Novo curso sobre como combater as fake news

Fake News

Recebi um e-mail do Centro Knight da Universidade de Texas pra nos convidar a se inscrever no próximo curso online gratuito em português: “Como desbancar as ‘fake news’ e nunca mais chamá-las por esse nome”. Isso mesmo, recebi e estou compartilhando esse convite, que afinal de contas, é muito bom e já fiz outros cursos dessa organização, com intuito de aprender a desmascarar conteúdo falso e a desinformação que circula nas suas redes sociais.

Se você vai cobrir política no período eleitoral ou está apenas interessado em combater os memes e notícias fabricadas que recebe em grupos de conversa, estou certo de que o material deste curso vai te ajudar. Convocamos quatro especialistas que vão ensinar conceitos, ferramentas e práticas sobre o trabalho de checagem e verificação de conteúdo digital.

Inscreva-se agora mesmo neste curso massivo online e aberto (MOOC, na sigla em inglês), que começa dia 5 de agosto e vai até 2 de setembro. Nestas quatro semanas, você estará acompanhado da Ângela Pimenta, presidente do Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (Projor) e coordenadora do Projeto Credibilidade (Trust Project); Pedro Burgos, fundador do projeto Impacto.Jor; Barbara Libório, jornalista da Aos Fatos e do Canal Meio; e Fábio Gusmão, editor online do jornal Extra, do Rio de Janeiro.

O curso é super prático, cheio de dicas sobre ferramentas e habilidades que você poderá começar a usar de imediato. Como todos os nossos MOOCs, não haverá aulas ou atividades ao vivo, portanto você poderá participar nos horários e dias mais convenientes, durante o período do curso.

Para mais detalhes e um vídeo explicativo sobre o conteúdo do curso, visite este site: JournalismCourses.org. Você vai encontrar a ementa, com os detalhes dos tópicos de cada módulo, e as instruções de como se inscrever neste MOOC.

Se quer estar atualizado sobre as práticas de checagem e verificação de conteúdo, não perca essa oportunidade! Ah, e dada a importância do tema, por favor espalhe a notícia pelas redes sociais, entre seus contatos, colegas e amigos. Ajude-nos a chegar no maior número possível de pessoas e vamos formar um exército contra a desinformação!

Se tiver qualquer dúvida, a assistente deste curso, Natália Mazotte, está disponível para te ajudar, só escrever para nmazotte@gmail.com.

Anúncios

Fake news: Google usará jornalismo de dados na apresentação de pesquisas de usuários

Fakebook News

O Google começará a usar jornalismo de dados na apresentação de buscas feitas por usuários do Google Search. Com a medida, o site quer combater as fake news. A informação é do TecMundo, Canaltech  e Engadget.

A empresa, por meio da Google News Initiative, vai produzir conteúdo baseado no jornalismo de dados – com gráficos, planilhas e até algoritmos – para conferir a informação antes de apresenta-la. Com isso, os usuários receberão detalhes mais precisos da sua busca no topo dos resultados.

Segundo o Engadget, agora, quando o usuário faz uma pesquisa sobre assuntos específicos, como as despesas de uma organização sem fins lucrativos em um determinado ano, por exemplo, o Google mostrará dados tabulares específicos no topo da página à frente de todos os outros resultados.

Até agora, o Google vem trabalhando com sites como o ProPublica, que emprestou seu banco de dados interativo para organizações sem fins lucrativos ao projeto.

Portal Imprensa

Cientistas propõem “vacina” para imunizar as pessoas contra notícias falsas

Notícias falsas na internet

De acordo com a BBC, os pesquisadores dizem que expor as pessoas “de forma preventiva” a uma pequena dose de informações erradas pode ajudar a evitar que elas confundam boatos com a verdade.

A ideia da “vacina” veio após a observação dos noticiários sobre as eleições presidenciais nos Estados Unidos e a guerra na Síria. O chefe do estudo, o psicólogo Sander van der Linden, do Laboratório de Tomada de Decisões Sociais da Universidade de Cambridge, explica que a desinformação pode ser espalhada e multiplicada como um vírus.

