iPhoto Editora disponibiliza e-Book gratuito sobre criatividade na fotografia de casamento

capa do livro de everton rosa, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

iPhoto EditoraVou falar um pouquinho de fotografia de casamento pra você, mas antes, tenho umas perguntinhas:

  • Sabia que um fotógrafo de casamento consegue alcançar o sucesso com alguns passos simples?
  • E que dá para deixar o cliente muito satisfeito com as suas fotos?

Hoje apresentamos um material bem legal para falar sobre esses detalhes, de forma leve e descomplicada.

A verdade é que o fotógrafo de casamento precisa dar-se ao máximo, saber encarar dificuldades com sabedoria, e nunca esquecer: manter-se sempre criativo. Parece muita coisa, mas aos poucos vamos falar de cada etapa.

Para se tornar criativo na fotografia de casamentos, clique neste link!

Esperamos que você goste!

Anúncios

Livro de Everton Rosa que ensina como fotografar casamentos com criatividade e beleza

Livro Everton Rosa4

iPhoto EditoraEverton Rosa é um dos maiores fotógrafos do Brasil e com renome internacional. Fotógrafo do glamour e da grandiosidade, Everton Rosa é dotado de uma extrema sensibilidade e intuição, levando-o a captar a essência de cada momento e pessoa.

Dono de uma visão que vai muito além da lente de uma câmera, é reconhecido como um dos melhores fotógrafos do Brasil, sendo requisitado para registrar eventos em diversas partes do mundo: Buenos Aires, Jerusalém, Miami, Nova York, Punta del Este, Verona, Ibiza, Salzburgo e Viena.

#blogdodcvitti, DialisonCleberVitti, 2016, Altair Hoppe, Casamento, Cleber Vitti, dcvitti, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, Dialison Vitti, Everton Rosa, Feed, Fotografia, Ilhota, iPhoto Editora, Newsletter, Vitti, Livro, livros de fotografia,Everton traduz sua sensibilidade em álbuns fotográficos que hoje estão em todos os continentes. São clientes austríacos, russos, ingleses, além de celebridades brasileiras como Ana Maria Braga – a apresentadora elegeu uma das fotografias dele para ilustrar o estúdio do seu programa de televisão. Com isso, adquiriu o status de ser considerado um dos maiores fotógrafos de casamentos e eventos do país.

Complementando seu trabalho com noivos e noivas, Everton Rosa criou a marca Street Wedding, que deu origem a um programa de televisão dirigido e apresentado por ele. A série, rodada em rede nacional, inspirou milhares de casais por todo o Brasil e deu início a um ciclo de cursos e palestras que vem movimentando o meio da fotografia, atualmente ministrados na ER Escola.

Conteúdo do livro

  • Capítulo 1 | O que é ser criativo na fotografia?
    1. Inovação e releitura
    2. Tenha um plano de carreira
    3. Olhar e ver
    4. O mérito da curiosidade
    5. Investimento oportuno
    6. Motivação e criatividade andam juntas
    7. Não basta amar, é preciso saber fazer
  • Capítulo 2 | Curiosidade pelas pessoas
    1. Busque a simplicidade
    2. Venda sonhos, não produtos
    3. Diga ¿não¿ a algumas coisas
    4. Crie experiências insanamente diferentes
    5. Desenvolvimento e divulgação de novos produtos
  • Capítulo 3 | Treine o seu olhar
    1. Planejamento da cobertura
    2. Uma dose de psicologia
    3. A luz criativa
    4. Luz natural ou artificial
  • Capítulo 4 | Olhar e compor
  • Capítulo 5 | Crônicas do sucesso
    1. Ana Maria Braga: a força de uma conexão
    2. Street Wedding: o conceito de uma marca
    3. Jerusalém: quando o cenário assume o protagonismo do ensaio
    4. Making-of: direção de cena ao natural
    5. Cenas de cinema em Salzburgo
    6. Festa de casamento: a lição do noivo
    7. Um domingo para fotografar as famílias
    8. Treino é treino, jogo é jogo
    9. Fotografia se aprende em casa I: Dona Carlota
    10. Fotografia se aprende em casa II: Seu Luizão

Sinopse do livro

Neste livro, Everton Rosa ensina como fotografar casamentos com criatividade e beleza. Everton mostra como treinar o seu olhar, como ser criativo, como planejar a cobertura dos casamentos e como trabalhar a luz de forma criativa. Além disso, no livro há um capítulo especial sobre como olhar e compor as fotos, onde Everton explica como fez belíssimas fotos de casamentos nas mais diversas condições e ambientes.

