Furb promoverá curso sobre o golpe de 2016

Golpistas de 2016

O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil.

O curso de extensão O GOLPE DE 2016 E O FUTURO DA DEMOCRACIA NO BRASIL é uma inciativa de solidariedade ao movimento nacional em defesa da autonomia e liberdade acadêmica para o debate crítico de questões nacionais relevantes. O Curso tem três objetivos complementares:

  1. refletir sobre a fragilidade do sistema política brasileiro na experiência democrática;
  2. analisar características do processo de democratização, emergência do PT e do
    Governo de Lula e Dilma; e
  3. analisar o Golpe de 2016 e suas consequências para a nação e democracia brasileira.

O curso possibilitará formação complementar aos estudantes e poderá mobilizar interesse para estudos específicos sobre esta conjuntura e sua relação com a realidade local. Ele complementa outras iniciativas de extensão já promovidas na Universidade sobre os impactos destes fatos na cidadania e na emergência de uma agenda conservadora e reacionária.

Justificativa

A realidade nacional contemporânea tem sido objeto de intensa reflexão tanto no Brasil quanto no exterior. Com o processo de democratização inciado no final de 1970 havia um entendimento que os os desafios sócio-históricos limitavam-se a consolidar a experiência democrática consubstanciada na Constituição de 1988.

No entanto, assistimos a emergência de um novo movimento questionador da democracia e de suas institucionalidades. Um movimento presente nas ruas e nas instituições. O futuro da democracia está incerto.

Acompanhamos o amplo interesse da comunidade acadêmica para caracterização e análise deste contexto. De forma hegemônica no campo das ciências humanas há um entendimento de que já foram quebradas regras democráticas constitucionais com apoio da maioria no congresso nacional, poder judiciário e grandes veículos de comunicação. O que está em debate é a relação deste processo ¨golpista” com as bases estruturais da sociedade, sua relação com o contexto de crise da sociedade capitalista mundial e com a história nacional caracterizada pelo permanente recurso a saídas autoritárias no enfrentamento dos impasses e conflitos.

Por iniciativa do o professor Luís Felipe Miguel, titular do Instituto de Ciência Política/Universidade de Brasília foi ofertada a disciplina “O golpe de 2016 e o futuro da democracia do Brasil”. Tal iniciativa foi seguida de forte reação do Ministério de Educação no sentido que questionar tal iniciativa, configurando mais uma ação de interferência política sobre a Universidade Brasileira. Em solidariedade ao professor Luis Felipe outras universidades passaram a ofertar o curso sob forma de disciplina ou curso de extensão.

A proposta aqui apresentada faz parte deste um movimento de solidariedade que tem se manifestado em mais de três dezenas de iniciativas semelhantes e de defesa da liberdade científica e da autonomia universitária (incluindo o manifesto de mais de cem intelectuais nos Estados Unidos).

No entanto, mais do que um ato de solidariedade se trata de oportunizar o acesso ao conhecimento desenvolvido sobre tal contexto pelo pensamento social contemporâneo (nacional e internacional). Constatamos fortes evidências analíticas de que a destituição da presidenta da república em 2016 foi um golpe e que o governo instalado (e seus defensores) não possui legitimidade.

Com a proximidade do processo eleitoral os impasses se evidenciam e os riscos de instabilidade política se aprofundam.

Assim sendo o Curso “O Golpe de 2016 e o Futuro da Democracia no Brasil” pretende ser uma modesta contribuição para a reflexão sobre os acontecimentos recentes a partir da socialização da produção acadêmica produzida sobre os mesmos.

BRAZIL-IMPEACHMENT-ROUSSEFF-VOTE

Procedimentos metodológicos

O Curso está organizado em três módulos.

MODULO I – DEMOCRACIA E GOLPE NO BRASIL

  • Objetivo: Analisar o contexto histórico e impasses do processo de implementação da democracia no Brasil, bem como sua sistemática negação pelas sucessivas tentativas de golpe ou mesmo implementação do regime ditatorial a partir de 1964.
  • Conteúdo: 
    • 14/04/18: Regime Político e Classes Sociais no Brasil pós-guerras
      • Responsável: Dr. José Roberto Paludo (Sociologia)
      • Carga horária: 3 horas
    • 21/04/18: O Golpe de 64 e a ditadura militar
      • Responsável: Esp. Jorge Gustavo Barbosa de Oliveira
      • Carga horária: 3 horas
    • 28/04/18: Da transição à Constituição de 1988
      • Responsável: Ms. Viegas Fernandes da Costa (História)
      • Carga horária: 3 horas

