Projetos de Leis para aumento de impostos em Ilhota foram aprovados com sucesso!

Câmara de vereadores de Ilhota em instalação de mais uma sessão extraordinária

Resultado da sessão extraordinária realizado no Câmara de Vereadores de Ilhota desta noite… todos os projetos de leis para aumento de impostos foram aprovados com sucesso.

Hoje, na boca da noite, houve mais uma série de pacote da maldade sendo deliberado em mais uma sessão extraordinária e todos aprovados com sucesso. Uma porrada de projetos polêmicos, aumento de impostos, sem debate, sem parecer jurídico, sem consulta da população, sem nada, tudo em favor dos interesses do chefe para aumentar a arrecadação e colocar o custo do progresso no lombo do povo que vai pagar mais uma vez a conta do seu sonho, mas na luxuria dos privilégios de seu governo e do secretariado ele não mexe. Quer aumentar a arrecadação, de o exemplo! Apague a luz como você disse lá um ano atrás, diminua a secretaria pra 5 como prometeu em campanha e por ai vai. Só assim, poderá pedir aumento das taxas/tarifas depois de consultar as pessoas é claro, em audiência. Enfim, até hoje, todos os projetos de extrema relevância foram votados de forma incomum, em extraordinária e de regime de urgência urgentíssima, e alguns já deram problemas e renderam terríveis dores de cabeça que estão medicando lá na promotoria pública em Gaspar. Pra quem disse que nunca mais iria fazer esse tipo de sessão pra votação a toque de caixa, acho que não cumpriu os acordos e mentiu mais uma vez. Sei que alguns #champs coxinhas lá da barroza estão com sede de ódio de mim agora, neste instante, mas os ignorantes pesam que tem as maiores picas da galáxia e imaginam que estão isentos das cobranças de impostos #SQN. Irão pagar assim como eu pago, se é que pagam, coisa de duvido muito! Mas, triste é saber que temos ainda muitos leões de chácara que estão sedentos por briga e defende cegamente o prefeito sonhador. Com esses, não tem debate, nem argumento, querem é porrada. Uma professora foi em até um de meus post publicado em meu perfil no Facebook e comentou uma asneira qualquer. Coitada! Ela é uma de minhas conhecidas e tenho respeito por ela e por sua família e continuarei tendo. Ela tem um negócio em Pedra de Amolar, especificamente para complementar renda, até por que, professor de carreira em Ilhota (como ela é), com tanto tempo de serviço, não ganha aquilo que deveria, uma pena. Mas ai faço uma pergunta a ela ou a qualquer outro comerciante que imagino que me lê nesse momento… você concorda com esse aumento de imposto proposto pelo prefeito em meio a uma suposta crise que o país está vivenciando no momento? É justo um negócio no interior da cidade pagar a mesma alíquota que um comerciante do mesmo segmento aqui no Centro? Pensem um pouquinho só! Você é a favor desse aumento exorbitante de imposto? Se você é contra, tarde demais pra chorar, pois os projetos foram aprovados e logo virarão Lei. Deixo aqui um salve para os vereadores Cidney BogaVereador Rogério Flor de Souza que foram a favor do povo pagador, não de promessa, mas de impostos, e votaram contra todos esses pacotes de medidas abusivas. Promessa quem faz é o prefeito, que como todo bom político, não cumpre. Enquanto o prefeito Dida Oliveira leva pra grupo a galera com macadame e calçamento fureca sem tubulação pluvial, na surdina ele corta investimento na Saúde, sangra a Educação e aumenta drasticamente os impostos municipais. Talvez seja por isso que ele é tão amado por todos, menos por mim que sou casado com a Rose.

Com alegria,
#DialisonCleberVitti

Anúncios

78% dos jornalistas latino-americanos desaprovam Michel Temer, revela pesquisa

Michel Temer sofre

O instituto Ipsos divulgou essa semana os resultados de uma nova pesquisa realizada com formadores de opinião da America Latina sobre a atuação de 11 chefes de Estado da região. O presidente brasileiro ficou em penúltimo lugar, totalizando índice de 17% de aprovação. Entre os líderes mais rejeitados estão Nicolás Maduro, da Venezuela (92%); Michel Temer, do Brasil (78%), o cubano Raúl Castro (73%) e Enrique Peña Nieto, do México (63%).

Já os nomes com maior aprovação entre os entrevistados são Juan Manuel Santos, da Colômbia, com 78%; seguido pelo uruguaio Tabaré Vázquez com 67%, e em terceiro lugar Mauricio Macri, da Argentina, com 69%.

O estudo revela também que a maior aprovação de Temer está entre os participantes brasileiros, com 26%, enquanto os jornalistas peruanos são os que mais o desaprovam com taxa de 89%. Já os entrevistados brasileiros acreditam que a chilena Michelle Bachelet é a melhor presidente, com 74% de aprovação, e o pior líder é Nicolás Maduro, da Venezuela, com 97% de desaprovação.

