A opinião do meu amigo Rudnei sobre os dois planos governos dos candidatos a prefeito em Ilhota

Plano de Governo, Eleições 2016, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

As pessoas não podem fazer promessas que não podem cumprir! Isso é fato. Mas para ficar a bonito aos eleitores e cumprir os requisitos da justiça eleitoral ao registrarem suas candidatura, instituem os planos de governos. Se isso não fosse obrigatória, talvez isso não existira.

Mas a construção de um plano inicia-se com inserção do partido junto as suas bases, na elaboração das concepções políticas-administrativas, envolvendo militância e sociedade.

Em tempos de eleição, o que não falta são planos de governo de candidatos a prefeitos. No entanto, um plano de governo focado nas intenções individuais ou de grupos de pessoas para quatro anos nem sempre contempla todas as necessidades de um município.

O atendimento das necessidades dos municípios, principalmente os que buscam melhorar a qualidade de vida dos seus munícipes, deve ser planejado estrategicamente, para mais de quatro anos. Inquestionavelmente, tal estudo deve levar em conta propostas coerentes, integradas e viabilizadas por meio de políticas públicas factíveis e participativas

Pensar estrategicamente essas temáticas municipais, de forma integrada, factível e participativa, muito além do “plano de governo” significa propiciar aos munícipes uma qualidade de vida mais adequada e de longo prazo. Mas nem sempre é assim. Pelo que eu sei, poucos eleitos, esquecem no primeiro do mandato o que prometeram em campanha.

Após uma enchida na linguiça neste post e tentar explicar um pouco sobre plano de governo, vamos ao objetivo, em compartilhar a opinião dos dois projetos em pautas nessas eleições. Vamos nessa:

Compartilho com #aminhaopinião em relação aos dois planos de governos dos nossos candidatos a prefeito desta eleição em #Ilhota. Gostaria de deixar claro que não possuo qualquer vínculo partidário, interesse em alguma situação que o resultado final do pleito de 2 de outubro possa trazer, nunca tive bandeira ou placa de quaisquer candidato ou partido, nunca ganhei gasolina nem outros presentinhos. Fui domingo passado acompanhar meu primeiro comício e retorno a Pedra de Amolar no próximo domingo para acompanhar mais um. Ao expor meu ponto de vista, não pretendo influenciar, magoar ou ofender ninguém, curto acima de tudo uma boa conversa, uma boa discussão, que resultam em bons resultados, mas para ela ser praticada precisamos de cidadãos livres de interesses, sem sede de vingança política, com a mente aberta para o bem coletivo e não somente de um grupo restrito. #aminhaopinião será baseada no que está escrito e nas fotos, como disse respeito as mais variadas opiniões e opções que iram surgir.

Os dois planos apresentam inúmeras novidades, mais a que mais chama a atenção #minha são os sorrisos dos candidatos, poxa a politica faz coisa.

O plano peemedevista é o que mais tempo está na praça, bonito e futurista. Dida e seus aliados capricharam. Destaco a página dedicada ao compromisso com a administração, gestão pública eficiente. É o único que menciona a iluminação na Ponte. Lamento não termos a palavra continuidade ou uma página ou parágrafo com algo referente a continuidade de algum projeto que é atualmente executado. Será possível implantar o pronto atendimento na unidade central? Será possível revitalizar todo o perímetro urbano? Inclusive com uma ciclovia? Substituir apostilas por tablets? Construção de escola e CEI no Centro? E o compromisso com a cultura, restaurar o prédio na antiga prefeitura será viável? A construção do estádio municipal… olha isso eu vô cobrar! Não acho uma boa a questão da compra do caminhão de lixo… para concluir #naminhaopiniao esse plano de governo e razoável, audacioso, por isso receio que no pontos mais futuristas, seja impraticáveis em 4 anos.

O plano de Keka e Cia saiu online faz uns 10 dias e no último sábado o impresso. Confesso que fiz críticas a esse atraso, a resposta a este atraso, foi que os candidatos em visitas as localidades ouviram os moradores e juntos montaram o plano. Parabéns pela iniciativa! Gostei da palavra ampliar. A ampliação e continuidade de projetos gera uma economia tremenda de dinheiro público. Destaco a continuidade da apostila positivo e do programa sábado saudável, mas tenho que citar que a reforma do campo municipal no centro, onde em um ato que até hoje não consigo entender, virá a gerar gastos desnecessários. A construção da pista de skate… poxa, eu já li isso antes! O plano é simples, objetivo e creio que mais executável.

Quem tiver alguma crítica, elogio ou sugestão aos envolvidos nesta corrida eleitoral, fica a vontade para comentar. Abraços!

Complementando o artigo do amigo Rudnei Batista Waltrick, postado no grupo Bolão da Eleição 2016, no Facebook, destaco alguns comentários e aqui descrevo.

