NASA Science Days abre o 1º BC Smart Week neste sábado

NASA Science Days

Neste sábado (03) e domingo (04), acontece o NASA Science Days. O evento, que começa às 13h, no Speedway Music Park, faz parte do 1º BC Smart Week e terá workshops e palestras voltadas ao empreendedorismo, tecnologia e inovação. Inspirado no Dia do Espaço da Flórida, o Science Days edição Santa Catarina pretende aproximar a educação e sensibilizar a importância das áreas exatas na vida de jovens e crianças. A entrada é gratuita.

Estão na programação do BC Smart Week também workshops de jogos eletrônicos, youtubers e robótica e palestras com o embaixador da NASA, Elifas Kassim Holodniak, líder do movimento Acredito em SC, Israel Rocha; o empreendedor da Santa Costa, Christopher Stone; André Belz, da Rockfeller Language Center; e Magnun da Fan Page BCMilGrau.

“Empreender é levar a efeito aquilo que nos propomos fazer. Vamos oportunizar às crianças e jovens de Balneário Camboriú inúmeras palestras, workshops e orientações para que possam ter o estímulo empreendedor em suas vidas”, comentou o diretor do departamento de Assistência à Juventude (DEAJ), Douglas Aguirre.

A programação completa do 1º BC Smart Week pode ser conferida no anexo da matéria. O evento é gratuito e destinado diretamente para alunos do ensino fundamental, médio e universitários de Balneário Camboriú e segue até a sexta-feira (09),em diferentes locais.

O evento tem o apoio das Secretarias de Turismo, Desenvolvimento e Inclusão Social, por meio do DEAJ e Educação, Associação Empresarial de Balneário Camboriú (ACIBALC), Câmara de Dirigentes Lojistas de Balneário Camboriú (CDL), Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), SEBRAE, Santa Costa, Gestalt Coworking, JA Santa Catarina, Univali, Inteligência Marketing e Stage Videoprodutora.

Prefeitura de Balneário Camboriú

NASA Science Days

Anúncios

Jovens catarinenses poderão aderir ao programa do governo federal ID Jovem

Programa ID Jovem

O benefício de meia-entrada em eventos artísticos, esportivos e culturais por meio do programa federal Identidade Jovem será inserido na realidade de 190 mil jovens catarinenses, com idade entre 15 e 29 anos, a partir do dia 31 de maio. O evento de lançamento do programa também chamado de ID Jovem será realizado no auditório Antonieta de Barros, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, a partir das 14h, por meio da Coordenadoria Estadual da Juventude.

Da mesma forma que o benefício conquistado com ingressos, o jovem ganha ainda por meio do programa, vagas gratuitas ou desconto no sistema de transporte coletivo interestadual. Depois de esgotadas as vagas gratuitas, são reservadas mais duas vagas com desconto de 50% (cinquenta por cento), no mínimo, no valor das passagens.

Este amparo aos jovens é uma maneira de provar o quanto o estatuto Nacional da Juventude está sendo respeitado, na avaliação do Coordenador Estadual da Juventude, Teilor Topanotti. “É uma grande conquista que nos deixa muito felizes. Santa Catarina tem seus jovens contemplados pelo cumprimento do estatuto que acolhe em benfeitorias as nossas atuais e futuras gerações”, pontuou Topanotti.

O secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Valmir Comin, acredita que o programa vai ampliar consideravelmente a participação dos jovens em eventos com a oportunidade de descontos. “Todos sabem o quanto é difícil estudar e ter recurso para outros momentos de cultura e lazer. Para muitos é muito complicado e às vezes impossível, porém, o benefício de pagar meia entrada favorece quem realmente precisa”, disse ele.

Critérios

O programa ID Jovem é destinado para pessoas de família com renda mensal até dois salários mínimos. Além disso, o jovem também tem de estar inscrito no Cadastro Único para Prog3ramas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e suas informações devem estar atualizadas há pelo menos 24 meses.

As inscrições podem ser feitas pelo site da Escola do Legislativo Lício Mauro da Silveira, pelo endereço www.escola.alesc.sc.gov.br/eventos. O ID Jovem é um programa do Governo Federal desenvolvido pela Secretaria Nacional da Juventude. A Escola do Legislativo e a Caixa Econômica Federal são parceiros.

Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST)
Assessoria de Comunicação

De acordo com o Banco Mundial, jovens latino-americanos carecem de acesso adequado a saneamento e Internet

Banco Mundial: jovens latino-americanos carecem de acesso adequado a saneamento e Internet, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

Para ganhar a luta contra a pobreza na América Latina e no Caribe, as crianças e os jovens precisam ter melhor acesso às oportunidades básicas, afirmou o Banco Mundial na ocasião da publicação de novos dados para marcar o Dia Internacional da Erradicação da Pobreza.

De 2000 a 2014, a pobreza extrema (pessoas vivendo com menos de 2,5 dólares por dia) caiu de 25,5% para 10,8% na América Latina e no Caribe. No entanto, desde 2012, essa redução tem ocorrido em um ritmo muito mais lento, como resultado da desaceleração econômica nos países da região.

Ao mesmo tempo, a desigualdade passou por uma ligeira redução, embora ainda se mantenha em um patamar elevado. A região também apresentou significativos avanços na expansão do acesso às oportunidades, especialmente aos serviços básicos, como eletricidade e matrícula escolar, disse o Banco Mundial.

A atual desaceleração econômica, no entanto, está ofuscando esse progresso contínuo, já tendo interrompido a expansão da classe média.

“Para a região continuar com a grande transformação social que empreendeu desde a virada do século, precisamos garantir que, para cada criança ou jovem, seja oferecida uma oportunidade justa para poder cumprir o seu verdadeiro potencial”, disse Jorge Familiar, vice-presidente do Banco Mundial para a América Latina e Caribe.

No contexto da desaceleração econômica, é ainda mais importante melhorar as oportunidades das crianças desfavorecidas, como o acesso a uma boa educação

O relatório “Índice de Oportunidade Humana (IOH) 2016: Buscando Oportunidades para Todos” avalia em que medida as crianças e jovens de até 16 anos têm acesso aos serviços necessários para uma vida produtiva — tais como educação, água e saneamento, eletricidade e Internet.

Enquanto a análise mostra importantes avanços no acesso à eletricidade e à matrícula escolar — mais de 90% de cobertura — a região ainda está defasada no acesso à água corrente, saneamento e Internet.

A Argentina, Brasil e Chile apresentam as mais altas pontuações do IOH em educação, enquanto o México está entre os mais bem pontuados quanto ao acesso à eletricidade. O Uruguai é o mais avançado em saneamento. A região andina e a América Central estão obtendo bons resultados na conectividade móvel.

Os piores resultados em saneamento foram registrados na Bolívia, El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Honduras e Haiti. No caso do acesso à Internet, os casos mais graves são Guatemala, Honduras, Nicarágua e Bolívia.

“O acesso desigual aos serviços essenciais pode prejudicar o desenvolvimento e o bem-estar das crianças e jovens, o que, em última análise, limita a sua produtividade na vida adulta e afeta o potencial da região para impulsionar o crescimento e reduzir ainda mais a pobreza no longo prazo”, disse Oscar Calvo-Gonzalez, autor do relatório e diretor de práticas para redução da pobreza na América Latina e no Caribe do Banco Mundial.

Infelizmente, a baixa renda e escolaridade dos pais, assim como viver nas áreas rurais, continuam a ser importantes barreiras para o acesso às oportunidades e à mobilidade econômica de uma geração para a seguinte

Evoluções da última década

O relatório concluiu que, entre 2000 e 2014, a região fez progressos significativos na expansão do acesso aos serviços: o IOH para frequência escolar na América Latina e no Caribe mostra-se elevado, com uma média de 94%, e também é semelhante a sua taxa de cobertura, o que indica que o acesso é mais equitativo.

Os dados também revelam que a região enfrenta mais desafios para alcançar a igualdade de oportunidade de acesso adequado ao saneamento básico e à água encanada, em comparação com a conclusão do ensino fundamental.

Em toda a região, o acesso ao telefone celular subiu de 13% em 2000 para mais de 90% em 2014. No entanto, apesar do rápido avanço na cobertura de Internet, o IOH para a disponibilidade desse tipo de conexão se mantém baixo, inferior a 50% para cada país da região.

