Estados Unidos e Brasil: vulnerabilidade na segurança digital

Edward Snowden

Com os olhos fixos na transmissão da Copa do Mundo na Rússia, a população brasileira conforta-se em face de sua robustez futebolística perante países mais desenvolvidos e também ante governo nacional incapaz de recuperar a combalida economia após dois anos de rigorosa recessão e um de crescimento pífio.

Há dois decênios ao menos, o avanço tecnológico na área da computação possibilitou o acesso a dados pelas grandes potências de maneira inimaginável noutro tempo, embora parte das informações esteja disponível de modo espontâneo pelos próprios usuários das populares redes sociais, em sua maioria de origem norte-americana.

Desde meados da década de 50 do século passado, a parceria político-econômica entre Washington e empresas de grande porte funciona sem dificuldades, haja vista a necessidade de superar seus adversários, que estatais, quer privados. O encerramento da Guerra Fria não alteraria a colaboração próxima.

De toda forma, o Planalto protestou diante da Casa Branca ao final de 2013 sobre as denúncias acerca de espionagem cotidiana. Sem rivais militares ou ideológicos à altura, a despeito da justificativa de combate ao terrorismo integrista, a bisbilhotice governamental poderia auxiliar seu segmento privado, em especial em grandes contratos como o setor aéreo, por exemplo.

Tendo em vista tal possibilidade, a espia teria alcançado outrossim Alemanha e México, ao dirigir-se até seus mandatários Angela Merkel e Enrique Peña Nieto, a ser substituído em breve em função da vitória acachapante da oposição trabalhista.

De maneira oportuna, Vladimir Putin concedeu asilo ao norte-americano avalista das denúncias, Edward Snowden, ex-funcionário de uma prestadora de serviços à Agência de Segurança Nacional (NSA).

Segundo ele, a supervisão das comunicações globais pela burocracia estadunidense não se limitaria à preocupação com segurança apenas, porém, ao mercado também. Assim, a ideia comumente propalada no pós-Guerra Fria de que na economia predominaria o liberalismo não prosperaria. A defesa do interesse das corporações nacionais valeria sem ressalvas.

Chamou a atenção nas denúncias do expatriado estadunidense seu antigo grau de acesso a informações avaliadas como bastante restritas, em decorrência do alto grau do status dos monitorados – presidentes ou primeiros ministros.

Seria possível especular que dezenas de milhares de cidadãos daquele país teriam acesso a informes outrora reduzidos a pequeno número de autoridades: civis, servidores de carreira ou ‘terceirizados’ como o próprio Snowden, ou militares, com a inclusão dos de baixa patente como o soldado Bradley – hoje, Chelsea – Manning, preso por sete anos por violar a Lei de Espionagem de 1917.

Diante disso, a manutenção de confidencialidade, posto o acesso assaz amplo, seria muito difícil pela Casa Branca. Apesar da severidade da legislação local com a violação eventual de sigilo, vigiar isso ao correr dos anos seria complicado.

A despeito da gravidade do caso, Washington não demonstraria boa vontade em desculpar-se ou mesmo pormenorizar de forma reservada a Brasília o modo como a coleta de dados teria ocorrido e para qual fim, de sorte que se minimizasse o desgaste diplomático e, por conseguinte, se resguardasse a imagem da administração dos trabalhistas, frustrados com a postura dos democratas ao norte do continente.

Fonte – Por Virgílio Arraes, doutor em História das Relações Internacionais pela Universidade de Brasília e professor colaborador do Instituto de Relações Internacionais da mesma instituição.

Anúncios

Como viver sem o Google? Simples, remova o Google de sua vida! Sim, isso pode ser feito

Google no aniversário de #DialisonCleberVitti #28022018

Remover o Google de sua vida? Sim, isso pode ser feito!

Google rastreadores foram encontrados em 75% dos principais milhão de sites. Isso significa que eles não estão apenas seguindo o que você procurar, eles também estão rastreando os sites que você visita e usando todos os seus dados para anúncios que seguem você em torno da internet. Os seus dados pessoais também podem ser intimado por advogados, inclusive para casos civis como o divórcio. Google respondeu mais de 100.000 tais solicitações de dados, só em 2016!