A ideia é oferecer um repertório cognitivo que ajude a construir uma resistência à desinformação para que, da próxima vez, ao ser exposta à notícia falsa, a pessoa esteja menos suscetível

Os cientistas usaram técnicas da psicologia cognitiva, que relaciona e associa o processamento humano e animal da informação com processos eletrônicos. Nos testes, as reações das pessoas às notícias de consenso geral sobre a mudança climática foram comparadas com a campanha que divulgou ideias falsas sobre o tema.

No momento em que as informações foram mostradas em oposição, as notícias falsas se sobressaíram às verdadeiras e as pessoas voltaram a ter a opinião que tinham antes do início do estudo.

Depois, os pesquisadores acrescentaram pequenos alertas que colocavam em dúvida a credibilidade da informação falsa, o que ajudou a manter a opinião das pessoas mais próxima da notícia verídica.

Em uma outra fase da pesquisa, os grupos receberam as chamadas “vacinas”, uma delas, descrita como inoculação geral, foi aplicada com o alerta de que “alguns grupos com motivação política usam táticas que induzem ao erro para tentar convencer o público que há muita discordância entre os cientistas”.

Outra vacina, denominada de inoculação detalhada, acrescentou informações sobre a petição do Oregon, destacando que alguns dos signatários foram inventados, como Charles Darwin e a extinta banda Spice Girls, e que muitos não possuíam formação em estudos do clima.

A partir do experimento, os pesquisadores perceberam que as pessoas “vacinadas” não foram impactadas com a notícia falsa. Segundo os cientistas, o estudo aponta que as técnicas de inoculação psicológica podem também ser usadas para promover o consenso científico.

Portal Imprensa

Os fakes ressurgem

Fakebook, Facebook, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

É só começar o processo eleitoral que os falsos moralistas aparecem. Recentemente, recebi um pedido de mais uma solicitação de um pseudo-amigo. Trata-se desse tal Gilmar Antônio. Desconheço esse cara! Pelos “amigos” em comum, me parece que esse falso senhor é das bandas dos “manda brasas”, só acho, mas eu não quero saber de fakes. Eu já bloqueei esse perfil e muitos outros, pois não me interessa o que ele vai falar ou deixar de falar. Suas postagens não me importam.

Esse moço fake me fez refletir uma coisa e quero compartilhar minha opinião na rede, com todos os meus seguidores.

O que os dois lados fizeram nos últimos tempos? Digo, nessa gestão! Nada? Não sei! A oposição não soube fazer política e não conseguiram mobilizar a sociedade contra a deficiente administração instalada em ‪#‎Ilhota‬ e agora querem chamar a atenção. Agora é tarde! Vale a pena lembrar que o governo era a minoria absoluta na câmara. A situação custou acreditar que era governo na cidade. Nesse meio tempo, houve brigas, muitas brigas (e nisso todos eles eram bom). Quando um lado apresentava uma bomba outro vinha com uma atômica e vice-versa, até que de tanto bater e apanhar, se calaram.

Mas vamos ao assunto… da última eleição pra cá, foram criados muitos perfis fakes. Muitos deles, deram com os burros e os teclados n’água. Tiveram que engolir a seco os seus computadores goela abaixo, pois estão tudo junto e misturado no mesmo lado (digo, nos dois). Bateram por nada e agora, estão dando tapinhas nas costas de cada um. Isso é lindo, isso é política.

Eu não estou com ninguém (até esse post) e não pretendo estar! Se o atual prefeito chegou até o final de sua gestão, é por que a câmara e a oposição foram omissos, inclusive eu, que fiquei calado vendo eles governarem pelo Facebook. Não tenho partido nem candidato. Não sei pra quem vou voltar. Estou triste com as opções de candidatos apresentados.

Só para constar nos anais deste post, nunca tive e/ou gerenciei perfis fakes. Não precisava!

O que está acontecendo na 1lh074 m1l gr4u acontece em todas as cidades. Por fim, quero estornar meus agradecimentos a quem de fato merece. Graças a presidente Dilma Rousseff, hoje temos uma lei que aborta o tema de crimes virtuais e a lei já está em vigência. Trata-se do Marco Civil da Internet. Peço aos camaradas da comunicação das coligações que orientem suas militância, pois isso pode render muita dor de cabeça. Link da lei:http://bit.ly/1zTYLUR.

