Governador veta a realização de eventos culturais em Ilhota

Projeto cultural da Expo Belga e Ilhota Rock Festival foram arquivados pelo governo do estado

Projeto cultural da Expo Belga e Ilhota Rock Festival foram arquivados pelo governo do estado.

Gerência de projetos turísticos da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte informou nesta manha de quarta-feira, o arquivamento do projeto PTEC 3186/2012, no valor de R$ 266.540,00, de proponente Fundação Cultural José Izidro Vieira para realização da 3ª Expo Belga e do PTEC 3165/2012, no valor de R$ 79.300,00, de proponente Fundação Cultural José Izidro Vieira para realização do Ilhota Rock Festival 2012 alegando os motivos na velha desculpa do período eleitoral, que impede o repasse de recursos à entidades de direito público. A mesma secretaria não fez o mesmo e nem viu o período eleitoral em Ascurra R$ 80.000,00, Festa do Pinhão Lages com R$ 500.000,00, Festa do Colono Itajaí R$ 100.000,00. Será que nesta cidades não tem eleições?

A questão da Expo Belga em debate se o evento promove a cultura em nossa cidade o que temos que discutir é os propósitos e empenho do governo do estado nas questões de promoções de eventos e políticas públicas para a cultura nos municípios de pequeno e médio porte, como o exemplo de Ilhota. A Expo Belga é muito relevante sim a nossa comunidade e fazer o resgate histórico em promover aqueles que colonizaram nossas terras é mais que importante é firmar compromisso aqueles que impulsionaram desenvolvimento em nossas terras.

Ilhota tem em sua bagagem histórica de colonização bem diferenciada das demais cidades de nossa região, os livros “Movidos pela esperança, a história centenária de Ilhota”, escrito pelas professoras Elaine Cristina de Souza e Viviane dos Santos, o primeiro escrito no município sobre o tema e “Ilhota, o encanto dos belgas no vale do grande rio”, de autoria das educadoras Ana Luiza Mette e Elaine Cristina de Souza, falam sobre a colonização. Recomendo também o trabalho de monografia do amigo Pedro Paulo, bacharel em história pela Furb que abordou o tema.

Temos sim descendentes belgas em Ilhota, um povo significativo em nossa cidade e o mínimo que eles sejam, temos que reviver todas as suas trajetória e agradece-los por firmarem seus marcos aqui, afinal, somos a única cidade no país a ter a colonização belga.

Uma pena pra aqueles que optam em mudança, pois gostaria de saber muito que mudança eles querem, em não deixarem realizar um evento tão significativo em nossa cidade, de renome nacional e gratificante aos inúmeros descendentes belgas em nossa cidade. Uma hora foi o boicote a ponte, agora a Expo Belga! Será isso as políticas públicas ou politicagem selvagem? O que o governador fez pela cultura em Ilhota, ao qual recebeu o meu voto e trabalhei muito pra eleger ele, foi sem dúvidas, uma apunhalada do mais nobre metal pontiagudo nas costas de todos nós ilhotense, pois até então, nem os pés ele pisou em Ilhota pra agradecer os votos obtidos!

Não foi somente o boicote da realização da Expo Belga que ele vetou e sim a não realização de um dos maiores festivais alternativos e independentes da cena catarinense, falo do Ilhota Rock Festival que esse ano completa 10 anos de história e que mais uma vez, ficaremos a ver navios. Parabéns aqueles que apostam na mudança, pois ela já começou! Cultura em nosso estado e municípios somente aqueles que são do partido do governador. Mas nós do Clube do Rock iremos se virar nos 30 pra realizar a oitava edição do Ilhota Rock Festival e a Fundação Cultura Ilhota irá viabilizar mecanismos para que possamos realizar num outro momento a 3º edição da Expo Belga. Creio que isso irá acontecer.

Precisamos de cultura e o Ilhota Rock Festival é exemplo disso! Se foram negado o apoio cultural e financeiro pra realização do festival, nem que faremos um barulho pequeno, pode ser lá em casa, mas que faremos… isso sim faremos, e conto com seu apoio de todos nesta causa.

Obrigado governador!

Anúncios

Se dependesse de Steve Jobs, teríamos um carro da Apple

Carro da Apple

De acordo com o vice-presidente de marketing da empresa, Jobs cogitou desenvolver um veículo para a companhia.