MODULO II – DAS LUTAS POPULARES AO LULISMO

  • Objetivo: Analisar as condições históricas de emergência dos novos movimentos sociais e sua relação com o Partido dos Trabalhadores (PT). Analisar a emergência do Lulismo e aspectos que permitem compreender sua força popular e suas fragilidades para enfrentamento da crise geradora do impedimento da presidenta Dilma.
  • Conteúdo:
    • 05/05/18: Os novos movimentos sociais e o surgimento do PT
      • Responsável: Dr. Valmor Schiochet (Sociologia Política)
      • Carga horária: 3 horas
    • 12/05/18: PT e Lulismo. Projeto Nacional e Inserção Internacional
      • Responsável: Esp. Jorge Gustavo Barbosa de Oliveira
      • Carga horária: 3 horas
    • 19/05/18: O Lulismo. Direitos Humanos e Inclusão Social
      • Responsável: Dr. Lucas Haygert Pantaleão (Serviço Social)
      • Carga horária: 3 horas
    • 26/05/18 – O Lulismo (II) Transformações no Mundo do Trabalho e a Classe Trabalhadora
      • Responsável: Dr. Valmor Schiochet (Sociologia Política)
      • Carga horária: 3 horas

MÓDULO III – O GOLPE, O GOVERNO ILEGÍTIMO E A RESISTÊNCIA

  • Objetivo: Analisar o processo do Golpe e suas interpretações com destaque para elementos relativos a atuação do judiciário, a emergência na arena pública de movimentos conservadores. Analisar o governo Temer e as principais medidas que conduziram à sua impopularidade bem como as resistências sociais e populares no contexto latinoamericano.
  • Conteúdo:
    • 02/06/18: O Golpe. Ativismo Judiciário e Ruptura institucional
      • Responsável: Dra. Cátia R M Liczbinski (Direito)
      • Carga horária: 3 horas
    • 09/06/18: A nova direita e a Ascensão do parafascismo
      • Responsável: Dr. Leonardo Brandão (História)
      • Carga horária: 3 horas
    • 16/06/18: Governo Temer: Crise Econômica e Ultraneoliberalismo
      • Responsável: Dr. Ivo Marcos Theis
      • Carga horária: 3 horas
    • 23/06/18: Golpe e as resistências populares na América Latina e Caribe:um olhar epistemológico afroamericano e desde a diáspora de África
      • Responsável: Dr. Marcos Rodrigues da Silva (Ciências da Religião)
      • Carga horária: 3 horas
    • 30/06/18: Golpe. Avanço da direita e conservadorismo e mídias sociais
      • Responsável: Ms. Thiago de Oliveira da Silva (Sociologia)
      • Carga horária: 3 horas.
  • Fechamento:
    • 07/07 (Palestra de encerramento): Desafios para a Democracia Brasileira pós-Golpe
      • Responsável: Dr. Márcio Pochmann (Economia/Unicamp)
      • Carga horária: 3 horas

Cada um dos módulos será desenvolvido a partir de diferentes temáticas com maior concentração para a análise do Módulo III e terá seu desenvolvimento sob a responsabilidade um dos professores do Curso (que atuarão de forma voluntária) a partir do subsídio de textos e documentários (disponibilizados aos participantes).

Serão doze (12) encontros temáticos que acontecerão semanalmente aos sábados das 9 às 12 horas.

Os encontros temáticos serão precedidos por um encontro inaugural no qual será apresentada a proposta, seus objetivos e fundamentos, bem como, será pactuada com os participantes a metodologia de estudos e compromissos para o adequado andamento das atividades.

O Curso terá seu término com uma palestra que será proferida pelo Prof. Márcio Pochmann da Unicamp.

Serviço

  • Realização
    • Data de início: 07/04/2018
    • Data de término: 07/07/2018
    • Carga horária total: 42 horas
    • Local: Campus I – Universidade Regional de Blumenau
  • Inscrição:
    • Data de Início: 19/03/2018
    • Data de Término: 02/04/2018 (até às 23:59 horas deste dia)
    • Local da inscrição: Por meio eletrônico via e-mail golpe2016.curso@gmail.com (Preenchimento de Formulário)
    • Valor: R$ 10,00 (Estudante/Profissional/Comunidade)
  • Público alvo:
    • Comunidade acadêmica: Acadêmicos/Docentes
    • Comunidade externa: Comunidade em geral/Setor privado/Setor público (municipal estadual ou federal)/Sociedade civil organizada (Associações de Moradores, ONGS, etc.)
  • Certificação:
    • Frequência mínima: 75%
    • Local de entrega: Local do curso
    • Assinaturas adicionais: Valmor Schiochet
  • Palestrantes/Parceiros:
    • Dra. Cátia R M Liczbinski (Direito), Dr. Ivo Marcos Theis, Esp. Jorge Gustavo Barbosa de Oliveira, Dr. José Roberto Paludo (Sociologia), Dr. Leonardo Brandão (História), Dr. Lucas Haygert Pantaleão (Serviço Social), Dr. Márcio Pochmann (Economia/Unicamp), Dr. Marcos Rodrigues da Silva (Ciências da Religião), Ms. Thiago de Oliveira da Silva (Sociologia), Dr. Valmor Schiochet (Sociologia Política), Ms. Viegas Fernandes da Costa (História)

Bibliografia

Considerando a falta de espaço para inserção da lista de referências bibliográficas a mesma será inserida como documento anexo que costa no slide abaixo.

