Guitarra Passo a Passo: Um confiável e condensado método de ensino

Guitarra passo a passo

Na era da internet, onde toda e qualquer informação musical se encontra ao toque de um botão, nada como um bom livro – de capa dura e acabamento em verniz, com um excelente conteúdo, atualizado e moderno – para trocar o muitas vezes fragmentado, não criterioso e excessivo conteúdo da rede por um linear, confiável e condensado método de ensino de guitarra para iniciantes.

E se o hábito do tal do “vídeo ilustrativo” das comunidades virtuais já está sedimentado na cultura atual, você não encontrará problemas ao se utilizar do DVD ROM que acompanha “Como Tocar Guitarra Passo a Passo – o Guia Completo para Dominar a Guitarra”, livro de Jason Sidwell e Jamie Dickson (Alta Books Editora, RJ, 2012).

Fica sim um pouco difícil ser original neste tipo de obra, já que os conceitos básicos são recorrentes a qualquer bibliografia que se proponha a ensinar o neófito na guitarra (há uma breve semelhança com livros mais antigos e consagrados como “The Guitar Handbook” de Ralph Denyer ou mesmo “The New Complete Guitarrist” de Richard Chapman). Porém, destaque se faz em primeiro lugar à modernidade do livro, que se encontra extremamente “up to date” ao citar não somente os guitarristas referenciais dos 60, 70 e 80 como também os da atualidade.

Moderno também na abordagem didática, fugindo de lições extremamente básicas como “Parabéns a você”, apresentando ao invés disto pequenas peças e exercícios musicados de palhetadas, bicordes e acordes, riffs, técnicas de ligadura, tapping, bends, alavanca e muito mais em versões para rock, blues e pop.

Segundo destaque: o apelo visual extremamente atrativo, apresentando centenas de fotos de guitarras e guitarristas, ilustrando capítulos essenciais ao iniciante como a anatomia do instrumento, tipos de guitarras, amplificadores e efeitos, dicas de como comprar uma guitarra, regulagens, customização e manutenção.

Figuras ilustram também as posições das mãos em cada parte dos exercícios apresentados por todas as suas 352 páginas, utilizando um interessante código de barras coloridas para identificar os passos ilustrados nas fotografias.

As escalas básicas – pentatônicas e diatônicas maiores e menores – são abordadas, assim como as suas aplicações básicas e técnicas particulares de execução. Um capítulo muito interessante apresenta as “marcas registradas de” blues, rock, metal, country, r’n’b, funk, reggae, pop, jazz, jazz rock, enumerando guitarristas essenciais ao estilo assim como seus discos, técnicas mais utilizadas e até equipamentos característicos.

Dicas de como formar uma banda, merchandising e técnicas de gravação também são abordadas. Um vasto dicionário de acordes básicos e um glossário de notação musical finaliza este que é sem dúvida um excelente material para o iniciante.

Cabe a observação de que, obviamente, pela quantidade de assuntos abordados, todos eles são tratados mais superficialmente, portanto não espere um “tratado sobre acordes” ou um manual de técnica na guitarra. Porém, as informações são dadas de uma forma bastante visual, clara e mais do que suficiente em sua complexidade e explanação para o nível de estudo proposto.

Sendo assim, não acredito que o livro seja totalmente eficaz para a maioria dos autodidatas, salvo por alguns capítulos. Porém, com o suporte de um bom professor, este pode ser um material significativo para o desenvolvimento inicial na arte da execução da guitarra.

O preço sugerido pela editora é de R$ 89,91.

Anúncios

O ataque do peixe Frankenstein

Peixe Frankenstein

Os EUA estão prestes a servir a primeira carne modificada geneticamente do mundo: um salmão mutante que pode devastar as populações de salmão selvagens e ameaçar a saúde humana. Mas podemos impedí-los agora antes que esse estranho peixe Frankenstein apareça em nossos pratos de comida.

O novo salmão falso cresce duas vezes mais rápido que o original, e nem mesmo os cientistas sabem os efeitos a longo prazo que ele pode causar à saúde. Ainda assim, esse alimento está prestes a ser declarado seguro para consumo, baseado em estudos pagos pelas empresas que criaram a própria criatura modificada geneticamente! Felizmente, os EUA são obrigados legalmente a considerar a opinião pública antes de tomarem uma decisão. Uma crescente coalizão de consumidores, ambientalistas e pescadores estão pedindo ao governo que abandone esse plano mal-cheiroso. Vamos urgentemente criar uma avalanche de apoio global para ajudá-los a vencer essa causa.

A consulta está acontecendo agora e temos uma chance real de manter o peixe mutante fora do cardápio.Assine para impedir a criação do peixe Frankenstein e compartilhe amplamente — quando alcançarmos 1 milhão de assinaturas, nosso clamor será enviado oficialmente à consulta pública: http://www.avaaz.org/po/stop_frankenfish_r/?bYLqhbb&v=21117.

A empresa que desenvolveu o peixe Frankenstein alterou o DNA do salmão para criar um peixe que pudesse crescer rapidamente durante o ano todo. Além de não conhecermos os efeitos a longo prazo para a saúde, se algumas dessas criaturas ou seus ovos chegarem ao ambiente natural, estes super salmões podem dizimar populações inteiras de salmão. Pior ainda, uma vez que eles chegarem aos supermercados, não vamos saber o que é salmão modificado geneticamente e o que é salmão verdadeiro, ou seja, não haverá como evitar o consumo!

