19 lombadas Eletronica de Navegantes a Rio do Sul

19 lombadas Eletronica de Navegantes a Rio do Sul

A nossa e Bela Santa Catarina, já não parece tão mais bela, visto que a rodovia que rasga a floresta e une o interior ao litoral está doente, pois está pipocada de lombadas eletrônicas”.
No trecho que liga Navegantes (km 3,9), a Rio do Sul (km 143), foram instaladas 19 lombadas eletrônicas, sendo a média de uma lombada a cada 7,32km, ainda tem mais, a polícia rodoviária fica em trechos mais longos inclusive a noite com radar móvel (para pegar mais dinheiro do povo quer dizer mais infratores, pois eles não tem interesse algum em pegar dinheiro do povo),  diga-se de passagem “é um absurdo”,  mais um roubo para o governo descaradamente.

Tanto se pode falar, mas acho que só perderia meu tempo, pois não tenho esta didática, mas me revolto contra estes absurdos e ninguém faz nada, todos cruzam os braços e simplesmente falam, “é lei federal fazer o que?”. Gostaria  de houvir mais opiniôes e se possível alguém que levasse mais  a sério e fizese críticas que aparecessem mais nos jornais e televisão, talvez assim alguns políticos tomassem vergonha na cara  e lutassem pela doença da Nossa e Bela Santa Catarina.

Anúncios

Cartório Eleitoral divulga lista dos candidatos de Ilhota

lucas e vanildo

O cartório eleitoral da 64ª zona eleitoral de Gaspar, divulgou a lista de candidatos a prefeito e vereador em Ilhota, ao qual foram oficializados. Para prefeito, concorrem à vaga dois candidatos. Já para as vagas de vereador, estão concorrendo 39 candidatos a menor relação da história política moderna no município. Um deles o vereador e candidato a reeleição Roberto Prebianca está com a sua ficha suja e responde a processo no TRE/SC que julgará sob sua candidatura. Confira abaixo a relação de candidatos da cidades:

Vaga: Prefeito

15 – PMDB

  • Prefeito: Lucas Gonçalves
  • Vice-prefeito:Vanildo Reichert 15

Coligação Juntos vamos mudar

  • Partidos: PP, PDT, PT, DEM, PSDB, PSD
  • Prefeito: Daniel Christian Bosi
  • Vice-prefeito: Lauri Armindo Adão Junior 55

Vaga: Vereador

Partido: 15 – PMDB

  1. Raul Fernando dos Santos – 15000
  2. Paulo Vilmar Batista – 15600
  3. Lucia Helena de Freitas Wust – 15610
  4. Carlos Henrique – 15615
  5. Elizabete Burin – 15620
  6. Sandra Regina da Silva – 15640
  7. Luiz Fischer – 15650
  8. Francisco Domingos – 15670
  9. Lavino Miguel Nunes – 15680
  10. Almir Anibal de Souza – 15690

Partido: 11 – PP

  1. Gilberto de Souza – 11011
  2. Amarildo Avelino Laureano – 11155
  3. Ilário Pelz – 11111
  4. Clarice da Silva – 11222
  5. Roberto Prebianca – 11456
  6. Bruna Carla da Silva – 11999

Partido: 55 – PSD

  1. Alyne Cristina Debrassi Silva – 55000
  2. Alex Luis Mengarda – 55055
  3. Maria Idalina Conciani – 55111
  4. João Roberto Vieira – 55123
  5. Viviane Marcelino – 55333
  6. Jose Vanildo Candido – 55550
  7. Paulo Roberto Fischer – 55555
  8. Osmar Antonio Minuzzi – 55630
  9. Pedro Geronimo de Oliveira Neto – 55640
  10. Hamilton Schat – 55678