Documentários

Considerando a falta de espaço para inserção da lista de referências audiovisuais compartilharemos a relação dos filmes indicados no conteúdo programático do curso.

Anúncios

Transporte gratuito para universitários é uma iniciativa inédita? #SQN

Transporte gratuito para universitários

As coisas nesse mundo só acontecem sob pressão. Se a sociedade não se organizar, seremos esmagados por essa máquina opressora. A mobilização social dos fakes, dos internautas e membros da AACADI deu certo! Yaeh ,o/\o,

Acho louvável a Prefeitura de Ilhota investir no apoio e subsídio do transporte universitário HashtagParabéns! Ótima iniciativa que não poderia ter vindo numa melhor hora o anúncio publicado no site da prefeitura em que o prefeito de Ilhota, em reunião com a AACADI – Associação Acadêmica de Ilhota, e alguns políticos, apresentou uma proposta onde a prefeitura irá custear o transporte coletivo gratuitamente para os alunos que estão frequentando regularmente as universidades da região. Ele disse “as universidades da região” e imagino não só a aquela de Itajaí, como também a de Blumenau. Foi isso que eu entendi? Uau! HashtagParabéns na segunda potência.

Mas só quero lembrar a assessoria de imprensa da barroza de uma coisinha, que isso não é “uma iniciativa inédita em Ilhota“. Não é mesmo!

Até o ano de 2000, o serviço era totalmente gratuito, fornecido pela prefeitura. Havia dois ônibus e saia cheio de estudantes da cidade, um do Centro e outro lá do Baú para Univali. Tenho alguns champs em minhas redes sociais que poderão confirmar isso o que estou falando.

Então… quando o Betinho se reelegeu, ele logo cortou o benefício. O vice dele era o Dida, atual prefeito da cidade. Eu fazia o curso de Ciência Política e tive que trancar a faculdade depois que boicotaram a ajuda.

Era um baita programa de inclusão social, mas algumas pessoas não possuem sensibilidade política nem comprometimento com a coisa pública, e agem conforme seu entendimento, não se importando com suas responsabilidades. #QueTriste

Depois veio outros prefeitos (dois na verdade) e negociavam a questão com os universitário. Não sei como foi com a última gestão, do prefeito Daniel, pois fiquei ausente do debate político e não posso emitir opinião, mas sei por cima que havia transporte e se era pago ou não, não sei!

Mas fico feliz só em saber que a galera da facu e dos cursos técnicos serão atendidos pela municipalidade, novamente. Em tempos de crise econômica que assombra o país, estudar não é fácil! Além de pagarem por altas mensalidade dos estudos, xerox, livros e não sei mais o quê, ter o transporte gratuito é lucro!

Então seu moço da comunicação, corrige lá o termos “inédito”, que isso é mais velho que a salve rainha. Se tiver dúvida, pergunta pro chefe, ou consulte os universitários.

Ah! Já ia me esquecendo…

A iniciativa deste post veio de uma publicação voluntária lá do meu perfil no Facebook (link aqui!). Surgiram alguns comentários, deu até pano pra manga… mas deixo aqui registrado que não ofendi a honra nem a dignidade de ninguém, apenas refresquei a memória do povo que se esqueceu das coisas pós o advento das mídias sociais. Betinho sim promoveu o serviço do transporte universitário (não era super ônibus de primeira linha, mas tínhamos como ir pra faculdade) até o seu primeiro mandato, logo, abandonou a ideia, acabou o compromisso e deu um belo bolo para os universitários (existe uma matéria sobre o assunto no jornal Folha de Ilhota e vou tentar resgatar a notícia).

Acho que o peemedebê está transformando esse senhor em deus, pois se falarmos algo dele (argumentos científicos dentro do campo e universo político), os leões de chácara logo atacam. Normal, para a Ilhota.

Os professores e servidores militantes do manda brasa foram tão castigados por esse senhor que agora esqueceram de tudo o que passaram e o idolatram. Não esqueçam que eles estão ai de volta, tudo junto e misturado. Acredito no perdão e devo imaginar que isso aconteceu. Tomara!

Torço pelo melhor da cidade, mas fazer lembrar das coisas, de vez em quando, não é causar discórdia, não é jogar pra trás, nem promover disputas irracionais e sim fomentar a reflexão que erros como esses, de vingança, ódio e perseguição não venha se repetir  nunca mais numa gestão pública, não mesmo!

Vida longa e próspera.