Para Elaine Souza, professora e historiadora, autora de livros que aborda a história da cidade, disse que:

Adorei suas observações! Meu ceticismo com relação a esta eleição vai muito além ao de muito tempo! Rsrs Contudo acredito q pelo menos sonhar é necessário para esta terra! Neste aspecto acredito que o Dida pode até fazer a diferença mais que necessária diga-se de passagem esse nosso centro é horrível! A sorte é o comércio que investiu por conta própria nas lojas… Agora a ciclovia vai sair aonde? Sob p rio ou aérea, pois nem acostamento tem! Já os méritos do Keka uma coisa simples que fez toda a diferença em sua adm frente ao posto de saúde foi o agendamento de consultas! MEUS PARABÉNS! Me doía a alma ver os mais carentes é necessitados madrugando pra pegar uma ficha e ter q voltar pra ser atendido quando conseguiam ficha… Sem precisar de jeitinho, conhecidos, médico bonzinho! Prova de que o simples pode fazer a diferença, mais ousar também é imprescindível!

Fabio Costa, um importante líder dos Bombeiros Voluntários de Ilhota, comentou que:

Também acredito em uma opção de continuidade, seja o mais viável… pq muito se gasta, e 4 anos na administração publica passam muito rápido. Também deixo meu ponto de vista sobre tudo o que se tem colocado nos dois planos de governo. E acho q optar pelo mais simples, quando se fala em obras é o mais correto na situação atual a nível nacional. Espero sim independentemente do resultado, que nossos futuros governantes saibam realmente oq precisamos, e escolher a opção de ouvir o povo seja a mais vantajosa… sorte pra todos

Há 30 dias que antecedem as eleições, eu compartilhei em meu perfil no Facebook e no grupo doBolão da Eleição 2016, as propostas de governo dos candidatos ao poder executivo em #Ilhota, publicado recentemente no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para as #Eleições2016. Abaixo, os links das propostas:

>>> http://bit.ly/PropostaDeGovernoKeka “Keka e Beto

>>> http://bit.ly/PropostaDeGovernoDida “Dida Oliveira

Não há mais considerações a fazer!

Minha opinião, o plano dos peemedebê é uma mentira.

Vamos ver quem será o plano vencedor e cobrar a efetivação das promessas e tentar acompanhar de perto as políticas públicas do novo prefeito.

Pax Romana a moda ilhotense

Candidatos a prefeito de Ilhota firmam acordo de paz

Foto: Jornal Metas

Candidatos a prefeito de Ilhota assinam termo histórico de pacificação. Pena que essa decisão veio tarde, mas… tarde do que nunca!

Aqui neste link, você pode ler a matéria publicada no Jornal Metas

Isso me veio em mente a famosa Pax Romana, que era uma falsa paz, onde ao longo do período de “relativa” paz, gerada pelas armas e pelo autoritarismo, experimentado pelo Império Romano usada na época, possuindo um sentido de segurança em meio a guerra, ordem e progresso para todos os povos dominados por Roma.

A partir desta data, dia 29 de setembro, está proibido as briguinhas. Quem violar o termo do hasteamento da bandeira branca, vai se ver com a dona justiça.

Quem mais sai ganhando com isso, além dos eleitores, os nossos animais de estimação, principalmente os cachorrinhos, que possuem uma capacidade auditiva diferente do ser humano.

Queria publicar o documento assinado pelos candidatos Keka Laureano e Dida de Oliveira, mas até o momento em que publiquei esse post, não estava disponível no mural eletrônico.

Bolão das Eleições de 2016

Bolão das Eleições de 2016, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

Como é de tradição em todas as eleições em Ilhota, o pessoal aqui da cidade organiza o bolão das eleições, uma formar de estimular os eleitores indecisos a escolherem bem os candidatos em quem irão depositar o seu voto e serem os representantes políticos dos próximos 4 anos. A iniciativa é sempre do amigo Rudnei Batista Waltrick, uma grande referência humana na cidade, de ótima leitura e um bom amigo. Além desse aposta, Rudi também encabeça e organiza o Bolão da Copa do Mundo de Futebol, sua paixão.

Neste ano, apenas dois candidatos a prefeitos estão na corrida. 53 candidatos a vereadores se inscreveram e concorrerão a vaga do legislativo municipal. Nesta altura do campeonato, 4 candidatos a vereadores renunciaram a disputa, sendo apenas 49 estão aptos a disputarem a vaguinha na câmara. Sabemos que somente 9 entram, outros 40 dançaram.