Pessoal dos Fakes, reflitam um pouquinho… isso só queima a imagem do político/candidato. Querem debater, debatem, no cara a cara, na rua, de igual para igual. Todo mundo se conhece na cidade. Todo mundo tem um lado, um partido. Todo mundo tem um time de futebol. Um gosta do olho, outra da ramela. Isso é um ato democrático e lindo aos olhos da justiça.

Quanto aos debates, só quero ver a performance dos candidatos num debate real (se houver), onde não poderão se esconder trás de um monitor. A ausência de um debate na ultima eleição poderia ser um favor determinante nas urnas. O Daniel que gostou! Para concluir, não esqueçam de um detalhezinho… a responsabilidade dos simpatizantes e militantes, são dos candidatos.

Facebook cria opção que denuncia notícias falsas, mas a boataria corre solto

Facebook app

Você pode concordar comigo que muitas vezes vê uma notícia na internet e fica com aquela dúvida se é real ou não. Isso ocorre porque realmente há muitos boatos e fofocas lançadas só para difamar alguém ou mesmo por brincadeira. A rede social de Mark Zuckerberg – conhecida por sempre pregar a veracidade e a confiabilidade em seus conteúdos e nos seus usuários – lançou uma nova aplicação para denunciar as chamadas notícias fake no Facebook.

O novo sistema funciona como as demais opções de denúncia, que já existiam, como a de pornografia e a de violência. Essa novidade pretende diminuir drasticamente a proliferação de fotos, vídeos e atualizações de status falsos e enganosos.

Com um determinando número de usuários denunciando tal postagem, menos ela será visualizada através de um algoritmo específica e podendo ser visto como algo falso ou boato. Segundo o Facebook, essa função não deve afetar a rotina dos usuários, apenas daqueles que gostam de espalhar notícias falsas.

Diretrizes

Alerta aos fakes! Criar perfil falso em rede social gera dano moral indenizável

Fakes, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2014, Newsletter, Feed

A criação de um perfil falso em rede social, por si só, configura lesão à honra subjetiva da pessoa e gera indenização por dano moral. Foi esse o entendimento da 16ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais ao confirmar uma decisão de primeira instância.

No caso, uma servidora pública municipal é acusada de criar, em 2009, um perfil falso no Orkut de uma servidora estadual. A criadora da página foi condenada por danos morais a pagar uma indenização de R$ 8 mil. A decisão confirmou sentença da juíza Roberta Rocha Fonseca, da 2ª Vara Cível, Criminal e de Execuções penais de Sacramento, no Triângulo Mineiro. A servidora estadual era mulher do prefeito na época.

Por medida judicial, ficou comprovado que o endereço do IP (internet protocol) da máquina onde foi criada a página era o da servidora municipal. Segundo a vítima, a acusada se referia a ela com expressões como “pé-de-lã”, usada para designar pessoas que traem seus parceiros. A ofendida ainda argumentou que a servidora municipal utilizou suas fotos e procurou se insinuar diante de sua rede de relacionamentos.

Defesa

A acusada argumentou que a conclusão sobre a sua culpa se baseou apenas em uma presunção e que o IP não está localizado no equipamento de informática do usuário e sim na conta junto ao provedor de acesso à internet. Afirmou ainda que o valor da indenização fixada é incompatível com a ausência de dolo na causa de eventual ofensa.

Sem provas

Mas o desembargador Francisco Batista de Abreu, relator no TJ-MG, afirmou que a acusada “não trouxe aos autos qualquer prova no sentido de que o seu roteador não era bloqueado por senha pessoal ou, ainda, que foi permitido acesso a terceiro”.

“O ato ilícito que provocou os danos à moral da primeira apelante tem autoria certa e determinada, tendo em vista a identificação da empresa provedora (Onda Internet Ltda.), pela Google, a qual, por força de medida judicial, fez a individualização da usuária do site e do referido perfil, o que vale dizer que a segunda apelada só pode se esquivar da obrigação de indenizar se provar que permitiu o acesso do seu computador a terceiros ou, ainda, que o seu roteador, para acesso à internet sem fio, é desbloqueado para livre uso de terceiros, o que não se verifica nos autos”, concluiu.

