Carta aberta do prefeito Dida aos cidadãos de Ilhota

Prefeito Dida de Oliveira

Minha Gente,

Circula um áudio pela Internet com uma comunicação pessoal minha, enviada por engano para um grupo de WhatsApp de onde foi espalhada. No áudio, eu peço a um membro da nossa equipe para ajudar no monitoramento de um determinado setor da administração pública de nossa Cidade. Um setor extremamente importante para a população e com o qual eu me preocupo muito.

Há dois princípios que não abro mão no exercício do mandato para o qual o Povo de Ilhota honrosamente me elegeu. O primeiro deles é o respeito no trato com as Pessoas que precisam do apoio da administração pública. O segundo princípio, mas não menos importante, é o cuidado extremo com o uso correto e legítimo dos recursos públicos no atendimento das necessidades do nosso Povo.

Nesta administração, todos os que exercem algum tipo de função pública municipal deverão respeitar rigorosamente esses dois princípios. Sem exceção. Essa é a regra de ouro que está (e estará) sempre acima de qualquer relação pessoal ou partidária. Esse foi o compromisso que assumi como homem público perante a minha Família e o Povo desta terra maravilhosa que tanto amo. Defenderei esses dois princípios com toda a minha energia enquanto eu for o Prefeito de Ilhota. Doa a quem doer!

Caminhar pelo mundo da política é uma tarefa árdua para pessoas de bem. A lida de um chefe de governo sério é muito difícil porque nem sempre é possível contar com a integridade ética de todos aqueles que o cercam. O poder e o acesso fácil aos recursos públicos cria, infelizmente, um ambiente tentador para que alguns sucumbam à pratica de condutas moralmente questionáveis e por vezes até criminosas.

Não cabe ao Prefeito acusar publicamente ninguém por crimes contra a administração pública. Diante de uma suspeita consistente, o Prefeito deve informar as Autoridades competentes para que as investigações sejam instauradas de forma legítima e, quando for o caso, os responsáveis sejam processados e julgados nos termos da Lei.

Mas é muito fácil ser induzido ao erro de acusar injustamente pessoas inocentes. Com a força da Internet, criou-se um ambiente propício e perigoso para esse tipo de injustiça. Por isso, nesta Administração, sempre que houver a suspeita de algo errado, iremos averiguar com muito cuidado e sem alardes. Quando a suspeita se mostrar consistente, ela será imediatamente informada às Autoridades competentes, para que tudo seja esclarecido de forma legítima e com o devido respeito ao contraditória e à ampla defesa.

Para os poucos que ainda insistem em nos atacar de forma rasteira e covarde, informo que os resultados da administração Dida e Joel estão aí para quem quiser ver. Não são promessas, são realizações. E muitas! Os Ilhotenses estão sorrindo. Sabem que agora na Prefeitura há pessoas sérias e comprometidas com a solução dos problemas do nosso Povo. Juntos faremos de Ilhota um Município modelo. Sempre com o imprescindível respeito às Pessoas e ao uso correto e legítimo dos recursos públicos.

Vamos em frente Minha Gente! Trabalhando duro e com a atenção redobrada.

Um abraço carinhoso do Dida!

Publicado na página do prefeito Dida no Facebook e imortalizado neste blog.

Aos meus amigos de Ilhota – Carta do Dr. Lucas

Dr. Lucas Gonçalves do PMDB

Frente aos recentes acontecimentos, venho aqui me manifestar e dar a minha versão frente ao áudio do prefeito que circula na cidade.

Desde a eleição para prefeito que fui derrotado nas urnas, meu discurso sempre foi de não mais me candidatar a cargo político, mas procurado pelo então amigo Dida, me senti na obrigação e até para retribuir o carinho que recebi do MDB de Ilhota, de apoiá-lo na última eleição, em que ele saiu vitorioso com uma margem expressiva de votos, nunca visto na história de ilhota.

Friso aqui e desafio a qualquer um a dizer o contrário, que NUNCA pedi nada para apoiar o Dida, sempre foi ele que pedia para que eu ficasse à frente da saúde, e eu então indiquei minha esposa que é enfermeira de formação e com experiência em gestão de saúde e SUS.

Me surpreende, e muito, que ele insistisse tanto para que ficássemos a frente da saúde e agora venho descobrir pelas suas próprias palavras que ele pressionava minha esposa para que ela saísse.

Isso para mim além de ser uma traição sem medida, me transparece mais um ato de covardia, mas para que? Nunca fui ameaça para seu futuro político, não vou me colocar em uma nova disputa política, minha esposa também não, então para que tudo isso?

Isso só ele mesmo pode responder, mas que não seja leviano de levantar falsas acusações sem provas, pois aí o processo deixa de ser corriqueiro e vamos até às últimas consequências…

Não desejo o mal do Dida e de sua administração, apesar dos seus rampantes de insanidade em determinadas situações, ele tem a chance de ser o melhor prefeito de Ilhota, de se reeleger e perpetuar sua ideologia por muitos anos, mas como pessoa o Dida morreu, querer destruir quem só o ajudou e nunca pediu nada troca, e o mesmo que cortar a mão de quem sempre só o alimentou.

Me afasto definitivamente e de forma irrevogável da política e da administração de ilhota, mas permanecerei ilhotense de corpo e alma.