Mais e mais pessoas também estão percebendo o risco de depender de uma empresa para tantos serviços pessoais. Se você está se juntando às fileiras de pessoas que já decidiram coleta de dados do Google tornou-se muito invasivo, aqui estão algumas sugestões para a substituição com custo de comutação mínima. A maioria são livres, embora mesmo aqueles que são pagos valem a pena – o custo de não mudar é um custo para a sua privacidade pessoal, e a boa notícia é que temos uma escolha!

Google Search -> DuckDuckGo (grátis)

Vamos começar com o mais fácil! Mudar para DuckDuckGo não só mantém suas pesquisas privado, mas também dá-lhe vantagens adicionais, como nossos atalhos estrondo, acessível Instant Answers e sabendo que você não está preso em uma bolha de filtro.

Gmail, Calendário e Contatos -> FastMail (pago)

Hospedamos @ duckduckgo.com endereços em FastMail, um serviço independente, paga que também inclui calendário e contatos apoiar em todos os dispositivos. Há também várias maneiras de obter e-mail criptografado entre partes confiáveis por integrar ferramentas de criptografia PGP. Mesmo mais privado alternativas de e-mail são ProtonMail e Tutanota , ambos dos quais oferecem criptografia end-to-end por padrão.

YouTube -> Vimeo (livre com opções pagas)

Para os vídeos que estão somente no YouTube (infelizmente, muito), você pode procurar e assisti-los em DuckDuckGo para uma melhor proteção da privacidade através do domínio “youtube-nocookie” do YouTube. Se você estiver criando e hospedagem de vídeo-se, no entanto, Vimeo é a alternativa mais conhecido que incide sobre os criadores.

Google Maps -> Mapas da Apple (gratuito), OpenStreetMap (grátis)

Para os usuários do iOS, a Apple dá-lhe uma alternativa construída em via Mapas da Apple, por isso nenhuma instalação é necessária. Para suporte a dispositivos mais amplo, veja OpenStreetMap (OSM), que é mais aberto, embora possam não ter a mesma facilidade de utilização ou da qualidade de cobertura de mapas da Apple.

Google Drive -> Resilio sincronização (livre com opções pagas)

Outro serviço que usamos internamente, Resilio Sync, fornece sincronização de arquivos peer-to-peer que pode ser usado para a armazenagem privada de arquivos, backup e compartilhamento de arquivos. Isso também significa que seus arquivos nunca são armazenados em um único servidor na nuvem! O software está disponível para uma ampla variedade de plataformas e dispositivos, incluindo servidores.

Android -> iOS (pago)

A alternativa mais popular para Android é de iOS curso, que oferece criptografia de dispositivo fácil e mensagens criptografadas via iMessage por padrão. Temos também dicas para aumentar a proteção de privacidade no seu iPhone ou iPad.

Google Chrome -> Safari (gratuito), Firefox (gratuito), Bravo (grátis)

Safari foi o primeiro navegador grande para incluir DuckDuckGo como uma opção de pesquisa privada built-in. Um navegador compatível mais cross-dispositivo é o Firefox, da Mozilla, um navegador open source com um bloqueador de rastreador built-in no modo privado. Admirável vai um passo além com bloqueio rastreador ativado por padrão. Há também muitos outros navegadores que vêm com DuckDuckGo como uma opção de built-in.

Blogger -> Santo (pago), WordPress (livre com opções pagas)

Santo é tanto uma hospedado (pago) e uma plataforma de blogging auto-instalável, por padrão e gerido por uma fundação sem fins lucrativos livre-tracker. Nós gostamos tanto que usá-lo para o nosso próprio blog ! Uma alternativa livre é WordPress, alimentando cerca de 25% dos sites do mundo. Também está disponível tanto para auto-instalação e como um serviço hospedado, sem trackers de terceiros por padrão. A comunidade é enorme, com uma extensa documentação multilingue e muitos temas para escolher.

O Hangouts do Google -> Zoom (livre com opções pagas), appear.in (livre com opção paga)

Zoom é uma alternativa de vídeo chat robusta usamos internamente que funciona bem mesmo para um grande número de participantes, embora requer software a ser instalado. Uma alternativa web somente é appear.in que não requer uma conta – basta ir ao site para abrir uma sala de chat e você está pronto.