Mesmo quase um ano após sua morte, parece que Steve Jobs continua “inventando” novos produtos — ao menos é o que alegam os rumores e as declarações de funcionários da própria Apple. Dessa vez, no entanto, não estamos falando de um novo iPhone ou iPad, mas de um carro.

A revelação de que Jobs teria pensado em construir um automóvel foi feita pelo vice-presidente de marketing da Maçã, Phil Spencer, durante o famigerado julgamento envolvendo a disputa de patentes da empresa com a Samsung. Embora não tenha entrado em detalhes sobre o conteúdo dessas ideias, ele as descreveu como “coisas de louco” e disse que duvida que elas, um dia, saiam do papel.

É claro que a declaração deixou muita gente curiosa, principalmente se levarmos em consideração que a Apple, famosa por ousar na hora de criar um novo produto, não acreditou na viabilidade dos conceitos. No entanto, ao que parece, jamais saberemos quais eram as propostas de Jobs para tentar reinventar o mercado automobilístico.

Por outro lado, essa não é a primeira vez que a icônica Maçã é vista em veículos — e não estamos falando apenas dos adesivos que muita gente coloca para enfeitar seus carros. Diversos designers deram asas à imaginação e tentaram supor como seria a investida da companhia em um veículo automotivo.

Estúdio Evolution, o mais novo congresso de fotografia do Brasil

Criado por Altair Hoppe e organizado pela iPhoto Editora, seu objetivo é reunir em São Paulo os maiores especialistas em estúdio do país para mostrar novas técnicas para fotografar gestantes, bebês, crianças, adolescentes, famílias e pessoas comuns em geral.

A agenda de palestras do Estúdio Evolution foi, cuidadosamente, preparada para que o fótografo de estúdio possa aprender técnicas de iluminação e direção para fotografar todas as fases da vida de uma pessoa: book fotográfico (adolescente ou mulher), book sensual, ensaio de famílias, ensaio newborn, ensaio de bebês e crianças. Mas além conhecer novas maneiras de fazer os ensaios, o Estúdio Evolution também dará espaço a parte de vendas, direito autoral e diagramação de fotos. Ou seja, criamos um congresso completo, dentro da realidade e do dia-a-dia dos fotógrafos brasileiros.

Confira mais no site www.estudioevolution.com.br.

Eleições 2012: a web pega ou não?

Eleições 2012 na internet

Especialistas analisam o cenário atual e dão visões sobre o uso da internet nas disputas.

Existem 82,4 milhões de internautas no Brasil, segundo o levantamento mais recente do Ibope Nielsen Online. O número mostra que 43.3% da população estão na rede. São pessoas que não precisam esperar pelas notícias, elas vão atrás, e como 2012 é ano de disputa eleitoral, quem intenciona ser prefeito ou vereador no País precisa se atentar a isso.

Desde 5 de julho, os aspirantes aos cargos estão liberados para fazer campanha na internet, o que inclui uso de sites e redes sociais – o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) apenas não permite ações pagas. Mas isso não significa que é só criar um perfil e sair postando qualquer coisa. “A política no Brasil engatinha, em termos de marketing eleitoral. Eles atacam o espaguete na parede pra ver o que gruda”, aponta o estrategista de marketing digital e político Gabriel Rossi.

Influência ou não?

Nos Estados Unidos – que também passarão por eleições neste ano – há um cuidado específico com a rede desde que Barack Obama mostrou quão fortes podem ser as ferramentas digitais, em 2008. Mas naquela época, o País estava em um momento de espera por mudanças, o que fez crescer a mobilização populacional e, por isso, a internet acabou sendo determinante.

O Brasil passava por isso de 2002 a 2003, ano em que Fernando Henrique Cardoso entregou a Presidência a Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2010, quando Dilma Rousseff venceu as eleições, ela assumiria o cargo de um companheiro de partido, era uma onda de continuidade, por isso as redes não se destacaram tanto na campanha vitoriosa. Neste ano, é preciso analisar a situação política de cada município para saber se a web pega ou não.

“Em cidade com perspectiva de mudança a internet é mais forte. As pessoas querem mudar, então elas se tornam mais engajadas”, diz Rossi. De acordo com ele, três pontos são fundamentais para se entender a importância do recurso em cada localidade: penetração da banda larga, interesse da população e conjuntura política.