Com alegria,
#DialisonCleberVitti

Técnicos suecos conhecem sistema de reciclagem de municípios do Médio Vale

gestão sustentável de resíduos sólidos

Técnicos da SP Instituto de Pesquisa Técnica da Suécia, Borás Energia e Meio Ambiente, professores e pesquisadores da Universidade de Borás estão em missão na região do Médio Vale para projetos em gestão sustentável de resíduos sólidos e treinamento de técnicos municipais. A visita é resultado de uma parceria entre a Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi), Universidade Regional de Blumenau (Furb) e Associação Empresarial de Blumenau (Acib).

A comitiva – acompanhada de técnicos da Ammvi e professores da Furb – visitou o aterro sanitário de Timbó, a associação de catadores e recicladores de Indaial e o Samae de Pomerode, no dia 21. Na terça-feira (22), a delegação passou pelo Samae de Gaspar, Fundação do Meio Ambiente de Brusque, e as empresa Momento Engenharia e Recicle, de Blumenau e Brusque, respectivamente. Hoje (23) é a vez de visitar a Reciblu e o aterro Parada 1, também em Blumenau.

Dando continuidade à programação da semana, nos dias 23 e 24 técnicos suecos serão os palestrantes da quarta edição do Fórum Regional de Resíduos Sólidos, com temáticas focadas no desenvolvimento de um sistema de gestão de resíduos sustentável embasado em experiências de sucesso já implantadas na cidade de Borás. O evento, realizado na Furb, contará com a presença de lideranças políticas e empresariais, profissionais que atuam na área de resíduos e gestores municipais.

No último dia da missão (25), a comitiva concluirá o curso de Gerenciamento de Resíduos iniciado em 2012, na Suécia, com técnicos municipais que foram ao país escandinavo para conhecer as técnicas usadas e estudar a implantação e adaptação delas na região. A parceria entre universidade e entidades suecas, Ammvi, Furb e Acib continua em busca de soluções integradas que beneficiem toda a região em prol de projetos direcionados à gestão de resíduos sólidos e sustentabilidade.

Fórum apresenta modelo sueco de gestão de resíduos

modelo de gestão de resíduos

Sistema integrado de gestão de resíduos sólidos pautado pela sustentabilidade e inovação tecnológica será o foco da programação do 4º Fórum Regional de Resíduos Sólidos Urbanos do Médio Vale do Itajaí e Seminário Brasileiro-Sueco sobre Gestão de Resíduos e Projeto Vinnova que acontece nos dias 23 e 24 de janeiro, no bloco J da Furb, em Blumenau. O evento conta com a presença de lideranças políticas e empresariais, profissionais que atuam na área de resíduos e gestores municipais.

Os destaques da programação são palestrantes internacionais, dentre eles professores e pesquisadores que atuam na Universidade de Borás e gestores de entidades suecas que desenvolvem projetos na área de resíduos. Na ocasião, serão apresentados temas como o desenvolvimento do Sistema de Gestão de Resíduos na Suécia e a futura cooperação entre os países; o exemplo da cidade de Borás, na Suécia, no gerenciamento de resíduos; Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares da Furb; como desenvolver um Plano de Gerenciamento de Resíduos; a responsabilidade dos produtores na Suécia no processo de reciclagem, entre outros assuntos.

O secretário executivo da Ammvi, José Rafael Corrêa, ressalta a relevância do tema e do evento. “O gerenciamento dos resíduos sólidos é tema muito importante que já vem sendo tratado pela Ammvi há algum tempo e, para conhecermos melhor as experiências e tecnologias, realizamos uma viagem técnica à Europa em 2011 e firmamos convênios com entidades alemãs e suecas em 2012”, diz.

A comitiva sueca que está de passagem pela região do Médio Vale de 21 e 25 de janeiro, além de participar do Fórum, está visitando cooperativas de reciclagem e aterros sanitários na região para conhecer a realidade local, com vistas a projetos futuros.

O evento tem a parceria da Universidade Regional de Blumenau (Furb), Associação Empresarial de Blumenau (Acib), Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí (Cimvi), Borás Energia e Meio Ambiente e SP Instituto de Pesquisa Técnica da Suécia.

Informações no site www.ammvi.org.br.

Usina

Além do sistema de gestão de resíduos, outro convênio da Ammvi em parceria com empresas e entidades da Alemanha tem como objetivo implantar uma usina de biogás na região. A biometanização, processo que transforma resíduo orgânico em gás metano, é um dos métodos utilizado em algumas regiões da Europa para reaproveitar a maior parte do lixo orgânico recolhido.

César Botelho assume a Secretaria Regional de Blumenau

César Botelho assume a Secretaria Regional de Blumenau

De acordo com o Diário Oficial de Santa Catarina (nº 19.472) do dia 06 de dezembro de 2012, Lúcio César Dib Botelho assume a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Blumenau.