Google Allo -> Signal (grátis)

Existem vários serviços que oferecem mensagens privada, mas, como já mencionado anteriormente, sinal recebe a nossa recomendação. Ele oferece, end-to-end encryption livre para ambas as mensagens e chamadas privadas. É também recomendado por Edward Snowden e renomado especialista em segurança Bruce Schneier, entre outros.

Como você pode ver, afastando-se Google não precisa ser difícil. Na verdade, você pode achar que você preferir as alternativas ao mesmo tempo, cada vez melhor privacidade!

Orgulhosamente DuckDuckGo

Assinatura de Dax

 

A coisa ficou séria! Trump nomeia deputado ultraconservador que pediu execução de Snowden como diretor da CIA

Edward Snowden

opera mundiO presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, confirmou em um comunicado divulgado nesta sexta-feira (18/11) a nomeação do congressista Mike Pompeo, membro do movimento ultraconservador Tea Party, como o novo diretor da CIA (Agência de Inteligência Central). O nome dele ainda precisa ser confirmado pelo Senado, que terá maioria republicana.

Em 2013, Pompeo foi criticado pelas declarações que deu após os atentados da maratona de Boston, quando disse que líderes muçulmanos que não condenavam o terrorismo eram “cúmplices em potencial” de ataques terroristas.

O novo chefe da CIA também defendeu a execução de Edward Snowden em entrevista ao canal C-Span em fevereiro, na qual disse que “[Snowden] deveria ser trazido da Rússia e ser processado”. “Acho que um resultado apropriado seria que ele fosse condenado à morte por ter posto amigos meus e seus, que serviram no exército, em um risco enorme, por causa das informações que ele roubou e liberou a potências estrangeiras”, disse.

O republicano, ex-oficial do Exército, formado em Direito em Harvard, foi eleito para o Congresso pela primeira vez em 2010, como parte do movimento ultraconservador Tea Party.

O futuro diretor da CIA também se opôs ao fechamento da base militar de Guantánamo e é contra o acordo nuclear com o Irã, que considera “o maior país patrocinador do terrorismo”, segundo divulgou nas redes sociais nesta quinta-feira, antes da sua nomeação se tornar pública.

Estou ansioso para reverter esse acordo desastroso com o país que mais patrocina o terrorismo
disse Pompeo no Twitter

Apesar de ter apoiado o candidato Marco Rubio nas primárias, Pompeo disse que “apoiaria o candidato do Partido Republicano porque Hillary Clinton não pode ser presidente dos Estados Unidos”. Após a nomeação, o congressista se disse “honrado com a oportunidade de servir e trabalhar junto ao presidente eleito Donald Trump para manter os EUA seguros”. “Quero trabalhar com os guerreiros da inteligência dos EUA, que tanto fazem para proteger os americanos a cada dia”, destacou.

Opera Mundi

https://www.c-span.org/video/standalone/?c4631575

Seus meios são monitorados

RSF, Seus meios são monitorados, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

Repórteres Sem FronteirasAs revelações de Edward Snowden têm demonstrado a existência de uma rede internacional de vigilância em massa, os serviços de inteligência alemães são um elo crucial. Em um projeto de lei sensata para reformar e regular a ação do Serviço Federal de Inteligência Alemão (BND), o Parlamento alemão está a tentar legalizar espionar jornalistas estrangeiros.

Vigilância em massa conduzida pela inteligência alemã é uma violação dos direitos e vigilância de jornalistas humanos é nada menos que uma flagrante violação da liberdade de imprensa. Você sabe como o seu envolvimento nos permitiu ser eficaz no passado. Assine nossa petição para a introdução de uma emenda que garante os jornalistas de exercer a sua função.

Devemos ser o maior número possível na Alemanha e em outros lugares para que a nossa voz seja ouvida no Parlamento alemão. Vamos mobilizar para evitar um perigoso precedente que está sendo criado na Europa.

Repórteres Sem Fronteiras

Debate com Julian Assange, fundador do WikiLeaks, em São Paulo

Debate com Julian Assange, fundador do WikiLeaks, em São Paulo

Boitempo Editorial e Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo promovem seminário “Liberdade, privacidade e o futuro da internet” com participação de Julian Assange por videoconferência.