Publicado no perfil de Lucas Gonçalves em 2 de fevereiro de 2018. Logo em seguida o perfil saiu fora do ar.

30 municípios estão inscritos para o Fórum de Cidades Digitais em Piçarras

Confirmação de Inscrição - Fórum de Cidades Digitais em Piçarras

Prefeitos de Rio do Sul, Lages e Bombinhas apresentam inovações no encontro que acontece na região da Foz do Rio Itajaí.

Gestores de 30 municípios estão inscritos para o III Fórum de Cidades Digitais da Foz do Rio Itajaí, que será realizado em Balneário Piçarras, dia 07 de fevereiro, por meio de uma parceria entre a Rede Cidade Digital (RCD) e a Prefeitura de Balneário Piçarras. O objetivo do encontro é reunir prefeitos, gestores públicos, vereadores e empresários para troca de experiências, facilitando o planejamento dos municípios voltado para Tecnologia da Informação e Comunicação. As inscrições são gratuitas para servidores públicos e podem ser feitas pelo www.forum.redecidadedigital.com.br.

Balneário Piçarras tem investido fortemente em tecnologia no setor público desde 2013, contando com todas as unidades públicas ligadas por fibra óptica. Foi o primeiro município na região a informatizar todo o sistema de Saúde pública trazendo algo inovador que garantiu redução de filas e maior controle do fluxo de atendimento e demanda de médicos necessários por região. No início deste ano, a Prefeitura adquiriu um aparelho de raio-x digital para facilitar o acesso aos exames. O diretor de Tecnologia da Informação, Eliabe Meldola Pereira, explica que o equipamento irá reduzir o tempo de espera de atendimento aos pacientes.

A Educação é outra área 100% online, com uma atenção especial para o reforço escolar onde alunos e professores podem acessar os materiais pedagógicos via internet e aplicativos móveis. “Ainda no ano corrente será disponibilizado o acesso através da internet e aplicativos móveis para que os pais possam acompanhar o rendimento escolar de seus filhos através do acesso às notas escolares, assim como também a possibilidade de matriculas online”, disse o diretor de TI, informando que no mês de fevereiro a Prefeitura de Piçarras também deve ser lançar um aplicativo para consulta da folha de pagamento dos servidores e solicitação de alvarás.

III Fórum de Cidades Digitais da Foz do Rio Itajaí será realizado no auditório do Museu Oceanógrafo Univali, a partir das 8h30. A iniciativa tem o patrocínio prata da 1Doc e bronze da Celk Sistemas, Yukaline Informática e da Editora Positivo, além do apoio institucional da Federação Catarinense de Municípios (FECAM), da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (AMFRI) e do Itacolomi Hotel.

Serviço

III Fórum de Cidades Digitais da Foz do Rio Itajaí
07 de Fevereiro – Balneário Piçarras
Local: Museu Oceanógrafo Univali
Início: 8h30
Inscrições gratuitas para servidores públicos: www.forum.redecidadedigital.com.br

Estudo divulga os riscos à diversidade e à pluralidade no sistema de comunicações no país

Quem controla a mídia no Brasil?

O debate sobre a democratização dos meios de comunicação no Brasil está na pauta do Serviço Social. Atualmente, o CFESS integra o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), pois considera que, se houvesse no Brasil uma mídia democraticamente acessível a todas as pessoas e segmentos, diferentes vozes seriam ouvidas e você, assistente social, poderia ter a oportunidade de assistir a outros programas de televisão e de rádio e ter até suas manifestações ouvidas.

É nesse sentido que o CFESS divulga o lançamento do estudo Quem Controla a Mídia no Brasil, que ocorreu em Brasília nesta sexta-feira, 2 de fevereiro, no auditório do Conselho Nacional do Ministério Público Federal. O levantamento, que faz parte de uma iniciativa internacional que ganhou o nome de Media Ownership Monitor (Monitor de Propriedade de Mídia), foi organizado pela instituição Repórteres sem Fronteiras.

O estudo identificou os 40 principais grupos de mídia, seus proprietários e proprietárias e os riscos à diversidade e à pluralidade no sistema de mídia do país. Participaram do lançamento a procuradora federal dos direitos do cidadão, Deborah Duprat, o representante da Repórteres sem Fronteiras no Brasil, Emmanuel Colombié, e o coordenador da pesquisa, André Pasti, do Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social, este último responsável pelo estudo do caso brasileiro.

Assistente social pode participar

Para além do estudo, a categoria de assistentes sociais pode participar ativamente desse debate e dessa luta. Basta conhecer as atividades da Comissão de Comunicação do CRESS de sua região, as ações e estratégias do FNDC e dos Fóruns Estaduais pela Democratização da Comunicação.

O CFESS acredita que, para se aliar a essa luta, é preciso entender que a comunicação é um direito de todos/as. E que, para todo mundo poder exercer esse direito (que inclui a expressão e o direito à informação com diversidade), é preciso que haja mais mídia independente, menos recursos públicos para a mídia privada, menos concentração de controle e propriedade, mais canais disponíveis gratuitamente para a sociedade, mais conteúdo local e menos influência de governos e políticos nos conteúdos da radiodifusão.

Você pode acessar o estudo, clicando aqui!

Conselho Federal de Serviço Social – CFESS