Professor titular da USP (Universidade de São Paulo), o consultor político e de comunicação Gaudêncio Torquato acredita que em 2012 a internet – em especial, as redes sociais – terá um papel mais importante na disputa do que em anos anteriores. O crescimento na quantidade de internautas, por si só, já é um indício, uma vez que há mais pessoas acompanhando a vida política através de uma mídia alternativa.

A conscientização sobre política e a maior integração causada pela rede têm contribuído para um processo muito mais intenso. Do ponto de vista da troca de ideias de candidatos, isso começa a mostrar uma participação mais forte do eleitorado, esclarece.

Como exemplo, ele cita o primeiro debate ocorrido entre os que disputam prefeituras. Durante o encontro e até o dia seguinte, as pessoas usavam sites como Twitter e Facebook para discutir o desempenho de cada candidato. “Não vejo as redes sociais como fator decisivo, mas é complementar”.

O que fazer?

E os políticos sabem o que fazer nesse espaço? Antecipando-se à questão, oFacebook criou uma cartilha para ajudar os concorrentes norte-americanosque cai como uma luva para os brasileiros. Aqui, critica Rossi, “tem muito candidato que usa o Facebook como ‘santinho digital'”. “É o típico exemplo de seguir a tecnologia e não o comportamento”.

Fica também um alerta aos que têm pendências perante à sociedade: internautas podem acabar com a sua campanha. “Os eleitores não compram gato por lebre. Se um candidato corrupto quiser utilizar a rede, vai encontrar gente bastante contrária que possa refutar suas propostas”, adverte Torquato. “Da mesma forma que alguém pode inventar um perfil falso desse candidato e, neste momento, os tribunais regionais eleitorais precisam intensificar a fiscalização”.

Este é outro problema a ser enfrentado, a criação do que Gabriel Rossi chama de “boateiro profissional”. Quem está na corrida eleitoral pode contratar gente para espalhar informações falsas pela rede, seja a seu favor, seja na intenção de derrubar os adversários. O especialista considera isso um movimento bem perigoso, porque as histórias se viralizam rapidamente. E cada vez mais os influenciadores têm conquistado espaço na rede.

E você, leitor, acha que a internet ajuda a decidir voto?

Serviço de vídeo Vevo estreia no Brasil

Vevo

Brasileiros agora podem conferir acervo de mais de 50 mil clipes musicais de três grandes gravadoras.

O serviço de videos Vevo, criado em parceria entre as gravadoras Sony e Universal, chegou ao Brasil e começou a oferecer nesta terça-feira (14/08) conteúdo nacional. O Vevo surgiu em 2009 e é voltado especialmente para músicas. O serviço conta com o acervo das gravadoras Sony, Universal e EMI. Com a estreia no Brasil, os internautas podem conferir mais de 50 mil vídeos incluindo clipes musicais e shows completos, entre outros.

O acervo de artistas nacionais e internacionais, incluindo Ivete Sangalo, Marcelo D2, Madonna e Lady Gaga, já pode ser acessados pelos usuários brasileiros. Até agora, o conteúdo podia ser visto pelo público brasileiro através do canal do Vevo no YouTube, mas o acesso já pode ser feito direto pelo site, na versão de desktop, ou aplicativo para smartphones e tablets. Até o fim do mês um app para Xbox e uma versão móvel do site também estarão disponíveis.

O player do Vevo oferece ficha técnica e informação sobre o artista do vídeo que está sendo tocado. Os usuários ainda podem sincronizar a conta com o Facebook para compartilhar vídeos com amigos e com a biblioteca do iTunes.

Estão estão sendo expulsos de suas terras

Estão estão sendo expulsos de suas terras

A qualquer momento, uma grande empresa de caça de animais pode fechar um contrato que forçaria mais de 48.000 membros da famosa tribo africana Maasai a deixarem suas terras para dar lugar a reis e príncipes ricos do Oriente Médio, que desejam caçar leões e leopardos. Especialistas dizem que a aprovação do contrato pelo presidente da Tanzânia, Jakaya Kikwete, pode acontecer a qualquer momento. Mas se agirmos agora, poderemos impedir que o Serengeti seja sacrificado.

