Anonymous ataca a Fórmula 1

Anonymous

Dados de pelo menos 131 pessoas que compraram ingressos para o grande prêmio caíram na rede.

O grupo de hacktivistas Anonymous atacou um alvo improvável desta vez: a Fórmula 1. Acostumados a tirar do ar sites que ameaçam a livre informação ou a abertura da internet, os hackers divulgaram nesta terça-feira dados de pelo menos 131 pessoas que compraram ingressos para o Grande Prêmio do Canadá, que será disputado no próximo dia 10 de junho em Montreal.

A organização decidiu atacar a organização da corrida depois que o governo do Quebec aprovou uma lei que cria limites para manifestações estudantis contra o aumento das taxas universitárias. Meios de comunicações canadenses checaram as informações divulgadas pelo grupo e confirmaram que os dados revelados – nomes, emails, números de telefone – são todos reais.

“Se você planejava usar um carro, saiba que podemos fazer uma barricada na estrada. Se você planeja ficar em um hotel, saiba que podemos invadi-lo. Se você for tirar dinheiro, saiba que o vidro do banco pode se quebrar. Se você planeja assistir a corrida, saiba que podemos bloquear sua vista, não com a fumaça dos carros mas sim pelos incêndios que podemos fazer”, ameaça o Anonymous em um documento chamado ‘Notice to Grand Prix Visitors‘ (‘Aviso aos visitantes do Grand Prix’).

“A grande riqueza do esporte não é o dinheiro, mas a liberdade. OAnonymous nos lembra da importância da esportividade”, finaliza o texto.

Anúncios

Vitória na brutal Bahrein!

Clique para assistir Ricken Patel da Avaaz entrevistado na CNN em Inglês

O regime brutal de Bahrein abre fogo contra protestantes pacíficos, prende enfermeiras e médicos para ameaçá-los, mas quer que o mundo acredite que está tudo normal. Eles trabalharam duro para trazer o prestigioso Grande Prêmio da Fórmula 1 de volta ao país. Então, faltando 48 horas para a decisão da Fórmula 1, Bahrein busca os E.U.A. por apoio e a Avaaz entra no circuito!

Em dois dias, praticamente 500.000 membros da Avaaz aderiram à campanha e, juntos, nós deixamos mais de 20.000 mensagens nas páginas das equipes de F1 do Facebook e Twitter. A equipe da Avaaz falou com o piloto lendário Damon Hill, que somou sua voz à mobilização. E a atenção da mídia engatou.

Mas os figurões da F1 decidiram seguir com a corrida. A campanha da Avaaz foi citada em milhares de artigos em todo o mundo (GloboNYTAFPReuters) e nossos porta-vozes foram entrevistados na CNN (foto à direita), BBC e outras grandes redes.

Então, a Avaaz obteve um relatório interno “vazado” da F1 que surpreendentemente conclui que em Bahrein “não há violações de direitos humanos” — revela-se que a F1 apenas conversou com o governo e visitou um supermercado! Nós lançamos nossa reação, dando partida a uma tempestade na mídia, e finalmente … as equipes da F1 em unanimidade opõem-se à data da corrida em Bahrein, forçando a F1 a cancelar a corrida de Bahrein em 2011!