O regulamento desse bolão é bem simples! Não possui finalidade e nem destina-se para como fonte de pesquisa relativa a intenção de votos, tanto para vereador como para prefeito. O Objetivo é apenas de entretenimento do pessoal que curti a disputa eleitoral. Em Ilhota, todo mundo gosta e se envolve com a política, participa do processo, e o organizador está fazendo este bolão somente para galera se divertir.

A folha do bolão possui os nomes e números relativos aos candidatos a vereadores e os dois únicos candidatos a prefeito. Segundo a regra, o apostador deve escolher e marcar no espaço entre parenteses 9 vereadores entre os candidatos que acha que vão ser eleitos, e apenas um dos candidatos a prefeito que acha que vai ser eleito.

Para facilitar, atribuí-se 10 pontos a cada acerto, independente do palpite, assim vereador como prefeito, cada acerto vale 10 pontos. Exemplo: totalizando no máximo 10 acertos a 100 pontos; 9 acertos com  90 pontos; e assim sucessivamente. O valor da aposta é de R$ 10,00.

O valor destinado ao pagamento do bolo será de 85%. O administrador do bolão fica com 15% de cada aposta. Cada apostador pode fazer quantas apostas quiser (9 palpites para vereadores eleitos e 1 para prefeito). Caso ocorra de mais de um apostador em fazer a maior pontuação, o valor total do bolão destinado ao prêmio será dividido em partes iguais. Lembrando, de qualquer forma sairá um ganhador, pode ser com 10, 9, 8 ou 7 acertos, enfim não tem como haver chuchu.

O prazo final de entrega é no dia primeiro de outubro, o sábado, data que antecede as eleições. As apostas não serão expostas, mantendo assim o sigilo dos palpites, visando que nenhum apostador copie as apostas já entregue ao administrador do jogo.

Rudi publicará no grupo do bolão no Facebook do o nome das pessoas conforme forem entregando as apostas, assim todo mundo tem acesso a quantia de apostas, valores finais do bolão.

Dúvidas poderão ser sanadas com o próprio com Rudi no Facebook ou pelo telefone 47 3343-1004. Eu talvez irei fazer a minha aposta, e quem sabe, levar esse bolão. Se não ganhar, mas meu candidato se eleger, ficarei mais que feliz.

Dados da eleição 2016

Complemento a informação com alguns dados estatístico das eleições municipais deste ano:

  • Total de eleitores: 10.958 eleitores
  • Total da população (estimativa/IBGE): 13.493 habitantes

