II Workshop de Xadrez acontecerá em agosto

Cerca de 80 pessoas são esperadas no II Workshop de Xadrez, promovido pelo professor Paulo Abdu e Anelize Hostins, com o apoio da prefeitura de Ilhota. O encontro acontecerá no dia 27 de agosto, no Espaço Cultural Edith Catharina Maes. Na ocasião será ministrada uma palestra pelo jogador Jacques Amorim Buzz. Os interessados em participar devem se inscrever na Fundação Municipal de Cultura José Izidro Vieira, loja Fox Sports ou Ginásio Municipal do Centro.

O primeiro workshop aconteceu em 2009 e reuniu cerca de 20 adeptos da modalidade. “No ano seguinte, por iniciativa do atual superintendente do Departamento de Cultura, Raul Fernando dos Santos, aconteceu um encontro num sábado de manhã na biblioteca e reuniu, além do prefeito e alguns vereadores, um público considerável de crianças jovens”, destaca o apoiador, assessor da juventude, Dialison Cleber Vitti.

Dialison acrescenta que aproveitará a oportunidade para apresentar o projeto de criação do Clube de Xadrez. “O objetivo é fazer com que o esporte se popularize na cidade e desperte na sociedade o interesse por novas atividades, o desenvolvimento ao conhecimento, ao raciocínio lógico e ágil e que promova a inclusão social e interatividade”.

O xadrez é um dos jogos mais populares do mundo, sendo praticado por cerca de 605 milhões de pessoas em todo o mundo. A iniciativa tem como apoiadores as empresas Suporte.com e site Publicar Agora.

Anúncios

2º encontro de xadrez

Vem ai mais uma do grande amigo Paulo Abud, mais popularmente conhecido como “Paulo Abidu”. O 2ºworkshop de xadrez deverá mobilizar a cidade no dia 27 de agosto e será realizado no “Espaço Cultural Edith Catharina Maes” e a expectativa é reunir +/- 80 pessoas adeptos da modalidade esportiva mais popular do mundo. Durante o evento, será ministrada uma palestra a ser promovido pelo grande amigo e um dos grandes incentivador do xadrez em Ilhota, Jacques Amorim Buzz.

Jacques, que administrava uma videolocadora no centro da cidade, sempre tinha seu tabuleiro à disposição dos amigos para uma disputa saudável e um placar onde mostrava o ranking de cada participante. Começava ali, mesmo sem querer, na Star Vídeolocadora a febre pelo xadrez, e deu certo!

O primeiro promovido por Paulo Abud, aconteceu a um tempinho atrás, em 2009 e reuniu cerca de 20 adeptos ao xadrez. Logo, no ano seguinte veio por iniciativa do atual gestor do Departamento de Cultura, um encontro num sábado de manhã na biblioteca (e tinha um super café e que café massa) e reuniu, além do prefeito e alguns vereadores, um público considerável de crianças jovens .

Desta vez, o evento conta com meu apoio, incondicionalmente, e como gestor da juventude do governo do prefeito Ademar Felisky, a Assessoria da Juventude apoiará o evento e aproveitará a oportunidade para apresentar o projeto da criação do Clube de Xadrez, um projeto desenvolvido pela instituição. O objetivo do Clube de Xadrez é fazer o esporte se popularizar na cidade e despertar na sociedade o interesse por novas atividades, o desenvolvimento ao conhecimento, ao raciocínio lógico e ágil e que promova a inclusão social e interatividade com a comunidade.

O xadrez é um dos jogos mais populares do mundo, sendo praticado por milhões de pessoas em torneios (amadores e profissionais), clubes, escolas, pela internet, por correspondência e informalmente. Há uma estimativa de cerca de 605 milhões de pessoas em todo o mundo que sabem jogar xadrez e destas, 7,5 milhões são filiadas a uma das federações nacionais que existem em 160 países em todo o mundo.

As inscrições poderão ser feitas a Fundação Municipal de Cultura José Izidro Vieira, Fox Sports e Ginásio Municipal. Como é difícil fazer qualquer tipo de evento cultural ou esportivo, quero citar os apoiadores, só assim, teremos mais incentivadores a essas atividades que enriquecem nossa cidade, que são elas, a Suporte.com e site Publicar Agora. A iniciativa é do Paulo Abud e Anelize Hostins.

