Ministério da Saúde avalia positivamente serviços prestados pela prefeitura

Unidades Báscias de Saúde Padre Carlos Guesser do CentroBanner da Prefeitura de Ilhota - Assessoria de ImprensaNa semana passada, representantes do Ministério da Saúde vieram a Ilhota avaliar os serviços prestados pelo Estratégia de Saúde da Família – ESF (antigo Programa Saúde da Família –PSF). Os 11 auditores da instituição analisaram a equipe 01 Unidade de Saúde do Baú, equipe 02 da Unidade de Saúde Central e a equipe 03 da Unidade de Saúde Pedra de Amolar.

A avaliação consistia em quatro conceitos: muito satisfatório, satisfatório, regular e insatisfatório. Ilhota recebeu as melhores notas da região, sendo dois satisfatórios e um muito satisfatório. “Tenho certeza que surpreendemos os auditores. Mesmo sendo uma cidade pequena, mostramos a eles que somos organizados e prezamos pela saúde da nossa população”, explica a secretária de saúde, Jocelene da Silveira.

A vistoria faz parte do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica, que procura induzir a instituição de processos que ampliem a capacidade das gestões federal, estadual e municipal, além das equipes de Atenção Básica, em ofertar serviços que assegurem maior acesso e qualidade.

A Culpa não é sua!

A Culpa não é sua!

Nos últimos dias, temos sido bombardeados aqui no Espírito Santo com propagandas do Governo do Estado sobre a questão das drogas. Está na televisão, no rádio, nos outdoors por todo canto.

Acho louvável que o Estado se preocupe com campanhas, é preciso realmente que a nossa sociedade tenha vários esclarecimentos sobre o uso destas substâncias, mas acredito que a coisa não está andando da melhor forma, por isso decidi escrever algumas coisas.

Uma parte das mídias defende o diálogo familiar como forma de instruir os filhos sobre os riscos das drogas. Outra parte se concentra na responsabilidade pessoal pela escolha de usar entorpecentes. Nada demais até então, se não fosse o fato de que a imagem do drogado surge sempre como um zumbi, um morto-vivo em estado de decomposição.

Não estou exagerando. Pretendendo gerar um pavor no usuário (ou pretendente a usuário), as propagandas colam uma imagem do drogado que mais parece um filme de terror, como se usar droga fosse a pior sensação do mundo. Ora, uma coisa é indiscutível: as drogas trazem prazer.

Acredito que enquanto estivermos querendo trazer mensagens sobre os perigos das drogas associando sempre a algo pavoroso, certamente não serão alcançadas largas cifras da população pelo simples fato de que qualquer pessoa que experimente se entorpecer percebe que a sensação é boa.

Logo, pelo contrário, acredito que uma mensagem mais eficaz seria trabalhar o fato de que o prazer das drogas, em alguns casos, acaba gerando um dependência problemática. É por aí. Agora, dentre as propagandas apresentadas pelo Governo do ES, uma delas despertou em mim maior indignação. Preciso me ater um pouco sobre a questão. Trata-se da que tenta incutir no usuário a responsabilidade pela violência social. Que vergonha alheia.

Como consta na imagem que apresento no início deste post: “De cada 100 homicídios ocorridos no Espírito Santo, cerca de 70 estão diretamente ligados ao tráfico de drogas. Quem compra drogas acaba financiando a violência. E um dia você pode ser vítima dessa mesma violência. Pense nisso”.

Ora, costumo perguntar aos meus alunos em sala de aula: por acaso vocês já viram notícia de algum vendedor de cerveja andando com metralhadora? Por acaso já toparam com algum comerciante de cigarro com granada e escopeta?

É claro que não, e isso se dá justamente porque estes são comerciantes de entorpecentes legalizados. Logo, se é certo que vários crimes estão correlacionados com o dinheiro e o poder do comércio varejista de drogas ilícitas, é preciso que a sociedade saiba que isto está profundamente relacionado com uma opção política do Estado brasileiro: a criminalização da venda de drogas.

Uma boa parte da sociedade adora entorpecer-se. Alguns optam pelas drogas lícitas (álcool, principalmente), outros pelas ilícitas. Naturalmente, a massa de consumidores das drogas ilícitas precisa adquirir seus produtos de desejo com alguém. E, no capitalismo, uma coisa é certa: onde há demanda, há oferta!

Parece que ainda muita gente não consegue ver a obviedade de que o poder decorrente do tráfico de drogas vem justamente do dinheiro que esses vendedores concentram, conjugado com o fato de que há muita arma e violência em jogo justamente porque há um aparato policial concentrado na missão de enjaular ou matar estes grandes varejistas. Basta lembrar da triste comemoração na cidade do Rio de Janeiro quando houve a prisão do traficante Nem. Basta recordar as largas cifras de traficantes assassinados no morros da cidade maravilhosa, mortes resguardadas sob o manto eufemístico dos “autos de resistências”. Há um genocídio em curso, algumas vozes já se levantam nesse sentido.

