O Google Map Maker já era, foi desativado e está no cemitério virtual do Google

Google Map Maker World

Todos os anos, o Google realiza uma ‘faxina’ entre os seus produtos e serviços, aposentando, aqueles que não mais se encaixam nos propósitos da empresa. E o site norte-americano Slate criou um cemitério interativo onde os internautas poderão enviar flores e mensagens para os ‘falecidos’ serviços da gigante da internet, o “Google Graveyard” cemitério do Google, em tradução livre.

O Google Map Maker foi oficialmente desativado no dia 31 de março de 2017, e muitos dos recursos dele serão integrados ao Google Maps.

Desde 2008, a comunidade do Google Map Maker editou e moderou milhões de elementos com o intuito de melhorar a experiência no Google Maps. Para facilitar que todos os usuários do Google Maps contribuam com alterações do mapa, começamos a migrar as funcionalidades do Map Maker para o Google Maps em computadores e dispositivos móveis.

Os principais recursos de edição atualmente disponíveis no Google Maps são:

Google Map Maker LogoSegundo a gigante da internet, o Google continuará adicionando novos recursos de edição ao Google Maps regularmente.

Se você quiser continuar compartilhando seu conhecimento local no Google Maps e interagir com uma comunidade dedicada de pessoas com interesses iguais aos seus, participe do programa Local Guides. Nele, você poderá:

  • Acumular pontos;
  • Ganhar recompensas pelo envio de edições e outras informações; e
  • Receber acesso antecipado a novos recursos do Google Maps.

Para mais informações, acesse o Local Guides Connect, onde nós continuaremos postando atualizações sobre o lançamento de novos recursos no Google Maps.

Fonte

Anúncios

Conheça o cemitério virtual do Google

Cemitério virtual do Google

É muito triste, mas divertido ao mesmo tempo. Aproveite e deixe uma flor para um produto do Google falecido de sua preferência. O meu foi para o Orkut.

É difícil perder um ente querido, especialmente se esse ente querido for um serviço do Google. É por isso que o site Slate abriu as portas do Google Graveyard, um espaço virtual para luto. Enterrados nesses locais sagrados estão alguns dos serviços malogrados do Google. Alguns, como o Google Reader, viveram vidas longas e prósperas, cheios de admiração e glória.

A maioria, como o Google Wave e o Google Buzz, lutou para conquistar um lugar neste mundo implacável e implacável, onde as tecnologias continuamente se chocam e a inovação reina. Mas se esses serviços transformaram nossa produtividade ou apenas poluíram nossas caixas de entrada, todos eles tocaram nosso mundo de alguma forma.

Acesse por este link e clique em uma sepultura para deixar uma flor e deixe o processo de cura começar. Valeu!

Quer colaborar com o Google e ainda ganhar brindes? Conheça o Google Map Maker

Google Map Maker Logo

Serviço, que permite que usuários insiram pontos em 183 países, chegou só agora nos Estados Unidos, mas já tem adeptos aqui no Brasil.

Foi lançado nos Estados Unidos o Google Map Maker, um serviço criado pela empresa para expandir e melhorar a cartografia do Google Maps. Aqui no Brasil e em outros 182 países, o serviço já está disponível desde junho de 2008, mas a ferramenta só chegou  por lá agora.

Em países como o Brasil, as informações como estabelecimentos, nomes de rios, ferrovias, estradas e até pontos turísticos dos mapas não foram disponibilizadas pelos governos municipais. Dessa forma, para resolver o problema de mapeamento dos locais, o Google resolveu criar esta ferramenta colaborativa onde os próprios usuários inserem pontos de seu bairro, cidade ou estado.

Um dos primeiros usuários da ferramenta aqui no Brasil foi Iuri Pereira Lopes, administrador. Ele mapeou diversos lugares de sua cidade natal, Nova Era (MG) e região, e até foi contemplado  com um prêmio  do Google pela colaboração. “No meu perfil do Map Maker dá para ver um histórico das minhas colaborações. Listei 352 empresas e inseri 132 pontos de interesse. Ganhei uma camiseta e um diploma”, conta Iuri. “Coloquei desde igrejas, rios e até uma gruta em minha cidade. Cheguei, inclusive, a começar o mapeamento de cidades da Coreia do Norte com base no Google Maps”, conclui.

Google Map Maker

Para fazer parte da comunidade de colaboradores é fácil. Basta ter uma conta Google e adicionar um novo elemento. É preciso usar um marcador para denotar um ponto de interesse específico, como um monumento ou uma empresa, ou até desenhar uma linha que represente uma estrada ou um rio.

Iuri deu a dica de achar o local no Google Maps primeiro e, então, inserir as coordenadas no site do Map Maker. A partir daí, é preciso informar em que categoria este lugar se encaixa: restaurante, padaria, igreja, ponto turístico e afins. Além disso, é necessário adicionar informações extras como telefone, horários de funcionamento ou site. A partir daí, é só aguardar a aprovação dos mediadores. “Sua alteração foi aprovada pelo Google Reviewer Santosh, um revisor confiável, porém será analisada por outros usuários”, diz a mensagem.

Cleverson Cândido, outro usuário do Map Maker, começou a usar o serviços há menos de um ano e já mapeou 8 mil quilômetros em estradas, rios e trilhas de bairros do Paraná. Outro colaborador já está há 651 dias inserindo estradas em regiões pouco percorridas do Irã e Paquistão. “Acredito que só abriram a ferramenta para os Estados Unidos agora porque lá eles têm o pessoal do próprio Google fazendo esse serviço. Além disso, a ferramenta se aperfeiçoou muito neste meio tempo e agora está mais fácil incluir as informações. Os EUA é um país muito grande e o volume de dados lá com certeza será enorme”, conclui Iuri.

Apesar de estar no ar há muitos meses, o serviço ainda é pouco usado até pelos brasileiros. Com a chegada da ferramenta nos Estados Unidos, pode ser que mais pessoas se animem em colaborar com o Google. Para saber como inserir pontos, clique aqui e para tirar suas dúvidas, leia as perguntas mais frequentes.

Abaixo confira o vídeo de introdução da ferramenta para os Estados Unidos.