51,2% da população mundial estará conectada à internet até o fim deste ano

Facebook é um grave perigo à saúde da internet

De acordo com levantamento divulgado pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), agência  da Organização das Nações Unidas (ONU) a temas relacionados às tecnologias da informação e comunicação, 51,2% da população mundial terá acesso à internet até o fim de 2018. É a primeira vez que o número de conectados vai ultrapassar o de pessoas que não utilizam a internet.

O índice de usuários corresponde a cerca de 3,9 bilhões de pessoas. Os países desenvolvidos são os que registram as porcentagens mais elevadas, correspondendo a 80,9% da população. Mesmo nos países em desenvolvimento, a diferença entre aqueles que têm acesso à internet e os que não têm também está diminuindo. Atualmente, 45,3% dessa população já tem algum nível de conexão.

Para o secretário-geral da UIT, Houlin Zhao, a evolução no acesso à internet colabora para a construção de uma “sociedade informacional global mais inclusiva”. “No fim de 2018, teremos ultrapassado 50/50 no uso da internet. Isso representa um passo importante em direção a uma sociedade informacional global mais inclusiva. Entretanto, muitas pessoas no mundo ainda estão esperando para colher os benefícios da economia digital. Devemos incentivar mais investimentos dos setores público e privado e criar um bom ambiente para atrair investimentos e apoiar a inovação em tecnologia e negócios para que a revolução digital não deixe ninguém offline”, destacou.

De acordo com a agência, a África é a região que registrou mais crescimento relativo no índice. Há 13 anos, apenas 2,1% da população tinha acesso à internet, atualmente esse número chega a 24,4%.

A popularização no uso de smartphones é apontada como um dos fatores decisivos para a expansão na utilização da internet em todo o mundo. Cerca de 96% das áreas povoadas do planeta têm cobertura móvel, estima o órgão da ONU. E nos celulares, há 5,3 bilhões de pessoas com assinaturas de banda larga.

Acesse a pesquisa aqui.

Portal Imprensa

Anúncios

Seu e-book de Educação em Direitos Humanos

Anistia Internacional, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツBaixe o e-book sobre Educação em Direitos Humanos. Esperamos que aproveite muito esse material! Nos dias de hoje, informação e educação são essenciais para a luta por um mundo melhor e  mais digno! Caso tenha tido algum problema em baixar, é só clicar na imagem e realizar o download novamente, ok?

Agora que você já tem o material, que tal explorar mais um pouco do que ele oferece e promover uma atividadeÉ um momento super legal de compartilhar o que você tem aprendido e também de aprender um pouco… afinal, a vida é feita de diálogo e trocas! Bora nessa? É hora de falar sobre direitos humanos e nada mais inspirador que usar exemplos reais de como eles são importante para nossa vida – é só lembrarmos dos casos que ilustram o material!

Como organizar uma atividade #EscrevaporDireitos?

Escreva por direitos 2018 - e-Book educação em direitos humanos [Guia para educadores]

Muito fácil! No site da campanha, clique no botão “CRIE SUA ATIVIDADE” e siga as instruções. Pode ser uma reunião entre amigos e familiares, em casa, na faculdade, na praça, ou ainda uma roda de conversa, oficina de redação e de escrita de cartas… se você é professor ou professora, pode até ser uma de suas próximas aulas!

Ao registrar seu evento, você poderá solicitar mais alguns materiais para enriquecer sua atividade como papel de cartas e cartazes com os casos*.

Feliz em ter você conosco nessa mobilização!

Anistia Internacional Brasil

[Documentário] O fim do sonho americano

Talvez seja um dos filmes mais esperados do ano.

O documentário mostra através de embasamento científico de Noam Chomsky, considerado como o maior intelectual vivo do planeta, como se mantém a estrutura de poder e corrupção pelo mundo. Como uma minúscula oligarquia mundial, através de seu poderio, consegue sabotar qualquer sonho de democracia e bem-estar.

