Como lidar com Fake News?

Como lidar com Fake News?

GreenpeaceFake News, desinformação e boatos! Você provavelmente já ouviu falar de pelo menos um desses temas nas últimas semanas, certo? E eles foram a pauta da nossa discussão no 4º episódio do “As Árvores Somos Nozes”no podcast do Greenpeace Brasil.

Para esse bate-papo, trouxemos Rodrigo Ratier, jornalista, professor e um dos co-fundadores do projeto “Vaza, Falsiane!”, que ajuda a identificar notícias falsas na internet. Discutimos também alguns dos boatos que já envolveram o nome do Greenpeace no passado, alguns bem absurdos!

Quer entender mais sobre o que é e como ouvir um podcast? Acesse essa página e saiba mais! E depois que ouvir, deixe seu comentário no Greenwire e ele poderá ser lido no próximo episódio.

Faça parte do time Greenpeace Brasil. Junte-se a nós!

Anúncios

Um e-mail encaminhado para o presidente do Ibama 📣

Greenpeace Brasil

Aqui está a cópia do e-mail enviado para o Ibama.

Prezada Suely Araújo,

O Ibama está analisando o Estudo de Impacto ambiental (EIA) para a exploração de petróleo na Bacia da Foz do Amazonas submetido pelas empresa francesa Total e a inglesa BP.

Os documentos protocolados pelas empresas apresentam diversas falhas e inconsistências, como apresentadas pela equipe do Ibama nos seus pareceres técnicos 687/15; 219/16 e 55/17. Foram mais de 125 pedidos de emendas e correções só no último parecer, um indício da baixa qualidade dos estudos.

Além de todas as inconsistências, as empresas ainda subestimam a importância da descoberta dos Corais da Amazônia, um recife de grande biodiversidade localizado a apenas 8 km do bloco da Total e a 28 km do poço objeto do atual licenciamento. Apesar dos vários pedidos de correção do Ibama, a Total vem continuamente apresentando novos documentos com as mesmas falhas já levantadas pela equipe técnica do órgão, ou somente justificando suas escolhas e ignorando os pedidos de novos estudos. Um exemplos é o pedido do Ibama por uma novo estudo de Modelagem de Dispersão de Petróleo (no qual os técnicos discorreram por quatro páginas sobre as falhas) que foi sumariamente ignorado pela empresa. A Total somente apresentou justificativas para seus dados e pequenas modificações de texto. Já o plano emergencial não apresenta nenhuma medida específica para a proteção dos Corais da Amazônia, apesar de afirmar que há 30% de probabilidade de um derramamento atingi-los.

O Greenpeace junto a cientistas do mundo todo e mais de 1 milhão de apoiadores que assinaram a petição pela Defesa dos Corais da Amazônia pedem que Ibama negue a licença ambiental para a perfuração de petróleo na bacia da Foz do Amazonas diante das inúmeras falhas e inconsistências dos EIAs e do risco aos Corais da Amazônia.

Atenciosamente,
#DialisonCleberVitti

Greenpeace Brasil

Mande uma mensagem para a presidente do Ibama, Suely Araújo

Minha mensagem já foi enviada para a presidente do Ibama, Suely Araújo

GreenpeaceEstá nas mãos do Ibama conceder ou negar a licença ambiental que permitirá as empresas Total e BP explorar petróleo próximo aos Corais da Amazônia, colocando em risco este tesouro natural recém-revelado. Por isso, precisamos da sua ajuda! Mande uma mensagem para a presidente do Ibama, Suely Araújo. Pedindo que o órgão defenda os Corais da Amazônia! É muito fácil, basta clicar no botão abaixo:

Envie uma mensagem em 1 clique

A decisão, que deve sair em breve, deve garantir o bem-estar e a segurança de todas as espécies que vivem e dependem desse ecossistema – isso inclui as milhares de pessoas que vivem da pesca. O Ibama não deve ceder à pressão das empresas, mas tomar uma decisão responsável que não coloque a ganância das petrolíferas à frente dos impactos sociais e do meio ambiente.

Greenpeace Brasil

Carta Aberta em Defesa dos Corais da Amazônia

Em Defesa dos Corais da Amazônia

GreenpeaceCientistas renomados, ambientalistas, exploradores e influenciadores de várias partes do mundo divulgaram nesta sexta-feira (28) uma Carta em Defesa dos Corais da Amazônia, destacando o quanto o novo recife recém-revelado significa para a biologia marinha e expressando sua preocupação com os riscos que a exploração petrolífera representa para a região.

“A prioridade deve ser proteger o recife e as águas circundantes para que possam ser realizadas mais pesquisas antes de tomar decisões sobre mais explorações humanas na área”, afirma o grupo, na Carta.