Mesmo presidente

Levando em conta apenas os países que continuam com o mesmo presidente, a pesquisa comparou os resultados desta edição com a de 2016. O colombiano Juan Manuel Santos lidera há dois anos consecutivos o ranking com índice atual de 79% diante dos 74% do ano anterior.

O último colocado ocupa a posição há dois anos consecutivos. Nicolás Maduro, da Venezuela, este ano apresenta apenas 5% de favorabilidade, com um ponto percentual a menos do que o ano passado (6%).

A pesquisa foi realizada entre 11 de agosto e 11 de setembro de 2017, e contou com a participação de 14 países da América Latina, onde foram entrevistados 367 formadores de opinião e jornalistas de destaque.

Portal Imprensa

Golpe da Hinode. Por um acaso apareceu algum débito em sua fatura de cartão no valor de R$ 1,00?

Fatura do cartão de crédito Submarino - COMPRA NA LOJA A L S HINODE

Se apareceu algum débito desta natureza [22/09/2017 – COMPRA NA LOJA A L S HINODE – 1,00] em sua fatura do cartão de crédito do Submarino e ao conferir os lançamentos no site da Cetelem e se deparou com o lançamento a seguir, certamente você não é o único e não está sozinho neste golpe

COMPRA NA LOJA A L S HINODE

Nos últimos dias dezenas de pessoas vem relatando exatamente o mesmo problema em diversos sites de reclamações. E este que vos escreve também foi uma das vítimas. Todos os lançamentos tem em comum a data 21/09/2017, o valor R$ 1,00 e a descrição “COMPRA NA LOJA A L S HINODE”. E em todos os casos os donos dos cartões não reconhecem tal compra e nem mesmo conhecem tal loja.

Seria uma falha de sistema ou uma grande fraude? Isso ainda é um mistério. Até mesmo pessoas que relatam nunca terem usado o cartão receberam tal cobrança. Teria ocorrido algum vazamento com os números de todos esses cartões?

Mas uma fraude de valor tão baixo faz sentido? Vamos analisar. Considere que muitas pessoas não verão o lançamento ou não se importarão de tomar alguma providência dado o baixo valor. Ligar em central de atendimento é estressante, a fila de espera pode ser longa, ligações caem. Perde-se tempo, e tempo é dinheiro. Enfim, o fato é que muitos podem preferir pagar a cobrança indevida.

A Cetelem tem se limitado a bloquear os cartões afetados, prometer o estorno da cobrança indevida e fazer a emissão de outro cartão, que pode levar até 40 dias corridos para chegar. Isso implica em potencialmente perder muitas promoções. Em alguns casos, a solicitação do novo cartão do Submarino chegou bem antes. Apesar do prazo de 40 dias úteis, acabou demorando apenas 7. É possível que em outras regiões do país demore mais. Menos mau assim.

Mas… é muito lamentável isso, 40 dias corridos… dá para perder até a Black Friday! É mais um fator que pode pesar em favor dos supostos fraudadores. O cliente não quer ficar sem o cartão. Frequentemente o Submarino faz promoções em que o Cartão Submarino tem 10% de desconto ou até mais. Esse desconto facilmente supera o R$ 1,00 perdido.

Enfim, esperamos que a Cetelem se manifeste quanto ao problema, pois parece bastante plausível que tenha acontecido um vazamento. Esperamos também que sejam pro-ativos e cancelem todas as cobranças independentemente de manifestação do cliente. Por fim, espero que quem quer que esteja por trás dessas cobranças também seja identificado e processado.

Você também foi vítima da cobrança indevida? Deixe um comentário.

Fonte de informação clipado desse blog. Clique aqui e confira!

As 8 das maiores mentiras que a indústria láctea

Ordenha de leita de vaca

Os rumores são poderosos. Eles podem destruir carreiras, espalhar-se como incêndio e, no caso da indústria de laticínios, criar um modelo de negócio muito lucrativo. Dos supostos benefícios de laticínios para mentiras definitivas sobre a maneira como seus produtos são feitos, digamos, se você tivesse um centavo por cada afirmação falsa sobre produtos lácteos, você teria dinheiro suficiente para um suprimento vitalício de leite de soja.

Aqui estão alguns dos rumores e desinformação mais notáveis ​​que Big Dairy quer que você acredite:

1. Você precisa de leite para ossos saudáveis e fortes

Resultado de imagem para vaca sendoordenhadasQuem não se lembra dos anúncios “Got Milk?” Com quase todas as celebridades, promovendo as maravilhas do leite para ossos saudáveis? Citando seu conteúdo de cálcio como essencial para uma boa saúde óssea, a campanha mostrou-se altamente efetiva. Hoje, a fonte número um de cálcio na dieta americana é leiteira. Mas há apenas um pequeno problema: não está exatamente certo.

