Prefeitos querem audiência com governador para detalhamento da política de segurança pública

Prefeitos querem audiência com governador para detalhamento da política de segurança pública

Reunidos em assembleia na manhã desta quinta-feira (14), os prefeitos dos municípios do Médio Vale do Itajaí discutiram a segurança pública na região e a proposta de instalação de um presídio. Na ocasião, os prefeitos deliberaram pelo agendamento de uma audiência com o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, para conhecer a política de segurança pública que o Estado tem para a região.

Conforme o prefeito de Timbó e presidente da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi), Láercio Schuster Junior, os prefeitos querem uma discussão mais ampla sobre a segurança pública na região, pois entendem que a questão não se resume à doação de terreno e construção de presídio. “Somos parceiros do Estado e sensíveis ao quadro atual, mas para isso, precisamos conhecer quais serão as iniciativas na região e qual a linha de trabalho a ser adotada”, analisa.

O presidente explica ainda que os prefeitos não serão contrários à construção do complexo prisional na região, mas precisam conhecer os estudos técnicos de viabilidade e impacto, como também ter a indicação do melhor local para a obra, para então dar os devidos encaminhamentos de forma conjunta. “Temos que pensar que uma unidade prisional demanda outros investimentos e reforços em segurança e o Estado deve estar preparado para isso”, conclui o prefeito Láercio.

Você está antenado na moda?

Você está antenado na moda?Divulgue a campanha

Você está antenado na moda? Pois nós estamos. A maioria dos consumidores já decretou que não quer produtos que estejam envolvidos com o desmatamento das florestas ou com a poluição tóxica dos rios. Mesmo assim, a indústria têxtil ainda não se adaptou totalmente aos desejos do mercado.

Para zelar pela vontade do público, nós montamos um ranking com as maiores marcas de alta costura da França e Itália, cobrando que elas adequem suas políticas de produção à conservação do meio ambiente. Sapatos, bolsas e cintos que circulam o mundo inteiro nos armários das pessoas muitas vezes provêm do gado que habita áreas desmatadas ilegalmente na Amazônia, ou vêm fazendas que invadiram áreas protegidas ou que possuem trabalhadores em condições análogas à escravidão.

Para mudar esse cenário e incentivar as boas práticas no mundo da moda, propomos um duelo entre as maiores empresas internacionais. Quem sai ganhando são as florestas e as águas. Como consumidor,contamos com você para cobrar ações concretas das suas marcas preferidas. Você também pode ajudar a interromper essa cadeia criminosa aqui no BrasilCompartilhe a petição pela lei do Desmatamento Zero e proteja nossas florestas.

Faça parte do Greenpeace e junte-se a nós na luta por um mundo mais verde e vivo. Seja um herói você também, colabore com a gente! Nosso trabalho pelo meio ambiente é independente, e por isso seu apoio é fundamental para que ele continue.