Do Brasil, assinam esse manifesto cientistas ligados a áreas de Clima, Oceanografia, Biodiversidade e Economia, como o climatologista Carlos Nobre, ex-secretário do Ministério de Ciência e Tecnologia e ex-presidente da Capes; o físico e membro do IPCC Paulo Artaxo; os oceanógrafos Ronaldo Francini, da UFRJ, Nils Asp, da UFPA, e Eduardo Siegle, da USP, que fizeram parte da equipe que assinou o estudo publicado na revista Science reconhecendo o recife de corais, esponjas e rodolitos amazônico e que participaram da expedição que registrou as primeiras imagens deste ecossistema.

“Especialmente em um momento em que a humanidade, após o Acordo de Paris, inicia rápida desfossilização dos sistemas de energia e transporte, torna-se anacrônico qualquer expansão na exploração de petróleo”, afirma o pesquisador do INPE, Antônio Nobre, autor de “O Futuro Climático da Amazônia”.

Participam ainda referências mundiais como o economista indiano Pavan Sukhdev, líder do estudo TEEB (A Economia dos Ecossistemas e da Biodiversidade, em inglês), a oceanógrafa americana Sylvia Earle, fundadora e presidente da Mission Blue, e os professores britânicos Jason Hall-Spencer (professor de Biologia Marinha da Universidade de Plymouth) e Murray Roberts (professor de Biologia Aplicada Marinha, da Universidade de Edimburgo).

Confira a Carta com a lista de signatários

Para Helena Spiritus, da campanha de Clima e Energia do Greenpeace, há pouca evidência no plano emergencial das empresas de que a BP e a Total assumiriam o risco de um sério derramamento. “Sabemos por uma experiência dolorosa como eles são prejudiciais”, afirma.

Vale destacar que este projeto está em águas mais profundas do que o desastre da plataforma Deepwater Horizon, que destruiu o Golfo do México em 2011, e a BP e a Total ainda não demonstraram que têm a capacidade de lidar adequadamente com um derramamento neste precioso ecossistema. “Além da ameaça ao recife, as comunidades costeiras do Amapá também poderiam ser afetadas em seus meios de subsistência”, diz Helena.

A francesa Total planeja perfurar já neste ano, e seu bloco mais próximo fica a apenas 8 km dos Corais da Amazônia. A BP detém 30% do projeto e planeja sua perfuração para  2018. O Ibama, responsável pela emissão de licenças ambientais para exploração, está atualmente no processo de decidir se concederá as licenças às companhias de petróleo. Assim que isso acontecer, elas já poderão começar a perfurar.

A Carta, portanto, coloca agora mais pressão sobre as empresas para cancelarem seus planos. A credibilidade dos especialistas se soma à força de mais de um milhão de pessoas que já assinaram a petição contra a perfuração de petróleo perto dos Corais da Amazônia, e mais de 29 mil pessoas escreveram ao presidente da BP em protesto.

Se você ainda não participa deste esforço global, acredite, sua contribuição é fundamental. Assine a petição e nos ajude a pôr fim a esta ameaça.

Greenpeace Brasil

💚 Ótima noticia em defesa dos Corais da Amazônia

Corais da Amazônia

GreenpeaceA comunidade científica se aliou às mais de 1 milhão de pessoas como você, que pediram para as petrolíferas BP e a Total ficarem longe dos Corais da Amazônia.

Diversos cientistas renomados do Brasil e do mundo, além de exploradores e diversos influenciadores, como a oceanógrafa Silvia Earle, assinaram uma Carta Aberta em Defesa dos Corais da Amazônia. Nela, os especialistas ressaltam a importância do recife para a Ciência e expressam sua preocupação com a exploração petrolífera na região no futuro breve em função dos riscos de um derramamento de óleo.

Vale lembrar, que a BP e a Total estão tentando obter permissão para perfurar petróleo perto dos Corais da Amazônia, mas esse grupo de especialistas pede que isso seja suspenso, dizendo que “a prioridade deve ser proteger o recife e as águas ao seu redor para realizar mais pesquisas”.

Facebook       WhatsApp

A carta, portanto, coloca agora mais pressão sobre as empresas para cancelarem seus planos. Até agora, mais de um milhão de pessoas assinaram a petição contra a perfuração de petróleo perto dos Corais da Amazônia, e mais de 29 mil pessoas escreveram ao presidente da BP em protesto.

Continue manifestando o seu apoio, compartilhe com seus amigos e familiares: (Atenção: O botão do WhatsApp só funciona em Smartphones)

Junte-se a nós

Ajude-nos a continuar essa campanha, faça parte desse time!