Herança do Vovô

A idéia de diversidade está ligada aos conceitos de pluralidade, multiplicidade, diferentes ângulos de visão ou de abordagem, heterogeneidade e variedade. E, muitas vezes, também, pode ser encontrada na comunhão de contrários, na intersecção de diferenças, ou ainda, na tolerância mútua.

Em plena era da comercialização da música, ainda há pessoas que preocupam com a música de verdade. Entendo os argumentos que promovem em torno do cenário do sertanejo universitário, porém, a questão é que o verdadeiro som do sertanejo é esquecido e muito se aproveitam deles… e aqueles que lutam, bravamente, em manter a origem, é esmagada pela indústria fonográfica.

A nova onda, ou a nova moda foi uma invenção de estúdio de dois ou três caras, mas que por incrível que parece deu certo, ta dando na verdade. Assim como foi com o funk, pagode, forró universitário, ela também tem data de validade, pois virá novos “riffis” e dominará o território. Tenho que concordar que esse sertanejo deu certo, mas irá ficar uma década e depois desaparecerá como todos os outros!

Neste vídeo o amigo de minha bela e grande comunidade de Pedra de Amolar compôs essa bela canção. Serginho e Dagmar. Ao som de “Quero-quero” no fundo, enriqueceu, ainda mais o vídeo. A dupla já apareceu por aqui no YouTube e recentemente levaram o prêmio do primeiro show de talentos promovido pela Fundação Cultural durante a festa do município.

Defendo a produção artística e cultura autoral independente de grupos e pessoas e todas as manifestações artísticas e expressões existentes, desde que não tenho cunho comercial. Se depender de mim, a dupla irá longe.

A primeira aparição de Serginho e Dagmar

Aqui a dupla se apresenta no Espaço Cultural Edith Catarina Maes com seu “riffi” comercial e cover de Lorenço e Lourival cantando a clássica “Franguinho na Panela” para a seletiva para se apresentarem no show de talentos durante a programação do aniversário de Ilhota. Por incrível que pareça, fui jurado neste dia e a dupla levou o premio de primeiro colocado na categoria.

 

Arte para jovens promove a inclusão social em Ilhota

A história de vida dos adolescentes que integram o projeto Museu de Arte Jovem, de Ilhota, será o foco principal dos trabalhos desenvolvidos pela professora Daniela Chaves com os alunos no decorrer deste ano de 2011. O tema “Minha infância, minha vida”, foi escolhido com o objetivo de resgatar nos alunos a importância da trajetória de vida na formação de cada um como pessoa.

O projeto Museu de Arte Jovem foi criado no ano passado, visa oferecer um espaço de inclusão social através da arte e da educação e neste ano terá muitas novidades.

A principal mudança é no local onde acontecem as aulas, que antes eram realizadas nas escolas e agora são oferecidas no Espaço Cultural Edith Maes, que fica anexo à Prefeitura, no local onde antes funcionava a Câmara de Vereadores. A mudança, segundo o diretor de Cultura, Raul dos Santos, é oferecer um espaço mais confortável para os alunos, pois nas escolas são realizadas muitas outras atividades extracurriculares. Além disso, uma nova turma será formada, ainda este ano, para atender os adolescentes ligados ao Centro de Referência a Assistência Social, CRAS.

As aulas do projeto acontecem de segunda à sexta-feira, duas vezes por semana para cada grupo, no contra turno escolar. Podem participar estudantes com idade entre 12 e 17 anos matriculados nas escolas da cidade. Nas aulas, os alunos aprendem técnicas artísticas através de oficinas práticas.

Formatura

Na semana passada, os alunos que integraram o projeto no ano passado participaram da cerimônia de formatura. Na ocasião foram selecionados os três melhores trabalhos. Além da premiação oferecida para os vencedores, as telas também foram levadas para serem expostas na sede da empresa Descapark, em São Paulo. A empresa é patrocinadora do projeto.

 

Publicado na edição 1279 do Jornal Cruzeiro do Vale.