Vereadores da AMFRI promovem encontro para discutir situação do Hospital Universitário Pequeno Anjo

Vereadores da AMFRI promovem encontro para discutir situação do Hospital Universitário Pequeno Anjo

O Vereador Rogério do PT atendendo a convocação do vereador itajaiense Marcelo Werner, participou da reunião na tarde do dia 14 para tratar do assunto na sede do legislativo de Itajaí.

Preocupados com a falta de investimentos no hospital, reuniu-se os vereadores da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí e os representantes do Hospital Universitário Pequeno Anjo para buscar parcerias e apresentar as debilidades da instituição. A professora Attela Jenichen Provesi, responsável pelo Hospital apresentou os números e estatísticas de uso da unidade pelos municípios e a situação financeira do hospital.

Segunda a professora Attela, “desde julho de 2017 não há compra de equipamentos no Hospital”. Isso dificulta os atendimentos e muitas vezes coloca em risco a vida das crianças e adolescentes atendidos pelo HUPA.

Os parlamentares questionaram à professora e esclareceram dúvidas sobre repasses, despesas e o trabalho do hospital. Cada vereador comprometeu-se em levar a matéria para a Câmara que representa e buscar parcerias, através de indicações e emendas, para auxiliar no custeio das despesas do hospital. Também ficou definida uma reunião com o presidente da Amfri, Dr Elcio Kuhnen para apresentar a situação do hospital.

“Nos comprometemos a trabalhar juntos para que o governador Pinho Moreira possa vir à Itajaí e acompanhar de perto a situação do Hospital. Só assim, poderemos  solicitar a liberação de recursos para o hospital”, conclui Werner.

Fotos: Davi Spuldaro

Anúncios

10 anos da tragédia de 2008

Tragédia de 2008 em Ilhota

Um pergunta que o jornalista Mario Motta da NSC fez em seu blog e que surgiram inúmeras interrogações principalmente aqui pra nós ilhotense, o que a tragédia de 2008 nos ensinou? É de se pensar um pouquinho, não é?

Pensando nisso, a Defesa Civil de Santa Catarina promoveu nos dia 12 e 13 deste mês, no Centro de Eventos Governador Luiz Henrique da Silveira, no norte da Ilha, o II Seminário Internacional de Proteção e Defesa Civil, que foi aberto ao público. Nesses dois dias, os mais de tantos palestrantes renomados de diversos países estiveram na capital catarinense para alertar e discutir temáticas, como monitoramento e alerta prévio – experiências aprendidas, planejamento urbano, mapeamentos de risco e segurança pública. Desconheço se o povo da Defesa Civil de Ilhota participou deste evento, seria interessante a presença nossa lá, até porque, fomos o epicentro de toda calamidade climática e poderíamos compartilhar experiência e solucionar as inúmeras falas que a nossa coordenadoria municipal tem no setor, como a defasagem do plano de contingência. O seminário destacou também os projetos realizados para aumentar a resiliência do povo catarinense perante o maior evento severo ocorrido no Estado: as fortes chuvas que atingiram 14 cidades catarinenses e mataram 135 pessoas, tragédia que completa 10 anos em 2018. Informações no site www.sipsdc2018.com.br.