Em 2019, não soltaremos a mão de ninguém!

Em 2019, não soltaremos a mão de ninguém

Em 2019, não soltaremos a mão de ninguém, nem abriremos mão dos nossos princípios ético-políticos!

No ano que se passou, a categoria de assistentes sociais foi às ruas para defender pautas históricas como a previdência social, saúde e assistência social, como política social pública, e combater medidas conservadoras e violadoras de direitos.

Se o conservadorismo reuniu condições de se fortalecer no contexto das últimas eleições e se mostra também em processo de reatualização no interior da nossa profissão, quando vimos, por exemplo, inúmeras manifestações de colegas assistentes sociais nas redes sociais apoiando retrocessos que já superamos há quase quatro décadas, nossa resposta será também nas ruas e nas lutas!

É tempo de mãos dadas, de manter os olhos no horizonte à frente.

Em tempo… a descrição da imagem a arte é inspirada na ilustração de Thereza Nardelli, “Ninguém solta a mão de ninguém”, que mostra imagem de duas mãos se segurando, em referência à resistência necessária para 2019, e ao fundo a árvore que simboliza o Código de Ética do/a Assistente Social com os princípios em seus ramos. No meio dos ramos, a frase “não soltaremos a mão de ninguém!”

Anúncios

Governo do Estado complementa o Bolsa Família com o cartão Santa Renda

Cartão Santa Renda

O Governo do Estado vai efetuar o complemento do programa Bolsa Família, do Governo Federal, às pessoas com renda inferior a R$ 70 mensais per capita. Com o Santa Renda, os beneficiários terão os recursos repassados pelos governos Federal e Estadual em um único cartão. O acordo foi assinado nesta quinta-feira, 5, em cerimônia realizada no Centro Integrado de Cultura – CIC, em Florianópolis. Participaram do ato o governador Raimundo Colombo; a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS, Tereza Campello; a ministra das Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvati; e o secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação – SST, João José Cândido da Silva.

Santa Catarina passa a ser o 15º estado a aderir ao complemento da transferência de renda e a meta é ser o primeiro a erradicar a extrema pobreza no país até 2014. O Santa Renda integra o Plano Santa Catarina sem Miséria, que prevê outras ações sociais. Além da transferência de renda, estão previstas a inclusão produtiva, a ampliação dos serviços públicos de assistência social, o resgate da cidadania, a recuperação dos laços comunitários e a elevação da renda das famílias.

O repasse do Governo do Estado está previsto em duas etapas: na primeira, em janeiro de 2013, serão atendidas 13.808 famílias ou 56.613 pessoas de 150 municípios com investimentos previstos de R$ 16,1 milhões/ano. Na segunda etapa, em janeiro de 2014, serão aplicados R$ 32,6 milhões/ano para atingir os 293 municípios catarinenses e atender a uma população de 115,6 mil pessoas ou 28.204 famílias.

Para receber os recursos do Santa Renda, o cidadão catarinense deverá procurar um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) ou a Secretaria de Assistência Social do município e fazer a inscrição no Cadastro Único (CadÚnico). Se, ao receber o dinheiro do Bolsa Família, o valor for inferior a R$ 70 mensais por pessoa, automaticamente o Governo do Estado pagará o valor da diferença.

O governador Raimundo Colombo afirmou que o Governo do Estado avançou bastante, mas é preciso melhorar ainda mais. “Vamos aumentar os recursos para a assistência social no orçamento do Governo em 2013”, assegurou. “É dever do Estado ajudar os cidadãos a conquistar a independência e trabalhar com eficiência para oferecer condições de desenvolvimento social”, disse.

