Evento cultural promove encontro entre duas gerações

Felício Bittencourt e Joel Soares

Um encontro marcado de muita emoção, juntou duas gerações de ilhotenses numa tarde festiva que aconteceu na Creche Tia Loli no Bairro Pedra de Amolar nesta terça-feira (21).

Foram várias  apresentações das crianças lembrando sempre o respeito que devemos ter aos mais velhos. Um momento muito especial foi o plantio de árvores nativas que foram fornecidos pela Secretaria de Meio Ambiente, sinalizando a união e a conscientização da importância também do respeito a natureza entre as gerações.

Outro momento emocionante foi a entrega de flores  pelas crianças aos vovô e vovós presentes, seguido de um convite para uma dança. Ao final a criançada se divertiu com a apresentação teatral do Boi de Mamão.

Prefeitura de Ilhota

Anúncios

Pais que não trabalham e deixam filhos o dia todo em CEIs serão processados

Crianças educação

A Secretaria Municipal de Educação e o Ministério Público Estadual vão fazer um levantamento para verificar se os pais que deixam os filhos o dia todo nos Centros de Educação Infantil (CEIs) de Três Lagoas, Minas Gerais, trabalham.

Denúncias protocoladas no Ministério Público Estadual revelam que, em Três Lagoas, existem mães que não trabalham e deixam o filho em período integral nos CEIs, enquanto que, algumas que exercem atividade laboral o dia todo, não conseguem vaga. A revelação foi feita por Ana Cristina Carneiro Dias, titular da Promotoria da Infância e Juventude de Três Lagoas.

Direito à educação infantil em meio período

De acordo com a promotora, a legislação prevê que o aluno tem direito a educação infantil em meio período. Já as mães que trabalham, tem direito de deixar os filhos em período integral.

A mãe, ou o pai que não executa atividade laboral, não têm o direito de manter os filhos nas creches em período integral. É até uma injustiça com alguém que realmente precisa trabalhar,
disse a promotora

A legislação diz que é preciso levar em conta que a criança não deve permanecer em ambiente institucional e coletivo por jornada excessiva, sob o risco de não ter atendidas suas necessidades de recolhimento, intimidade e de convivência familiar.

Temos muitas famílias que querem delegar ao Estado, ao Município, ao professor e diretor, a orientação e educação do seu filho. A criança tem direito a convivência familiar. Que hora que a criança fica com os pais? Costumo dizer que: mais importante do que um tênis e um celular, é o tempo com o seu filho. Não adianta achar que os avós, tio, sobrinho, primo, vai educar seu filho, que não vai. Estou cheio de exemplos desse na promotoria

Atestados de trabalho falsos

Ainda de acordo com a promotora, denúncia feita por uma diretora revela que mães estariam entregando atestados de trabalho falsos. Ela já adiantou que essas pessoas vão responder na esfera criminal.

Existem mães que chegam nos CEIs de roupinha curta, de bustiê, com trajes típicos de quem não está trabalhando, mas querem deixar os filhos o dia todo. Se essa mãe apresentou um atestado falso, será processada judicialmente e criminalmente. Isso não é aceitável, até porque, se ela está querendo uma educação para o filho, que exemplo, está dando. A educação começa em casa,
ressaltou a promotora.

A maior dificuldade para conseguir vaga é justamente na educação infantil. O município não consegue atender a demanda de 0 a 3 anos. A Secretaria de Educação vai realizar, inclusive, um mapeamento para verificar as regiões que necessitam de mais salas nos CEIs.

Transporte

Outra situação apontada pela promotora que requer esclarecimentos é em relação ao transporte escolar na zona urbana. Ana Cristina disse que o município não tem obrigação de transportar para a escola, alunos que residem na cidade, mas sim da zona rural. A responsabilidade, de acordo com ela, cabe aos pais.

Fonte: iviagora. Com

Prefeitura de Ilhota entrega o CEI Maria Terezinha Hammes Schmitz a comunidade

Prefeito Ademar Felisky e seu vice Antonio Schmitz (Tonho)

Cerca de 100 pessoas participaram na última sexta-feira da inauguração do Centro de Educação Infantil Maria Terezinha Hammes Schmitz. A unidade, que foi completamente destruído pela tragédia de novembro de 2008, foi reconstruída. Antigamente, o CEI atendia aproximadamente 40 crianças.

Segundo o secretário de educação, Marcelo Jacob, “as instalações físicas eram um terço menor do que a atual. Agora poderemos atender muito melhor os alunos, os separando por idade. Terão um espaço adequado e muito confortável”, afirmou.

O novo espaço tem capacidade para atender cerca de 80 crianças, de quatro meses a cinco anos. A estrutura de 440m² conta com salas de atividades para berçário, maternal e escolar; sala de professores; secretaria; banheiros masculino, feminino e adulto; lavanderia; cozinha; refeitório; varanda para lazer; berçário com lactário e fraldário; e sala de recreação. O corpo de profissionais será composto por uma coordenadora, duas professoras, duas auxiliares e uma servente. O horário de atendimento compreenderá das 7h às 18h.

Para o prefeito Ademar Felisky, é mais uma etapa da reconstrução concluída. “Levamos mais tempo para fazer esta obra, pois não queríamos entregar qualquer coisa a comunidade. Fizemos uma unidade muito melhor do que a que existia antes. Tenho certeza que tanto pais quanto filhos gostarão muito deste novo espaço”, explicou.

Ao todo, a Defesa Civil investiu R$300 mil nesta obra.