A desvalorização do Real ao longo dos anos

Desvalorização do Real ao longo dos anos

Essa apareceu na TV Revolta no dia 07 de maio de 2014.

Uma colagem de imagens mostrando um carrinho com compras que aparece cada vez mais vazio a cada período desde 1997 até 2014. Com esse “dados”, o autor dá a entender que o poder aquisitivo do trabalhador foi diminuindo de 1997 até os dias atuais. No entanto, é bom lembrar que esses dados não estão corretos! Se convertermos o salário mínimo em dólar, teremos o quadro abaixo (que surrupiamos do excelente Blog do Branquinho).

Desvalorização do Real ao longo dos anos

Note que, ao compararmos com o dólar, o salário mínimo parece ser o maior da história. Lógico que ele ainda está muito abaixo do ideal, mas ainda assim, muito melhor do que nos anos anteriores.

O gráfico abaixo foi elaborado pelo Dieese e mostra os aumentos constantes no salário mínimo desde 2002:

Desvalorização do Real ao longo dos anos

Além disso, precisamos lembrar que na época do Governo Itamar Franco (em 1994), o salário mínimo dava para comprar apenas uma cesta básica e hoje dá para comprar duas. Ainda não é muito, mas é o dobro.

Desvalorização do Real ao longo dos anos

A inflação de 1997 a 2013 chegou a 116% (uma média de 7% ao ano), enquanto que no mesmo período houve um aumento no salário mínimo de um pouco mais do que 500%. Uma média de aproximadamente 29,5% ao ano.

Anúncios

Jovens da rede estadual representarão SC no Parlamento Juvenil do Mercosul

parlamento juvenil do mercosul, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

Projetos voltados para a formação política e cidadã da juventude brasileira que vão desde a importância do trabalho na agricultura a propostas de um Ensino Médio com menos evasão escolar. Estes são alguns exemplos de trabalhos realizados por alunos do ensino médio da rede pública estadual que colocam Santa Catarina em destaque no Programa Parlamento Juvenil do Mercosul.

De 4 a 7 de junho, os estudantes Josué Caleb dos Santos Casas, da EEB Professor Roberto Grandt, de São Bento do Sul; Thais Pereira da Silva, da EEB Dr. Tufi Dippe, de Joinville; e Davi Spricigo, da EEB Governador Bornhausen, de Arroio Trinta, participarão, em Vitória (ES), da etapa nacional do Parlamento. Eles foram pré-selecionados em suas regiões e uma comissão da Secretaria de Estado da Educação (SED) escolheu os três melhores projetos para o evento nacional.

Durante a etapa nacional serão selecionados os 27 jovens, um estudante por unidade federativa, que representarão o Brasil, em um mandato de dois anos, em encontros nacionais e internacionais promovendo o protagonismo juvenil, a integração no Mercosul, abrindo espaços para a discussão de temas de interesse comuns aos jovens dos diversos países.

Os classificados na etapa nacional irão participar do primeiro encontro deste biênio que deve acontecer ainda neste ano, em Buenos Aires, Argentina. Antes, porém, passarão por diversas oficinas de preparação.

Um dos selecionados para a etapa nacional, Davi Spricigo, de 15 anos, de Arroio Trinta, elaborou um projeto sobre agricultura e incentiva jovens a darem continuidade a este trabalho, que apresenta um número reduzido de mão de obra. “O jovem deve defender as profissões comuns em sua região e lutar pelo crescimento de sua cidade”, afirmou.

Para a aluna Thais, que defendeu a proposta por um Ensino Médio com menos evasão escolar, é muito importante se ter jovens mais motivados, autônomos e decididos em suas escolhas, sendo elas profissionais ou acadêmicas. “Assim, nossas escolas serão mais conceituadas em relação ao ensino e a sociedade com menos conflitos e com jovens centrados na aprendizagem e em sua carreira profissional”, destaca.

Esta é a terceira seleção para o Parlamento Juvenil do Mercosul, formado por estudantes dos países que integram o bloco — Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela. Os representantes vão discutir a formação política e cidadã da juventude a partir do questionamento O Ensino Médio que Queremos, com reflexão e discussão sobre inclusão educativa, gênero, jovens e trabalho, participação cidadã dos jovens e direitos humanos.

Secom/SC

Criação de conhecimento para a Soberania Alimentar

Soberania Alimentar, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2014

Há um movimento em muitos mundos que estão criando conhecimento para a soberania alimentar! As histórias deste boletim visa fornecer um vislumbre de alguns desses mundos.

Eles mostram que estamos questionando a suposição de uma verdade única baseada em conhecimento objetivo. Também que a nossa compreensão do mundo é enriquecido por considerá-la a partir de perspectivas múltiplos cosmovisões. Indicam que, para estas múltiplas cosmovisões para entrar em um diálogo igual, línguas comuns deve ser encontrado. Eles mostram a necessidade de desafiar o conhecimento acadêmico, mas também para ser aberta ao ser desafiado por ele.

Precisamos transformar radicalmente o conhecimento dominante e formas de saber para a soberania alimentar. Clique aqui para baixar a edição de Inglês ou lê-lo diretamente no site em www.nyeleni.org.