O filme relaciona os 10 princípios da concentração de riqueza e poder:

  1. Reduzir a democracia;
  2. Moldar a ideologia;
  3. Redesenhar a economia;
  4. Deslocar o fardo de sustentar a sociedade para os pobres e classe média;
  5. Atacar a solidariedade;
  6. Controlar os reguladores;
  7. Controlar as eleições;
  8. Manter a ralé na linha;
  9. Fabricar consensos e criar consumidores; e
  10. Marginalizar a população.

Vale muito a pena assistir!

[Vídeo] Esperança para corações aflitos

Deus nunca está do lado do opressor, do escravagista e do rico espoliador. Assista a pregação do Pastor Ricardo Gondim da Igreja Betesda.

Assim que enfrentaremos Bolsonaro

JAIR BOLSONARO

Acho que estamos todos em choque. Acabamos de eleger o presidente mais extremista das últimas décadas. O que será de nosso futuro? A verdade é que não tem como saber. Mas tem uma coisa que todos podemos fazer para garantir que ele seja responsabilizado: Consertar o Whatsapp.

Bolsonaro não teria vencido sem o WhatsApp. 98% do seu eleitorado viu notícias falsas nas eleições e 89% acreditou nelas. E se você acha que ele vai parar com as mentiras agora que ele ganhou, pense bem: se funcionou tão bem uma vez, por que ele pararia agora?!

O Whatsapp está sofrendo uma forte pressão global para combater a enxurrada de fake news que inundam a plataforma. Um grande apelo dos brasileiros e brasileiras pode fazer a diferença para a proteção da democracia em nosso país e no mundo. Assine agora para adicionar seu nome e vamos ser a oposição popular. Hoje! Clique para exigir uma limpeza em nossas redes sociais

As empresas e exércitos de trolls que atuam em nome de Bolsonaro não vão parar depois da eleição. Modi da Índia, Hu na China, Putin na Rússia… essa nova roupagem da tirania usa enormes exércitos de trolls para controlar a conversa na internet e moldar a opinião pública. Os novos autocratas adoram este método muito mais do que a censura óbvia da tirania “tradicional”. Agora, eles podem mentir online descaradamente, e ganhar legiões de apoiadores!

Se não fosse Bolsonaro a usar esses métodos para subverter nossa democracia, poderia ter sido outro partido ou político – inclusive, há evidências de que o PT usou táticas semelhantes. Por isso, limpar as redes sociais é lutar contra a corrupção! Podemos conseguir isso pressionando as próprias empresas a fazer reformas reais. Assine a campanha agora  — a Avaaz entregará as assinaturas no escritório do WhatsApp, em São Francisco: Clique para exigir uma limpeza em nossas redes sociais.

A Avaaz está lutando contra as notícias falsas e a desinformação em todo o mundo. No Brasil, nosso grupo de combate às fake news expôs uma das maiores redes de desinformação do país e conseguiu derrubá-la. Mas foi muito pouco, e muito tarde. Os algoritmos das redes sociais têm grande poder sobre nossas sociedades, e eles estão nos envenenando à força nesse mesmo instante. Em nome de tudo que amamos, precisamos limpá-los antes que seja tarde demais.

Com esperança, Flora, Ricken, Christoph, Fadi, Emma, Alice, Rosa, e todo o time da Avaaz.

Mais informações

[Documentário] Driblando a democracia – Como Trump venceu

Conheça o método de trabalho do assessor de Trump e Bolsonaro.

O documentário “Driblando a democracia – Como Trump venceu”,  sob a direção de Thomas Huchon, produzido na França este ano, retrata a metodologia de trabalho de Steve Bannon, o diretor de campanha do então candidato à Presidência dos Estados Unidos e hoje assessor de Jair Bolsonaro, com base na manipulação do uso de dados, alcance nas redes sociais sob apelo popular e Fake News.

Como, contrariando todas as previsões, Donald Trump conseguiu se tornar presidente? Revelando uma trama que envolve fake news, o uso de dados pela misteriosa Cambridge Analityca e a ação de poderosos empresários americanos ultraconservadores, este documentário explica como se chegou ao resultado da eleição que chocou a comunidade internacional, é a resenha do documentário.

