Queda do Desmatamento

Menor taxa de desmatamento já registrada na Amazônia

O governo federal anunciou, nesta terça-feira, a menor taxa de desmatamento já registrada na Amazônia: 4,6 mil quilômetros quadrados. Com ele, este é o quarto ano consecutivo de redução de uma taxa que há alguns anos já bateu os 27 mil quilômetros quadrados.

Essa queda deixa claras duas coisas: o fim do desmatamento não só é necessário como perfeitamente possível. E só chegamos a ele por conta da pressão que eu, você e boa parte da sociedade fazemos sobre governos e empresas.

Divulgue a campanha

Bom exemplo disso é o projeto de lei de iniciativa popular dodesmatamento zero, que você já assinou. Em poucos meses, mais de640 mil pessoas já fizeram como você e assinaram embaixo da proposta que quer zerar a destruição nas nossas florestas. Aproveite para divulgar a campanha. É uma lei feita pelo povo e para o povo brasileiro. Precisamos do maior número possível de assinaturas para levar o projeto ao Congresso.

Apesar da redução do desmatamento, ainda temos 4,6 mil quilômetros quadrados de destruição pela frente. Isso equivale a quase dois mil campos de futebol desmatados a cada dia. Juntos, podemos dar um fim nisso. Junte-se a nós.

Anúncios

Veja lista de sites de compras não recomendados pelo Procon

E-commerce

Órgão não conseguiu rastrear nenhuma das páginas para notificá-las.

O Procon divulgou nesta quarta-feira, 28, uma lista contendo 200 sites de comércio que você deve evitar, porquê, segundo o órgão de defesa do consumidor, são campeões de reclamações.

As principais queixas se referem a falta de entrega de produtos adquiridos e à ineficiência dos sites em responder sobre isso aos clientes. A maioria dos endereços já está inativa. Nenhuma das páginas listadas pôde ser localizada pelo Procon, mesmo em rastreamentos em bancos de dados como os da Junta Comercial, Receita Federal e Registro BR – que registra os domínios do país. Por isso, não é possível resolver os problemas dos consumidores.

“Denunciamos os casos ao Departamento de Polícia e Proteção à Pessoa (DPPC) e ao Comitê Gestor da Internet (CGI), que controla o registro de domínios no Brasil, mas o mais importante é que o consumidor consulte essa lista, antes de fechar uma compra pela internet, para evitar o prejuízo”, analisa o diretor executivo do Procon-SP, Paulo Arthur Góes.

Clique aqui para ver a lista – disponível em PDF.

Políticos dos EUA podem ser proibidos de criar leis sobre internet

Sopa

Ideia partiu de um deputado, que propõe período de reflexão aos colegas

Surgiu nos Estados Unidos uma proposta que tentará impedir a criação de novas leis sobre internet no país. A ideia, do deputado Darrell Issa, é fazer com que o Senado e a Câmara dos Deputados bloqueiem qualquer tentativa de regulamentação da rede por pelo menos dois anos.

Esse período daria aos parlamentares mais tempo para pensar nas leis que proporão, na tentativa de evitar problemas como os que se seguiram à apresentação de SOPA, PIPA e CISPA, como noticia a CNET.

Chamado de “Internet American Moratorium Act 2012”, o projeto foi colocado por Issa no Project Madison na segunda-feira, 26. Na plataforma de crowdsourcing o texto será debatido de forma colaborativa. O projeto também foi levado ao Reddit, um dos sites que promoveram apagões em protesto contra as propostas de regulamentação. Lá, Issa, que foi contra o SOPA, também se tornou alvo – principalmente por ter apoiado o CISPA.

Alguns internautas criticaram a ideia porque ela impediria não só os mal intencionados, mas também aqueles com intenção de proteger a internet e seus usuários. Outros consideram a proposta um golpe publicitário de Issa.