Se a região mantiver o seu desempenho na expansão do acesso aos serviços, é possível que a maioria deles atinja a cobertura universal em 2030: as crescentes taxas de acesso à Internet, água e saneamento na região superam o percentual de crescimento necessário para que se alcance a cobertura universal nos próximos 15 anos. No entanto, o progresso apresenta uma grande variação entre os países.

Leia aqui o relatório completo

Fonte: ONU Brasil

 

O crescimento do desemprego juvenil no mundo

Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que a taxa de desemprego juvenil global deve atingir 13,1% em 2016 e permanecer nesse nível em 2017 (um aumento em relação à taxa de 12,9% de 2015).

ONU BrasilO relatório da OIT World Employment and Social Outlook 2016 – Trends for Youth mostra que, como resultado, o número global de jovens desempregados deverá aumentar em meio milhão neste ano, para chegar a um total de 71 milhões – o primeiro aumento em três anos.

A maior preocupação é a parcela e o número de jovens que vivem em situação de pobreza extrema ou moderada apesar de estarem empregados, frequentemente em países emergentes e em desenvolvimento. Na verdade, 156 milhões ou 37,7% dos jovens trabalhadores vivem em situação de pobreza extrema ou moderada (comparado a 26% dos adultos que trabalham).

“O aumento alarmante do desemprego entre os jovens e os níveis perturbadores de jovens que trabalham mas ainda vivem na pobreza mostram o quão difícil será alcançar a meta global de acabar com a pobreza até 2030, a menos que nós redobremos nossos esforços para conquistar crescimento econômico sustentável e trabalho decente. Esta pesquisa também destaca grandes disparidades entre mulheres e homens jovens no mercado de trabalho, que precisam ser abordadas com urgência pelos Estados membros da OIT e seus parceiros sociais”, disse a Diretora Geral Adjunta para Políticas da OIT, Deborah Greenfield.

Oportunidade desiguais

Na maioria dos indicadores de mercado de trabalho, existem grandes disparidades entre mulheres e homens jovens, que sustentam e dão origem a diferenças ainda mais amplas durante a transição para a vida adulta. Em 2016, por exemplo, a taxa de participação na força de trabalho para jovens homens é de 53,9%, em comparação com 37,3% para jovens mulheres – o que representa uma diferença de 16,6 pontos percentuais.

O desafio é particularmente grave no sul da Ásia, nos Estados Árabes e no Norte da África, onde as taxas de participação de jovens mulheres são, respectivamente, 32,9, 32,3 e 30,2 pontos percentuais menores do que as taxas dos jovens homens em 2016.

Aumento do desemprego é impulsionado por desaceleração nas economias emergentes

Estima-se que o crescimento econômico global em 2016 será de 3,2% –  0,4 pontos percentuais abaixo do valor previsto no final de 2015.

“Isso é impulsionado por uma recessão mais profunda do que o esperado em alguns países emergentes chave, que exportam commodities, e por um crescimento estagnado em alguns países desenvolvidos”, disse o Economista Sênior da OIT e principal autor do relatório, Steven Tobin. “O aumento das taxas de desemprego juvenil é particularmente acentuado em países emergentes”.

Nos países emergentes, a previsão é de que a taxa de desemprego juvenil aumente de 13,3% em 2015 para 13,7% em 2017 (um valor que corresponde a 53,5 milhões de jovens desempregados em 2017, comparado com 52,9 milhões em 2015). Na América Latina e no Caribe, por exemplo, espera-se que a taxa de desemprego juvenil aumente de 15,7% em 2015 para 17,1% em 2017; na Ásia Central e Ocidental, de 16,6% para 17,5%; e no Sudeste Asiático e no Pacífico, de 12,4% para 13,6%.

Trabalhadores pobres

A baixa qualidade do emprego continua a afetar desproporcionalmente os jovens, embora com consideráveis diferenças regionais. Por exemplo, a África Subsaariana continua a sofrer com as maiores taxas de pobreza entre jovens que trabalham em todo o mundo, chegando a quase 70%. As taxas de pobreza entre jovens trabalhadores também são elevadas nos Estados Árabes (39%) e no Sul da Ásia (49%).