Lista dos candidatos

  • Prefeito: 2 candidatos
    • DIDA – ERICO DE OLIVEIRA – 15 – PMDB
    • KEKA – AMARILDO AVELINO LAUREANO – 11 – PP
  • Vice-prefeito: 2 candidatos
  • Vereador: 53 candidatos
    • ADAUTO – JOSE ADAUTO DA SILVA – 55111 – PSD
    • ALEMÃO DA LAVAÇÃO – VANIO ALDO CUSTODIO – 45015 – PSDB
    • ALEX MENGARDA – ALEX LUIS MENGARDA – 55055 – PSD
    • ALMIR ANIBAL – ALMIR ANIBAL DE SOUZA – 15690 – PMDB
    • ALYNE – ALYNE CRISTINA DEBRASSI SILVA – 23000 – PPS
    • ANGELA WALTRICK – ANGELA WALTRICK VARGAS – 11222 – PP
    • BETO DESCHAMPS – PEDRO ROBERTO DESCHAMPS – 23456 – PPS
    • BOGA – CIDNEY CARLOS TOMÉ – 11611 PP
    • CEDENIR MINUZZI – CEDENIR MINUZZI – 25777 – DEM
    • CELINHA – CELIA REGINA MERLINI – 15675 – PMDB
    • CHICO CAROÇO – FRANCISCO DOMINGOS – 15670 – PMDB
    • CLOVIS HOSTINS – CLOVIS HOSTINS – 23333 – PPS
    • DALVA – DALVA DE AMORIM – 11333 – PP (Renúncia)
    • DIOGO FELAÇO – DIOGO ALEXANDRE FELAÇO – 12012 – PDT
    • EDUARDO DOS SANTOS – EDUARDO JOSÉ DOS SANTOS – 25025 – DEM
    • ELIANE – ELIANE BATISTA SIMON – 15500 – PMDB
    • ELIO COSTA – ELIO DA COSTA – 11999 – PP
    • ERENO SCHMITZ – ERENO SCHMITZ – 15650 – PMDB
    • EXPRESSO – PAULO VILMAR BATISTA – 15600
    • FABI – FABIANA DE FRANCA TOMAZ VIEIRA – 11123 – PP
    • FABRICIO ZUCHI – FABRICIO ZUCHI – 25312 – DEM (Renúncia)
    • FERNADA ANGIOLETTI – FERNANDA APARECIDA CARVALHO ANGIOLETTI – 25555 – DEM
    • GILBERTO – GILBERTO DE SOUZA – 11011 – PP
    • HERCULES GONCALVES – HERCULES FERNANDO GONCALVES – 23023 – PPS (Renúncia)
    • JANDIR PEDREIRO – JANDIR JOSE DIAS – 15015 – PMDB
    • JANE – JANDIRA ALVES DE OLIVEIRA – 23555 – PPS
    • JOÃO ROBERTO – JOÃO ROBERTO VIEIRA – 55123 – PSD
    • JONINHA JACO – JONATAS DE OLIVEIRA JACO – 45045 – PSDB
    • JUAREZ – JUAREZ ANTONIO DA CUNHA – 55333 – PSD
    • LEANDRO – LEANDRO ADAO – 44123 – PRP
    • LUIZA DE PAULA – LUIZA APARECIDA DE PAULA – 55255 – PSD
    • LUIZ GUSTAVO – LUIZ GUSTAVO DOS SANTOS FIDEL – 25000 – DEM
    • MACIEL XAVIER – MACIEL XAVIER DA COSTA – 11755
    • MALCON – SYDNEY MALCON MACHADO – 25018 – DEM
    • MARCELO MOTTA – ISAIAS DORVALINO SABINO – 45123 – PSDB
    • MARISTELA PAULO – MARISTELA PAULO – 45455 – PSDB
    • NELI CUSTODIO – NELI NUNES DA SILVA – 44010
    • NELSON BANANEIRO – JOSE NELSON REICHERT – 55555 – PSD
    • NOLI RIBEIRO – NOELI MARISETE RIBEIRO – 23111 – PPS
    • NORDO ADRIANO – ARNOLDO ADRIANO – 15123 – PMDB
    • PEDRO FELISKY – PEDRO FELISKY – 25123
    • QUINHA – MARIA ADELINA SOARES – 15000 – PMDB
    • REJANE – REJANE CATARINA ANTONIOLLI POMATTI – 13123 – PT (Renúncia)
    • REJANE SOARES – REJANE CREPES SOARES – 15700 – PMDB
    • RIBA DO BAU – REVELINO DA SILVA – 15150 – PMDB
    • ROGERIO – ROGERIO FLÔR DE SOUZA – 13456 – PT
    • ROZELI LESSA – ROZELI GONÇALVES LESSA – PDT
    • SID – SIDNEI REINERT – 12650 – PSD
    • SIDNEI – SIDNEI AGOSTINHO – 23232 – PPS
    • TONHO CURBANI – ANTONIO CURBANI NETO – 15800 – PMDB
    • TONHO PASQUALINI – ANTONIO PASQUALINI – 11111 – PP
    • VANDERLEI COSTA – VANDERLEI JOSE COSTA – 12777 – PDT
    • WILMA OLIVEIRA DE SOUZA – WILMA OLIVEIRA DE SOUZA – 25111 – DEM

 

Partido concorrentes

  • Prefeito: 2 partidos
    • 11-PP
    • 15-PMDB
  •  Vice-prefeito: 2 partidos
    • 25-DEM
    • 55-PSD
  •  Vereador: 9 partidos
    • 11-PP: 8
    • 12-PDT: 3
    • 13-PT: 2
    • 15-PMDB: 12
    • 23-PPS: 7
    • 25-DEM: 8
    • 44-PRP: 2
    • 45-PSDB: 4
    • 55-PSD: 7

 

Coligação: 4 coligações

  • Prefeito: 2 coligações
    • COMPROMISSO COM O FUTURO: PMDB/PPS/DEM/PSDB
    • AVANTE ILHOTA: PP/PDT/PT/PRP/PSD
  • Vereador: 4 coligações
    • PP: PP
    • POR AMOR A ILHOTA: PDT/PT/PRP/PSD
    • COMPROMISSO COM ILHOTA: PMDB/PSDB
    • #SOMOS+ILHOTA: PPS/DEM

 

