Os campeões de seguidores falsos no Twitter

Estudo revela quem são os presidenciáveis com mais seguidores falsos no Twitter. Alvaro Dias (Podemos) lidera lista com impressionantes 64%.

Estudo realizado pelo Instituto InternetLab aponta que dentre os seguidores do candidato Alvaro Dias (Podemos) no Twitter, em torno de 64% são perfis falsos, também conhecidos como bots ou robôs. Atrás de Dias, os candidatos com o maior índice de perfis falsos entre os seguidores são Geraldo Alckmin (PSDB), com 46%, Marina Silva (Rede), com 36%. Pelo menos um em cada três (34%) perfis que formam a audiência de Jair Bolsonaro (PSL) também é um robô.

Na outra ponta, o candidato Guilherme Boulos (Psol) é o que têm o menor percentual (14%) de seguidores falsos, seguido por João Amoêdo(Novo). Manuela D’Avila (PCdoB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) têm 22% de robôs entre os perfis. Henrique Meirelles (MDB), Flávio Rocha (PRB) e Ciro Gomes (PDT) têm entre 24% e 32% de seguidores não autênticos.

A coleta de dados no Twitter foi realizada entre os dia 4 e 28 de junho de 2018, e os perfis falsos identificados por meio da ferramenta Botometer, combinada a outros algoritmos.

Esses perfis falsos, ou bots, têm a função de alavancar a audiência das páginas artificialmente e, em contextos de disputas eleitorais, “podem ser empregados dessa forma para distorcer a dimensão de movimentos políticos, manipular e radicalizar debates, e criar falsas percepções sobre disputas e consensos nas redes sociais“, aponta o relatório do InternetLab.

Apesar de causarem deformações importantes no debate político virtual, não é possível afirmar que os pré-candidatos adquiriram os seguidores ilicitamente, segundo o Instituto, que também lembra que o Brasil hospeda o 8º maior número de bots do mundo. O fenômeno também não é novo, e foi percebido por aqui pelo menos desde 2011.

Pragmatismo Político

Anúncios

A aliança Campos-Marina e o desafio do realismo. A borboleta virou lagarta?

Marina Silva e Eduardo Campos

O tabuleiro mexeu: Campos e Marina estarão juntos em 2014. Nasce a ‘quarta via’, o  socialismo econeoliberal.”Para destruir o chavismo do PT”, diz a suave senadora que deixou o PT em 2009, ‘para ser coerente com a luta ‘pelo desenvolvimento sustentável’. Marina decidiu. E comunicou a seus pares em caráter irrevogável: será a vice de Eduardo Campos, que ganha assim um discurso palatável à classe média, ele que antes só falava à Fiesp e à Febraban. Marina perde a Rede, mas sobretudo, a aura de maria  imaculada e ganha a companhia dos Bornhausen, os afáveis banqueiros de Santa Catarina, que terão o comando do PSB no Estado e voz ativa na esfera nacional. Os Demos também querem ‘destruir o chavismo do PT’ e tem precedência na fila. É natural que ocupem espaços. Parece não incomoda-la: Marina é obstinada. Tudo pela causa. A sua passa a ser a mesma de Campos, Aécio, Serra, Freire e a da  plutocracia em busca de uma ‘terceira via’ para capturar o Estado novamente. Todos contra Dilma. Funciona? Dúvidas: quanto vai durar o casamento entre o personalismo anêmico de votos de Campos e a pureza armada de Marina? Como evitar que a identidade de propósitos da frente anti-petista apenas pulverize os votos dos já convertidos? Marina Silva prometeu neste sábado ‘sepultar de vez a velha República’. São palavras fortes. Mas o que cogitaria como nova República um Heráclito Fortes, por exemplo, outro demo recém convertido ao socialismo complacente do PSB? Como diz Zizek, passada a fase alegre dos consensos, será preciso ir além, sem se transformar em um desastre. O texto foi extraído da newslatter do Carta Maior recebido via e-mail. Eu assino, leio e recomendo a participação de todos no fórum http://bit.ly/GGviGN.

Getúlio, a Petrobrás, Marina e 2014

Marina Silva

Falta um ano e dois dias para as eleições de 2014 e há 60 anos Getúlio criava a Petrobrás. Marina joga hoje a sua Rede no TSE. O resultado desse arrastão pode influenciar o tabuleiro que divide o Brasil, desde Vargas, entre os que associam a luta pelo desenvolvimento à construção soberana de um país mais justo e os que, desde a campanha do ‘Petróleo é Nosso’, em 1953, advogam que as forças sociais devem renunciar a esse propósito e entregar a sorte da economia e o destino do Brasil à autossuficiência dos ‘livres’ mercados. Independente do resultado de hoje — e do eventual recurso ao STF — a  Rede de Marina precisa decidir em qual correnteza pretende pescar o seu futuro e o dos brasileiros. O texto foi extraído da newslatter do Carta Maior recebido diariamente em meu e-mail.

ATENÇÃO: Dilma Rousseff, Lula, Aécio Neves, Renan Calheiros e outros estão entre os nomes cujos documentos foram vazados

dcvitti and keep calm and chega de corrupção

Grupo hacker divulga dados de políticos brasileiros. Dilma Rousseff, Lula, Aécio Neves e até mesmo Renan Calheiros estão entre os nomes cujos documentos foram vazados.

Um grupo hacker que se denomina “xc0unt3r” se uniu aos protestos que tomam o país e decidiu atingir os políticos brasileiros. Entre os responsáveis pelo ataque, há alguns ligados ao AnonymousO grupo está divulgando dados como documentos,  declaração de bens e endereços de vários congressistas e pessoas ligadas à política.

Nos documentos estão informações sobre a presidenta Dilma Rousseff, Lula, Tarso Genro, Aécio Neves e até mesmo o presidente do Senado brasileiro, Renan Calheiros, um dos mais criticados pela população.

Uma pesquisa rápida no sistema de busca por CPF da Receita Federal confirma que os documentos vazados correspondem às pessoas. As informações foram jogadas no serviço AnonPaste, que garante o anonimato da pessoa responsável pelo post.