Informações

Livro Everton Rosa1

😀

Livro criatividade na fotografia de casamento

Fotografia, Casamento, Everton Rosa, iPhoto Editora, Altair Hoppe, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2016, Newsletter, Feed

iPhoto EditoraEverton Rosa revela suas técnicas e conceitos para fotografar casamentos com criatividade e beleza!

Neste livro, Everton Rosa ensina como fotografar casamentos com criatividade e beleza. Everton mostra como treinar o seu olhar, como ser criativo, como planejar a cobertura dos casamentos e como trabalhar a luz de forma criativa. Além disso, no livro há um capítulo especial sobre como olhar e compor as fotos, onde Everton explica como fez belíssimas fotos de casamentos nas mais diversas condições e ambientes.

Informações

😀

Casamento, união estável e divórcio: as regras que nunca te contaram

Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ, @roselivitti, pop art

Certeza e segurança ou informalidade e menos compromisso dependem do tipo de união escolhida.

O casamento sempre foi tradição em nossa cultura. Desde o Código Civil de 1916 as regras foram postas pelo Estado e as partes que desejavam se casar nada poderiam fazer diferente do que já estava previsto. O interesse era unicamente patrimonial e o amor o que menos importava. Portanto, para se formar uma família a única alternativa era encontrar alguém disposto a pagar um bom dote e se casar.

O tempo passou, a sociedade evoluiu, os direitos foram sendo conquistados e o amor passou a ser crucial nos relacionamentos. Com ele vieram os problemas e as regras que nunca foram contadas. Na verdade elas sempre existiram, mas quando se está apaixonado e cego de amor, o que menos importa são os detalhes patrimoniais decorrentes do regime de bens que será escolhido pelo casal.

Não é por acaso que a escolha do regime de bens é feita justamente quando da abertura do pedido de habilitação do casamento. Mas, porque escolher antes de casar? A pergunta pode parecer óbvia, assim com a resposta: para conhecer a regra do jogo antes que ele comece.

O casamento traz a garantia de que as regras estarão claramente previstas desde o começo do jogo, ou seja, a partir da sua celebração posso escolher o regime que melhor me convier

O problema é que o jogo, na grande maioria dos casos, é jogado por pessoas que não se preocupam em obter informações ou esclarecimentos a respeito do melhor regime de bens para casar. Não existe uma resposta correta, assim como também não há uma fórmula secreta. Cada caso deve ser observado levando-se em conta as peculiaridades existentes em nossos regimes e principalmente o patrimônio familiar de cada um.

Ocorre que, toda vez que um casal decide discutir a respeito do regime de bens ou consultar um advogado a esta respeito, o relacionamento parte para um viés patrimonial que muitas vezes induz ao pensamento de que aquela união somente ocorrerá por conta do patrimônio envolvido.

Mais do que isso, ninguém casa pensando em separar! Ora, casamento é para sempre, ou melhor dizendo, “que seja eterno enquanto dure”… o problema é quando não dura.

Então caro leitor, você deve estar se perguntando, é melhor casar ou viver em união estável? Pois bem, o casamento traz a garantia de que as regras estarão claramente previstas desde o começo do jogo, ou seja, a partir da sua celebração posso escolher o regime que melhor me convier. Isso garante uma previsibilidade e, porque não dizer, segurança quanto a data de início e fim do relacionamento, e dependendo do regime de bens eleito, o que deve ou não ser partilhado num eventual divórcio.

Já a União Estável, por ser uma relação informal, não garante, pelo menos juridicamente falando, tal previsibilidade, como ocorre com o casamento. Isto porque, existe uma grande dificuldade, inclusive dos próprios companheiros, de provar quando de fato a união estável teve início e se existia o objetivo de constituir uma família. Poucos são os casos em que os conviventes procuram advogados ou cartórios objetivando a realização de um contrato de convivência ou de uma escritura pública de união estável, o que garantiria certa previsibilidade quanto aos efeitos patrimoniais. Medo, receio, ou até mesmo falta de informação são as principais justificativas para não formalizar a União Estável.