Locais de votação: 11 locais

  • Escola Marcos Konder – Centro
    • Eleitores: 4.366
    • Seções: 64(370), 65(366), 66(367), 67(361), 68(358), 73(361), 109(367), 115(366), 138(362), 147(362), 171(367), 176(359)
  • Escola Domingos José Machado – Ilhotinha
    • Eleitores: 1.418
    • Seções: 69(354), 141(355), 172(353), 185(356)
  • Escola José Elias de Oliveira – Minas
    • Eleitores: 885
    • Seções: 70(353), 116(355), 189(177)
  • Igreja São José – Laranjeiras/São João
    • Eleitores: 222
    • Seções: 71(222)
  • Igreja Santo Antônio – Boa Vista
    • Eleitores: 391
    • Seções: 72(391)
  • Escola Valério Gomes – Pedra de Amolar
    • Eleitores: 1.119
    • Seções: 74(225), 75(225), 76(222), 125(226), 153(221)
  • CEI Tia Flor – Baú Baixo
    • Eleitores: 452
    • Seções: 77(323), 186(129)
  • Escola Alberto Schmitt – Baú Central
    • Eleitores: 409
    • Seções: 78(354), 190(55)
  • CEI Maria Schmitz – Braço do Baú
    • Eleitores: 816
    • Seções: 79(291), 80(236), 112(289)
  • Escola Pedro Teixeira de Melo – Alto Baú
    • Eleitores: 503
    • Seções: 81(255), 167(248)
  • CEI Chapeuzinho Vermelho – Pocinho
    • Eleitores: 377
    • Seções: 130(377)
  • Resumo geral dos eleitores:
    • Margem direita: 7.282 eleitores
    • Margem esquerda: 3.676 eleitores

 

Estatísticas do eleitorado

Estatísticas do eleitorado em Ilhota - Por sexo e faixa etária - Eleições 2016

Estatísticas do eleitorado em Ilhota - Por sexo e grau de instrução - Eleições 2016

O mito do voto nulo numa eleição

Votar, Votação, Eleição, Voto Nulo, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

Se mais da metade dos eleitores optarem por anular o voto nas eleições, o pleito será invalidado, como muita gente acredita? E uma nova disputa terá que ser organizada num prazo de 40 dias, com novos candidatos? A resposta, em ambos os casos, é não.

O boato circula na internet há anos e ganha força durante o período eleitoral. Em uma rápida pesquisa, é fácil encontrar páginas e comunidades nas redes sociais que hasteiam a bandeira do voto nulo, apresentando-o como uma forma de protestar contra “tudo que está aí”. Os defensores dessa prática política argumentam que esse tipo de voto evidenciaria a insatisfação popular com os rumos atuais da política e a falta de identificação com os candidatos.

Protesto ou não, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem buscado esclarecer o tema. O entendimento da Justiça Eleitoral para a legislação em vigor é de que o voto anulado por vontade própria ou erro dos eleitores, mesmo se em quantidade superior à metade do eleitorado, não invalida a eleição.

Se a pessoa não vai à urna ou vai e vota nulo, ela não manifesta a sua vontade em relação a nenhum dos candidatos. Se poderia até dizer que ela está fazendo um voto de protesto, mas as regras constitucionais brasileiras dão peso “zero” para esse voto de protesto. Ele não é considerado para o resultado das eleições, explicou o ministro do TSE Henrique Neves em recente entrevista.

Confusão

A confusão ocorre por uma interpretação equivocada do artigo 224 do Código Eleitoral, que prevê a necessidade de marcação de nova eleição se a nulidade atingir mais de metade dos votos do país. O grande equívoco dessa teoria reside justamente no que se identifica como “nulidade”.

De acordo com o TSE, essa nulidade não representa os votos nulos ou brancos – mas, sim, a votação em decorrência de fraudes, falsidades, coação, interferência do poder econômico e desvio e abuso de poder, além de propaganda ilegal que beneficiem um candidato em uma disputa majoritária. Assim, para que um pleito seja considerado inválido, provocando nova eleição, é preciso que mais de 50% dos votos sejam declarados nulos pela própria Justiça Eleitoral.

Outra possibilidade de anular o pleito é o indeferimento do registro de candidatura – por estar inelegível ou não estar quite com a Justiça Eleitoral – ou cassação do mandato do candidato eleito com mais de 50% dos votos válidos.

Legislação

Segundo a legislação, apenas os votos válidos contam para a aferição do resultado de uma eleição. Voto válido é aquele dado a um determinado candidato ou a um partido (voto de legenda). Os votos nulos não são considerados válidos desde 1965, conforme o Código Eleitoral (Lei 4.737/1965). Já os votos em branco não são considerados válidos desde que entrou em vigor a  Lei 9.504/1997 (Lei das Eleições). Esses votos, no final das contas, são registrados apenas para fins de estatísticas.

Efeito contrário

Como são descartados na apuração final, votos nulos e brancos podem, na verdade, ter o efeito contrário ao desejado pelos eleitores insatisfeitos com os atuais candidatos. Isso porque, na prática, implicam um número menor de votos válidos necessários para um candidato se eleger.

Em uma eleição majoritária hipotética com 100 eleitores, um candidato precisaria de pelo menos 51 votos válidos (50% + 1) para vencer a eleição em primeiro turno. Na mesma situação, se 20 desses eleitores votarem em branco ou anularem seu voto, apenas 80 votos serão considerados válidos e, dessa forma, estará eleito quem receber apenas 41.