Acompanho Salo de Carvalho quando afirma que a política criminal de drogas é um completo fiasco mundial. Não se demonstra em qualquer canto deste planeta que a criminalização gerou redução de consumo. Por outra via, ninguém há de duvidar que esta política gerou um número assombroso de mortes e prisões. E obviamente nenhuma das duas opções é desejável pra ninguém.

Por tudo, já não tenho qualquer receio de afirmar que a descriminalização do uso e do comércio de entorpecentes é um imperativo urgente. Chega de enganação. É chegada a hora de parar com essa conversa fiada de que usuário é financiador da violência. A violência está no coração das sociedades desiguais, tão cheias de restrições e aflições. Repletas de conflitividade que não pode ser sanada sem mudanças políticas significativas, macrossociais. Talvez a grande procura pelas drogas tenha também alguma relação com esse mal-estar, o que acham?

Vou terminar aqui com o um slogam de resposta ao Governo: “De cada 100 homicídios ocorridos no Espírito Santo, 100 estão diretamente ligados ao arranjo socio-econômico vigente. De cada 100 homicídios ocorridos no Espírito Santo, cerca de 70 estão diretamente ligados ao fato de que o Governo brasileiro insiste na absurda criminalização do comércio varejista de certas drogas. Quem compra drogas não tem culpa pela louca insistência estatal em querer prender e matar pessoas que simplesmente querem ganhar dinheiro com a venda de produtos tão desejados”.

Caro usuário, fique tranquilo, a culpa não é sua.

Originalmente publicado em: http://cleciolemos.blogspot.com.br/.

Candidato a vereador do PP Gilberto de Souza perde o controle e parte pra ignorância

Boletim de Ocorrência

A coisa saiu fora do controle na política de Ilhota!

Quando eu falava que estava sendo ameaçado, riram de mim, fui motivo de chacota, agora vejam todos o que o candidato a vereador do PP Gilberto de Souza membro influente da coligação “Juntos Vamos Mudar” fez na tarde desta quinta-feira (2/8), por voltas das 13h30 com minha pessoa. Agressão! Isso mesmo, fui agredido, moral e fisicamente pelo senhor Gilberto de Souza. Nada justifica de hipótese alguma o fato relato neste boletim de ocorrência lavrado no mesmo dia na sede da delegacia municipal de polícia civil de Ilhota.

Venho a público para que todos saibam o que membros da coligação “Juntos Vamos Mudar” estão pretendendo fazer com aqueles que têm as opiniões contrárias as suas políticas. Venho a público relembrar o que o partido do senhor Gilberto de Souza fez aqueles que expressavam a opinião em que administravam a cidade. Isso o que aconteceu na tarde de ontem, foi apenas uma pequena ponta do iceberg. Cometeram verdadeiras barbaridades não somente com a administração, mas com pessoas, famílias e com a cultura da cidade, mas isso é assunto de outras publicações.

Não criei uma rede social com intuitos de promoção espontâneo e cunhos políticos-eleitoral afim de disputar uma eleição, nem tão pouco perseguir pessoas e caça-las nas ruas. Criei algumas mídias sociais afim de informar a sociedade de nossas mobilização política e profissional, como mecanismo de prestação de contas e entretenimento. Uso todos os mecanismos das mídias sociais disponíveis pagos e gratuitos para o bem da coletividade, e que não são poucas e graças a Deus são muito bem acessadas. Influência de nossa representatividade.

Aproveito a situação e declaro para todos os fins e a quem interessar, que não administro, alimento ou gerencio qualquer outra rede de perfil falso com propósitos genérico deste codinome “Armando Nogueira” e de outros tantos que listamos, entendeu senhor Gilberto de Souza.

Dizem que são democráticos, mas na verdade caçam e perseguem adversários, principalmente aqueles envolvidos na área da comunicação… Dizem que querem “mudança”, mas não apresentam a tal da “mudança”. A única mudança que querem é voltar tudo o que era nos tempos das trevas. São essas pessoas que querem o bem do município? Será esse o modelo em que o senhor Gilberto de Souza quer legislar? Na base da porrada? Bem, vejo que sim e não foi a primeira vez que ele cometeu isso. Vocês se lembram o que o senhor Gilberto de Souza fez no dia primeiro de maio no torneio de futebol do campo da Cepel? A mesma coisa!

Se as pessoas contrárias às ideias da coligação “Juntos Vamos Mudar”, serão agredidos como eu fui? Será que após um mês de campanha eleitoral eles já estão desesperados? E vão usar da violência pra tentar convencer elas a votarem nesses candidatos e postos no paredão de fuzilamento? Não duvido disso, pois o que o senhor Gilberto de Souza fez comigo hoje, é passível que essas perguntas não passarão apenas de uma ficção. Seja como for, eles são sim passíveis disto e não duvido de nada, pois vivenciei aquela era de retrocesso.