O desembargador ainda rejeitou o recurso para aumentar o valor da indenização. Os desembargadores Otávio de Abreu Portes e Pedro Aleixo Neto votaram de acordo com o relator. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-MG.

Apelação Cível 1.0569.12.002571-7/001. Fonte: http://www.conjur.com.br/2014-jul-02/criar-perfil-falso-rede-social-gera-dano-moral-indenizavel

Campanha de Campos é acusada de comprar seguidores falsos

Campanha de Campos é acusada de comprar seguidores falsos, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2014

Ex-governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos foi acusado pelo perfil “Dilma Bolada”, no Twitter, de estar negociando a compra de seguidores através do microblogger com uma agência de publicidade. De acordo com a imagem postada pela personagem, criada por Jeferson Monteiro, a agência Publicidades teria mandado uma mensagem para a #Equipe 40, que atua no marketing e nas redes sociais da pré-campanha socialista, afirmando que teria uma proposta para fazer. Em resposta, o perfil de Campos teria dito para que a mensagem fosse encaminhada por mensagem direta.

A troca de mensagens foi interceptada e divulgada pelo perfil da Dilma Bolada. “Eduardo querido! Se você quiser eu doo uns seguidores pra você! Precisa comprar não!”, ironizou o perfil, que faz paródia da presidente Dilma Rousseff (PT) e possui 200 mil seguidores no Twitter. Junto à mensagem, a personagem colocou um link onde eram mostrados os posts da troca de mensagens entre a Publicidades e #Equipe 40 sobre o assunto.

A Publicidades se define como uma “empresa de publicidade em Mídias Sociais” com “a maior concentração de seguidores por metro quadrado”. Em um dos posts, a empresa anuncia até uma promoção: “compre 50 mil seguidores em qualquer Rede Social e ganhe mais 50 mil de brinde”.

Após o flagra da Dilma Bolada, o Publicidades enviou um Twitter afirmando que se a personagem mencionar a empresa mais uma vez, terá o perfil hackeado. “Morrendo de medo!”, respondeu a personagem. “A vida me ensinou a ser assim, sempre ousada”, complementou, em outro post.

Publicação chupado do blog Pragmatismo Político sem autorização!

Aos meus amigos fakes eu os apresento Fake Name Generator

Fake Name Generator, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2014, Newsletter, Feed

Uma ferramentas excelentes e úteis que você precisa conhecer, se você é um cara falso!

Que tal criar um perfil completamente fake em questão de segundos. O Fake Name Generator permite que você crie um perfil, gerando dados aleatórios de diversas nacionalidades. Além de um nome e endereço, o site gera números de documentos e telefones. Funciona melhor em inglês.

Clique aqui para acessar

Fake Name Generator é uma ótima ferramenta para quem precisa de dados fictícios, mas com validação possível. Essas são características necessárias para testar sistemas, por exemplo, evitando que o desenvolvedor precise utilizar informações verdadeiras ou tenha que recorrer a geradores na internet, lembrando que eles nem sempre funcionam corretamente.

Da mesma forma, o serviço pode ser muito útil para o caso de você estar criando um personagem para uma história ou para um livro, evitando que você precise buscar as informações de forma individual e agilizando o processo. O mesmo ocorre para o acesso a serviços restritos a um país, como ocorre em alguns fóruns.

A interface do serviço possui uma ótima organização, identificando os dados obtidos como uma espécie de formulário de cadastro, agilizando na assimilação rápida das informações. Além disso, o gerador conta com a escolha de três características apenas, algo que facilita o seu uso mesmo para iniciantes.

O programa possui compatibilidade com 37 idiomas e 31 países, contendo as opções mais populares entre eles. Uma das principais vantagens do programa certamente está no fato de ele fornecer um cadastro completo, com dados tão básicos quanto o nome e avançados como o tipo sanguíneo e o código de verificação do cartão de crédito.

Assim, certamente ele é uma ótima opção para quem precisa obter dados completos e com validações legítimas para executar testes, por exemplo.

