De olhos abertos

29 de agosto dia nacional da visibilidade lésbica

DE OLHOS ABERTOS
Poema de Helena Zelic

eu só queria namorar você
mas preciso manter um olho
aberto
prever o encontro
com monstros
alguém precisa nos manter
vivas

 

eu e você
juntas formamos
um redemoinho
por onde passamos
não era para ser assim

 

e nesta noite clara enigma
falo baixo mais baixo
cada vez mais baixo
falo tão baixo que você
já quase não ouve
eu tenho tanto a dizer
desculpa meu bem
se não alongo nossos beijos
ou se apresso nosso passo
eles estão vindo
gostam de carne fresca
gritam palavras chulas
me sinto num filme zumbi
será este o nosso mundo?
e quanto tempo durará?

 

eu só queria namorar você
mas o velho sentado à frente
no assento preferencial
diz vai resolver nosso caso
impressionante
os dois olhos do velho
vesgo
me alcançam e perfuram
diz vai resolver com um pau
bem grande
desculpe dizer isso meu amor
a ameaça não soa bem
nem transcrita no poema
mas foi o que ele disse
olhando nos meus olhos
que por sorte deixei
abertos

 

eu só queria namorar você
mas aquele senhor cortou
o clima
agora não tem mais jeito
mas me abraça sim
abraça forte

 

namorar você:
o fio e a navalha
o cais e o canhão
a vela o incêndio
o espelho e o golpe

 

mesmo distante
agora ainda escrevo
com olhos atentos e torço
não seja esta nossa condição
ininterrupta

 

eu só queria namorar você
e poder tremer as pernas
mas não de medo
nunca o medo.

29 de agosto, Dia Nacional da Visibilidade Lésbica

UNESCO faz consulta sobre bullying contra alunos LGBT

LGBT

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) vai consultar entre os dias 06 e 09 de dezembro escolas e universidades do Rio de Janeiro sobre a prática de bullying contra alunos LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) nas instituições de ensino.

O estudo faz parte da primeira campanha internacional das Nações Unidas sobre o tema, lançada em 22 de novembro. O objetivo é explorar a melhor forma de apoiar alunos e professores LGBT, prevenir e combater o bullying, a discriminação homofóbica e transfóbica, além de assegurar ambientes seguros de aprendizagem para alunos LGBT.

Segundo a UNESCO, como resultado do estigma e da discriminação na escola, jovens submetidos ao assédio homofóbico estão mais propensos a abandonar os estudos, contemplar a automutilação, cometer suicídio e se engajar em atividades ou comportamentos que apresentam risco à saúde.

Fonte: ONU

Prêmio Direitos Humanos

O Prêmio Direitos Humanos, que está em sua 16ª edição, foi entregue na segunda-feira (13) ao presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) Antonio Martins dos Reis, o Toni Reis.  Ele é reconhecido pela sua atuação na promoção e na defesa dos Direitos Humanos da população LGBT desde 1983.

O prêmio é considerado a mais alta condecoração do governo brasileiro a pessoas e entidades que se destacaram na defesa, na promoção e no enfrentamento e combate às violações dos Direitos Humanos no País. A estatueta entregue neste ano foi idealizada pelo artista gráfico Elifas Andreato. Fundida em bronze com acabamento em pátina, base de granito preto e plaqueta banhada a ouro, a escultura chama-se “Maternidade”, e foi desenhada a partir da figura de uma mãe carregando seu filho. www.cultura.gov.br

Conferência combate discriminação contra comunidade LGBT

Evento avaliará políticas públicas e implementação de plano de promoção dos direitos humanos.

A II Conferência Nacional LGBT, que acontecerá em Brasília entre 15 e 18 de dezembro, tem como tema “Por um País livre da pobreza e da discriminação: Promovendo a cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais – LGBT”. Segundo a ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), Maria do Rosário, ao convocar a 2º conferência para debater políticas públicas para o segmento, o governo sinaliza a busca por uma sociedade livre de preconceitos e discriminações. A cerimônia de lançamento da conferência ocorreu na última terça-feira (9).

O evento tem como finalidade avaliar e propor as diretrizes para a implementação de políticas públicas voltadas ao combate à discriminação e promoção dos direitos humanos e cidadania de LGBT no Brasil. Além disso, avaliará a implementação e execução do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos dos LGBT e propor estratégias e criar propostas com diretrizes para a implementação de políticas públicas de erradicação da pobreza e combate à discriminação.

Etapas regionais

A conferencia é precedida pelas etapas livres, regionais, municipais e estaduais. As etapas livres começam em setembro. A partir de um documento orientador, serão feitas as conferências estaduais e municipais para possibilitar que o tema seja discutido de forma ampla. Isso objetiva trazer à conferência nacional demandas representativas de todo o País.

A etapa nacional contará com a participação de cerca mil pessoas, sendo 609 delegados.

Plano Nacional LGBT

O Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais é resultado do trabalho conjunto do governo federal e da sociedade civil e foi elaborado por uma Comissão Técnica Interministerial formada por representantes de 18 pastas.

O plano contém 51 diretrizes e 180 ações que serão implementadas pelo Poder Público para garantir a igualdade de direitos do segmento LGBT da população brasileira. As diretrizes e ações são baseadas nas propostas da Iª Conferência Nacional LGBT, realizada em junho de 2008.

www.direitoshumanos.gov.br