Durante a cerimônia, o secretário extraordinário para a Superação da Extrema Pobreza do MDS, Tiago Falcão Silva, mostrou os resultados do Brasil sem Miséria que completou um ano em junho. “Tivemos melhorias consistentes e relevantes em todas as faixas de renda. Mas o país ainda tem grandes desafios”, salientou. Silva destacou que 16,2 milhões de pessoas foram identificadas no país com renda inferior a R$ 70 mensais por pessoa. “Precisamos fazer uma grande mobilização de busca dessas pessoas, porque é o Estado chegando onde a pobreza está”, ressaltou.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Tereza Campello, afirmou que os municípios são grandes parceiros nas ações do governo federal e que o aumento nos gastos sociais têm ajudado o país a crescer. “A inclusão é uma das formas de crescimento. O Brasil sem Miséria avança no conceito de busca ativa para fortalecer o Cadastro Único. Precisamos levar não só o Bolsa Família a estas famílias, mas oportunidades”, declarou.

O secretário da SST, João José Cândido da Silva, ressaltou que, além de alocar recursos para complementar o Bolsa Família, é preciso oferecer oportunidade de conhecimento a estas pessoas. “Com uma profissão digna, esta população conseguirá sair da extrema miséria”, disse. Cândido da Silva mostrou às autoridades os projetos previstos para atender a esta parcela da população, dentre os quais o Programa Nacional de Ensino Técnico e Emprego – Pronatec, que oferece mais de 15 mil vagas em cursos gratuitos de qualificação.

Secretária participa de Conferência Nacional de Assistência Social

Conferência da Assitência Social

A secretária municipal de Assistência Social Voltolini, representou, na semana passada, o município de Ilhota na 8ª Conferência Nacional de Assistência Social. O evento, realizado no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, teve como objetivo avaliar as mais recentes conquistas e realizações da assistência social no Brasil e apresentar propostas para os próximos dois anos. “Este evento veio reafirmar e consolidar a política nacional de assistência social. É uma estratégia do Ministério do Desenvolvimento Social na questão da conscientização dos municípios para a necessidade de desenvolver todos os programas sociais. Outro eixo da conferência foi a valorização dos profissionais que atuam diretamente com a população usuária desses programas”, ressalta.

A conferência contou com cerca de dois mil participantes, de todos os municípios brasileiros. Na ocasião foram debatidos os seguintes temas: os avanços do Sistema Único de Assistência Social – Suas – como parte da estratégia de superação da extrema pobreza, a valorização dos trabalhadores e a qualificação da gestão dos serviços, programas, projetos e benefícios.

Durante o evento, a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, anunciou a autorização para que os gestores dos estados, do Distrito Federal e dos municípios utilizem até 60% dos recursos do Fundo Nacional de Assistência Social. Os recursos devem ser empregados para pagamento de pessoal concursado que atue diretamente nos Centros de Referência de Assistência Social – Cras e nos Centros de Referência Especializado de Assistência Social – Creas.

CMDCA e Conselho Tutelar realizaram encerramento anual

CMDCA e Conselho Tutelar realizaram encerramento anual

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e Conselho Tutelar realizaram na última quinta-feira (24) o encerramento anual das entidades. Mais de 500 crianças participaram de um dia festivo. O evento teve início às 9h e prosseguiu até 16h30.

Na oportunidade foram oferecidos brinquedos e guloseimas, como pipoca e algodão doce. Segundo o presidente do CMDCA, Ivanor Januário, tudo foi oferecido gratuitamente aos pequenos. Como conquistas deste ano, Noli, como é conhecido, ressaltou, principalmente, a entrega de uma cartilha educativa. “Para 2012, estaremos fazendo o planejamento nas próximas semanas”, concluiu.

Mais fotos, clique aqui!

Capacitação orienta profissionais sobre os cuidados no manuseio de alimentos ofertados nos equipamentos sociais da região

Capacitação orienta profissionais sobre os cuidados no manuseio de alimentos ofertados nos equipamentos sociais da região

Pensando na qualidade dos alimentos oferecidos nos equipamentos sociais CRAS, CREAS e Acolhimentos Institucionais, e na segurança da população que utiliza estes serviços, a Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí – AMFRI realizou na última terça-feira (30), uma capacitação sobre Manuseio de Alimentos. Durante toda a tarde, auxiliares de serviços gerais e educadores sociais da região receberam orientações sobre os cuidados que devem ser tomados no preparo das refeições.