“Steve Bannon, diretor de campanha de Donald Trump é também assessor da campanha de Jair Bolsonaro. O filme conta em detalhes as estratégias baseadas em fake news e roubo de dados pessoais, que foram usadas para levar Trump a vitória, enganando a América”, informou a produtora de filmes Ogum, que disponibilizou o documentário de origem francesa de 50 minutos, na íntegra.

Jornal GGN

Padre Júlio Lancellotti ensina o que é ser cristão

Peço que você que assista e reflita os poucos minutos deste vídeo. Caso dê algum problema no player assista clicando esse link! Este vídeo se destina principalmente aos católicos. Sei que o ódio foi plantado no coração de muitos de nós, mas é preciso voltar as origens da fé e refletir de verdade. Tenha um ótimo dia eque tua semana seja abençoada por Deus! Ganhe alguns minutos de sua vida e ouça as palavras do Padre Júlio Lancellotti. Uma verdadeira aula de amor fraterno! #compartilhe.

Assista outros vídeos do Padre Júlio Lancellotti.

Carta aberta do prefeito Dida ao povo ilhotense

Prefeito Dida de Oliveira

Bom dia! Gostaria de me utilizar deste espaço para esclarecer algumas questões e posições pessoais que adotarei nestes dias que virão, em relação ao pleito eleitoral que está em vigor, onde que se faz necessário definirmos os destinos de nosso Estado e do nosso País.

Como é do conhecimento de todos, sou uma pessoa de posição firme, cuja conduta sempre foi clara quanto às minhas preferências e ideologias pessoais. Entretanto, buscamos acima de tudo o bem comum do nosso povo, da nossa gente, pois é assim que eu acredito que seja a política: trabalhar para transformar cada vez mais a nossa cidade, deixando um legado de conquistas e benefícios às futuras gerações.

Acima de siglas partidárias, devemos acreditar nas pessoas, em projetos, em condutas que viabilizem o desenvolvimento de Ilhota e nossa região, restando desta forma cumprido o nosso dever de agente público.

Desta forma, buscando atender os interesses coletivos e o bem comum, venho através desta carta demonstrar meu apoio aos candidatos ao Senado Paulo Bauer e Jorginho Melo e ao governo Mauro Mariani e Napoleão Bernardes, por acreditar que nosso povo e nossa cidade estão acima de divergências partidárias, por acreditar que estamos juntos em um projeto de desenvolvimento para Ilhota

Conforme já mencionei, se faz necessário, neste difícil momento econômico que enfrentamos, selar uma parceria que traga em sua essência a certeza da vinda de recursos tão escassos e necessários, a fim de viabilizarmos diversas obras que ainda se fazem necessárias.

Busco, através deste apoio, o melhor para nosso Município e assim tenho a certeza que cumpro meu papel de trabalhar por todos.

Aproveito a oportunidade para anunciar uma parceria, em trabalho em favor de nossa cidade através do nosso deputado federal Peninha, o qual através de seu mandato como deputado auxiliou o município trazendo mais de 12,1 milhões de reais para importantes obras, na busca da melhoria da qualidade de vida de nossos munícipes.

Pavimentações, obras de reurbanização da praça, Casarão Belga, revitalização de nosso perímetro urbano, custeios para saúde e ambulâncias, esses são algumas das ações que nosso deputado federal tem trazido para nossa cidade.

Assim, possuímos atualmente ainda uma parceria com Peninha para assegurar recurso do Programa Avançar Cidades, que vai atender a pavimentação da rua Silvério Silveira Ramos, bem como recursos do Badesc, assegurados para pavimentação das ruas Bonifácio Maba e João Domingos Pereira, isso tudo fruto do empenho do nosso deputado.

Convém trazer também o nosso esforço em todas as demais áreas de atuação da Prefeitura: trabalhos significativos na saúde, educação, assistência social, urbanismo, infraestrutura – onde possuímos este forte compromisso junto as estradas do interior, que mesmo neste momento econômico difícil não medirei esforços para até final deste ano e meados do ano que vem, pavimentar o maior número possível de estradas, além da macadamização.

Entretanto nossa busca por recursos para mais obras não parão por ai, irei me utilizar desta parceria que firmo para garantir melhorias na qualidade de vida do ilhotense.