Se a sua opção for pela segurança e previsibilidade das regras do jogo: CASE! Se não tiver certeza, e quiser correr o risco de viver informalmente com uma pessoa: Conviva em União Estável.

Mas quando este contrato ou escritura pública não são feitos, a união estável precisa ser comprovada e, portanto declarada judicialmente, muitas vezes com uma demorada produção de provas, para então ver as consequência jurídicas decorrentes da aplicação do regime legal de bens e a respectiva divisão patrimonial.

Desta forma, se a sua opção for pela segurança e previsibilidade das regras do jogo: CASE! Se não tiver certeza, e quiser correr o risco de viver informalmente com uma pessoa: conviva em União Estável.

Mas o problema não é a opção de formalizar ou não a união do casal, mas sim, quando esta união termina de forma conflituosa, o que não é incomum acontecer. E é exatamente neste momento que se descobre as regras que nunca haviam contado.

Em alguns casos, as pessoas sequer sabem informar ao seu advogado o regime de bens que optou ao casar!

Em outras situações, as pessoas interpretam as regras de forma equivocada, repetindo aquilo que ouviram falar e não o que realmente está escrito.

As regras matrimoniais existem e sempre existiram, mas nem sempre é dada a devida importância e elas acabam não sendo “contadas”, pois no momento da celebração da união, entre emoções, lágrimas e bem-casados, a última preocupação do casal é com um possível divórcio. Mas ele pode acontecer, e nada melhor do que conhecer as regras e evitar surpresas.

Fonte: Carlos Eduardo Dipp Schoembakla e Naihara Goslar de Lima, na GAZETA DO POVO.

Retratos de casamento bordados

Retratos de casamento bordados

Todo casamento que se preze, tem que ter as tradicionais fotografias de vários momentos da ocasião tão especial. Afinal, para relembrar uma data tão importante, tem que ficar registrado. Se você for um dos convidados, que tal oferecer aos noivos uma “fotografia” bem original? Com certeza eles irão lembrar de seu presente pelo resto da vida. Estamos falando de retratos bordados. Isso mesmo. Esta foi a ideia de Michelle Rigg, uma artista de Virgínia, EUA. Ao invés de tirar uma foto dos noivos, ela resolveu bordá-los em um quadro para presenteá-los.

Com um estilo simples e clássico, cada fotografia totalmente customizável,  é bordada à mão. Michele, que se diz apaixonada pelo trabalho que inventou,por meio de uma foto dos noivos, faz um desenho à mão-livre, que depois é escaneado e transformado em vetor através de um software específico. Este desenho depois é transmitido para um pedaço de tecido, onde é cuidadosamente bordado, contornando a silhueta dos recém-casados.

A inspiração para o trabalho das fotografias bordadas começou em outubro de 2010 quando a artista não tinha ainda em mente um presente de casamento para oferecer a um casal amigo dela. Então pensou: “Porque não fazê-lo?” E pôs mãos à obra. Ela queria algo que fosse único e que impressionasse os noivos, e assim o retrato bordado nasceu.

Desde este dia, encomendas não faltaram. São muitos retratos que Michele tem de bordar, tanto para casamentos, quanto para aniversários. Ela também faz variações destas lembrancinhas. Algumas são feitas em formato de cartões, tamanho 5×7, com uma breve e doce nota ou frase bordada, de acordo com o que o cliente escolher.

Em seu blog, Michele registra tudo que tem feito desde então, inclusive há outros trabalhos bem interessantes com bordados, como um que ela fez para sua mãe, por ocasião de seu aniversário, letras bordadas.  A atenção da artista aos detalhes farão você ficar impressionado com tanta criatividade. Então, não é uma boa ideia que você também poderá aproveitar e se inspirar para seus trabalhos de costura?

Quem quiser conhecer mais os trabalhos criativos da artista, é só acessar o blog rigg art.