César Botelho foi secretário regional de 1º de março de 2011 a 4 de abril de 2012 e agora retorna ao cargo. Formado em direito pela Universidade Regional de Blumenau (FURB), César já respondeu também pela Secretaria Municipal de Turismo e foi diretor-geral da Câmara de Vereadores de Blumenau. Cleverton João Batista, ex-secretário, comandou a SDR Blumenau por nove meses e agora retorna ao cargo de gerente de infraestrutura que ocupava anteriormente.

Aurélio Hoppe orienta acadêmico que cria aplicativo para smartphones a serviço do bem

O meu amigo Aurélio Hoppe, que é professor do curso de Ciências da Computação da Furb, fala do trabalho de conclusão de curso desenvolvido pelo acadêmico Thiago Pradie que criou um aplicativo para smartphones, onde aponta quais manchas na pele podem virar câncer. Um aplicativo a serviço do bem! O vídeo foi ao ar ao vivo no programa Bom Dia Santa Catarina.

Eu sempre disse que esse menino ia longe, claro, irmão do grande mago do photoshop Altair Hoppe, não preciso falar mais nada. Estamos muitos orgulhos do trabalho de você compa!

Raimundo Colombo autoriza mais R$ 1 milhão para ampliar Hospital Universitário da FURB no dia de sua inauguração

Raimundo Colombo autoriza mais R$ 1 milhão para ampliar Hospital Universitário da FURB no dia de sua inauguração

Na solenidade de inauguração do Hospital Universitário da Universidade Regional de Blumenau (FURB), o governador Raimundo Colombo autorizou o repasse de mais R$ 1 milhão para que a universidade continue com o projeto de ampliação do espaço. Para a abertura dessa primeira etapa do hospital, o Governo do Estado investiu R$ 2,3 milhões, somados ao repasse de R$ 1,9
milhão do Governo Federal. O Hospital Universitário da FURB já atende a comunidade desde o dia 16 de fevereiro, mas foi oficialmente inaugurado nesta segunda-feira (12). “Contem conosco nessa etapa e nas outras que virão”, declarou Colombo.

Localizado no Campus 5 da FURB, a intenção é tornar todo o local um complexo de saúde. Os recursos autorizados por Colombo ajudarão a concluir o prédio de uma policlínica, próxima à primeira unidade inaugurada nesta segunda-feira. Com a finalização da policlínica, passam a ser realizados também atendimentos nas áreas de fisioterapia, farmácia e bioquímica, psicologia, pediatria e ginecologia. Essa segunda etapa toda, incluindo os equipamentos, está orçada em R$ 3,5 milhões.

“A entidade está preparada para ajudar no mutirão da saúde com duas salas cirúrgicas para a realização de procedimentos de pequena e média complexidade”, explicou o reitor da FURB, João Natel, colocando à disposição a nova instalação para fazer parte do mutirão de cirurgias doEstado. Natel afirma que hospital universitário vai ajudar a aliviar a fila de procedimentos de média complexidade na região. “E também com a realização de exames que não eram ofertados no município, como o eletroencefalograma”, disse o reitor.

Dos quatro hospitais que a cidade de Blumenau dispõe, três estão a 500 metros um do outro, no centro da cidade. O hospital universitário tem a vantagem de estar localizado em uma área alta da cidade que permanece protegida na eventualidade de alguma enchente. Desde o início de seu funcionamento, há quase um mês, foram realizados cerca de 1.500 atendimentos e aproximadamente 150 cirurgias. “Quando essa capacidade estiver totalmente instalada, teremos 300 cirurgias ao mês e atenderemos duas mil pessoas”, conta Natel. Cerca de 500 alunos também se beneficiam do hospital por meio da extensão universitária, com a realização de práticas médicas no local.

O secretário da Saúde, Dalmo Claro, explica que os hospitais universitários têm uma relevância muito grande no sistema de Saúde do Estado porque ajudam a compor o atendimento gratuito e universal à população. “Essa é primeira etapa de um projeto grandioso. Ver esse trabalho prosperar nos incentiva a continuar apoiando esse projeto”.

Dona Inedyr Maria de Souza, de 65 anos, tem um genro que se formou na FURB e dois netos que estudam por lá. Dorothea Luiz Correa de Azambuja, de 80 anos, tem quatro filhos formados na FURB e mais quatro netos também formados. Ambas ainda são alunas, no programa de educação permanente da universidade, e compareceram à inauguração do Hospital Universitário da FURB, nesta segunda-feira. Agradeceram o governador pelo apoio à universidade em que têm tanta história.

