Você já ouviu falar em Ruralômetro?

Ruralômetro

repórter brasilAs escolas de samba Paraíso do Tuiuti e Beija Flor venceram o Carnaval deste ano com enredos tomados pelo espírito crítico ao cenário político e ao trabalho escravo. Acompanhar e investigar a atuação dos políticos é uma constante do jornalismo da Repórter Brasil. Este ano, criamos uma ferramenta interativa capaz de mostrar, com apenas um clique, a atuação dos deputados federais que prejudicam o meio ambiente e a população do campo.

O resultado você confere no Ruralômetro. O cálculo é simples: quanto pior o impacto dos projetos que o parlamentar votou ou propôs, mais alta é a febre ruralista do deputado. Descobrimos que 60% da Casa têm atuação desfavorável ao meio ambiente, indígenas e trabalhadores rurais.

O Ruralômetro revela que desmatadores financiaram a campanha de metade da Câmara e ainda mostra as doações de empresas flagradas com trabalho escravo. Mas você pode descobrir muito mais acessando o Ruralômetro.

Se você já navegou, pedimos que clique aqui e responda uma pesquisa para melhorarmos o Ruralômetro – leva apenas 4 minutos! Contamos com a sua ajuda para seguir investigando a Câmara dos Deputados.

Repórter Brasil

Anúncios

5 atitudes para impulsionar a carreira após o Carnaval

Carnaval do dcvitti

Fantasias e trios elétricos ainda desfilam em avenidas e ruas do Brasil para o deleite dos foliões, mas a festa se aproxima do fim e, para muitos profissionais, o expediente já volta ao normal na quarta-feira de cinzas.

Enquanto os desmotivados se arrastam e pensam ser a Páscoa a única luz no fim do túnel, quem busca sucesso e ascensão profissional arregaça as mangas e sabe que agora não há mais desculpa para deixar de lado metas, resultados e relatórios. Afinal, para muita gente ainda vale a máxima de que o Brasil só começa depois do Carnaval.

Pensando nesses profissionais, EXAME.com consultou dois especialistas para saber quais atitudes devem ser colocadas em prática logo após o feriado de folia se o objetivo é subir alguns degraus na carreira em 2013. Confira quais são:

1. Tome consciência do seu grau de qualidade profissional: Que tipo de profissional você é e quais são seus pontos fortes e fracos? “O histórico de desenvolvimento tem que estar claro”, diz o coach Homero Reis. De acordo com ele, a capacidade de manter-se em constante processo de avaliação é mandatória em pessoas de que atingiram o sucesso na carreira.

Para Mariela Gallo é importante que, periodicamente a pessoa se pergunte se está no caminho certo, tendo em vista seus objetivos e a expectativa da empresa para a qual trabalha. “Essa autoavaliação a gente percebe na atitude de quem desponta”, diz. Ao responder estas perguntas, é possível, segundo Mariela, enxergar quais são os pontos que ainda precisam ser desenvolvidos. “O profissional pode perceber que é hora de fazer um curso ou investir em algum comportamento”, explica ela.

2. Investigue quais são seus agentes motivadores: O que motiva você a levantar todos os dias e ir trabalhar? “O profissional deve se perguntar porque seus objetivos são importantes, qual será o legado”, diz Mariela. Segundo a coach, a autoconsciência resultante desta consulta interna tem sido o ponto principal para os profissionais bem sucedidos.

3. Aposte no comprometimento: Qual o seu nível de comprometimento para atingir os objetivos? Empreender uma reflexão sobre o tema é essencial, de acordo com Mariela.  Cumprir o que promete, respeitar acordos, pactos e datas de entrega de projetos são algumas das atitudes que colaboram para o sucesso profissional. Por isso, Homero Reis também sugere que os profissionais mantenham o compromisso com a organização de maneira clara, objetiva e sustentável. “Pessoas que tiveram sucesso são comprometidas com a empresa e com o trabalho”.

4. Fortaleça sua rede de contatos: “Ninguém tem ascensão profissional porque o presidente da empresa consultou sua base de dados, por isso é preciso manter a rede de relacionamentos estável e alimentada”, diz Homero.  Crescimento na carreira não é fruto do acaso, ou seja, você só terá sucesso se souber se fazer lembrado pelos outros. Assim, de nada adianta um perfil no LinkedIn recheado de conexões e uma carteira cheia de cartões de visitas se você mantiver uma postura distante, não trocar sequer algumas mensagens de tempos em tempos?