Greenpeace Brasil

Você mandaria essas pessoas de volta para um país em guerra?

Refugiados estão sendo ameaçados de retorno forçado pelo governo do Quênia. Assine para defender seus direitos!

Anistia Internacional, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツRefugiados estão sendo ameaçados de retorno forçado pelo governo do Quênia. Assine para defender seus direitos!

O governo do Quênia declarou que, dentro de seis meses, irá fechar o maior campo de pessoas refugiadas do mundo, em Daadab, no Norte do país. Ao invés de fazer esforços para integrar a população que mora no campo à sociedade queniana, o governo ameaça mandar 260 mil refugiados Somalis de volta para a Somália aonde a guerra continua intensa. Assine o manifesto dizendo às lideranças mundiais que os direitos das pessoas refugiadas devem ser respeitados!

O governo do Quênia alega que não tem condições de continuar mantendo o campo de refugiados e que os países mais desenvolvidos não estão nem oferecendo ajuda financeira para a manutenção do campo nem oportunidades para que o refugiados sejam acolhidos nesses países de forma a reduzir a superlotação do campo queniano.

Ainda assim enviar pessoas refugiadas de volta a seus países de origem é ilegal! Além disso, a Somália vive em conflito armado há mais de duas décadas, ao serem enviadas de volta para lá os refugiados Somalis estarão expostos a riscos gravíssimos de sofrer violência e violações de Direitos Humanos. Para impedir que absurdos como esse ocorram, assine o manifesto a favor dos direitos das pessoas refugiadas.

Com esperança,

Marina Motta
Assessoria de direitos humanos
Anistia Internacional Brasil

 

 

O poder em suas mãos: escreva pelos direitos humanos

Anistia Internacional - O poder em suas mãos: escreva pelos direitos humanos

>>>ASSINAR CARTAS ONLINE AGORA<<<

Em 10 de dezembro comemoramos o Dia Internacional dos Direitos Humanos, data que marca o dia em que a Organização das Nações Unidas adotou a Declaração Universal dos Direitos Humanos, documento que serve de base para a maior parte dos tratados e documentos do direito internacional.

A data, portanto, é muito relevante para todas as pessoas que, assim como você, defendem e acreditam que só com plenos direitos teremos um mundo mais justo e igualitário.

Que tal aproveitar o espírito deste dia para escrever ou assinar cartas em defesa dos direitos humanos de pessoas e comunidades ao redor do mundo? É tudo muito simples!

  1. Acesse a plataforma Escreva por Direitos 2016.
  2. Clique em assinar cartas online!
  3. Assine as cartas que você quiser – todas de uma vez, ou uma a uma.

Compartilhe os materiais de campanha nas suas redes sociais. Assim, você estará se mobilizando contra violações de direitos humanos em diferentes países, como Brasil, Peru, Canadá, Estados Unidos, Irã, e Camarões.

Esta campanha mobilizou mais de 4 milhões de pessoas no mundo todo somente no ano passado. Em 2016, queremos enviar pelo menos 60 mil cartas pressionando as autoridades que podem fazer a diferença para os 6 casos que estamos trabalhando. Não estamos longe, mas precisamos da sua ajuda!

A hora é agora! Acesse escrevapordireitos.anistia.org.br e participe. Cada carta escrita pode mudar uma vida! E como já dizia o poeta Ferréz, de São Paulo: só a mobilização traz transformação. #Venceremos.

Conheça os casos da Maratona Escreva por Direitos 2016:

Anistia Internacional - Maratona Escreva por Direitos 2016

Anistia Internacional Brasil

Junte-se a 7 milhões de pessoas na defesa dos direitos humanos!

Junte-se a 7 milhões de pessoas na defesa dos direitos humanos!

Anistia Internacional, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツVocê já conhece o Dia de Doar? Ele acontece em 29 de novembro e é uma data muito especial para a Anistia Internacional, pois neste dia pessoas do mundo inteiro se mobilizam por uma causa que os inspira.

A grande novidade deste ano é que unimos nosso Dia de Doar com a nossa Maratona Escreva por Direitos 2016. Temos um site da Maratona Escreva por Direitos e, através dele, você pode organizar ou participar de um evento já existente, se mobilizar assinando cartas e assim, contribuir com nossas ações em defesa dos direitos humanos. Se preferir, também pode fazer uma doação única para a Anistia Internacional.

Há várias formas de participar do Dia de Doar. Clique aqui e descubra qual é a sua!

Tudo que você precisa é de disponibilidade e disposição para fazer a sua parte! Decida uma meta de arrecadação em doações, convide as pessoas a se juntarem a você e faça sua contribuição para os direitos humanos.

