Cartão de crédito quântico será imune à clonagem

Embora os bandidos possam ter acesso a técnicas para replicar as informações dos cartões de crédito tradicionais, é virtualmente impossível clonar a informação quântica guardada em um qubit. [Imagem: vektorportal/F. Pastwaski]

Uma equipe internacional de físicos desenvolveu uma técnica que permitirá usar chaves de criptografia quântica em um protocolo de segurança imune a ruídos e interferências. O trabalho estabelece os protocolos para a troca das informações quânticas responsáveis pela autenticação do usuário, e que devem ser trocadas a cada transação entre o terminal do estabelecimento e o banco.

A equipe afirma que esses protocolos estabelecem a base para a criação de um sistema de segurança que evite definitivamente a clonagem de cartões de crédito e outros documentos.

Embora os bandidos possam ter acesso a técnicas para replicar as informações dos cartões de crédito e débito tradicionais, é virtualmente impossível clonar a informação quântica guardada em um qubit. O problema é que, enquanto as informações dos cartões de crédito ficam bem guardadas lá dentro – garantindo que ele funcione sempre que você precise -, um qubit é algo extremamente sensível.

Se o qubit suportar as imperfeições do material e o ruído, ele certamente sucumbirá vítima do fenômeno físico da decoerência.

Agora, Fernando Pastawski e seus colegas demonstraram que é possível construir um protocolo de autenticação quântica que seja tolerante às interferências, sem perder a segurança. A saída foi construir um esquema tolerante a falhas, cujos limites foram ampliados para dar conta dos inevitáveis ruídos e dos estragos que eles fazem nos qubits.

Em termos teóricos, não mais do que 83% dos dígitos secretos poderão ser duplicados corretamente por um falsário. Em condições realísticas, podemos assumir que um usuário honesto será capaz de recuperar 95% dos dígitos, disse o Dr. Pastawski.

Assim, se o banco estabelecer como aceitável para a autenticação do usuário um nível de tolerância a falhas de 90%, será virtualmente impossível validar comandos fraudulentos ou rejeitar uma transação autêntica.

O princípio desse cartão de crédito quântico foi demonstrado usando fótons transmitidos para por fibras ópticas. Mas, para aplicações práticas, será necessário desenvolver memórias quânticas robustas e duradouras.

Embora já tenham sido demonstradas memórias quânticas em cristais sólidos, otempo de latência de um dado quântico a temperatura ambiente não supera ainda a casos dos segundos. Assim, para que o dinheiro quântico vire realidade, será necessário antes aumentar muito o tempo de vida dos qubits, o que equivale a desenvolver memórias quânticas não-voláteis.

Anúncios