar!

Mas o seu jeito de ser

É de se apaixonar.

 

Pensando em você…

Penso no seu beijo.

E nas carícias que entre nós existe.

Pois é um prazer sempre…

… renovado!

Até porque ele sempre existe.

Vivaldo Terres

O governo roubou o útero delas

O governo roubou o útero delas

O ditador do Uzbequistão está forçando médicos a removerem os úteros de mulheres sem o conhecimento ou consentimento delas para promover o “controle de natalidade” em todo o país. É um crime perverso e sangrento contra as mulheres orquestrado por um homem poderoso e abominável. Chegou a hora de acabar com isso.

Islam Karimov é um dos piores ditadores do mundo e até mesmo já cozinhou ativistas da oposição vivos. Mesmo assim, ele é financiado com milhões de dólares pelo governo dos EUA, que lhe pagam pelo transporte de tropas militares através do Uzbequistão. Essa última rodada de brutalidade, dessa vez contra as mulheres de seu país, trouxe à tona, numa escala global, as atrocidades desse monstro. Vamos usar esse momento terrível para persuadir seu maior financiador e dar um fim em Karimov.

A Secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, pode restabelecer sanções militares e pressionar os EUA e outros poderes a apoiá-la. Ela já condenou publicamente Karimov por abusos de direitos humanos e esse mais novo recente ataque às mulheres — um assunto que lhe é caro — somente torna a situação mais grave. Assine a petição abaixo exigindo que Hillary acabe com o reinado de Karimov e pare o ataque brutal às mulheres: https://secure.avaaz.org/po/uzbekistan_sterilisation_meme/?vl.

Ativistas estimam que dezenas ou mesmo centenas de milhares de mulheres foram esterelizadas em segredo quando estavam no hospital para procedimentos de rotina ou para dar a luz — acordando da mesa de cirurgia sem ter ideia de que seus úteros tinham acabado de serem removidos. Uma ginecologista uzbeque admitiu, “A todo médico é dito… quantas mulheres ele deve esterelizar… minha cota é de quatro mulheres por mês”. O uso de prisões arbitrárias e de tortura é tão generalizado que as mulheres não se manifestam por medo de represálias, e jornalistas estrangeiros e ativistas de direitos humanos são frequentemente expulsos do país.

Não tem que ser assim — os EUA podem ser duros com Karimov, que depende do constante fluxo de recursos que transitam para o Afeganistão para financiar seu estilo de vida pródigo. O show de horrores de direitos humanos no Uzbequistão sumiu dos radares por anos — mas temos uma chance real de acabar com o silêncio agora, usando a reportagem explosiva da BBC que entra em detalhes sobre as esterilizações forçadas e apoiando as corajosas mulheres uzbeques que ousaram contar suas histórias diante da opressão colossal.

Junte-se ao chamado pela vitória da justiça e dos direitos humanos nesta guerra que foi declarada contra as mulheres. Assine a petição para Hillary Clinton: https://secure.avaaz.org/po/uzbekistan_sterilisation_meme/?vl.

Cada vez mais, os membros da Avaaz apoiam os direitos das mulheres ao redor do mundo. Vamos nos unir agora e recordar os EUA que a opção entre direitos humanos e interesse nacional é uma falsa escolha — e que continuaremos a lutar pelos direitos das mulheres onde quer que elas sejam ameaçadas.

Com esperança e determinação, Stephanie, Pedro, Morgan, David, Emma, Ricken, Lisa, Wissam e toda a equipe da Avaaz.

Mais informações

Numa rua deserta

Numa rua deserta

Uma noite, numa rua deserta…

Encontrei um poeta tristonho a recitar!

Seus versos tristes lembrando saudade…

De alguém que o deixou, e que jamais voltara…

 

 

O jovem chorava com dor comovente

Seu peito ardente de dor o consumia!

Com tanta tristeza o pobre coitado,

Estava morrendo da dor que sentia.

 

Aproximei-me dele com muito respeito…

Falei-lhe também o que me ocorria!

Dizendo que as mágoas que tinha no peito…

Eram as mesmas que ele sentia!

 

Falei da lembrança da jovem donzela…

Que um dia por ela perdi a razão,

Cansado e doente num quarto trancado…

Implorei seu amor!

Ela disse-me não!

 

Tentei suicídio, fiquei quase louco!

Perdi o conforto e a saúde também…

Assim como tu…

Oh pobre poeta!

Eu vivo na rua sendo um João Ninguém!

Escrito por Vivaldo Terres

Vídeos do Profissão Repórter sobre a tragédia de novembro/2008

Confira em três partes os vídeos postados no youtube da reportagem que foi ao ar no Profissão Repórter, quadro jornalístico (não sei se ainda existe) na Globo, nos tempos da tragédia de novembro/2008 e que envolveu todo estado catarinense, principalmente o Vale do Itajaí e o município de Ilhota. Não deixe de assistir!