Fique atento a 12 golpes online e saiba evitá-los

crimes cibernéticos

O Natal se aproxima e os cibercriminosos ‘quebram a cabeça’ para elaborar novos ataques para surpreender os internautas. Por isso a empresa de segurança McAfee listou os 12 principais golpes praticados mundialmente para roubar identidade e informações bancárias dos consumidores.

  1. Lojas virtuais falsas: Sites falsos de comércio eletrônico, que parecem ser reais, tentam induzir o consumidor a digitar seu número de cartão de crédito e outros dados pessoais. Após obter os dados do usuário, o consumidor jamais receberá a mercadoria e suas informações pessoais permanecerão em risco par uso indevido do cibercriminoso.
  2. Aplicativos móveis mal-intencionados: Os usuários de dispositivos Android baixaram mais de 25 bilhões de aplicativos. Com o aumento da popularidade desses programas, também crescem as chances de que o consumidor baixe um aplicativo mal-intencionado projetado para roubar informações ou distribuir mensagens de texto pagas sem o seu conhecimento.
  3. Golpes de viagens: Antes de reservar um voo ou hotel para viajar nessa época, o consumidor não deve se esquecer de que os golpistas querem atraí-lo com preços abaixo do mercado. Páginas da Web de agências de viagens falsas são usadas para induzir o fornecimento de dados financeiros.
  4. Spam/phishing de Natal: Muitos dos emails de spam apresentam temas natalinos. Relógios Rolex e produtos farmacêuticos baratos, por exemplo, podem ser anunciados como “o presente perfeito” para pessoas especiais. Atenção às ofertas boas demais para serem verdadeiras!
  5. iPhone, iPad e outros golpes com presentes de Natal atraentes: O entusiasmo causado por equipamentos eletrônicos de última geração são a isca preferida dos cibercriminosos quando planejam seus golpes. Eles divulgam os presentes de Natal obrigatórios em links perigosos, concursos falsos e emails de phishing como forma de atrair a atenção dos consumidores e fazer com que eles revelem informações pessoais ou cliquem em links perigosos, que podem baixar malwares para suas máquinas e dispositivos.
  6. As mensagens de Skype: O Skype é bastante utilizado para contatar amigos e parentes na época de Natal. Entretanto, os usuários devem estar cientes do novo golpe de mensagens do Skype, que infecta as máquinas. Muitas vezes, esses programas maliciosos sequestram arquivos e, para tê-lo de volta, o usuário é obrigado a pagar um resgate.
  7. Cartões e Vales-presentes falsos: Os cibercriminosos oferecem, ainda, cartões de presente falsos na Internet. É preciso ter cuidado ao comprar vales-presentes de terceiros, pois eles podem ser uma fraude.
  8. SMiShing de Natal: SMiSishing é a prática de phishing por meio de mensagens de texto em dispositivo móvel. Assim como nos emails de phishing, o golpista tenta induzir o usuário a revelar informações, fingindo ser uma empresa legítima.
  9. Golpes de redes e mídias sociais: Muitos internautas usam sites de rede social para conversar com a família e os amigos na época de Natal. Por saber que os usuários confiam em seus contatos, os cibercriminosos usam esses canais para anunciar concursos falsos e ofertas de trabalho em casa. Os golpistas também podem tentar invadir contas do Facebook e do Twitter para distribuir alertas falsos a todos os amigos do usuário.
  10. Instituições beneficentes falsas: Este é um dos maiores golpes a cada temporada de festas. Os golpistas aproveitam as doações usuais a instituições beneficentes e enviam emails de spam com publicidade de instituições falsas.
  11. Cartões virtuais perigosos: Os cartões virtuais são uma maneira popular de enviar um agradecimento rápido ou desejar Boas Festas, mas alguns são mal-intencionados e podem conter spyware ou vírus que são baixados no computador ou dispositivo quando o usuário clica no link para ver a mensagem.
  12. Classificados falsos: Os sites de classificados na Internet podem ser um ótimo lugar para procurar presentes de Natal, mas é preciso ter cuidado com ofertas falsas que pedem muitas informações pessoais ou que seja transferida uma quantia em dinheiro, pois pode tratar-se de um golpe ou fraude.