Coligação: Ilhota para todos

Partidos: PDT, PT, DEM, PSDB

  1. Jose Antonio Lessa – 12650
  2. Pedro Roberto Deschamps – 12655
  3. Juliana de Souza – 12660
  4. Carlos Alexandre Aguiar – 13000
  5. Nelson Leal – 13333
  6. Marcos Angioletti – 25555
  7. Laurinei Xavier – 45000
  8. Marilene da Cunha Jaco – 45100
  9. Renato Pedro Hostins – 45210
  10. Maristela Paulo – 45455
  11. Fabricio Pereira – 45555
  12. Paulo Roberto Drun – 45777
  13. Mairto Machado – 45999

Governo do Estado complementa o Bolsa Família com o cartão Santa Renda

Cartão Santa Renda

O Governo do Estado vai efetuar o complemento do programa Bolsa Família, do Governo Federal, às pessoas com renda inferior a R$ 70 mensais per capita. Com o Santa Renda, os beneficiários terão os recursos repassados pelos governos Federal e Estadual em um único cartão. O acordo foi assinado nesta quinta-feira, 5, em cerimônia realizada no Centro Integrado de Cultura – CIC, em Florianópolis. Participaram do ato o governador Raimundo Colombo; a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS, Tereza Campello; a ministra das Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvati; e o secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação – SST, João José Cândido da Silva.

Santa Catarina passa a ser o 15º estado a aderir ao complemento da transferência de renda e a meta é ser o primeiro a erradicar a extrema pobreza no país até 2014. O Santa Renda integra o Plano Santa Catarina sem Miséria, que prevê outras ações sociais. Além da transferência de renda, estão previstas a inclusão produtiva, a ampliação dos serviços públicos de assistência social, o resgate da cidadania, a recuperação dos laços comunitários e a elevação da renda das famílias.

O repasse do Governo do Estado está previsto em duas etapas: na primeira, em janeiro de 2013, serão atendidas 13.808 famílias ou 56.613 pessoas de 150 municípios com investimentos previstos de R$ 16,1 milhões/ano. Na segunda etapa, em janeiro de 2014, serão aplicados R$ 32,6 milhões/ano para atingir os 293 municípios catarinenses e atender a uma população de 115,6 mil pessoas ou 28.204 famílias.

Para receber os recursos do Santa Renda, o cidadão catarinense deverá procurar um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) ou a Secretaria de Assistência Social do município e fazer a inscrição no Cadastro Único (CadÚnico). Se, ao receber o dinheiro do Bolsa Família, o valor for inferior a R$ 70 mensais por pessoa, automaticamente o Governo do Estado pagará o valor da diferença.

O governador Raimundo Colombo afirmou que o Governo do Estado avançou bastante, mas é preciso melhorar ainda mais. “Vamos aumentar os recursos para a assistência social no orçamento do Governo em 2013”, assegurou. “É dever do Estado ajudar os cidadãos a conquistar a independência e trabalhar com eficiência para oferecer condições de desenvolvimento social”, disse.

Durante a cerimônia, o secretário extraordinário para a Superação da Extrema Pobreza do MDS, Tiago Falcão Silva, mostrou os resultados do Brasil sem Miséria que completou um ano em junho. “Tivemos melhorias consistentes e relevantes em todas as faixas de renda. Mas o país ainda tem grandes desafios”, salientou. Silva destacou que 16,2 milhões de pessoas foram identificadas no país com renda inferior a R$ 70 mensais por pessoa. “Precisamos fazer uma grande mobilização de busca dessas pessoas, porque é o Estado chegando onde a pobreza está”, ressaltou.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Tereza Campello, afirmou que os municípios são grandes parceiros nas ações do governo federal e que o aumento nos gastos sociais têm ajudado o país a crescer. “A inclusão é uma das formas de crescimento. O Brasil sem Miséria avança no conceito de busca ativa para fortalecer o Cadastro Único. Precisamos levar não só o Bolsa Família a estas famílias, mas oportunidades”, declarou.