Casos curiosos

Apesar de reverberar hoje na era da internet, a defesa do voto nulo como forma de protesto é antiga. O caso mais famoso foi o do rinoceronte Cacareco, que, transferido do Zoológico do Rio de Janeiro para a inauguração do Zoológico de São Paulo, obteve grande popularidade na capital paulista e, nas eleições de 1959, alcançou cerca de 100 mil votos para vereador – o partido mais votado não chegou a 95 mil votos.

Outro caso foi o do macaco Tião, que obteve de 400 mil votos nas eleições para prefeito do Rio de Janeiro em 1988, tendo sido o terceiro mais votado no pleito. Os votos para Cacareco e para seu sucessor foram considerados nulos pela Justiça Eleitoral.

Ambos os episódios ocorreram antes da adoção da urna eletrônica, quando os eleitores registravam seus votos em cédulas de papel, e podiam escrever o que desejassem nelas. Hoje a anulação se dá quando são digitados números que não correspondem a nenhum candidato ou partido.

Fonte: Agência Senado

Morador de Ilhota fez um transplante de córnea e foi entrevistado pela RIC Record

O dia 27 de setembro comemorou-se o Dia Nacional do Doador de Órgãos. O Jornal do Meio-Dia da RIC Record de Itajaí contou a história de um morador de Ilhota, seu Honorato Delfino Rosa, o popular “Ato”, um senhor de 65 anos que fez um transplante de córnea depois de perder a visão do olho esquerdo em um acidente de carro. Honorato foi vereador na cidade por três mandatos e um dos nossos conhecido das antigas, amigo da família e pai de uns dos meus amigos de infância lá dos tempos de Pedra de Amolar. A cirurgia foi realizada em Itajaí, no Hospital Marieta Konder Bornhausen, onde faz a captação de órgãos e realiza transplante de córnea. Na segunda-feira, desta semana, conversei com o Ato e me contou do transplante e da entrevista. Hoje, resolvi de postar a matéria no blog. É hilário e até engraçado olhar pra ele, pois está com um olho diferente do outro. Ele não sabe quem foi o doador, mas por brincadeira, disse que era de um alemão. Comentei com ele que sou doador de sangue, me cadastrei no banco nacional de doador de medula óssea e quando morrer, quero doar todos os meus órgãos. Ato ficou feliz em ouvir isso de mim. Está aí um bom exemplo para nós poder ajudar o próximo de verdade.

Faustão crítica Governo de Michel Temer sobre reforma educacional

Só faltou o Faustão dizer #ForaTemer!
Mas o que anda acontecendo com a Globo, eles não estão mais apoiando o golpe?

No Blog do Josias, tem um artigo em que o blogueiro postou “Criticado no ar, Temer telefonou para Faustão”. Clique neste link e leia!

Tudo o que você precisa saber sobre votos brancos e nulos mas tinha preguiça em pesquisar

Então… como votar branco? Como anular? E qual o impacto dessa decisão nas eleições? Vamos começar com o básico do básico. Veja como é fácil e simples votar em branco ou anular o voto.

Na hora em que você estiver perante a urna eletrônica, siga os seguintes procedimentos:

  • Para votar em branco, você deve apertar a tecla BRANCO da urna eletrônica, e então CONFIRMA.
  • Para votar nulo, aperte as teclas na urna que não se referem a nenhum candidato, como os dígitos “00”, e então aperte CONFIRMA.

Brancos e nulos: para que servem?

voto branco ainda é considerado um voto conformista, ou seja, o eleitor que utiliza essa forma de voto é considerado um sujeito satisfeito com qualquer um dos candidatos que ganhasse. A ideia por trás disso é que todos os votos em branco vão para o vencedor.

Já o voto nulo é tido como uma forma de protesto. Muita gente incentiva as pessoas a votarem em “nulo” porque isso mostraria a indignação coletiva com o estado da política no nosso país e forçaria a realização de novas eleições, com novos candidatos. Um outro conceito que apresento sobre o voto nulo é o erro. Às vezes, o eleitor acaba deixando a colinha em casa e esquece o número do seu candidato e digita errado, um número que não existe, portanto, anula o voto para aquele cargo, seja o majoritário ou proporcional, ou quem sabe, ambos.

O fato é que, desde 1997, os votos brancos são considerados inválidos e não favorecem diretamente nenhum candidato. Já os votos nulos não têm poder nenhum de influenciar o rumo de uma eleição, apenas diminuindo o total de votos válidos. Assim, desde então os dois votos praticamente se equivalem em seus efeitos.

Então os votos brancos e nulos não fazem nenhuma diferença?

Pode-se dizer que sim, mesmo inválidos, os votos em branco e nulos interferem nas eleições. Mas apenas de maneira indireta. Isso porque, como são inválidos, os brancos e nulos diminuem o número total de votos válidos – ou seja, o universo de votos que serão realmente considerados na contagem final.