Aprenda mais… acesse os links abaixo e seja um fake profissional

  • Site em português: http://pt.fakenamegenerator.com/
  • Baixaki: http://www.baixaki.com.br/download/fake-name-generator.htm
  • Google: https://www.google.com.br/search?q=Fake+Name+Generator&oq=Fake+Name+Generator&aqs=chrome..69i57j0l5.987j0j7&sourceid=chrome&es_sm=0&ie=UTF-8

Facebook decreta guerra aos fakes

Fakes de Mark Zuckerberg

Atrás da tela do computador dá pra ser mais jovem, mais bonito, endinheirado e até assumir outra identidade. Mas a já manjada onda de ilegitimidade que circula na web parece estar com os dias contados – pelo menos no território “facebookiano” de Mark Zuckerberg.

A iniciativa da rede social mais popular da atualidade vai intensificar o monitoramento e banir esses “mentirosinhos”, conhecidos comofakes. Desde a semana passada oFacebook vem deletando milhares de contas de usuários fakes e eliminando “curtidas” geradas por malwares e muitas vezes compradas pelas marcas que se promovem na rede – sem mencionar o fato de que alguns internautas têm sido questionados sobre a legitimidade de seus amigos por meio de perguntas em sigilo que indagam se determinados usuários estão utilizando seus nomes reais na rede.

Muitas fan pages já foram afetadas – bons exemplos são as páginas das cantoras Lady Gaga, que perdeu 31.700 likes e Rihanna, que agora tem 22 mil fãs a menos, além do popular jogo Texas HoldEm Poker, que perdeu quase 100 mil likes.

Além de propor um novo olhar, a guerra aos fakes propõe um espaço mais autêntico, confiável e transparente aos usuários desta rede social; contudo, se existe um nicho onde o buzz acerca da discussão realmente se instalou, foi entre ossocial medias.

Em tempos que o número de fãs é proporcional à reputação de uma marca, a notícia não foi bem recebida pelos “fanfarrões“ que vendem ou compram audiência para páginas no Facebook por centavos (é só dar uma busca rápida para conhecer as promessas de popularidade no Facebook a custos módicos).

Apesar do Facebook ter assegurado uma queda máxima de 1% de fãs nasfan pages (o que a princípio não parece quase nada), muitas páginas novas podem se sentir ameaçadas e comprometidas com a “expulsão” dos “camaradinhas” que preenchiam algumas lacunas e distribuíam “likes”. Mas pense: não é muito mais válido atrair e garantir uma audiência seleta e fiel ao seu cliente, que realmente trarão retorno para a marca? Sob essa linha tênue, as métricas deixam de ser apenas números e passam a representar uma fonte límpida de resultados e um universo real a ser explorado.

Quase 10% dos perfis do Facebook são falsos

Dados revelados pela própria rede social mostram que há muitas contas fake sendo utilizadas

Dados revelados pela própria rede social mostram que há muitas contas fake sendo utilizadas.

Facebook revelou, na semana passada, que o número de perfis na rede social teria chegado aos 955 milhões – isso significa cerca de 13% da população mundial. E a própria empresa divulgou também a quantidade de contas que são consideradas como falsas. O número é assustador: 83 milhões, o que representa 8,7% de toda a rede social.

Desses 83 milhões de perfis, 45 milhões são compostos de contas repetidas de usuários que perderam o acesso às originais por algum motivo – ou também os famosos “Perfis número 2”. Outros 21 milhões são de contas mal classificadas, feitas por engano por usuários que não optaram pela criação de páginas (nesse segmento, encaixam-se as contas de animais e grupos musicais, por exemplo).

Para completar a lista, 17 milhões de contas são consideradas “indesejadas”. Isso acontece porque elas possuem fotografias ou temáticas que não respeitam os termos de uso da rede social. O Facebook afirma que vai seguir com suas políticas de desencorajamento à criação de contas falsas, mas ainda não revelou se vai desativar as que são comprovadamente fakes – o que deixaria o objetivo de “1 bilhão de usuários” um pouco mais longe.

Fonte: Slash Gear e CNET

Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/facebook/27736-quase-10-dos-perfis-do-facebook-sao-falsos.htm#ixzz22SqFLQcL