Entenda por que o brasileiro Marin foi preso na Suíça a pedido dos EUA

Fifa - Ilustração de Carlos Latuff, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2015, Newsletter, Feed

Interpol havia solicitado detenção do cartola ao Brasil, mas por não se encontrar no país, detenção ocorreu em Zurique; ele deverá ser extraditado aos EUA.

José Maria Marin, ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), foi detido na manhã desta quarta-feira (27) em Zurique, na Suíça, junto om outros oito dirigentes de futebol. O pedido para as prisões foi feito pela Justiça dos Estados Unidos, que investiga uma rede de subornos na escolha das sedes das edições da Copa do Mundo em 2018 e 2022. Ele deverá ser extraditado para os EUA, onde será julgado. A rede de corrupção pode existir há pelo menos 24 anos.

A Justiça dos EUA já havia pedido ao governo brasileiro, há alguns dias, a detenção de Marin. A ordem foi emitida assim que o FBI e a Justiça do país concluíram o indiciamento. O alerta da Interpol chegou a ser emitido, mas o cartola não estava em território brasileiro e, por esse motivo, a prisão foi efetuada na Suíça, que também recebeu o alerta.

As autoridades suíças não têm o histórico de colaborar com investigações e podem, inclusive, recusar a extradição de acusados por crimes fiscais. Mas, por se tratar de um crime comum e pelo fato do Departamento de Justiça da Suíça também estar investigando a Fifa por corrupção e lavagem de dinheiro, o país uniu forças com os Estados Unidos na operação.

A ação da Justiça norte-americana tem como fundamento o fato de que a lei do país dá ao Departamento de Justiça autoridade para investigar estrangeiros que vivem no exterior caso estes tenham alguma ligação com o país. Esta conexão pode ser identificada a partir do uso de serviços de bancos ou até de provedores de internet norte-americano.

No caso da investigação da cúpula da Fifa, as autoridades do país entenderam que foram cometidos e preparados três crimes nos Estados Unidos, com pagamentos realizados por meio de bancos americanos.

Quatro pessoas que se declararam culpadas estão colaborando com as investigações, em uma espécie de delação premiada. Entre elas está o empresário brasileiro José Hawilla, dono e fundador do grupo Traffic, um conglomerado de marketing esportivo responsável por diversas negociações de direitos de transmissão. Hawilla também é dono da TV Tem, afiliada da TV Globo.

Embrião da corrupção

Há suspeitas de que o esquema de corrupção funcionou por 24 anos, mas o início das investigações ocorreu por suspeitas de fraude na escolha da sede das copas do mundo de 2018, na Rússia e 2022, no Qatar. Os Estados Unidos eram o principal candidato para sediar o mundial de futebol em 2022.

As suspeitas de corrupção na Concacaf (Confederação de Futebol das Américas Central e do Norte) fizeram com que o FBI entrasse na investigação.

“A acusação alega que a corrupção é desenfreada, sistêmica e profundamente enraizada tanto no exterior como aqui nos Estados Unidos”, disse a procuradora-geral dos Estados Unidos, Loretta Lynch.

Segundo o Departamento de Justiça dos EUA, eventos como os jogos das Eliminatórias da Copa na Concacaf, a Copa Ouro, a Concachampions, a Copa América e a Copa Libertadores teriam participado do esquema de pagamentos de propinas e subornos. Há ainda o indício de irregularidades na escolha da sede da Copa de 2010, na África do Sul.

Brasil

A presidente Dilma Rousseff, que está em visita oficial no México, comentou as prisões: “acredito que toda investigação sobre essa questão é muito importante, acho que ela vai permitir uma maior profissionalização do futebol. Não vejo como isso pode prejudicar o futebol brasileiro, acho que só vai beneficiar o Brasil”.

A mandatária defendeu a investigação de eventuais desvios na Copa do Mundo no Brasil em 2014 e também de outros mundiais. “Acho que se tiver que investigar, investigue todas as Copas, todas as atividades. Isso vale para todos, vale desde a [Operação] Lava Jato até essa prisão, há que investigar, não vejo por que não”.

Fifa

Em comunicado oficial, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou que as investigações começaram por ação da própria entidade. “Enquanto muitos estão frustrados com o ritmo da mudança, eu gostaria de frisar as medidas que tomamos e que continuaremos a tomar. De fato, essas ações tomadas pelo Escritório da Procuradoria Geral da Suíça foram iniciadas depois que nós apresentamos um relatório às autoridades suíças final do ano passado”, explicou.