Além das dicas para uma alimentação saudável e adequada, os participantes foram alertados quando à importância de conservar bons hábitos de higiene, que vão desde o asseio pessoal e os cuidados na manipulação dos alimentos, até a hora de servi-los para o consumidor. A principal razão destes cuidados é evitar a ocorrência de doenças provocadas pelo consumo de alimentos contaminados. “A saúde de muitas pessoas está nas mãos de quem prepara o alimento”, salienta a nutricionista Carolina Marini, que ministrou a capacitação, reafirmando a importância do trabalho das cozinheiras.

Ao final do curso, uma série de receitas saudáveis e que ensinam a reaproveitar alimentos a fim de evitar o desperdício foram ensinadas. Para a cuidadora social do município de Itajaí, Simone Guardia, a experiência do treinamento foi enriquecedora. “Esses momentos são muito importantes. Enquanto educadora referência irei repassar todas essas informações para as responsáveis pelo manuseio de alimentos em nosso Abrigo”. Contente com o que aprendeu na capacitação, a merendeira do município de Camboriú, Cleusa Florêncio espera agora conseguir material adequado para o trabalho. “Seria importante também a participação dos nossos chefes, para que percebam a necessidade de fornecer uniforme e material adequados”.

Para a cozinheira do município de Balneário Camboriú, Áurea Maria Antônia Crescêncio, capacitações como esta deveriam ser oferecidas com freqüência. Segundo ela, tão importante quanto o treinamento é a motivação das funcionárias em fazer um trabalho cada vez melhor. “Precisamos de gente com disposição e boas idéias, até para conseguir inserir no cardápio certos alimentos saudáveis, mas que as crianças geralmente têm rejeição”.

Fonte: Camila Raymundi, assessora de comunicação social da AMFRI.

Cresce número de centros de assistência social no País

Unidades têm garantido proteção social à família, maternidade, infância, adolescência e velhice.

O número de Centros de Referência de Assistência Social (Cras) aumentou de 4.195 unidades em 2007 para 6.801 em 2010. No mesmo período, a quantidade de municípios que contam com pelo menos um Cras – que funciona como porta de entrada da população no Sistema Único de Assistência Social (Suas) subiu de 3.159 para 4.720. Os Cras são estruturas destinadas a articular os diversos serviços da assistência social, prevenir situações de vulnerabilidade e risco e fazer o encaminhamento para outros serviços da rede e para outras políticas públicas. Os números do Censo do Suas referente a 2010 foram apresentados nesta quinta-feira (21), pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

O maior crescimento, de 76%, foi nos municípios com até 20 mil habitantes. As grandes metrópoles registraram aumento de 24% na quantidade desses equipamentos públicos. Somente entre 2009 e 2010, mais de mil novas unidades do Cras foram implantadas no País.

Censo

O monitoramento é realizado anualmente desde 2007 para mapear as unidades públicas de atendimento e monitorar os serviços ofertados nos Cras e nos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas). Os resultados trazem informações sobre as secretarias estaduais e municipais de Assistência Social, a formação e o vínculo empregatício dos trabalhadores e estrutura e funcionamento dos conselhos e das entidades conveniadas.  O Censo 2010 foi respondido por mais de 4,7 mil municípios entre agosto e dezembro. Os dados subsidiarão o aperfeiçoamento da política de assistência social e contribuem para que governos e sociedade conheçam a realidade dos serviços do setor.

Creas

Os Creas, por sua vez, responde pela proteção social de média complexidade. Oferece serviços de atenção especializada de apoio, orientação e acompanhamento a indivíduos ou famílias com um ou mais de seus membros envolvidos em situação de ameaça ou violação de direitos.