Não consigo entender porque o candidato a vereador Gilberto de Souza vai atrás de fofocas ao invés de ir de propostas. Ser deixado levar por um fake no facebok. Não fui amigo do senhor Gilberto de Souza, nem aqui nem em qualquer outro lugar. Recentemente travamos um diálogo nervoso aqui nest rede e que sobrepujou grandes danos, mas conseguimos reparar a tempo reatando o espírito amigável com seu filho Giba. O mesmo não aconteceu com seu outro irmão.

Vejo que o candidato a prefeito da coligação “Juntos Vamos Mudar” Daniel Bosi deixou a coisa muito solta e não conseguiu controlar sua militância nas ações das redes sociais que saíram do controle, saíram literalmente da vida virtual para nossa realidade. Em nenhum momento dirigi a falta de respeito ao candidato majoritário da coligação “Juntos Vamos Mudar”, mas ele deveria exigir o mínimo de lealdade a disputa nesta eleição de suas bases, pois não foram as vezes em que fui insultado, humilhado em minhas próprias publicações, mas mantive a postura e soube encarar com muita sabedoria essas… Mas agora a coisa mudou e foram vocês quem a promoveu! Não farei isso com a pessoa do candidato Daniel, manterei o respeito, pois não compete ao meu perfil e ética esse exercício mercenário, mas falar o que o senhor Gilberto de Souza falou de minha mãe, Daniel, como você a conhece, isso não se faz!

O que me deixou mais convicto que isso é uma prática rotineira e normal aos membros do partido do senhor Gilberto de Souza da coligação “Juntos Vamos Mudar” foi ver aos fundos onde ocorreu o conflito, o candidato derrotado da última eleição municipal Roberto Cunha rindo da situação. Parabéns, vocês terão muito que rir ainda!

Vou fazer chegar ao conhecimento de minha mãe Catarina o que o amigo/colega de trabalho da Refinadora Catarinense (Usina) disse dela, uma linda homenagem. Parabéns Gilberto de Souza, você tem um vasto vocabulário e saberá representar muito bem os munícipes no legislativo (isso se chegar).

Nada, nada justifica a atitude arbitraria e covarde que o senhor Gilberto de Souza fez comigo na tarde de ontem. Digo aos meus amigos desta importante mídia social se é esse candidato que vocês optarão em votar no dia 7 de outubro? Um candidato que não tem respeito às opiniões alheias, que não tem respeito com as pessoas… é esse o perfil de candidato a vereador que Ilhota precisa? É essa a política que queremos? Democracia? Pra que isso se existe a força bruta, a violência…

Sei que estão armando pra cima de mim. Já mandaram avisar, e pensando no bem e da segurança de minha família, esposa, mãe e irmã, caso aconteça ao estranho e errado comigo, já sabem o que fazer e isso resulto no registro deste boletim de ocorrência, ao qual deferia ser lavrado algum tempo atrás. Peço a colaboração dos verdadeiros amigos nesta causa, pois isso não pode se repetir com mais nenhuma outra pessoa, no que tange a política ou qualquer outra forma de expressão da opinião.

Espero que essa publicação possa levar um novo debate entre os usuários desta rede. Finalizo este artigo com a empolgante trecho de nosso jingle de partido… “o outro lado é desespero!”

Quase 10% dos perfis do Facebook são falsos

Dados revelados pela própria rede social mostram que há muitas contas fake sendo utilizadas

Dados revelados pela própria rede social mostram que há muitas contas fake sendo utilizadas.

Facebook revelou, na semana passada, que o número de perfis na rede social teria chegado aos 955 milhões – isso significa cerca de 13% da população mundial. E a própria empresa divulgou também a quantidade de contas que são consideradas como falsas. O número é assustador: 83 milhões, o que representa 8,7% de toda a rede social.

Desses 83 milhões de perfis, 45 milhões são compostos de contas repetidas de usuários que perderam o acesso às originais por algum motivo – ou também os famosos “Perfis número 2”. Outros 21 milhões são de contas mal classificadas, feitas por engano por usuários que não optaram pela criação de páginas (nesse segmento, encaixam-se as contas de animais e grupos musicais, por exemplo).

Para completar a lista, 17 milhões de contas são consideradas “indesejadas”. Isso acontece porque elas possuem fotografias ou temáticas que não respeitam os termos de uso da rede social. O Facebook afirma que vai seguir com suas políticas de desencorajamento à criação de contas falsas, mas ainda não revelou se vai desativar as que são comprovadamente fakes – o que deixaria o objetivo de “1 bilhão de usuários” um pouco mais longe.

Fonte: Slash Gear e CNET

Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/facebook/27736-quase-10-dos-perfis-do-facebook-sao-falsos.htm#ixzz22SqFLQcL