Estrutura

O Hospital possui 1.600 m² e dispõe de quatro áreas que prestam serviços à comunidade atendida pelo SUS. Um centro de diagnóstico com capacidade para atendimento de mil pessoas por mês com os serviços de radiologia simples, exames de diagnóstico neurológico, eletrocardiograma e exames laboratoriais, além de consultórios especializados em Clínica Cirúrgica, onde os pacientes atendidos nesse segmento realizam suas consultas de pré e pós-operatório.

Há ainda um centro cirúrgico equipado para procedimentos de pequena e média complexidade e uma área de atendimento de fisioterapia que permite ao paciente em atendimento nesse serviço realizar todo o seu acompanhamento no mesmo ambiente. Também participam da atenção multidisciplinar acadêmicos de psicologia.

Todos os serviços são realizados por uma equipe técnico-administrativa, composta por enfermeiro, técnico de enfermagem, auxiliares administrativos, sendo que o atendimento ao paciente é realizado por acadêmicos dos cursos de Medicina, Farmácia, Enfermagem, Psicologia e Fisioterapia sob supervisão dos docentes vinculados ao Centro de Ciências da Saúde da Universidade Regional de Blumenau.

Há três anos, um grupo formado por alunos de todas áreas dos cursos de saúde da FURB, em Blumenau, como o estudante de medicina Éder de Oliveira, saiu em busca de retomar as obras do HU, iniciadas em 2000 e que estavam paradas. Em 2008, conseguiram um repasse de R$ 1,5 milhão com o Governo do Estado para a universidade e mais R$ 1 milhão em 2011, que possibilitaram a conclusão dessa primeira etapa do hospital universitário. “Para os acadêmicos, esse investimento em saúde também beneficia a comunidade”, disse o aluno.

AMMVI faz avaliação da primeira missão internacional

AMMVI faz avaliação da primeira missão internacional

A primeira missão internacional da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (AMMVI) à Europa se encerrou com agenda de trabalho em Berlim, na Alemanha. Por lá, o Centro Empresarial e Científico Brasil-Alemanha (WWZ) confirmou à comitiva catarinense o interesse em prover investimentos na região do Médio Vale. Além disso, negociações com empresas e universidades alemãs foram iniciadas e projetos futuros podem ser concretizados na região.

O presidente da AMMVI e prefeito de Brusque, Paulo Eccel, considera que a missão teve um saldo muito positivo, pois os objetivos foram cumpridos e os gestores trouxeram na bagagem a certeza de que ações em prol do desenvolvimento sustentável da região serão realizadas. “Tanto a iniciativa privada quanto o governo alemão têm interesse em investir em nossa região, não só pelas raízes do povo, mas também pela capacidade de trabalho e peculiaridades que fazem do Médio Vale uma região promissora” comenta.

Na viagem internacional, foram formalizadas propostas de investimentos na região, principalmente nas áreas de gerenciamento de resíduos sólidos urbanos e medicina comunitária. “Durante a passagem da comitiva pela Alemanha, Espanha e Suécia abrimos relacionamentos com empresas e divulgamos que a região tem potencial para desenvolver as áreas de interesse desses países” declara o prefeito de Doutor Pedrinho, Hartwig Persuhn.

Na Europa, a delegação pode acompanhar exemplos do destino que é dado ao lixo orgânico através da biometanização, que transforma os resíduos em energia, como também conhecer o sistema de reciclagem e alternativas de tratamento. “O aterro sanitário que temos em Timbó e que atende os nove municípios membros do Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí (CIMVI) tem uma vida útil de apenas 15 a 20 anos, por isso consideramos ainda mais importante essa viagem”, disse Laércio.

Para o vice-prefeito de Blumenau, Rufinus Seibt, a missão contribuiu também para estabelecer relações em áreas como desenvolvimento econômico, turismo e cultura, buscando apoio a projetos relacionados a tais campos na região do Médio Vale.

“Saímos de lá com o compromisso de conversarmos com os prefeitos da AMMVI e iniciarmos o processo de implantação do modelo de tratamento de resíduos sólidos, aprimorando a reciclagem nos municípios e produzindo energia limpa”, fala o presidente da AMMVI. Conforme ele, os gestores estão convencidos da necessidade de se dar outra utilidade para o lixo. “As tratativas foram iniciadas e, embora estejamos dando passos contidos e seguros, o caminho já está aberto e temos a expectativa que a região seja referência no país”, destaca Eccel.

Roteiro

Antes do embarque para a Alemanha, os catarinenses estiveram na Espanha, em visita a Mataró, onde conheceram a experiência espanhola em gerenciamento de resíduos sólidos urbanos e o sistema de tratamento de esgoto.  Por lá, o tratamento é feito por meio de um consórcio que utiliza o processo de incineração, além de executar um trabalho de reciclagem.

Em solo alemão, a comitiva da AMMVI passou por sete cidades em busca de experiências bem-sucedidas e investimentos na região. Em Rosenow, Demmin e Rostock a agenda esteve voltada ao gerenciamento de resíduos sólidos e alternativas para o aproveitamento do potencial energético. Conforme o secretário executivo da AMMVI, José Rafael Corrêa, a cidade utiliza processo semelhante ao do consórcio espanhol, com foco na incineração e também reunindo um grupo de municípios.