A indústria de biotecnologia gastou centenas de milhões de dólares fazendo lobby com os governos para aprovar os alimentos vegetais modificados geneticamente. O peixe Frankenstein é a próxima galinha de ovos de ouro da indústria — e pode abrir as comportas para outros tipos de carne transgênica. Mas o governo dos EUA vai considerar a opinião pública antes de tomar sua decisão final— se conseguirmos pressioná-los e mostrar uma oposição global enorme enquanto eles menos esperam, poderemos impedir esse acordo temerário.

O peixe Frankestein está prestes a ser aprovado — vamos nos certificar de que as empresas de biotecnologia não tenham voz sobre o que comemos.Ajude a construir a petição de 1 milhão de assinaturas para impedir a criação do peixe mutantehttp://www.avaaz.org/po/stop_frankenfish_r/?bYLqhbb&v=21117.

Os membros da Avaaz já se uniram para proteger o meio ambiente e nossos sistemas alimentares de interferências perigosas. Em 2010, mais de 1 milhão de nós se uniram contra os alimentos transgênicos na Europa. Vamos nos unir mais uma vez contra o peixe Frankenstein.

Com esperança, Jamie, Nick, Emma, Dalia, Emily, Paul, Ricken, Wen-Hua e toda a equipe da Avaaz.

Mais informações

Os solos de Sultans Of Swing inspiraram a carreira do músico Cristiano Valle

Tudo começou com os solos de Mark Knopfler, Dire Straits. A partir disso, a música faz parte na vida desse cara… Cristiano Valle, meu amigo e camarada das antigas, desde os tempos em que habitávamos a pacata Pedra de Amolar, bairro interior da nossa cidade, e está cada vez mais longe do que possa imaginar. Apesar de ser um pouco mais adiantado no tempo de vida que Cristiano, sempre fomos colegas e fazíamos parte do mesmo movimento e o respeito e admiração é mútua e  continua até hoje, mesmo estando em ideologia e concepção politicas divergentes, não impediu que nossa amizade se rompesse e superamos esse obstáculo.

Certa vez, mudamos pra mesma rua onde morava Cristiano e sempre conversávamos. Antes e durante sua inicialização na música, Monge como é conhecido e carrega até hoje esse apelido, era um atleta exemplar. Praticante do Kung fu, não sei a qual nível ou faixa chegou, mas sei que sua perseverança o levou ao mais alto degrau do pódio nas disputas de campeonato em que participou, de regionais aos nacionais, onde foi campeão em sua categoria. Foi credenciado a disputar o mundial na China, berço da arte marcial, mas pela falta de oportunidade e apoio financeiro, impossibilitou sua ida em disputar o torneio internacional. Uma pena! Sempre apoiei e incentivei em seus passos, mas somos limitados. Como sabemos que nada é pra sempre, o sonho de continuar “na luta” terminou e Monge teve que abandonar sua carreira. Poser!

Mas a vida segue… e uma vez, o vi andar com um violão debaixo do braço na rua, no outro dia, ele já estava nos palcos do bairro e da escola tocando o terror. Sua decolada no mundo dos acordes da música foi mais rápida que possa imaginar. Recordo-me do primeiro show da sua banda, a Autópsia, em que reunião alguns amigos do bairro. Foi massa, fiz umas fotos e não mais a encontrei, mas se achá-las, publicarei com certeza!

Hoje, faz conservatório em Itajaí e vive exclusivamente pra música. Formou uma banda, com alguns cursistas da escola onde estuda música, a Banca Jazz.  Tem algumas composições, realiza shows pela região e está inserido 100% na música e seu interesse por ela é completo, e pretende viver dela. Possuí inúmeros projetos, sonhos e ideias.

Hoje, conversamos muito no chat do facebook e fiquei feliz de voltar a trocar algumas teclas com meu amigo. Apresentou-me seu novo projeto, gostei muito e dei algumas dicas a ele. Como sou fã de blogs, recomendo que meus amigos mais influentes os façam para que divulguem em suas páginas seus projetos e espero que ele atenda. Já tem um perfil na rede social e uma canal no YouTube, que é um baita começo. Ainda na conversa, recomendei que fizesse uma página no facebook e uma conta no MySpace e outra no SoundCloud, redes mais influentes da música no momento. Vamos aguardar!

Recentemente, levantou em seu canal no YouTube, um projeto novo, uma versão inusitada de Cocaine. Intitulado Eric Clapton Guitar Symphony, todos os instrumentos do áudio foram gravados por Cristiano Valle, exceto a bateria, que foi programado MIDI. Não deixe de ouvir, curtir e compartilhar e acima de tudo, apoie as iniciativas culturais, elas fazem bem a sociedade e aos nossos ouvidos!

Abaixo, segue alguns vídeos interessantes. O primeiro mostra uma entrevista em que concedeu enquanto trabalhava no Jornal Ilhota (projeto que pretendo retornar) para produção de uma pauta. O seguinte é o riff inspirador de sua carreira, Sultans Of Swing.