É verdade que o leite e os produtos lácteos podem ser ricos em cálcio, mas, de acordo com o Comitê de Médicos para a Medicina Responsável, a saúde óssea tem mais a ver com a quantidade de cálcio que você retém do que a quantidade que ingeste. Quando você come ou bebe produtos lácteos, seu corpo só absorve cerca de 32% desse cálcio. Enquanto isso, 52,6 por cento do cálcio no brócolis, 58,8 por cento na couve e 63,8 por cento na colheita de Bruxelas é absorvida.

Não é de admirar, então, que um estudo publicado na Osteoporosis International concluiu que os veganos tinham a mesma densidade mineral óssea que os omnívoros.

2. Se você não beber leite de vacas, eles sofrerão

Resultado de imagem para vaca sendoordenhadasMais uma vez, uma dessas afirmações não muito verdadeiras. Sim, se uma vaca está amamentando e não é tratada, ela vai sofrer, mas isso não se aplica a como o leite é produzido hoje.

Ao contrário da crença popular, as vacas não produzem naturalmente leite durante todo o ano. Assim como os humanos, eles apenas lactam quando estão amamentando, para que possam alimentar seus bezerros.

Quando a agricultura operava em uma escala menor, estava certo para o fazendeiro pegar um pouco de leite de vaca para si mesmo, enquanto o bezerro consumia a maior parte para crescer. Hoje, no entanto, não é assim que o processo funciona.

O leite é produzido em uma grande escala industrializada. As vacas são impregnadas e os bezerros são levados após apenas um dia – eles não precisarão do leite materno, já que se tornarão vitelos – e o leite é reservado para consumo humano. O processo se repete, de modo que uma vaca produz leite 305 dias do ano .

3. O leite é essencial para o desenvolvimento saudável

Resultado de imagem para vaca sendoordenhadas“O consumo de leite e produtos lácteos está associado a inúmeros benefícios para a saúde”, reúne o Conselho de laticínios As mães há muito tempo alimentam leite para seus filhos, esperando que este elixir mágico lhes permita crescer saudável e forte. Mas novas pesquisas sugerem que proteínas, cálcio e vitamina D podem ser encontradas em outros alimentos sem os efeitos colaterais negativos dos produtos lácteos.

“As crianças realmente precisam de leite? Não, é claro que não”, disse a professora de nutrição Amy Lanou à LiveScience Magazine. “A maioria das pessoas no mundo não bebe leite depois de serem desmamadas a partir do leite materno e, no entanto, ainda recebem nutrição adequada. Se você realmente alimenta uma criança de três porções de leite de vaca, como eles vão ter espaço para outros alimentos saudáveis ​​como legumes, legumes e proteínas magras?”

Desde que as crianças bebem leite geralmente envolve atirar uma boa quantidade de açúcar na bebida para produzir sabores de chocolate ou morango, o consumo de leite também pode levar à obesidade infantil.

4. O leite de achocolatado é bom para concussões

Resultado de imagem para vaca sendoordenhadasAntes de se apressar para a mercearia para abastecer-se de leite com chocolate para o seu supermercado de futebol da faculdade ou da faculdade, você deve saber que isso também não é verdade.

Em 2015, um estudo da Universidade de Maryland afirmou que o leite com chocolate – especificamente uma bebida chamada Fifth Quarter Fresh – poderia ajudar os atletas que haviam sofrido concussões a se recuperar mais rápido.

Há um pequeno detalhe que o comunicado de imprensa que promove a pesquisa esqueceu de mencionar, porém: o Quinto Quarto Fresco ajudou a financiar o estudo “através de um programa baseado na U-Md. que liga empresas com universidades para pesquisa de desenvolvimento de produtos “, informou o Washington Post .

Quando o jornal perguntou a um professor de pediatria e especialista em concussão no Weill Cornell Medical College em Nova York para examinar os dados, ele descobriu que não havia dados suficientes para tirar conclusões.

5. As vacas gostam de ser ordenhadas

Resultado de imagem para vaca sendoordenhadasFilmagem de fazendas de fábrica, que produzem 86 por cento de leite nos EUA, de acordo com Modern Farmer, mostram vacas enganadas para máquinas de ordenha. Esses dispositivos eletrônicos puxam os mojos das vacas para leite-las rapidamente e de forma econômica.

As condições nas fazendas leiteiras são tão insalubres que há uma chance de 50/50 de vaca obter uma infecção por úberes – e, sim, o pus dessa infecção entra no leite. Para evitar essas infecções, muitos agricultores têm até dois terços das caudas das vacas removidas cirurgicamente sem analgésicos, embora a eficácia da prática tenha sido provada. Os chifres das vacas também podem ser queimados ou cortados. Isso soa como uma experiência prazerosa?