Os Creas tiveram aumento de 32% entre 2009 e 2010. Passaram de 1.200 unidades em 1.099 municípios, em 2009, para 1.590 Creas em 1.463 municípios até agosto de 2010. As regiões Nordeste e Sudeste concentram o maior número de unidades.

Suas

O Suas completou seis anos de funcionamento no último dia 15 e se tornou lei em 6 de julho. O sistema tem garantido proteção social à família, maternidade, infância, adolescência e velhice, por meio de uma rede descentralizada que envolve gestores de 99,5% dos municípios brasileiros.

Arte para jovens promove a inclusão social em Ilhota

A história de vida dos adolescentes que integram o projeto Museu de Arte Jovem, de Ilhota, será o foco principal dos trabalhos desenvolvidos pela professora Daniela Chaves com os alunos no decorrer deste ano de 2011. O tema “Minha infância, minha vida”, foi escolhido com o objetivo de resgatar nos alunos a importância da trajetória de vida na formação de cada um como pessoa.

O projeto Museu de Arte Jovem foi criado no ano passado, visa oferecer um espaço de inclusão social através da arte e da educação e neste ano terá muitas novidades.

A principal mudança é no local onde acontecem as aulas, que antes eram realizadas nas escolas e agora são oferecidas no Espaço Cultural Edith Maes, que fica anexo à Prefeitura, no local onde antes funcionava a Câmara de Vereadores. A mudança, segundo o diretor de Cultura, Raul dos Santos, é oferecer um espaço mais confortável para os alunos, pois nas escolas são realizadas muitas outras atividades extracurriculares. Além disso, uma nova turma será formada, ainda este ano, para atender os adolescentes ligados ao Centro de Referência a Assistência Social, CRAS.

As aulas do projeto acontecem de segunda à sexta-feira, duas vezes por semana para cada grupo, no contra turno escolar. Podem participar estudantes com idade entre 12 e 17 anos matriculados nas escolas da cidade. Nas aulas, os alunos aprendem técnicas artísticas através de oficinas práticas.

Formatura

Na semana passada, os alunos que integraram o projeto no ano passado participaram da cerimônia de formatura. Na ocasião foram selecionados os três melhores trabalhos. Além da premiação oferecida para os vencedores, as telas também foram levadas para serem expostas na sede da empresa Descapark, em São Paulo. A empresa é patrocinadora do projeto.

 

Publicado na edição 1279 do Jornal Cruzeiro do Vale.

Prefeito Ademar inaugura sede do CRAS Ilhota

Prefeito Ademar inaugurando as instalação do CRAS Ilhota

O prefeito Ademar Felisky inaugurou na tarde desta sexta-feira (18) a sede do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS onde irá revolucionar a política social do município e proporcionar um melhor atendimento ao público com acessibilidade e comodidade. Em seu discurso, o prefeito Ademar disse que Ilhota está cumprindo o seu papel com a sociedade e a dívida social desse país está sendo para no município entregando a comunidade uma secretaria com uma excelente instalação.

“Nosso governo investe 5,5% de tudo o que arrecada na política do serviço social, maior repasse das cidades da Amfri, aonde Itajaí, chega a 3,5%”, disse o prefeito Ademar Felisky. Não somente nos demais municípios da Amfri, mas em toda história política de Ilhota, que num passado vergonhoso não tão muito longe, cerda se 6 anos atrás, o social não existia e resumia apenas uma profissional e uma sala 20m². Hoje em seu governo, criou a Secretaria Municipal de Assistência Social que possui uma equipe completa com duas assistente social, técnicas, psicólogos e pedagogos e mais esse importante empreendimento, a sede do CRAS.

Mas os investimentos no social não resumem apenas nisso não, nos planos do prefeito é ter uma sede própria, algo que o secretário Chico Caroço já planejou e como tem a chave de muitas portas, andou viabilizando um recurso federal na ordem de 150 mil para construção da própria sede. Parabéns Chico! O governo do prefeito Ademar Felisky é a transformação de toda uma cidade, com visão de futuro e planejamento.