Para Hans-Jürgen Geier, diretor geral da OVVD, é relevante a consolidação de grupos maiores de municípios, a exemplo de consórcios públicos, para facilitar a logística dos processos, diminuir custos e viabilizar o correto manejo dos resíduos. “Recebemos proposta de assessoria dessa empresa para auxiliar a implantação de um sistema semelhante ao visitado no Médio Vale, porém vamos analisar com cautela”, pondera Corrêa.

Em Demmin, os gestores públicos visitaram as instalações de uma usina de biogás que utiliza a silagem de milho e cereais para a produção de energia limpa, suficiente para abastecer 2 mil habitações com água quente. “Temos grande potencial energético através de nossas usinas e pequenas centrais hidrelétricas, mas esta também é uma alternativa de produção de energia que pode ser viabilizada na região”, analisa o assessor técnico da prefeitura de Rio dos Cedros, Pedro Claudino dos Santos Junior.

Já em Rostock, o foco da agenda foi conhecer o processo de biometanização. O roteiro foi escolhido pela relevância da implantação deste processo na região, como também pelo sistema de gerenciamento de resíduos feito pela empresa alemã, visando ao aproveitamento energético e ao controle da poluição.

“Durante a visita a AMMVI recebeu também do escritório alemão a proposta financeira para a elaboração de um projeto executivo para a construção de uma usina de biometanização na região. Mas o assunto será tratado com os prefeitos”, explica o secretário executivo do CIMVI, Valter Conrado de Araújo.

Dando continuidade ao roteiro, a comitiva foi recepcionada pelos prefeitos de Torgelow – cidade co-irmã de Pomerode – e Greifswald. Nesta, agenda institucional foi cumprida também na universidade da cidade que pretende firmar um acordo bilateral com a Universidade Regional de Blumenau (Furb) para a aplicação de um estudo sobre a influência de fatores de risco que causam doenças na população, conforme já vem sendo feito na região da Pomerania desde 1997.

“O estudo está conseguindo importantes publicações e reconhecimento científico, por isso estamos nas tratativas para viabilizar a parceria entre as duas universidades, de modo que a pesquisa possa ser reproduzida na região e contribua para o esclarecimento de algumas questões pertinentes à saúde da população” explica o reitor da Furb, João Natel.

A Suécia também fez parte do roteiro da comitiva catarinense. Em uma agenda paralela, profissionais da AMMVI e do CIMVI passaram pela cidade de Borás para analisar o sistema de gerenciamento e tratamento de resíduos sólidos naquela localidade, que também utiliza a biometanização. Segundo Fabiana de Carvalho Rosa, assessora de Saneamento Básico da AMMVI, dentre os produtos gerados nesse processo está o biogás, que é utilizado para abastecimento dos carros e geração de energia elétrica, entre outras finalidades.

“Podemos observar ainda o grau de conscientização e participação da população na reciclagem, que utiliza os sacos cedidos pelo poder público para a correta separação dos resíduos e ainda leva os materiais reaproveitáveis em pontos de coleta distribuídos pela cidade”, diz. Além disso, explica Fabiana, o grupo sueco quer ser parceiro na construção do conhecimento e no desenvolvimento de tecnologia.

Encerrando a missão internacional, a comitiva da AMMVI teve a última agenda em Berlim, capital da Alemanha. Na ocasião, foram estabelecidas relações com especialistas de diversas áreas para dar resposta aos interesses do Brasil por meio do Centro Empresarial e Científico Brasil-Alemanha (WWZ).  O grupo foi recepcionado também pela embaixada brasileira onde apresentou os objetivos da viagem. Após, partiram para o Brasil.

Comitiva

A comitiva da Missão Internacional Alemanha, Espanha e Suécia foi composta pelos prefeitos de Brusque, Paulo Eccel; Doutor Pedrinho, Hartwig Pesuhn; e Timbó, Laércio Schuster Junior; o vice-prefeito de Blumenau, Rufinus Seibt; o assessor técnico da prefeitura de Rio dos Cedros, Pedro Claudino dos Santos Junior; o reitor da Furb, João Natel; o presidente e o diretor de Operações do Samae de Blumenau, Evandro Luiz Schuler e Moisés Lazzari; o diretor do Samae de Pomerode, Ércio Kriek; e equipe técnica da AMMVI e CIMVI.