O secretário da SST, João José Cândido da Silva, ressaltou que, além de alocar recursos para complementar o Bolsa Família, é preciso oferecer oportunidade de conhecimento a estas pessoas. “Com uma profissão digna, esta população conseguirá sair da extrema miséria”, disse. Cândido da Silva mostrou às autoridades os projetos previstos para atender a esta parcela da população, dentre os quais o Programa Nacional de Ensino Técnico e Emprego – Pronatec, que oferece mais de 15 mil vagas em cursos gratuitos de qualificação.

Adesão a programa federal de combate ao crack traz R$ 47,5 milhões para tratamento de usuários e prevenção

Crack, é possível vencer

Santa Catarina aderiu nesta quinta-feira, 5, ao programa federal “Crack, é possível vencer”. A parceria com o Governo Federal destinará ao Estado R$ 47,5 milhões para aumentar a rede de serviços de tratamento de saúde e atenção aos usuários de drogas. As medidas também incluem ações de enfrentamento ao tráfico e a ampliação de atividades de prevenção. O Governo do Estado articula uma parceria de combate a um dos principais problemas da sociedade, como aponta o governador Raimundo Colombo. “O avanço das drogas, além da dor que causa nas famílias dos dependentes, fez os níveis de criminalidade darem saltos imensos. Há 20 anos, tínhamos quatro mil detentos no Estado. Hoje, já são mais de 18 mil presos. A grande maioria deles é composta por homens jovens e envolvidos com o tráfico”, afirma Colombo.

A ministra de Desenvolvimento Social, Tereza Campello, participou da solenidade que oficializou a entrada de Santa Catarina no programa. O estado catarinense é o sétimo no país a aderir à iniciativa. “É importante e é possível vencer o crack, mas só vamos conseguir trabalhando de forma conjunta e integrada”, destacou a ministra. Florianópolis também foi incluída no programa. A adesão do município foi assinada pelo prefeito Dário Berger.

O secretário da Assistência Social Trabalho e Habitação, João José Cândido, também participou da cerimônia, assim como os secretários da Segurança Pública, César Grubba; da Justiça e Cidadania, Ada de Luca; e da Saúde, Dalmo Claro.

As mudanças em Santa Catarina

No Estado, para as ações de saúde e atenção aos usuários, serão cinco Centros de Atenção Psicossocial (CAPs), que funcionarão 24 horas, sete dias por semana. Também vão ser criadas dez novas unidades de acolhimento (sete para adultos e três para crianças e adolescentes) e oito consultórios nas ruas, em um aumento de 280 leitos ao todo para tratamento.

Atualmente, existem 85 Centros de Referência Especializada em Assistência Social (Creas) em 81 municípios de Santa Catarina, com capacidade para atendimento de 4.570 famílias por mês. Com o programa, serão implantados mais seis unidades, ampliando a capacidade de atendimento em 360 famílias por mês. Também haverá aumento no repasse mensal dos dois Creas de Florianópolis, de R$ 26 mil para R$ 36 mil.

Já para os Centros de Referência Especializados para Pessoas de Situação de Rua (Centros POP), a capacidade será ampliada em uma unidade, para o município de São José. O Estado conta atualmente com três Centros POP, que atendem até 240 famílias por mês. O centro da Capital passa a contar com novos valores de repasses, de R$ 13 mil para R$ 23 mil.

O Serviço de Acolhimento para População em Situação de Rua também terá novos valores: passou de R$ 10 mil para R$ 30 mil, visando o atendimento de 50 mil pessoas.

Prevenção

Ações voltadas para a escola e a comunidade terão investimento direto da União na ordem de R$ 1,3 milhão. Até 2014, a proposta é ofertar 5,54 mil vagas em capacitações presenciais e a distância para profissionais do Estado. Entre eles, estão 1,9 mil educadores e policiais, 550 profissionais de saúde e assistência social, 550 operadores de direito, 420 profissionais que atuam em comunidades terapêuticas e 420 lideranças religiosas.