6. As vacas leiteiras não são abatidas

Resultado de imagem para vaca sendoordenhadasLembre-se de como as vacas são repetidamente impregnadas para produzir leite? Normalmente, uma vaca viveria até 20 anos, mas devido ao estresse e à fadiga da impregnação contínua e da ordenha, as vacas leiteiras só podem durar três a cinco anos. Depois disso, seus corpos deixam de produzir tanto leite e são aposentados – para a indústria da carne onde se tornam hambúrgueres.

7. O leite é um super alimento

Resultado de imagem para vaca sendoordenhadasNós já estabelecemos que outros alimentos têm o mesmo ou mais nutrientes do que leite e produtos lácteos, mas não é apenas a falta de vitaminas que tornam os produtos lácteos insalubres.

Para que as vacas produzam mais leite, muitos agricultores lhes dão hormônios de crescimento, o que leva as vacas de hoje a produzir cerca de 10 vezes mais leite por dia do que algumas décadas atrás.

O leite e os produtos lácteos também estão cheios de gorduras saturadas, o que muitas vezes significa colesterol superior, artérias entupidas e doenças cardíacas. De acordo com a lista da Escola de Saúde Pública de Harvard, “Top Food Sources of Saturated Fat in the US”, as sobremesas regulares de queijo, pizza e produtos lácteos estão entre os cinco melhores.

8. Nada se compara ao sabor e à textura dos produtos lácteos

Resultado de imagem para vaca sendoordenhadasEra uma vez a única alternativa comercializada ao leite real, mas hoje não há escassez de opções: amêndoa, avelã, cânhamo, arroz e coco são apenas algumas das opções. Alguns são mais espessos, outros são mais doces, mais cremosos e mais nozes – é realmente uma escolha pessoal na qual se sabe melhor. E com grandes marcas como osalto de Ben & Jerry no vagão não lácteo, é mais fácil do que nunca comer bem sem lácteos reais.

Care2

Para que servem os partidos políticos?

Política brasileira

O Brasil vive um momento político bastante intenso desde meados de 2013. Com a saída da população às ruas para protestar, a falta de pauta e de direcionamento nas demandas fez com que os movimentos perdessem força.

Entre 2014 e 2015, novas ondas de protestos tomaram as ruas do país e, novamente, a grande quantidade de demandas – o fim da corrupção, o impeachment da Presidente, prisão do ex-presidente, intervenção militar, etc -, e a ausência de um centro articulador tem as manifestações confusas do ponto de vista prático.

Apesar das informações acima, existe um ponto em comum entre todas as manifestações: os gritos de que os partidos não representam os cidadãos. Mas seria tal informação verdadeira?

Por que os partidos são importantes?

Vamos ver o que diz a Carta Magna brasileira, a Constituição Federal de 1988. Encontramos escrito em seu Artigo 1º, Parágrafo Único que ‘’Todo poder emana do povo que o exerce por meio de seus representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição’’.

Logo, verificamos que, do ponto de vista jurídico, a própria Constituição determina que o Brasil terá uma democracia representativa, cabendo ao povo exercer sua soberania ao escolher seus representantes e, em alguns casos, decidir de forma direta sobre os rumos da produção legislativa e da formulação e execução das políticas públicas.

Veja também: afinal, porque não nos sentimos representados pelos partidos políticos?

O que dizem os cientistas políticos?

Nesse sentido é que diversos cientistas políticos, desde meados do século XVIII, trataram de conceituar os partidos políticos a fim de compreender sua importância no processo político dos países. Edmund Burke foi o precursor no desenvolvimento de um conceito dos partidos políticos. Ele chegou a dizer, em 1770, que os partidos eram uma espécie de corpo de pessoas unidas para promover o interesse nacional.

Já no século XIX, Benjamin Constant conceitou partidos políticos como sendo uma reunião de homens que professam a mesma doutrina política.  No século XX, diversos autores como Max Weber, Nawiasky, Kelsen, Goguel, Burdeau e tantos outros criaram teorias que, respeitadas as devidas diferenças, conceituavam partidos políticos são a união de pessoas, da sociedade; são a formação de grupos com ideais políticos semelhantes, organizados, que visam participar da vida política, dando forma e eficácia a um determinado poder.

Logo, podemos extrair dos escritos acima que os partidos políticos consistem, desde o princípio de sua formação, em um instrumento de representação da vontade de determinados grupos da sociedade. Exemplo disso é a atual existência de 32 partidos políticos no Brasil, cujas legendas representam os mais diversos grupos da sociedade brasileira.

Razões pelas quais verificamos que, por mais que o povo brasileiro não se sinta representado pelos partidos, sua existência ainda é indispensável para a manutenção do sistema representativo em que vivemos. É preciso ter em mente que os partidos canalizam as demandas sociais, criando pautas a fim de traduzir a vontade pública em leis e políticas públicas.