Universidade alemã mostra interesse em receber alunos do Médio Vale

Universidade alemã mostra interesse em receber alunos do Médio Vale

A Universidade de Greifswald, no nordeste da Alemanha, mostrou ontem, 17 de novembro, o interesse em firmar parceria com a Universidade Regional de Blumenau (Furb) para a aceitação de alunos da região do Médio Vale do Itajaí.  Na ocasião, o reitor do decano da faculdade de Medicina, professor doutor Stefan Seiberling, apresentou um estudo à delegação da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (AMMVI), no qual explica a viabilização de cooperação em determinadas áreas do conhecimento.

Conforme o estudo, as áreas que pode haver maior cooperação são Medicina, Ciências Naturais e Ciências Sociais, porém o interesse da universidade está essencialmente voltado em pesquisas nas áreas de ecologia e natureza.  “Embora tenhamos algumas áreas de interesse, estamos abertos a novas sugestões e metodologias de pesquisa”, explica o professor Stefan.

O professor salientou ainda que a universidade já está realizando um estudo no Vietnã sobre medicina infecciosa, e esta pesquisa também poderá ser aplicada no Brasil.

O reitor da Furb, João Natel, disse estar otimista com a proposta e vislumbra futuras parcerias. Segundo ele, uma alternativa para a viabilização deste projeto é através do programa brasileiro Ciências Sem Fronteiras, do governo federal, o qual busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio de alunos da graduação e da pós-graduação.

“A Furb está aberta a qualquer tipo de cooperação, mas para tanto também devemos trabalhar na divulgação das alternativas de acesso ao programa, como também melhorar a barreira do idioma”, salienta.

Acordo em medicina comunitária

Durante a reunião, professores pesquisadores da universidade apresentaram à comitiva a intenção de realizar, por meio de acordo bilateral, estudo sobre a influência de fatores de risco que causam doenças na população. Como a pesquisa já vem sendo aplicada na região da Pomerania desde 1997, o objetivo é realizá-la também na região do Médio Vale, que possui muitos imigrantes pomeranos, a fim de comparar as informações de pessoas com a mesma identidade genética e analisar se fatores como clima, alimentação e qualidade de vida interferem nos fatores de risco.

O diferencial do SHIP – nome do estudo que significa em português “Estudo da Saúde na Pomerania” – é que ele é mais completo, capaz de fornecer uma visão geral e não somente está focado em uma área específica. Segundo o professor Stefen o objetivo geral é avaliar a quantidade e influência dos fatores de riscos na população como causadores de doenças. “Este é o único no mundo que faz o estudo do corpo todo e por isso está conseguindo importantes publicações” explica.

Além disso, o professor destaca a credibilidade da pesquisa deve-se também à fidelidade do método de aplicação e protocolo, que garante o controle e generalidade. Stefen destaca ainda que a universidade já foi chamada pelo governo da Alemanha para realizar o estudo com toda a população do país na tentativa de prolongar a expectativa de vida dos cidadãos.

O reitor da Furb, João Natel, declara que a universidade está na expectativa pelas tratativas que viabilizem a parceria na região entre as duas universidades, de modo que tal estudo possa ser reproduzido no Médio Vale e que também possa contribuir para o esclarecimento de outras questões pertinentes à região.

Sobre a universidade

Fundada em 1456, a Universidade de Greifswald é a terceira mais antiga da Europa e a segunda na Alemanha. Nela estudaram personagens célebres que contribuíram para o desenvolvimento de Blumenau, como o naturalista Fritz Müller e o engenheiro-geodésico e cartógrafo Emil Odebrecht.

Atualmente, a universidade possui 12 mil estudantes – destes 558 são estrangeiros – e cerca de 5 mil funcionários.

Todos pela federalização da FURB

Hoje foi mais um dia em luta pela federalização da Furb, a Fundação Universidade Regional de Blumenau. Deputados se revezaram em suas casas para a defesa da garantia da universalização do ensino superior no estado, sendo eles, o Deputado estadual Jean Kuhlmann usou a tribuna da Alesc, enquanto em brasília, o Deputado Décio Lima manifestou na Câmara dos Deputados.

Ambos tiveram o mesmo discurso, que por incrível que pareça, seus partidos são de extremas, mas o que me chamou bastante a atenção foi o posicionamento de blumenauense Jean Kuhlmann, que deu a entender a defesa literal da Furb Federal e promoveu um pouco a defesa da presidenta Dilma. O ex-prefeito de Blumenau Décio Lima a gente espera tudo, pois além de ser do partido da mulher, tem que se esperar mais em seu discurso. Mas, as coisas são assim mesmo.

Se a Furb não for federal agora com essa tropa de petistas nos altos escalões do governo federal, como o exemplo da ministra Ideli Salvatti, imagina quando? Por fim, convidamos a galera a participar do movimento que está bombando no Facebook tendo debates, prós e contra ao tema e pedimos a você que ingresse nas fileira, pois um dia poderemos ser beneficiados com mais essa oportunidade. Acessem o link https://www.facebook.com/groups/203213556401195/ e participe das discussões.