Fonte: Opera Mundi

😀

Anúncios

Paraíso perdido, um filme de Paulo Perdigão

Adotem as demandas do Bom Senso FC por um futebol melhor para todos

Pressionando CBF – Confederação Brasileira de Futebol. Mais um abaixo-assinado que eu apoio, promovido por Bom Senso FC.

Assine a petição, o abaixo-assinado

Quando os 11 jogadores entrarem em campo para defender a seleção brasileira na Copa, mais de 16 mil atletas profissionais de futebol já estarão desempregados esperando para receber seus salários atrasados. Ser o país do futebol não significa apenas vencer Copas, mas sim fazer deste esporte um ambiente de oportunidade, educação e cultura para todos.

Existe uma solução viável para melhorar o futebol brasileiro, e sua implementação depende apenas da CBF. Em pleno ano da Copa do Mundo, o futebol brasileiro pode ter a sua maior vitória, mas dessa vez ela será fora de campo.

Você está convocado para fazer parte desse movimento por um futebol melhor para todos.

Nós jogamos em grandes clubes do país, mas acompanhamos de perto os problemas do futebol brasileiro. A grande maioria dos jogadores profissionais fica desempregada durante metade do ano por falta de jogos. Os principais clubes brasileiros acumulam dívidas fiscais e trabalhistas assombrosas. Enquanto isso, o público nos estádios diminui ano após ano, perdendo para países como os EUA e a Austrália.

O Bom Senso F.C. nasceu para tornar o Brasil o verdadeiro país do futebol. Nós começamos como um pequeno grupo de atletas, e hoje já somos mais de 15 mil apaixonados pelo esporte. Estamos propondo um calendário mais democrático aos clubes menores, para que possam se profissionalizar e jogar ao longo de toda temporada, e propomos também a implementação do fair play financeiro para garantir que os clubes brasileiros paguem suas dívidas e os salários de seus funcionários em dia.

Pela primeira vez, jogadores de norte a sul estão se unindo para revolucionar o futebol brasileiro. Se tivermos o apoio de vocês, os milhões de torcedores, poderemos pressionar a CBF e construir um futebol que funcione para todo mundo.

Assine a petição. Clique neste link!

  • POR UM FUTEBOL MELHOR,
  • PARA QUEM JOGA,
  • PARA QUEM TORCE,
  • PARA QUEM APITA,
  • PARA QUEM TRANSMITE,
  • PARA QUEM PATROCINA,
  • POR UM FUTEBOL MELHOR PARA TODOS

Obrigado, Alex (Coritiba), Dida (Inter), Paulo André (Corinthians) e todo o Bom Senso F.C. Veja nosso site e saiba mais detalhes da campanha: http://www.bomsensofc.org/

A soberania nacional em jogo

O projeto de Lei enviado ao Congresso é uma exigência da FIFA e dos capitalistas que querem lucrar com o campeonato mundial de futebol à custa do dinheiro público e passando por cima das Leis brasileiras.

A Lei Geral da Copa, projeto do poder Executivo, foi enviado ao Congresso no dia 5 deste mês e, segundo a previsão do governo, deve começar a tramitar a partir do dia 18 de outubro. O projeto ganhou grande destaque com o impasse envolvendo a meia-entrada para estudantes na aquisição de ingressos para os jogos do campeonato mundial de futebol e expôs que o governo do PT está capitulando diante da ofensiva dos capitalistas que, para lucrar com a Copa de 2014, estão atacando a soberania nacional.

Neste caso da meia-entrada, a FIFA, responsável pela comercialização dos ingressos, não aceira submeter-se à Legislação brasileira que prevê aos estudantes, professores e aposentados o direito de pagar meia-entrada em eventos esportivos.

Mas a questão não está restrita apenas à meia-entrada. A FIFA exige toda uma legislação especial que se sobreponham às Leis locais durante os jogos. Essas Leis, que abordam questões como os direitos comerciais sobre produtos oficiais da Copa, penas para quem desrespeitar estes direitos, direito de transmissão dos jogos etc., estão reunidas da Lei Geral da Copa.

Neste sentido, a Lei Geral da Copa constitui um ataque aos trabalhadores brasileiros por dois motivos principais: fere a soberania nacional e aprofunda o parasitismo dos capitalistas que organizam a Copa do Mundo de 2014 sobre o dinheiro público.

A soberania nacional somente pode ser entendida como a capacidade e o direito de um país de tomar decisões sem a interferência externa. A afronta a isto vem justamente do fato de que, para beneficiar os capitalistas interessados em lucrar com o mundial, o governo do PT está criando uma legislação especial para não submeter a FIFA e seus parceiros comerciais às Leis brasileiras. Ou seja, os interesses de um pequeno punhado de capitalistas estrangeiros estão na frente dos interesses da população brasileira.