“A melhor maneira de os usuários se protegerem é conhecer os truques dos cibercriminosos para evitá-los. Os consumidores não podem baixar a guarda para os ataques virtuais durante o Natal”, ressalta José Matias Neto, diretor de Suporte Técnico da McAfee para a América Latina.

O executivo dá algumas dicas sobre como se proteger contra os golpes das festas de fim de ano:

  1. Desconfie sempre: Os consumidores devem desconfiar de qualquer oferta que pareça ser boa demais e sempre procurar indicações de que um e-mail ou site possa não ser legítimo, como imagens em baixa resolução, erros ortográficos, erros de gramática ou links estranhos.
  2. Pratique a navegação segura: Para descobrir se um site pode conter ameaças ao computador ou dispositivo, antes de clicar nele, instale um plug-in de pesquisa segura. O SiteAdvisor usa ícones de verificação nas cores vermelha, amarela e verde para avaliar os sites no momento em que o consumidor realiza a busca, alertando-o para o risco ou não em acessar o site indicado na pesquisa.
  3. Compre com segurança: Quando realizar compras online, sempre utilize sites respeitados e procure um selo que indique que a segurança do site foi verificada por um fornecedor externo confiável, como Marcão selo de confiança McAfee SECURE™. Além disso, procure um símbolo de cadeado e verifique se consta a letra “s” “https” no início do endereço do site (em vez de apenas “http”), para verificar se o portal usa criptografia para proteger seus dados.
  4. Use senhas de alta segurança: As senhas devem ter pelo menos oito caracteres e conter uma variedade de letras, números e caracteres especiais que não formem palavras. Evite usar a mesma senha para suas contas importantes e nunca as revele a ninguém. Crie uma senha forte!
  5. Tenha cuidado ao clicar: Não clique em links que aparecem em mensagens de pessoas desconhecidas e, caso você se depare com uma URL abreviada, use um expansor de URL para saber o destino do link antes de clicar nele.
  6. Use uma proteção abrangente no computador e dispositivos móveis: Os consumidores precisam de uma proteção completa, que inclua antivírus, antispyware, antispam e um firewall. Verifique se essa proteção está atualizada. Estas soluções auxiliam na segurança dos consumidores e de seus familiares.
  7. Informe-se: Mantenha-se atualizado sobre os últimos golpes e truques aplicados pelos cibercriminosos, hackers e fraudadores e evite possíveis ataques. O consumidor pode encontrar mais informações e dicas úteis no Centro de Informações de Segurança da McAfee (página em português).

Ilhota sediou a sétima edição da Taça Brasil de Genomas Colorado

Campeão da sétima edição da Taça Brasil de Genomas Colorados

Todos os olhares estavam direcionados pra Ilhota neste último final de semana. É que os dirigentes e olheiros do projeto Genoma Colorado, do Sport Club Internacional estiveram presente na sétima edição da Taça Brasil de Genomas Colorados. O evento teve início na  sexta-feira (23) e prosseguiu até domingo (25), e aconteceu nos períodos matutino e vespertino nos campos municipais do Centro, Pedra de Amolar e Cepel.

Ao todo 11 núcleos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Ceará estiveram participando na disputa pela taça em Ilhota. Na categoria Sub 10, 8 equipes enfrentaram pela disputa da taça. A final foi entre os gaúchos de Navegantes de Porto Alegre, que derrotou o Santa Cruz por 1 a 0. Já o Sub 12, 11 equipes se inscreveram para a conquista da taça. A final foi novamente o Santa Cruz contra o time de Fortaleza, que tinha a melhor campanha do campeonato, mas que não conseguiu segurar o time santa-cruzense que venceu a final por 3 a 0 com gols de Nikinho, Pati e Kevlin. Nikinho foi o goleador e Gean o goleiro menoz vazado.