Da última vez que essa empresa tirou o povo Maasai de suas terras para dar lugar aos caçadores ricos, muitas pessoas foram espancadas pela polícia, colocaram fogo em suas casas e o gado morreu de fome. Mas, logo em seguida, depois de um escândalo na mídia, o presidente mudou de opinião e devolveu a terra para os Maasai. Dessa vez, ainda não houve nenhum escândalo na mídia, mas se juntarmos nossas vozes agora, poderemos mudar isso e fazer com que Jakaya Kikwete impeça o acordo.

Se 150.000 de nós assinarem a petição, os meios de comunicação na Tanzânia e em todo o mundo serão alertados e o presidente Kikwete receberá a mensagem necessária para repensar esse acordo funesto. Assine a petição agora e envie para todos: http://www.avaaz.org/po/save_the_maasai/?bYLqhbb&v=17101.

Os Maasai são pastores semi-nômades que viveram na Tanzânia e no Quênia, durante séculos, desempenhando um papel fundamental na preservação do delicado ecossistema ali presente. Mas para as famílias reais dos Emirados Árabes Unidos, eles são um obstáculo para seus luxuosos retiros de caça de animais. Um acordo para expulsar os Maasai, abrindo o caminho para os ricos caçadores estrangeiros é ruim não só para a vida selvagem, como também para as comunidades que serão destruídas. Enquanto o presidente Kikwete diz a elites locais que vender suas terras nesse acordo é algo bom para o desenvolvimento, a maioria das pessoas só quer manter suas terras, as quais podem ser desapropriadas pelo presidente por meio de um decreto.

O presidente Kikwete sabe que esse acordo seria prejudicial para o turismo da Tanzânia – uma fonte importante de renda nacional – e, portanto, está tentando escondê-lo do público. Em 2009, uma tentativa de desapropriação de terra semelhante para os reis e príncipes, executada pela mesma empresa que está tentando angariar as terras agora, gerou uma cobertura mundial da mídia e a situação foi revertida. Sabemos que a pressão pode funcionar se conseguirmos criar o mesmo nível de atenção agora.

Uma petição assinada por milhares de pessoas pode forçar todos os principais escritórios de agências de notícias globais na África Oriental e na Tanzânia a trazer esse negócio polêmico à tona. Assine agora para exigir que Kikwete impeça esse negóciohttp://www.avaaz.org/po/save_the_maasai/?bYLqhbb&v=17101.

Representantes da comunidade Maasai apelaram hoje com urgência para a Avaaz pedindo que soássemos o alarme global para salvar a terra deles. Diversas vezes, a impressionante resposta desta incrível comunidade transforma causas aparentemente perdidas em legados que duram uma vida. Vamos proteger o povo Maasai e deixar a fauna para os turistas que queiram levar do Serengeti apenas fotografias e não os cadáveres de animais.

Com esperança e determinação, Sam, Meredith, Luis, Aldine, Diego, Ricken e toda a equipe da Avaaz.

Mais informações (em inglês)

Novidades e atualização do SoftwareLivre.org

software livre

Acaba de ser lançada uma nova versão do Noosfero, o  software livre para redes sociais base do SoftwareLivre.org, que traz algumas novidades para os usuários.

SoftwareLivre.org é mantido pela Associação Software Livre e a cooperativa Colivre. Como a próxima versão traz mais atualizações do que o normal, informamos que no próximo dia 16 de agosto de 2012 faremos a manutenção dos servidores SoftwareLivre.org no período de 23h (16/08) às 2h (17/08), horário que normalmente há menos acessos à Plataforma SoftwareLivre.org.

Isso poderá deixar o SoftwareLivre.org fora do ar por alguns instantes. Dessa forma, recomendamos que evitem de usar oSoftwareLivre.org no período dessa manutenção e atualização.

Uma vez que o SoftwareLivre.org é um serviço disponibilizado para as comunidades de Software Livre do Brasil, o mais importante é o feedback dos usuários/comunidades para a evolução dessa plataforma e melhorias desse serviço. Portanto, se tiverem problemas após a atualização do SoftwareLivre.org, pedimos que entrem na comunidade Ajuda e postem os problemas para que possamos corrigí-los.

Por fim, caso esteja curioso(a) para ver as novidades antes da atualização, podes conferir e comentar em http://softwarelivre.org/portal/comunidade/projeto-noosfero-lanca-nova-versao-0.38.0-enauenes-naues.