Sem os partidos políticos, o atual sistema beiraria o caos social, fazendo com que não houvesse canais de diálogo entre demandantes e demandados, tornando impossível a condução da política, uma vez que seria praticamente impossível haver consenso entre todos.

Resumindo

Os partidos políticos são importantes pois:

  1. Representam a população;
  2. São instrumento de articulação entre as pautas da sociedade e dos governantes;
  3. Traduzem a preferência da população em políticas públicas;
  4. Canalizam a vontade do povo, afastando o caos da vida das pessoas.

Ok, na teoria já deu para entender por que os partidos são importantes. Mas, na prática, por que não nos sentimos representados? Leia esse texto para ter algumas respostas!

Fonte: Politize! Escrito por Alexandre Lins Batista, membro da Associação Brasileira de Ciência Política, Acadêmico e Pesquisador em Ciência Política na Uninter.

Impeça o descontrole de armas de fogo!

Impeça o descontrole de armas de fogo!

A Câmara dos Deputados lançou, nesta semana, a ferramenta online “Pauta Participativa”. Trata-se de um website em que a população pode votar em projetos de política, segurança e saúde. No campo da segurança, o PL 3722/2012, que busca revogar o Estatuto do Desarmamento e permitir que a população porte armas nas ruas de forma indiscriminada, está na dianteira.

Caso esta situação não se altere nas próximas duas semanas, o projeto será pautado na Câmara dos Deputados. Por favor, acesse o site e vote contra o PL 3722/2012 (Revisão do Estatuto do Desarmamento). Sua atuação é muito importante!

Observação
Para votar contra um projeto, é necessário apoiar dois outros. Nossas recomendações de votos a favor são:

  • Circunstanciado por Policiais Militares; e a
  • Lei Orgânica de Segurança Pública.

Pauta Participativa

Pauta Participativa é uma forma de você ajudar a Câmara a definir a prioridade de votações dos projetos. Ao final do período de consulta (2 semanas), a Câmara colocará em pauta os projetos de cada tema que tenham obtido o maior saldo positivo de votos, ou seja, votos favoráveis menos votos contrários. Participe! Acesse aqui para entender a metodologia utilizada.

Sindicato pede apoio dos deputados contra privatização da Eletrobrás

Sindicato pede apoio dos deputados contra privatização da Eletrobrás

O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia Elétrica de Florianópolis (Sinergia) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, na tarde desta quarta-feira (6), para solicitar o apoio dos deputados estaduais na luta contra a privatização da Eletrobrás e da Eletrosul. A convite do deputado Cesar Valduga (PCdoB), o secretário-geral do Sinergia, Eduardo Clasen Back, expôs os motivos pelos quais a entidade é contrária à venda dessas empresas, responsáveis por boa parte da geração e transmissão da energia elétrica consumida no país.

A privatização da Eletrobrás foi anunciada no mês passado pelo governo federal como estratégia para diminuir os rombos das contas públicas e atrair novos investimentos para o país. Mas, para o Sinergia, a venda do sistema só trará prejuízos para a sociedade brasileira.

“Energia não é mercadoria, energia é um item essencial na soberania nacional, elemento fundamental para o desenvolvimento de um país”, disse Back. Para ele, com a privatização, além de perder o controle sobre esse insumo, o Brasil vai enfrentar altas expressivas nas tarifas de energia, o que vai prejudicar a indústria nacional. Sindicato pede apoio dos deputados contra privatização da Eletrobrás“Esse programa de privatizações é um salto no escuro. É algo que pode acabar com a indústria brasileira”, alertou.

O sindicalista contestou que as empresas do sistema Eletrobrás deem prejuízo aos cofres públicos. Segundo ele, a Eletrosul, que tem sede em Florianópolis, gera lucros de R$ 150 milhões ao ano em média. “É uma empresa premiada em várias áreas, reconhecidamente importante para o desenvolvimento de Santa Catarina e do Sul do país”, disse.

deputado Cesar Valduga demonstrou preocupação com a ameaça de privatização da Eletrobrás. Para ele, esse decisão do governo não conta com o apoio da população. “Temos que nos contrapor a essa medida que está sendo imposta goela abaixo”, disse. Dirceu Dresch e Luciane Carminatti, ambos do PT, também criticaram a tentativa de venda das empresas de energia elétrica públicas.

Agência Alesc

10 de setembro é o dia internacional de ação contra a OMC e acordos de livre comércio

OMC e ACL

Hoje, La Via Campesina está convidando os movimentos sociais e organizações da sociedade civil do mundo para mobilizar e organizar nossas resistências contra a Organização Mundial do Comércio (OMC) e acordos de comércio livre (ACL), construir alianças de solidariedade e se preparar para uma semana mundial de ação em dezembro, coincidindo com o 11º Ministerial Internacional que está agendada para ter lugar na Argentina.