Segurança Pública

O total de investimentos do Governo Federal para a segurança, por meio da parceria, será de R$ 7,6 milhões. O valor será utilizado na aquisição de quatro bases móveis equipadas com sistema de videomonitoramento, 80 câmeras fixas, quatro veículos, quatro motocicletas e 800 armas não letais, como tasers. O recurso também será investido na capacitação de 160 profissionais da segurança pública, para atuarem nas cenas de uso de crack e outras drogas. O objetivo é aumentar o policiamento ostensivo e de proximidade nas áreas de concentração de uso de drogas.

Rumo a 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente

9ª Conferência Nacional da Criança e do Adolescentes

Esta semana estaremos embarcando para a capital federal, onde nos dias 11 a 14 participaremos como delegado eleito da conferência estadual da 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente em Brasília na representação de conselheiro do conselho municipal de direitos da criança e do adolescente. Participei de todas as etapas do processo, desde a etapa municipal, e tirado como delegado da regional e estadual. Será uma experiência única que compartilharemos com o meu município os conhecimentos adquiridos e ampliaremos as políticas de atendimento. Participarei da conferência junto com a amiga Patrícia Machiavelli ThomazO tema desta conferência é Mobilizando, implementando e monitorando a política e o plano decenal de direitos das crianças e adolescentes nos Estados, Distrito Federal e nos Municípios.

A conferência

A 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente marcada para 11 a 14 de julho de 2012 debaterá a Política Nacional e o Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente que passou por consulta pública ano passado e está em fase de finalização. A formulação deste tema foi o objetivo na 8ª edição do evento. Este ano o objetivo geral é continuar mobilizando grupos que constituem o sistema de garantia de direitos e a população em geral para implementação e monitoramento, portanto, da política e do plano. A Conferência está sendo construída sob 5 eixos estratégicos: 1) Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes; 2) Proteção e Defesa dos Direitos, 3) Protagonismo e Participação de Crianças e Adolescentes, 4) Controle Social da Efetivação dos Direitos, 5) Gestão da Política Nacional dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes.

A inovação da metodologia deste ano está na participação das(os) adolescentes em todas as etapas da Conferência: organização da Nacional, estaduais e municipais. A expectativa da Comissão Organizadora é receber cerca de 800 adolescentes em julho de um total de 3 mil participantes. As etapas municipais, livres, territoriais e regionais aconteceram de agosto a novembro, enquanto que as estaduais serão de fevereiro a maio de 2012.

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) e a Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNPDCA), após a 8ª Confêrencia Nacional, criaram um grupo intersetorial formado por 13 Ministérios e quatro conselheiros da sociedade civil. A partir das 68 diretrizes aprovadas, elaborou os princípios, as diretrizes e os objetivos estratégicos do Plano Decenal. Todo o processo de conferências 2011-2012, que se iniciou com as municipais, está sendo pautado pela discussão dessa elaboração tendo em vista três focos principais: sua mobilização, implementação e monitoramento.

A 9a CNDCA é promovida pelo Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), órgão paritário criado em 1991, que, por meio da gestão compartilhada, governo e sociedade civil definem, no âmbito do Conselho, as diretrizes para a Política Nacional de Promoção, Proteção e Defesa dos Direitos de Crianças e Adolescentes. Além disso, fiscaliza as ações executadas pelo poder público no que diz respeito ao atendimento da população infanto-juvenil.

O Conanda, órgão colegiado da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República, fica no Setor Comercial Sul, Edifício Parque Cidade Corporate, Bloco B , Quadra 09, Lote C, Torre A, 8º andar, 70308 – 200, Asa Sul, Brasília (DF).

Mais informações

Acompanhem as coberturas educomunicativa feitas por crianças e adolescentes de todo o país nas estapas estaduais e nacional. Dois grupos parceiros estão realizando as formações dessas meninas e meninos: Rede Andi e Viração Educomunicação.