Nas economias desenvolvidas, há cada vez mais evidências de uma mudança na distribuição da pobreza por idade, com os jovens tomando o lugar dos idosos como o grupo de maior risco para a pobreza (nas economias desenvolvidas, a pobreza se define quando a pessoa ganha menos de 60% do rendimento médio). Por exemplo, em 2014, a porcentagem de jovens trabalhadores na União Europeia classificados em alto risco de pobreza era de 12,9%, em comparação com 9,6% dos trabalhadores em idade ativa (entre 25 e 54 anos). O desafio é particularmente agudo em alguns países onde a parcela de jovens trabalhadores em risco de pobreza é superior a 20%.

Vontade de migrar

Entre as muitas razões para a migração (por exemplo, conflitos armados, desastres naturais, etc), uma taxa de desemprego elevada, o aumento da susceptibilidade à pobreza entre trabalhadores e a falta de oportunidades de emprego de boa qualidade são fatores fundamentais que definem a decisão de jovens de migrar permanentemente para o exterior.

Globalmente, a porcentagem de jovens entre 15 e 29 anos de idade que estão dispostos a se mudar definitivamente para outro país era de 20% em 2015. A maior inclinação para mudar para o exterior, de 38%, era encontrada na África Subsaariana e na América Latina e no Caribe, seguidas de perto pelo Leste Europeu com 37%.

Fonte: Escritório da OIT no Brasil – Ana Paula Canestrelli
Oficial de Comunicação e Informação Pública

Vídeo do I Torneio de vôlei da juventude

Resgatando um pouco da história de nossa atuação na frente da Assessoria para Assuntos da Juventude da Prefeitura de Ilhota onde realizamos esse evento inédito. Esse post apresenta a produção de um simples vídeo do I Torneio de Vôlei da Juventude de Ilhota, que aconteceu na noite de sexta-feira do dia 10/12/2010. A iniciativa fez parte da programação do I Ilhota Natal Luz. O campeonato reuniu seis duplas masculinas. Os vencedores foram Jonathan e Junior. Em segundo lugar ficaram Eder e André e em terceiro Maicon e Daniel.

Seminário juventude é coisa séria

Convite Juventude é coisa séria, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2014, Newsletter, Feed

A Associação Horizontes e a OAB/SC realizam na FIESC, nos dias 28 e 29 de agosto deste ano, em Florianópolis, o Seminário Juventude é Coisa Séria.

O evento, que conta com o apoio da Prefeitura de Florianópolis, da FIESC e da empresa Tractebel Energia, tem o objetivo de promover o debate e propor ações em relação a dois importantes temas relacionados à infância e juventude em Santa Catarina e no Brasil: o adolescente em conflito com a lei e a violência doméstica contra a criança e o adolescente.

A organização do evento quer trazer para o debate as principais autoridades nos temas propostos. Entre os palestrantes convidados, já confirmaram presença no seminário os representantes da OAB/SC, Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, CONANDA, Conselho Tutelar, CMDCA, Vara da Infância e Juventude, Fundação CASA, Defensoria, Secretarias de Estado de Justiça e de Assistência Social, Secretaria Municipal de Assistência Social, ANDI, ICOM, Assembleia Legislativa, consultores especializados, dentre outros convidados.

Ao longo dos dois dias do seminário, serão explorados, dentre outros, temas como o atendimento socioeducativo em São Paulo; ser adolescente: um direito em construção; mídia brasileira e as regras de responsabilização dos adolescentes em conflito com a lei; qualificação profissional do adolescente em cumprimento de medida socioeducativa; o atendimento ao egresso do sistema socioeducativo; o papel do terceiro setor no controle social dos direitos da infância e juventude; o risco de ser jovem no Brasil; a implementação do SINASE no Brasil; diagnóstico, propostas e ações em SC para a abordagem da violência contra a criança e o adolescente e para o atendimento socioeducativo.

A Horizontes entende que é seu dever promover esse debate e provocar as transformações necessárias visando assegurar a efetividade do marco legal de proteção e garantia de direitos da criança e do adolescente. Essa, sem dúvida, é nossa grande motivação para a realização desse seminário, em parceria com a OAB/SC, esclarece Marcos Molinari, presidente da Horizontes.