Pela primeira vez desde a sua criação, a Organização Mundial do Comércio (OMC) está planejando se encontrar na América Latina. De 10 a 13 de dezembro, o governo de Mauricio Macri vai sediar Conferência Ministerial 11 da OMC, em Buenos Aires, Argentina. Empresários, ministros, chanceleres, e até mesmo presidentes vai estar lá. Para fazer o que? Para exigir mais “liberdade” para suas empresas, mais “facilidade de fazer negócios” para a exploração de trabalhadores, camponeses, povos indígenas, e tendo por terra e territórios. Em outras palavras, menos “restrições” sobre o desperdício transnacional.

Desde seu início em 1995 como derivado do Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio (Gatts), a Organização Mundial do Comércio promoveu a forma mais brutal do capitalismo, mais conhecida como a liberalização do comércio. No conferências ministeriais sucessivas, a OMC estabeleceu para globalizar a liberalização dos mercados nacionais, prometendo prosperidade econômica à custa da soberania. Em mais ou menos os mesmos termos, pela sua “liberalização, desregulamentação e privatização”, que é chamado Pacote do neoliberalismo, a OMC tem estimulado a multiplicação de acordos de comércio livre (ACL) entre os países e blocos regionais, etc. Nesta base, e por fazendo uso de governos que foram cooptados, maiores empresas transnacionais do mundo (ETN) buscam minar a democracia e todos os instrumentos institucionais para defender a vida, os territórios, ea comida e ecossistemas agrícolas dos povos do mundo.

Na anterior Conferência Ministerial (MC) em Nairobi em 2015, a OMC tinha feito seis decisões sobre agricultura, algodão e questões relacionadas com a PMA. As decisões agrícolas cobrir compromisso de abolir os subsídios às exportações agrícolas, público de armazenagem para fins de segurança alimentar, um mecanismo de salvaguarda especial para países em desenvolvimento, e medidas relacionadas com o algodão. As decisões também foram feitas em relação ao tratamento preferencial para os países menos desenvolvidos (PMD) na área de serviços e os critérios para determinar se as exportações dos países menos desenvolvidos possam beneficiar de preferências comerciais.

Este ano, com Macri Inc. na Casa Rosada (Casa de Governo da Argentina), o líder do golpe Michel Temer no Palacio del Planalto (local de trabalho oficial do presidente do Brasil), e o brasileiro Roberto Azevedo como seu Director-Geral, a OMC quer voltar ao tema da agricultura, para pôr fim à pesca de pequena escala, e avançar com os acordos multilaterais como o Acordo Geral sobre Comércio de Serviços (GATS). Não obstante as declarações protecionistas enganosas provenientes de Washington e Londres, a OMC vai se reunir novamente para tentar impor os interesses do capital à custa do Planeta Terra, das aspirações democráticas dos povos do mundo, e da própria vida.

Descrição: https://viacampesina.org/en/wp-content/uploads/sites/2/2017/08/Profile-Pic-EN-300x300.pngDurante estes 20 anos de luta contra a OMC, os povos do mundo têm resistido sua tentativa de globalizar tudo, inclusive a sistemas agrícolas e alimentos, para o benefício das empresas transnacionais. Nossas lutas têm sido o maior impedimento para o avanço da OMC, e não há dúvida de que La Via Campesina tem desempenhado um papel decisivo. Nossa resistência à liberalização do mercado ao abrigo deste regime neoliberal tem continuado desde a Rodada Uruguai conduzida no âmbito do Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio (GATT). Desde então, La Via Campesina mobilizou contra quase todas as conferências ministeriais desde Seattle (1999) e Cancún (2003) – onde nosso irmão Lee Kyung Hae, segurando uma bandeira declarando que “A OMC mata camponeses”, sacrificou sua própria vida – e até Bali (2013) e Nairobi (2015).

Este ano, entre os dias 8 a 15 de dezembro, uma delegação internacional La Via Campesina estará em Buenos Aires para tomar parte activa nas numerosas mobilizações da sociedade civil, fóruns e discussões. Nós estaremos lá para identificar a OMC como a organização criminosa que é e para levantar a bandeira da Soberania Alimentar. Vamos chamar todos os Governos, que depois de ter realizado o enfraquecimento da OMC, têm recorrido a acordos de comércio mega grátis bilaterais e regionais, que ameaçam aniquilar nossos sistemas alimentares, assim como a OMC tem feito ao longo das últimas duas décadas.

Estamos convidando todos os nossos organizações-membro – em cada país – para mobilizar durante esta “Semana de Ação contra a OMC” (de 8 a 15 de dezembro); dentro de seus contextos sociais e políticos, eles devem encontrar o momento certo e formar os melhores alianças, a fim de denunciar a OMC e os numerosos acordos bilaterais e regionais de livre comércio.