A Taça Brasil de Genomas Colorado acontece todos os anos e é organizado e desenvolvido pela coordenadoria do Genoma Colorado, que está situado em Porto Alegre. O projeto é uma iniciativa do Sport Club Internacional de Porto Alegre e visa tirar crianças das ruas e da vulnerabilidade social e familiar, proporcionando uma ocupação extra curricular e a profissionalização do esporte.

Entrevista

Blog do dcvitti entrevistou os organizadores da Taça Brasil de Genomas Colorado durante a realização da sétima edição da Taça Brasil de Genomas Colorado Sub 10 e 12, ocorrido nos dias 23, 24 e 25 de novembro no município e Ilhota/SC. Nós entrevistamos Elpidio Braga, coordenador técnico do Genoma Colorado, Rafael Schwarts, cônsul do Sport Club Internacional e Paulo Eduardo Pereira, diretor do projeto Genoma Colorado de Ilhota

Fotos

Blog do dcvitti fez a cobertura fotográfica do evento esportivo. As fotos poderão ser visualizadas na página oficial no facebook e podem ser acessadas por este link! As fotos são de domínio público, porém solicitamos a citação da fonte, para que não infringir as regras dos direitos autorais.

O projeto

Projeto Genoma ColoradoO Internacional, na busca de divulgar ainda mais a sua marca e agregar um número maior de sócios, desenvolveu um projeto que procura expandir o clube para além do Rio Grande do Sul. Foi lançado oficialmente em agosto de 2002. Sabe-se hoje que o destino do homem já está estabelecido antes mesmo de seu nascimento.

A implantação de um programa de núcleos do Genoma Colorado no Brasil e também no exterior amplia as fronteiras coloradas no aspecto social, esportivo e comercial. Desse modo, o clube faz-se representar por núcleos colorados em todos os estados brasileiros ajudando na formação de cidadãos através do esporte, prospectando também jovens talentos futebolísticos e propagando a imagem do Sport Club Internacional.

O Genoma Colorado se constrói por meio da criação de núcleos espalhados pelo Brasil e pelo mundo. Cada um desses núcleos ensina o futebol e a cidadania para garotos de três a dezesseis anos, divididos nas categorias pré-mirim, mirim, infantil e juvenil, que freqüentam semanalmente as aulas para prática do esporte. Em parceria com o clube, são organizados os campeonatos e taças estaduais e Taça Brasil. Já são 315 núcleos em todo País. O Projeto já envolve cerca de 80.000 meninos que já podem ser considerados novos cidadãos. “Já temos núcleo até no Uruguai, e lá, muitos meninos que antes torciam para Peñarol e Nacional, agora se consideram colorados. É outra das boas conseqüências do Genoma”, afirma Braga.

Vários meninos destacam-se nos torneios do Genoma espalhados pelo Brasil. Alguns deles são levados para períodos de testes no Estádio Beira-Rio, muitos até mesmo sendo aprovados. Hoje os atletas das categorias de base que residem no clube surgiram do Genoma. Mas isso não é o que mais importa. O que realmente incentiva a equipe de centenas de professores do Genoma Colorado a continuar ensinando valores para os meninos é a cidadania. É a certeza que dali sairão novos homens, todos com o DNA de verdadeiros campeões, no futebol ou não.

Diga-me onde dá check-in e eu te direi quem és

Foursquare

Check-in no aeroporto é legal, afinal as pessoas vão ter a percepção que sou viajado, ocupado, entupido de milhas.

O ecossistema digital faz com que criemos novos hábitos, novas maneiras de nos relacionar e novas formas de habitarmos o mundo em que vivemos. Nesse sentido, usamos as redes sociais digitais para construir narrativas envolventes por meio de jogos discursivos e, com isso, obter a validação de terceiros sobre os conteúdos (emocionais ou não) que construímos em rede.