Com as recentes denúncias de espionagem divulgadas pelo ex-técnico da Agência Nacional de Segurança dos EUA, Edward Snowden, a discussão sobre liberdade e privacidade na internet ganhou o noticiário em todo o Brasil. Considerada um grande avanço no campo das comunicações, de tempos em tempos, com a revelação de casos como o de Snowden, a internet torna-se alvo de desconfiança e críticas.

Como contribuição para esta discussão, no próximo dia 18 de setembro, no Centro Cultural São Paulo, acontece o seminário “Liberdade, privacidade e o futuro da internet”, correalizado pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e Boitempo Editorial.

O secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira, acredita na importância da Prefeitura de São Paulo contribuir para a reflexão sobre o assunto. “A internet é hoje um espaço chave no cotidiano de praticamente toda a humanidade e essencial para a fruição cultural neste início do século XXI. A quebra de privacidade pela bisbilhotagem e a prática de espionagem é uma ameaça para os direitos individuais conquistados com muita luta no século passado e é preciso uma grande mobilização para garantir a privacidade e a liberdade na rede e o direito dos usuários a uma cultura livre”, conclui ele.

O evento contará com três mesas de debates. No encerramento, às 19h30, acontecerá a videoconferência com Julian Assange, fundador do Wikileaks e autor do livro Cypherpunks: Liberdade e o futuro da internet, publicado este ano pela Boitempo. Atualmente sob asilo político na embaixada do Equador em Londres, Assange participará da última mesa do evento por meio de transmissão ao vivo, com tradução simultânea. A jornalista Natália Viana, parceira do Wikileaks no Brasil e coordenadora da Agência Pública de Jornalismo Investigativo e o secretário Juca Ferreira compõem a mesa de discussões.

A primeira mesa começa às 14h e traz como tema “Arquitetura e Governança na Internet” e explora as regras para o tráfego dos dados. Na sequência, às 16h, o assunto é “Vigilância e Privacidade na Rede”, que aprofunda a discussão em torno da privacidade de dados em tempos de vigilância. Este tema terá entre os debatedores, Silvio Rhatto, especialista brasileiro em tecnologia digital e armazenamento de dados. A segurança dos usuários para a troca de informações e a dinâmica das redes sociais estarão entre os temas a serem discutidos.

Por meio do seu livro Cypherpunks: Liberdade e o futuro da internet, Assange pauta uma questão absolutamente contemporânea, que impacta a vida de todos os usuários da internet, que se beneficiam da revolução no campo das comunicações mas ainda refletem pouco sobre a vigilância que sofrem.

Ivana Jinkings, diretora editorial da Boitempo, ressalta a importância da obra de Assange: “O livroCypherpunks e a discussão global iniciada por Julian Assange à frente do Wikileaks – ao quebrar paradigmas e revelar a vigilância em massa na internet – são contribuições inestimáveis ao nosso tempo. O debate sobre a liberdade no meio virtual é necessário e inevitável, como mostram as ações de Bradley Manning, Edward Snowden e do próprio Assange, em busca de mais transparência. É hora de discutir as consequências dessas ações e ao mesmo tempo disputar a regulação e as políticas de comunicação no Brasil e na América Latina como um todo”.

Ingressos para a videoconferência serão entregues durante as atividades da tarde. Os restantes serão distribuídos a partir das 18h30. O evento é público, gratuito e não requer inscrição.

Serviço

  • Seminário “Liberdade, privacidade e o futuro da internet”.
  • Com Julian Assange, Juca Ferreira, Natalia Viana, Sérgio Amadeu, Maria Tereza Carvalho, Silvio Rhatto, Marta Knashiro e Gisele Beiguelman.
  • Dia 18/9 | a partir das 14h | Centro Cultural São Paulo | Sala Adoniran Barbosa.
  • Rua Vergueiro | nº 1.000 (próximo da estação Vergueiro do Metrô).
  • Confira a página oficial do evento no Facebook.

Requião liga espionagem norte-americana a FHC

Com base em informações do site “Carta Maior”, senador paranaense divulgou à audiência pública da Comissão de Relações Exteriores do Senado que Edward Snowden já foi funcionário da Bozz Allen Hamilton, empresa de consultoria que planejou diversos programas para o governo tucano. Leia mais e informe-se neste link!