Assim, buscando o melhor para o meu Município, reafirmo o compromisso que assumo junto aos ilhotense, apoiando Mauro Mariani e Napoleão Bernardes, pois acima de nossas diferenças partidárias municipais, estamos em um pleito estadual, aonde busco o melhor para cada cidadão da nossa querida cidade.

Finalizo reafirmando meu desejo de trabalhar pelo bem e pelo melhor para nosso povo, buscando soluções e recursos para juntos fazermos uma Ilhota melhor!

Dida Oliveira

As conquistas de Claudio Vignatti para Ilhota #VoteVignatti #Vignatti1340 ✌⭐

Claudio Vignatti é o meu candidato a #DeputadoFederal. Pra quem diz que o #PT nunca trouxe nada para Ilhota, entra na fila que te mostro, isso sem fala na Construção Ponte De Ilhota. Em Ilhota, Vignatti ajudou a liberar recursos para a infraestrutura da cidade, transporte e saúde, lutas que vou continuar fazendo por toda Santa Catarina! Eu voto Vignatti 1340 #DeputadoFederal.

Acompanhe as ações do #SangueBom nas redes sociais ✌

💻 www.claudiovignatti.com.br

📲 WhatsApp (49) 99820-1340

📸 Instagram @vignatti.claudio

📝 Twitter @vignatticlaudio

           ⭐ 1⃣ 3⃣ 4⃣ 0⃣ ⭐

[Filme] Batismo de Sangue

São Paulo, fim dos anos 60. O convento dos frades dominicanos torna-se uma trincheira de resistência à ditadura militar que governa o Brasil. Movidos por ideais cristãos, os freis Tito (Caio Blat), Betto (Daniel de Oliveira), Oswaldo (Ângelo Antônio), Fernando (Léo Quintão) e Ivo (Odilon Esteves) passam a apoiar o grupo guerrilheiro Ação Libertadora Nacional, comandado por Carlos Marighella (Marku Ribas). Eles logo passam a ser vigiados pela polícia e posteriormente são presos, passando por terríveis torturas.

Crítica do Câmera Lenta

A produção nacional “Batismo de Sangue”, dirigida e escrita por Helvécio Ratton, em parceria com Dani Patarra, é mais uma dentre tantas obras que descrevem o período mais crítico da política brasileira, a Ditadura Militar.

Uma salva de palmas para Ratton que, ao contrário de Bruno Barreto no adorado “O que é isso, companheiro?”, não se manteve em cima do muro, não humanizou carrascos militares, nem demonizou revolucionários de esquerda. O diretor e roteirista colocou cada personagem em seu respectivo lugar.

Quem estudou sobre a história da Ditadura Militar no Brasil, sabe que os padres tiveram grande participação na luta em favor da democracia, liberdade e direitos civis. E o filme de Ratton, sob um olhar macroscópico, mostra isso. Conta a história mais conhecida do envolvimento de padres contra os militares naquele período. A razão de o fato ser tão famoso, é o livro homônimo de Frei Betto, lançado em 1983 e ganhador do prêmio Jabuti.

Betto, também jornalista, escreveu do que viveu ao lado de Frei Tito e os frades dominicanos Oswaldo, Fernando e Ivo, em São Paulo.

Comovidos com tantas notícias de violência contra os jovens por parte dos militares, e motivados por ideais de cristianismo e democracia, os frades decidem se unir ao grupo guerrilheiro Ação Libertadora Nacional, liderado por Carlos Marighella, o revolucionário mais procurado pela Ditadura à época.

Na busca por Marighella, os padres acabam pegos e torturados por militares comandados pelo delegado Sérgio Fleury, um dos piores carrascos do Regime. Frei Tito, cujo olhar norteia o andamento do filme, consegue ser liberto. No entanto, fica severamente perturbado após as sessões de tortura nos porões do Dops. Mesmo exilado na França, as memórias das violências sofridas no Brasil o atormentam.

Um longa-metragem altamente informativo, sem perder a humanidade. Uma brilhante atuação de Caio Blat, como o protagonista Frei Tito. Daniel de Oliveira encarna o narrador, Betto. O filme levou para casa os prêmios de melhor diretor e melhor fotografia no Festival de Cinema de Brasília.

Ficha técnica