Além disso, as modificações previstas na Lei Geral da Copa também aumentam a repressão.

Um dos seus principais pontos é a proteção às marcas e símbolos da FIFA. Além de reprimir que outros comerciantes (ilegais ou não) vendam os produtos com a marca da FIFA, ela também prevê a punição para quem simplesmente reproduzir os símbolos oficiais dos jogos. Desta forma, se um cidadão praticar o simples ato de pintar o logotipo oficial da Copa do Mundo em um muro, como é comum no Brasil durante a realização dos jogos, estará sujeito a uma pena de um ano de prisão.

A Lei Geral da Copa também modifica as competências da Advocacia Geral da União (AGU) em processos em que a FIFA estiver envolvida. A AGU, órgão responsável pela defesa dos Poder Executivo, terá sua atuação restringida em uma eventual disputa judicial entre o governo federal e a FIFA.

O objetivo desta restrição é garantir os lucros da burocracia da entidade e de seus parceiros comerciais, removendo possíveis impedimentos jurídicos. Na Lei Geral da Copa também está previsto que em casos onde a FIFA e os capitalistas que organizam o evento tiverem prejuízo por fatores como “falta de segurança” o valor terá que ser ressarcido pelo governo brasileiro.

A violação das Leis brasileiras é uma iniciativa de grandes capitalistas estrangeiros. Além desta medida, o projeto também prevê uma série de benefícios para as empresas estrangeiras operarem em território nacional.

O Projeto garante à FIFA a titularidade e exclusividade sobre os direitos referentes à imagem, sons e radiofusão relacionados ao evento. Neste caso, o ataque é a liberdade de imprensa, pois até mesmo os veículos da imprensa capitalista teriam uma série de restrições para realizar uma cobertura jornalística dos jogos. As restrições neste item atingem principalmente a questão da reprodução de imagens.

Neste sentido, a oposição a Lei Geral da Copa é, antes de tudo, parte da luta contra a tentativa dos grandes monopólios imperialistas aumentarem a exploração dos trabalhadores brasileiros.


 

Fora Teixeira une todas as torcidas. “Mr. Teixeira, did you…?”

Só assim Grêmio e Inter teriam uma só torcida

Nos estádios, torcidas pedem saída de Ricardo Teixeira

Movimento contra presidente da CBF toma conta da rodada do Brasileiro.

As torcidas prometeram e cumpriram. Neste domingo (28), houve protesto nos estádios do Brasil contra o presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Os torcedores dos principais times do Campeonato Brasileiro distribuíram panfletos e levaram faixas e cartazes pedindo a saída do cartola do comando da entidade máxima do futebol nacional.

Todos os clássicos realizados às 16h contaram com manifestações pacíficas contra o dirigente. As torcidas abusara da criatividade. No Gre-Nal, os colorados levaram letras que formaram o pedido de saída de Ricardo Teixeira.

No Engenhão, no duelo entre Flamengo e Vasco, muitos cartazes dos dois lados das arquibancadas apareceram, enquanto em Presidente Prudente, no confronto entre Palmeiras e Corinthians, a torcida alviverde fez lindo mosaico pedindo para que Ricardo Teixeira deixe a presidência da CBF.

Brasil 1982. Vídeo dedicado a Telê Santana

Este vídeo é de arrepiar e não foi feito por brasileiros. Vejam e se emocionem com o vídeo. para muitos, a melhor seleção brasileira de todos os tempos, embora não tenha ganho a copa.

Saudades? Não sei! Mas isso sim é que era jogar por música!

Megatwittaço #foraRicardoTeixeira

Os usários do Twitter estão convocados para o megatwittaço #foraRicardoTeixeira, movimento impulsionado pela entrevista do cartola à revista Piauí e que pretende “mostrar que os brasileiros estão de olho no que ele aprontando dentro e fora da CBF”. “Mais do que um movimento pela transparência administrativa nesta instituição, o que buscamos é fazer com que este assunto não seja, mais uma vez abafado por aqueles que tiram proveito da falta de informação de todos nós brasileiros”, destacam os organizadores em post no blog do Juca Kfouri. O megatwittaço terá duração de 24h. Começa 0h desta quarta-feira, dia 27, e termina 0h do dia 28.

Para participar, basta contribuir com o debate sobre a atuação de Ricardo Teixeira postando tweets com a tag #foraRicardoTeixeira. A contagem regressiva para o twittaço pode ser acompanhada no site www.foraricardoteixeira.com.br/megatwittaco.