Quando o evento terminar, não deixe de nos contar como foi! A arrecadação obtida poderá ser enviada através de um boleto bancário criado em nosso site no formato de doação única. Como garantia, enviamos um recibo de doação, além do nosso sincero agradecimento!

O #diadedoar é uma grande campanha para promover a cultura de doação no Brasil e no mundo. Quem faz este dia é você! Participe!

Obrigado por apoiar a Anistia Internacional!

Fernanda Bochembuzo
Gerente de Amigas e Amigos
Anistia Internacional Brasil

 

Deputado usa o plenário da câmara e pede ao presidente Michel Temer (PMDB) que “abandone o satanismo”

Se esse presidente tiver juízo obedece, pois esse deputado é de fato um homem corajoso. Leia o discurso do deputado federal Cabo Daciolo que pede ao presidente Michel Temer que saia da “maçonaria e do satanismo”.

Senhor presidente, faltam 1 mês e 13 dias para o término do ano. São exatamente 44 dias. Eu gostaria de pedir ao povo brasileiro, homens e mulheres da nossa Nação, para orarmos pela nossa Nação. Vamos orar para que a glória de Deus seja derramada sobre nossa Nação.

Peço também que orem pela minha vida. Por honra e glória do Senhor Jesus Cristo, peço isso.

Quero falar sobre Deus. Quero abrir a palavra do Senhor. Lembro a todos que não estou pregando religião. A única religião que Deus considera como pura e imaculada é cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e não se corromper com esse mundo. Não estou falando de religião nenhuma. Estou falando de Jesus Cristo, aquele que é o caminho, a verdade e a vida.

Mateus, Capítulo 21, Versículo 22, diz assim: E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis. Eu tenho um pedido a Deus, que seja derramada sobre a nossa Nação a glória do nosso Senhor Jesus Cristo.

Quero dizer ao presidente Michel Temer que assim manda dizer o Senhor para ti — presta atenção ao que está sendo dito aqui agora —: abandone a maçonaria, abandone o satanismo e vem correndo para Deus. Vem correndo para Jesus Cristo. Arrependa-se dos seus pecados e vem correndo para Jesus Cristo. Diz assim a palavra do Senhor: Pois não me agrada a morte de ninguém; palavra do Soberano Senhor. Arrependam-se e vivam!

Quero dizer a algumas lideranças do mundo espiritual religioso do nosso País que Deus e religião não combinam. Deus e religião não combinam! Assim como Deus e maçonaria não combinam! Deus e satanismo não combinam! Arrependam-se e vivam!

Toda honra e toda glória sejam dadas ao Senhor Jesus Cristo. Juntos somos fortes! Nenhum passo daremos para trás! Deus está no controle! Glória a Deus!

Obrigado, senhor presidente.

Se todos crentes fosse como esse deputado as coisas estariam diferentes talvez melhores, mas esse irmão prega o fanatismo e isso é prejudicial no meio cristão. Fundamentalismo leva para o caminho sombrio da força.

Portal Gospel+

Ativismo de sofá funciona, sim!

Ativismo de sofá funciona

Anistia Internacional, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツVocê já conhece o conteúdo digital exclusivo da #EscrevaPorDireitos? Clique aqui para ver todas as novidades!

Sem que ninguém tenha precisado sair de casa ou da rotina, já temos mais de 5 mil cartas e e-mails enviados a autoridades de várias partes do mundo!Eu agradeço em nome das pessoas e comunidades que estão fazendo parte da Maratona Escreva por Direitos 2016!

Quer fazer ainda mais pelos direitos humanos de um jeito divertido e irreverente? Então clique aqui e conheça nosso conteúdo digital. Com ele, você pode inserir o símbolo da Maratona em sua foto de perfil do Facebook e do Twitter e também, aproveitar que muitos órgãos de governo e autoridades usam as redes sociais, especialmente o Twitter, para pressioná-los por mais este canal de comunicação. E pode também baixar alguns memes que foram produzidos especificamente para você divulgar nos seus grupos de whatsapp!

Se você já assinou um ou mais casos, que tal fazer um post com foto ou uma transmissão ao vivo escrevendo uma carta de solidariedade para um dos participantes da Maratona Escreva por Direitos 2016? São muitas formas de envolver ainda mais pessoas utilizando de suas redes virtuais na defesa dos direitos humanos.

Não há fronteiras para seu apoio e engajamento! Portanto, sempre use as hashtags #EscrevaPorDireitos nas redes sociais e marque @anistiabrasil no Instagram ou no Twitter.

Quanto mais gente demonstrando esse carinho, melhor! Conto com você, a pressão não pode parar!

Anistia Internacional Brasil