Isso sempre favorece o candidato mais votado – especialmente em eleições de dois turnos. O motivo é simples: com menos votos válidos, fica mais fácil alcançar os mais de 50% de votos necessários para a eleição.

Veja este exemplo: suponha que em num município com 10 mil votos válidos, o candidato mais bem votado tenha alcançado 4,6 mil votos. Isso quer dizer que ele conseguiu 46% dos votos, o que, no caso dos municípios com mais de 200 mil habitantes, significa segundo turno.

Agora suponha que desses 10 mil votos, 1000 foram anulados ou deixados em branco. O universo de votos válidos cai para apenas 9 mil. Assim, o mesmo candidato, com os mesmos 4,6 mil votos, garante sua eleição sem precisar de segundo turno – pois 4,6 mil é mais de 50% de 9 mil.

A mesma lógica serve para as eleições para vereador. O cálculo que ocorre nessas eleições depende do quociente eleitoral. Esse quociente representa uma certa proporção dos votos válidos e o partido, para conseguir eleger seus candidatos, precisa possuir uma quantidade de votos maior ou igual a esse quociente.

Sendo assim, os votos em branco e nulos interferem, pois eles diminuem o quociente eleitoral, o que facilita a conquista das vagas pelos partidos.

Vamos a mais um exemplo, para ficar mais fácil:

Mais uma vez, estamos em um município com 10 mil eleitores. Vamos supor que todos eles fizeram votos válidos. Para que um candidato a vereador seja eleito, seu partido precisaria atingir o quociente eleitoral. Supondo que haja 10 cadeiras na Câmara, o quociente é de 1000 votos. Assim, ele precisaria alcançar essa quantidade para ser eleito – ou então contar com votos do partido, coligação e de outros candidatos.

Agora, vamos supor que nessa mesma eleição, 1000 eleitores tenham votado em branco ou nulo. O número total de votos válidos reduziria para 9 mil. Logo, o quociente eleitoral também diminui – para 900 votos por cadeira. Ou seja, o candidato precisará de 100 votos a menos para tornar-se vereador.

Voto nulo anula eleição?

Não! Essa é uma das maiores confusões que as pessoas fazem e também um dos grandes equívocos que se divulgam por aí em vésperas de eleição. O voto nulo não é computado em nenhuma eleição e só interfere, indiretamente, nas eleições para deputados e vereadores, pois diminui a porcentagem total de votos válidos. Assim, mesmo quando são a maioria, eles não anulam nenhum tipo de eleição.

O que muitas vezes causa confusão e leva alguns a acreditar que o voto nulo pode anular a eleição é o artigo 224 do Código Eleitoral, que prevê a necessidade de marcação de uma nova eleição se “a nulidade atingir mais de metade dos votos do país”. Porém, a nulidade a que o artigo se refere não é o voto nulo! Na verdade, ela se refere à anulação de votos em decorrência de fraudes nas eleições: cédulas falsas, votação feita fora do horário e local estipulados, etc.

Vale a pena votar branco ou nulo?

A verdade é que os votos brancos e nulos fazem pouca diferença nas eleições brasileiras. Isso não quer dizer que você não pode usar essas opções, afinal todos têm o direito de se manifestar da forma que preferirem nas urnas. Recomendamos, porém, que você conheça os candidatos das eleições, fique por dentro de suas propostas, e chegue a uma opção consciente, para não precisar invalidar seu voto único.

Legislação

Segundo a legislação, apenas os votos válidos contam para a aferição do resultado de uma eleição. Voto válido é aquele dado a um determinado candidato ou a um partido (voto de legenda). Os votos nulos não são considerados válidos desde 1965, conforme o Código Eleitoral (Lei 4.737/1965). Já os votos em branco não são considerados válidos desde que entrou em vigor a Lei 9.504/1997 (Lei das Eleições). Esses votos, no final das contas, são registrados apenas para fins de estatísticas.

Fonte: Portal Papo de Homem, em parceria com o Politize, JusBrasil, TSE e outros sites

Vídeos da coligação Avante Ilhota

Assista a todos os vídeos da coligação #AvanteIlhota, publicados na página oficial da organização no Facebook. Por incrível que pareça, o alcance dos vídeos hospedados no Facebook estão sendo mais visualizados lá que no YouTube.
















Nessas eleições, em 2 de outubro, vote em Keka e Beto, vote no 11!

