‪#‎EuCurto‬ a cidade de Ilhota

Ilhota, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2014

O Município de Ilhota foi colonizado por imigrantes belgas, através de um empreendimento comercial liderado por Charles Maximiliano Luiz Van Lede, pesquisador e engenheiro que veio àquelas terras movido pelo desejo de encontrar riquezas minerais. A colônia belga foi aprovada em julho de 1845. A emancipação do município, desmembrado de Itajaí, deu-se em 21 de junho de 1958. 

O município, de paisagens rurais, é um dos maiores produtores da moda íntima e linha praia do Brasil, sendo a capital catarinense nesse segmento e também um dinâmico centro de compras de biquínis e lingerie. Desde a década de 1990, a indústria local do ramo cresceu em importância e hoje divide, com a agricultura, a base da economia.

O Rio Itajaí-Açu, por onde chegaram os nossos colonizadores, em 1845 vindos da Bélgica, passa próximo à área central da cidade. Na margem direita, ao redor da igreja matriz (1941), desenvolveu-se o núcleo urbano. Do outro lado, com acesso por balsa a partir do Centro, as terras férteis foram aproveitadas para lavouras. No meio do rio, não existe mais a pequena ilha que originou o nome do município, desaparecida após as duas grandes enchentes de 1880 e 1911.

Direta ou indiretamente, 55% (?) da população têm sua fonte de renda na área rural, caracterizada por pequenas propriedades. Cercados por Mata Atlântica, os parques aquáticos atraem moradores da região. Na cidade, a atração são as várias lojas de moda praia, lingerie e malharia confeccionadas no local.

Nova praça já começou a ser construída

O verão está chegando e o número de turistas em Ilhota aumenta, e muito, neste período. O motivo da grande concentração de pessoas é a compra de moda praia e lingerie na capital catarinense do setor. Mais do que agradar a este público, a prefeitura também quer fazer uma cidade melhor aos moradores. Por este motivo, até final do ano, Ilhota pode ganhar uma nova praça Charles Maximiliano Luiz Van Lede.

Localizada no Centro, hoje o espaço conta com parquinho infantil, coreto e ginásio de esportes. O terreno compreende uma área de 2.216,84m². O prefeito Ademar Felisky explica que o desenho da nova praça foi feito pelo setor de engenharia da Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí – AMFRI, através do engenheiro civil Ralf Nordt e da arquiteta Nara Giacomini dos Santos. “O projeto ressalta a arquitetura belga nas cores e estilo. Calçadas na cor vermelha, lixeiras em madeira, além de bancos, floreiras, bicicletários e iluminação baixa. Esta concepção arquitetônica mostrará as nossas origens, além de trazer beleza ao nosso centro”.

A Praça Central ainda contará com aparelhos de ginástica para terceira idade, coreto, mesas para jogos e playground. A empresa Rodomaq foi contratada para executar os serviços, no valor total de R$112.192,08. “O recurso veio através de emendas parlamentares e está em fase final de liberação, mas como esta empresa já trabalhou diversas vezes com a prefeitura, decidiram começar os trabalhos”, explica o secretário de turismo, Lauri Adão Júnior.

No local também será instalado um totém. O projeto, feito pelo arquiteto da AMFRI, Marcelo Garcia, ressalta o potencial da moda íntima, praia e fitness da cidade. O setor da confecção será representado por uma grande estrutura de aço, que remete à uma calcinha. Já o corpo do monumento terá um bloco de concreto que trará as inscrições da cidade. Acima uma bola representará a cabeça, onde estará escrito “Bem-vindo” em várias línguas. “Este conjunto representa o “I” da palavra Ilhota e o conjunto completo mostra uma pessoa de braços abertos dando as boas vindas aos visitantes da nossa cidade” ressalta Lauri.

A previsão é que, após a liberação dos recursos, a obra fique pronta em 90 dias.