Insistimos que a agricultura não deve ser parte de qualquer das negociações da OMC!

Dizemos mais uma vez:
NÃO À OMC!
NÃO À acordos de livre comércio!
PARA A SOBERANIA ALIMENTAR de nossos povos!
GLOBALIZEMOS A LUTA!
Globalizemos a esperança!

Via Campesina

Carta de um trabalhador do setor elétrico aos demais companheiros de luta

Trabalhador do setor elétrico

Estamos em 2017, ano pós-golpe parlamentar ocorrido em 17/04/2016. Desde que tudo começou tínhamos a sensação de que de alguma forma, nós do setor elétrico seríamos duramente afetados. O fantasma da privatização promovido na Eletrosul no período FHC, marcou a vida profissional de muitos trabalhadores que foram demitidos, perseguidos e tiveram suas vidas totalmente desconfiguradas naquele período.

Em poucos, lutamos contra o golpe com unhas e dentes. Mas ele aconteceu, perdemos aquela batalha triste de Abril de 2016. Sofremos intensamente quando a presidenta eleita Dilma Vana Rousseff foi afastada por uma corja golpista e corrupta. Os desdobramentos da Lava Jato, operação policial e judicial que acabou com a soberania do nosso país, chegou nos aliados do temer e o golpe foi iniciado. O golpe, teve como um dos pilares a intenção de parte dos parlamentares de se salvarem da cadeia e isso está registrado na história recente e triste do nosso país.

Depois, estes mesmos poucos, lutamos contra a PEC da morte, desmonte das leis trabalhistas, dos correios, da Petrobras, direitos dos quilombolas e contra tantos outros malefícios que este governo sem legitimidade está implantando no nosso país. Agora, estamos lutando pelo setor elétrico, neste momento em que a onda de choque do golpe atinge nossas empresas como um tsunami atinge o litoral. Gostaria de dialogar de forma franca e aberta informando o que realmente acontece, oferecendo a oportunidade de contraponto ao que a mídia corrompida difunde diariamente contra nós.

O que o setor privado quer implantar no país, é um modelo onde o estado mínimo é a principal característica. O desmonte do setor elétrico é primordial para que consigam eliminar a possibilidade do estado regular, controlar e proteger o setor de energia elétrica, pilar principal da soberania do país.

É mentira que a MP579 editada pela presidenta Dilma acabou com o setor elétrico. A MP579 veio para prorrogar as concessões das empresas do governo que venceriam em 2015, causando uma desoneração forçada de igual ou maior tamanho da que foi feita. Tal prorrogação impediu que o setor sofresse com um desmonte já em 2015. Naquela ocasião, o governo federal cortou a receita das empresas proporcionando uma redução de tarifa para a população. Tal redução só não foi tão percebida devido à crise hídrica ocorrida em 2014, que forçou o setor a usar o potencial termelétrico que custa bem mais caro.

Hoje, o modelo sancionado pelo presidente Lula em 2014, através da lei 10.848/2004, está baseado em três pilares: modicidade tarifária, universalização e garantia de fornecimento. A modicidade tarifária é praticada através de vários mecanismos que permitem forçar o custo para baixo, sendo o preço praticado o menor possível. São realizados leilões de usinas e de linhas de transmissão, onde vence quem oferece o menor preço. No período de 2002 a 2014, as empresas do grupo Eletrobrás foram as que mais ofereceram deságio para o setor elétrico, aumentando a eficiência ano após ano através da competência, experiência e vontade que desse certo de todos os empregados das suas subsidiárias.

A universalização é garantida pelos programas sociais do estado, que através de subsídios, garantem energia para as populações mais distantes dos grandes centros. A agricultura familiar foi amplamente fortalecida e beneficiada neste período com programas como Luz Para Todos que erradicou em Santa Catarina a falta de acesso das pessoas a energia elétrica. As concessionárias também recebem subsídio, sendo a energia garantida a todas as pessoas de baixa renda.

A garantia de fornecimento, é realizada por programas de investimento como PAC, financiamentos do BNDES e de um planejamento que permite que o setor ante na frente da demanda necessária para o crescimento e consequente desenvolvimento do nosso querido Brasil.

O governo golpista, quer através de duas consultas públicas MME 5/2017 e MME 33/2017, legitimar de forma rápida e rasteira a total alteração neste modelo de eficiência e sucesso no Brasil. Cabe ressaltar que as consultas públicas não terão o caráter a que se destinam, sendo consideradas somente como cumpridoras formais. A pretensão do governo é editar uma medida provisória alterando todo o modelo, que carecia de ajustes, mas não de uma transformação tão profunda e desastrosa.