5. Melhore a comunicação e a interação no trabalho: Pesquisa divulgada pela Arquitetura Humana revela que a extroversão, poder de influência e impacto no ambiente são características comuns à maioria dos CEOs. “Uma carreira bem sucedia está intimamente ligada à capacidade de se relacionar”, diz Homero. Por isso comece a exercitar desde já a diplomacia no trabalho.

Habilidades de comunicação e de negociação também devem ganhar destaque, recomenda Reis. “É a capacidade de ser assertivo na comunicação, não deixar espaço para dúvidas, mas um espaço enorme para a negociação”, diz o coach.

 

Velhas Virgens: Carnavelhas III – Bebadoriso

Velhas Virgens: Carnavelhas III - Bebadoriso

Já é uma tradição. Chega o carnaval e a banda Velhas Virgens coloca no mercado um álbum que mistura marchinhas com rock n’ roll. Para não deixar dúvida quanto à proposta, o disco começa com uma bateria de escola de samba seguida de um pesado riff de Andreas Kisser – um dos convidados do álbum. É a faixa “Pro Samba Continuar”.

Em comum, os dois estilos – o rock e o samba – talvez tenham mais do que imagina o ouvinte desavisado. Diversão sempre foi um ponto importante para ambos. E o Velhas Virgens sabe bem disso, afinal a diversão e o Rock n’ roll estão na sua raíz. E o samba passou a fazer parte de sua história desde o primeiro Carnavelhas.

No terceiro volume dessa saga, as safadezas e referências à cachaça – “O mundo gira e a cachaça vai”, diz a letra de “Proíbe que eu gosto” – são embaladas num ritmo dançante, festivo e cheio de guitarras que ainda traz referências a personagens e quadros humorísticos brasileiros. Está aí a explicação para o subtítulo “Bebadoriso” – que aliás é uma homenagem a Paulinho da Viola que tem um “Bebadosamba”.

É difícil destacar uma ou outra canção pois todas são engraçadas, espirituosas e animadíssimas. Há até espaço para uma mensagem de ‘conscientização’ em “Marcha do Bullying” – ainda que ela acabe avacalhando o professor Raimundo, personagem de Chico Anysio – que aliás recebe mais de uma ‘homenagem’ no disco.

Se é para citar algumas faixa, escolho “Samba do Mussum e Seu Madruga”, na qual o protagonista morreu e encontra todos os humoristas no inferno, além da multilíngue, “Carmemiranda”, que termina como se fosse um punk rock. Vale mencionar que nela se emenda um discurso de Jorge Loredo, o Zé Bonitinho, que introduz a faixa “Como Zé Bonitinho”, com participação do guitarrista Luiz Carlini (Tutti-Frutti).

O álbum conta com produção e mixagem de Paulo Anhaia (que já trabalhou com Oficina G3, Charlie Brown Jr. e Luiza Possi). “Carnavelhas III – Bebadoriso” não é um disco para ‘ficar ouvindo’. Seus 42 minutos são feitos para festejar, junto a amigos e umas cervejas.

Carnavelhas III – Bebadoriso

  1. Pro samba não se acabar
  2. Proíbe que eu gosto
  3. Marcha da catifunda
  4. Carmemiranda
  5. Como Zé Bonitinho
  6. Samba do Mussum e do Seu Madruga
  7. Didi Mocó
  8. Síndrome da velha surda
  9. Ofélia, eu?
  10. Marcha do bullying
  11. No banco da praça
  12. Eta Criola Difíci
  13. Balança mais não cai
  14. Hino da eterna bebedeira

APAE entrou no clima do carnaval

APAE entrou no clima do carnaval

Jornal IlhotaNa última semana, a APAE de Ilhota colocou seus alunos para mexerem o esqueleto. Entusiasmados, os 43 educandos curtiram o carnaval na própria instituição. Com balões, máscaras, música e muita comida, a festa durou horas. “Este projeto serve como estímulo as práticas de lazer e convívio social, fazendo a interação contínua com os eventos culturais tradicionais. Todos os anos desenvolvemos o carnaval com nossos alunos e eles adoram. Muitos não têm a oportunidade de pular carnaval e nós proporcionamos esse momentos a eles”, afirma a educadora Ana Maria Esperber.

Para a diretora, Elizete Wippel Minuzzi, momentos como este fazem toda a diferença no desenvolvimento dos estudantes. “Muitos projetos serão desenvolvidos ao longo do ano, envolvendo todo corpo docente e pais, afim de trazer diversão e aprendizado”.

A APAE fica na rua Dr. Leoberto Leal, 278. O telefone para contato é 3343-1387.