Ponte de Ilhota irá promover um aumento de 35% na economia da cidade

 

35% Ponte de Ilhota, Ponte de Ilhota, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

Você sabia que com a inauguração da Ponte de Ilhota a economia da cidade poderá aumentar e girar em 35%? Sim! Essa informação foi apresentada pelo Keka Laureano quando entrevistado pelo Jornal Metas. Keka tem planos para isso. Já o Dida Oliveira disse que irá fazer pelo menos, uma vez por mês, aquele evento que aconteceu no início do mês, parecido com a tal da “Feirinha do Brás”, se não for igual e com festinha e tudo. Você sabe o que é isso ? A “Feira do Brás” é o terror da economia da cidade, que vem e leva todas as nossas riquezas.

Está gravado, com a voz dele na entrevista do mesmo jornal. Se ainda não ouviu, entra lá na página do Metas e dê um play e você irá ouvir. Abaixo desse post, disponibilizamos os vídeos das entrevistas dos dois candidatos postado no canal do youtube.

Então empresário e comerciante, pra quem você quer vender? Para a nossa cidade e consequentemente ver seu lucro aumentar com essa majestosa porcentagem ou não vender nada e ficar assistindo de sua vitrine o pessoal de São Paulo levar todo o seu lucro. Já pensou nisso? Em tempos de crise, 35% é muita coisa!

Essa leitura não favorece somente o empresariado, mas todo o comércio, desde o vendedor de cachorro-quente até os prestadores de serviço, até as pessoas, com a geração de emprego e aumento da renda.

Sobre esse contexto, tudo se planeja apenas para uma determinada classe varejista, o pessoal da lingerie e moda praia, e esquecem dos outros segmentos. Neste sentido é o quero dizer com esse postagem. Mas alguns pensam que sou um retrógrado em publicar minha opinião. Paciência, respeito a diversidade ideológica, mas não sou obrigado a concordar com tudo e faço as devidas moderações com os comentários, afinal, o perfil tem a minha assinatura prezo por minha reputação.

Aproveito para informar a todos que não sou filiado a nenhuma agremiação político-partidária, não estou em nenhuma coordenação de nenhum candidato. Sou um militante da esquerda e voto no Keka.

Pensa um pouquinho ai #champs, pensa com carinho… eu voto no Keka e Beto e peço o seu voto a eles!

#AvanteIlhota

Saiba qua a diferença entre voto branco e voto nulo

Voto Branco, Eleições, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

Apesar de o voto no Brasil ser obrigatório, o eleitor, de acordo com a legislação vigente, é livre para escolher o seu candidato ou não escolher candidato algum. Ou seja: o cidadão é obrigado a comparecer ao local de votação, ou a justificar sua ausência, mas pode optar por votar em branco ou anular o seu voto.

Mas qual é a diferença entre o voto em branco e o voto nulo?

Voto em branco

De acordo com o Glossário Eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o voto em branco é aquele em que o eleitor não manifesta preferência por nenhum dos candidatos. Antes do aparecimento da urna eletrônica, para votar em branco bastava não assinalar a cédula de votação, deixando-a em branco. Hoje em dia, para votar em branco é necessário que o eleitor pressione a tecla “branco” na urna e, em seguida, a tecla “confirma”.

Voto nulo

O TSE considera como voto nulo aquele em que o eleitor manifesta sua vontade de anular o voto. Para votar nulo, o eleitor precisa digitar um número de candidato inexistente, como por exemplo, “00”, e depois a tecla “confirma”.

Antigamente como o voto branco era considerado válido (isto é, era contabilizado e dado para o candidato vencedor), ele era tido como um voto de conformismo, na qual o eleitor se mostrava satisfeito com o candidato que vencesse as eleições, enquanto que o voto nulo (considerado inválido pela Justiça Eleitoral) era tido como um voto de protesto contra os candidatos ou contra a classe política em geral.

Votos válidos

Atualmente, vigora no pleito eleitoral o princípio da maioria absoluta de votos válidos, conforme a Constituição Federal e a Lei das Eleições. Este princípio considera apenas os votos válidos, que são os votos nominais e os de legenda, para os cálculos eleitorais, desconsiderando os votos em branco e os nulos.

A contagem dos votos de uma eleição está prevista na Constituição Federal de 1988 que diz: “é eleito o candidato que obtiver a maioria dos votos válidos, excluídos os brancos e os nulos”.

Ou seja, os votos em branco e os nulos simplesmente não são contados. Por isso, apesar do mito, mesmo quando mais da metade dos votos forem nulos, não é possível cancelar uma eleição.

Como é possível notar, os votos nulos e brancos acabam constituindo apenas um direito de manifestação de descontentamento do eleitor, não tendo qualquer outra serventia para o pleito eleitoral, do ponto de vista das eleições majoritárias (eleições para presidente, governador e senador), em que o eleito é o candidato que obtiver a maioria simples (o maior número dos votos apurados) ou absoluta dos votos (mais da metade dos votos apurados, excluídos os votos em branco e os nulos).

Vote e Confirma, Voto Branco, Eleições, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

Fonte: TSE