A alteração proposta acaba com a modicidade tarifária, colocando no lugar a liberdade de mercado e comercialização. Esta medida irresponsável vai afetar todos os brasileiros e brasileiras que dependem da energia elétrica. A energia com o preço liberado e controlado tão somente pelo mercado, pode subir a exemplo da Argentina onde passou a custar 700% mais. Com o aumento do preço da energia, poderemos ter racionamento em escolas, hospitais, universidades, aumento dos preços de tarifas de todos os demais serviços que dependem da energia elétrica para se viabilizarem. Só para se ter uma ideia, a energia será comercializada em uma “bolsa de energia” e o preço será definido hora a hora ao longo do dia. Exemplo mais parecido com isso é o da Colômbia, onde o preço é por dia, ou seja, cada dia da semana o preço tem um valor diferente do outro. Será um desastre. Imagine-se tomando banho de madrugada porque a energia no horário chamado de ponta 18h às 22h tenderá a custar mais por causa da elevada demanda neste período do dia.

A universalização é atacada quando o governo através desta MP inconsequente, acaba com o os subsídios, sejam eles da natureza que for. As concessionárias e cooperativas, que atendem a população mais carente e as famílias que vivem longe dos grandes centros urbanos serão afetadas, uma vez que a viabilidade da sua sobrevivência depende destes incentivos.

Com o preço liberado, a bolsa de energia implantada, a energia sendo precificada por hora e as empresas sendo vendidas para o mercado, terá sido implantado o caos energético neste importante recurso tecnológico e estratégico para o país. Outra medida catastrófica é a liberação de toda pesquisa desenvolvida no CEPEL até então para o setor privado. O conhecimento gerado pelos profissionais ao longo de anos de pesquisa será liberado sem qualquer custo ao setor privado, sendo considerado um saque à nação e ao povo brasileiro. Bem sabemos o valor incalculável do conhecimento. Esta entrega significa mais que isso, significa mais um ataque ao patrimônio nacional.

A privatização da Eletrobras, anunciada pelo ministro de minas e energia do governo golpista dia 21/08 terá como efeito imediato o aumento da energia para a população. Cerca de 20% a 30% da energia custa R$11,00 para ser gerada nas empresas estatais, dependendo da hidrologia do país. Cerca de 20% da energia custa em torno de R$40,00 pelo MW gerado nas empresas estatais. Com a venda para o mercado esta energia passa a custar R$200,00 pelo menos. É só verificar o preço no mercado livre de energia.

Precisamos mobilizar nossa população para defender a soberania, o preço, o patrimônio do povo e os empregados que garantem o funcionamento deste importante serviço para a população brasileira.

Nenhuma alteração deve ser realizada de forma tão profunda e por mais acertada que fosse (que não é), poderia causar danos irreparáveis no setor elétrico.

Tiago Bitencourt Vergara
Florianópolis, 23 de agosto de 2017

Prefeita mineira é presa por envolvimento em assassinato de jornalista

Prefeita é presa por envolvimento em assassinato de jornalista

Roseli Ferreira Pimentel (PSB), prefeita de Santa Luzia, em Minas Gerais, foi presa na manhã de quinta-feira (7), acusada de envolvimento no assassinato do jornalista Maurício Campos Rosa. O crime aconteceu em agosto de 2016 e além de Roseli, outros três homens suspeitos também foram levados pela polícia. As informações são do Jornal O Globo.

O jornalista era dono do jornal local “O Grito”, distribuído gratuitamente há mais de 20 anos na cidade, que faz parte da região metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a polícia, Rosa foi morto com cinco tiros ao sair da casa de um conhecido. A prefeita já havia sido condenada anteriormente em outra ação por enviar mensagens aos diretores e professores de escolas pedindo que influenciassem pais de alunos nas eleições.

Em 2012, foi eleita vice-prefeita na chapa com Carlos Alberto Parrilo Calixto. Após a morte de Calixto em decorrência de um aneurisma, em 2016, Roseli assumiu o comando da cidade de 72 mil habitantes.

No ano passado, Roseli foi reeleita com 34% dos votos, mas em abril deste ano foi afastada pelo o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) por abuso de poder econômico e propaganda indevida com excesso de gastos em publicidade institucional. Em junho, a prefeita foi reconduzida ao cargo por meio de uma liminar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa de Minas Gerais (DHPP) deve fazer uma coletiva ainda essa semana para explicar a prisão, a motivação do crime e a relação entre a vítima e os acusados. Além da chefe do executivo foram presos David Santos Lima, Alessandro de Oliveira Souza e Gustavo Sérgio Soares Silva.

Histórico

Desde 1992, Roseli atuou como professora, supervisora e diretora de escolas. Ingressou na política em 2009, quando se tornou assessora da procuradoria da Câmara de Vereadores.

Portal Imprensa