Aplicativos de geolocalização têm sido a grande vedete desse novo, inquieto e hesitante universo online que habitamos hoje em dia. Por meio desses aplicativos, como o Foursquare ou o Facebook, construímos narrativas e demarcamos o território que frequentamos. Afinal, o lugar onde vou comunica muito sobre quem sou, o que eu penso, minha forma de agir, ou até mesmo como eu quero que as pessoas me percebam no mundo.

O homem é um ser narcísico por natureza. Sempre foi. O ser humano adora um espelho. As pessoas têm pré-disposição a um certo narcisismo no ambiente em rede. Fato. Evidencia-se que na maioria das vezes, dão check-in em lugares transados, descolados, bonitos, atraentes e onde querem que seus “amigos” saibam que estão ou estiveram.

Check-in no aeroporto é legal, afinal as pessoas vão ter a percepção que sou viajado, ocupado, entupido de milhas, um homem de negócios. Check-in na rodoviária, nem pensar! Afinal a troco de quê vou querer que saibam que estou prestes a pegar um busão no nada atraente Terminal Rodoviário da Barra Funda. Is not cool!

Check-in no MoMa de Nova York, UAU! Demais! Além de descolado, antenado, o cara aprecia e adora artes, e está lá saboreando obras de Andy Warhol, Matisse, Monet e Marcel Duchamp. Agora, dar check-in no novo MAC (Museu de Arte Contemporânea de São Paulo), que recentemente inaugurou seu endereço no belíssimo prédio que ocupava o Detran-SP, no complexo do Parque do Ibirapuera, projetado por Oscar Niemeyer, em sua época mais áurea (entre Pampulha e Brasília), melhor não. Afinal, nunca fui a esse museu, nem sabia que existia e não entendo nada daquelas malucas instalações de arte contemporânea!

O local líder de check-ins na cidade de São Paulo é o Parque do Ibirapuera. É super maneiro fazer com que as pessoas saibam que estou no maior parque da cidade fazendo exercícios físicos, malhando e desestressando um pouco.

Há quem não obedeça o status quo e dê check-in apenas em lugares não tão prestigiados assim, como no restaurante Ragazzo, no Habib’s, no Shopping Interlagos, no Largo 13 de Maio ou nas Lojas Marisa. Eles não querem somente compartilhar com a turma que está nesses locais, mas justamente “tirar onda” da ferramenta e agir contra a massa. Apenas 30% das pessoas compartilham seus check-ins no Facebook ou Twitter. Os 70% dão check-in e o deixam apenas ao conhecimento dos amigos do Foursquare. O Facebook, logicamente, está percebendo a força e o ganho de audiência exponencial dessa mídia e tem aperfeiçoado sua funcionalidade para check-ins.

Eu sou usuário assumido dessas ferramentas pelo simples fato de que estudo e pesquiso tudo isso para entender como impactam as pessoas e como elas se relacionam entre si. Recentemente, dei meu milésimo check-in no Foursquare. Sim, já cliquei no “Check-in Here!” mais de 1000 vezes. Na ocasião, o Foursquare me mandou um e-mail agradecendo por tantos check-ins e me disponibilizando um código promocional, para que comprasse com desconto pelo site uma camiseta exclusiva da rede social.

Não pensei duas vezes para efetivar a compra. Além da camiseta, adquiri um pacotinho de adesivos, pagando cerca de 25 dólares por tudo. No entanto, o custo do frete foi de mais 30 dólares e tive o azar de ter minha compra retida na Receita Federal, tendo que pagar uma taxa de mais 80 reais para liberar o produto na aduana. Bem feito! Nisso que dá ser viciado nessas coisas.

Artigo de Marcos Hiller (@marcoshiller), professor da Trevisan Escola de Negócios