Seminário “Juventude é Coisa Séria”

  • Data: 28 e 29 de agosto de 2014.
  • Horário: das 9h às 18h.
  • Local: FIESC – Rod. Admar Gonzaga, 2765 – Itacorubi, Florianópolis.
  • Confirmações de presença através do site www.ah.org.br, até o dia 25/08/2014.
  • Inscrições gratuitas.Vagas limitadas.
  • Mais informações: eventojuventude@ah.org.br
  • Telefone: (48) 3031-3500

Inscreva-se já!😀

Coordenadoria da Juventude comemora avanço em projeto de lei que cria Conselho Estadual

Etapa estadual da II Conferência Nacional da Juventude, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

O projeto de lei que cria o Conselho Estadual da Juventude (Conjuve-SC), órgão representativo com poder de sugerir ao Executivo a elaboração de políticas públicas na área de juventude, caminha para aprovação. O texto passou pela Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) e atualmente está na Comissão de Finanças e Tributação. A criação do Conjuve-SC abre caminho para a inserção de novos conselhos municipais da juventude em todo o Estado.

De acordo com o coordenador estadual da Juventude, Alan Schoeninger, as expectativas em relação à aprovação do projeto são as melhores possíveis. “Nós temos certeza de que os deputados  estaduais vão debater muito esse assunto  e que irão contribuir. Este projeto é um trabalho de pelo menos dez anos, em que buscamos este espaço de debate, de políticas públicas em Santa Catarina”, afirma o coordenador.

O Governo do Estado, por meio da Coordenadoria Estadual da Juventude, vem participando na elaboração e acompanhamento de diferentes projetos, como o Geração TEC, programa que cria oportunidades para jovens e adultos por meio de qualificação profissional no setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); além do Fórum Estadual de Gestores Municipais da Juventude, que permite aos gestores compartilharem ideias para a construção das políticas públicas voltadas aos jovens de todo o território catarinense.

A Coordenadoria preparou material para ser entregue durante a 1° Semana Estadual da Juventude, realizada em novembro do ano passado, com informações sobre os programas criados pelo Governo do Estado para os jovens. Segundo o coordenador Alan Schoeninger, entre os programas está, por exemplo, o programa Beija Flor, que visa a inclusão digital no meio rural catarinense, através de telecentros e atividades pedagógicas. Outro exemplo de sucesso é o programa Uniedu, executado pela Secretaria da Educação, que agrega todos os programas de atendimento aos estudantes da educação superior, fundamentados pelos artigos 170 e 171 da Constituição Estadual e pela lei do Fundo Social, e que em 2013 atendeu mais de 26 mil estudantes, com investimento de cerca de R$ 100 milhões.

Jovens da rede estadual representarão SC no Parlamento Juvenil do Mercosul

parlamento juvenil do mercosul, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota,

Projetos voltados para a formação política e cidadã da juventude brasileira que vão desde a importância do trabalho na agricultura a propostas de um Ensino Médio com menos evasão escolar. Estes são alguns exemplos de trabalhos realizados por alunos do ensino médio da rede pública estadual que colocam Santa Catarina em destaque no Programa Parlamento Juvenil do Mercosul.

De 4 a 7 de junho, os estudantes Josué Caleb dos Santos Casas, da EEB Professor Roberto Grandt, de São Bento do Sul; Thais Pereira da Silva, da EEB Dr. Tufi Dippe, de Joinville; e Davi Spricigo, da EEB Governador Bornhausen, de Arroio Trinta, participarão, em Vitória (ES), da etapa nacional do Parlamento. Eles foram pré-selecionados em suas regiões e uma comissão da Secretaria de Estado da Educação (SED) escolheu os três melhores projetos para o evento nacional.

Durante a etapa nacional serão selecionados os 27 jovens, um estudante por unidade federativa, que representarão o Brasil, em um mandato de dois anos, em encontros nacionais e internacionais promovendo o protagonismo juvenil, a integração no Mercosul, abrindo espaços para a discussão de temas de interesse comuns aos jovens dos diversos países.

Os classificados na etapa nacional irão participar do primeiro encontro deste biênio que deve acontecer ainda neste ano, em Buenos Aires, Argentina. Antes, porém, passarão por diversas oficinas de preparação.

Um dos selecionados para a etapa nacional, Davi Spricigo, de 15 anos, de Arroio Trinta, elaborou um projeto sobre agricultura e incentiva jovens a darem continuidade a este trabalho, que apresenta um número reduzido de mão de obra. “O jovem deve defender as profissões comuns em sua região e lutar pelo crescimento de sua cidade”, afirmou.

Para a aluna Thais, que defendeu a proposta por um Ensino Médio com menos evasão escolar, é muito importante se ter jovens mais motivados, autônomos e decididos em suas escolhas, sendo elas profissionais ou acadêmicas. “Assim, nossas escolas serão mais conceituadas em relação ao ensino e a sociedade com menos conflitos e com jovens centrados na aprendizagem e em sua carreira profissional”, destaca.

Esta é a terceira seleção para o Parlamento Juvenil do Mercosul, formado por estudantes dos países que integram o bloco — Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela. Os representantes vão discutir a formação política e cidadã da juventude a partir do questionamento O Ensino Médio que Queremos, com reflexão e discussão sobre inclusão educativa, gênero, jovens e trabalho, participação cidadã dos jovens e direitos humanos.

Secom/SC

A juventude brasileira precisa de política pública!

A juventude brasileira precisa de política pública. Arte: Rafael Werkema/CFESS

É preocupante saber que parte da população, da mídia e da política brasileira só discute a questão da juventude quando o assunto é redução da maioridade penal. Muito se fala em punir, discurso que se sobrepõe ao que realmente deveria estar em pauta: investimento em política pública para jovens de todo o país.

Por esse motivo, o primeiro CFESS Manifesta de 2014 faz um apelo: a juventude brasileira precisa de política pública! Só que não é qualquer política que o serviço social defende.

“O desenvolvimento de políticas para a juventude na América Latina e no Brasil foi determinado pelos problemas dos/as jovens na sociedade e pelos desafios de como lhes facilitar seus processos de transição e integração ao mundo adulto. Os distintos enfoques das políticas evidenciam um marcado traço integracionista, orientadas a facilitar a incorporação dos jovens à sociedade, mediante a melhora dos mecanismos que asseguram a transição à etapa adulta. Supõem, portanto, que os problemas de inserção estão nos/as jovens, além de uma visão adultocêntrica, que situa o/a adulto/a como ponto de referência para o mundo juvenil. Nesse sentido, a juventude só passa a ser objeto de ação quando representa ‘perigo’, ‘ameaça’, ou seja, as políticas de juventude não nascem a partir da constituição de um espaço de visibilidade da condição juvenil, incluindo sua diversidade e uma concepção ampliada de direitos”, diz trecho do documento.

Conselho Federal de Serviço Social – CFESS

Governo lança o Observatório Participativo da Juventude

O governo federal disponibiliza, a partir desta quarta-feira (17), o Observatório Participativo da Juventude, também chamado de Participatório, um novo canal de diálogo direto com a juventude. Por meio do endereço participatorio.juventude.gov.br, os usuários poderão participar de debates e discutir políticas e programas voltados ao público jovem. Os usuários poderão criar um cadastro ou usar seus perfis em outras redes sociais para se conectar.

“A política de juventude já nasceu com a premissa da participação social, da participação da juventude. E é um momento em que a participação precisa ser ampliada. E já que a juventude brasileira usa muito a internet como um dos instrumentos tanto de informação quanto de opinião, a gente achou importante apostar nesses viés da participação social. Isso é estar antenado com a realidade da juventude”, explicou Severine Macedo, secretária nacional de Juventude da Secretaria Geral da Presidência da República.

O Participatório vem sendo elaborado pela Secretaria Nacional de Juventude desde 2012, como resposta às demandas da 2ª Conferência Nacional de Juventude por mais e melhores informações. E o espaço virtual chega em fase de testes (beta), para que os usuários possam fazer sugestões e colaborar com o desenvolvimento da ferramenta, voltada à produção do conhecimento sobre a juventude e as políticas públicas com participação e mobilização social. Os primeiros debates serão sobre: reforma política, enfrentamento da violência contra a juventude negra e direito à cidade e ao território.