O Google+ não está mais disponível. Já era!

Desativação do Google+

“A equipe do Google+ agradece a todos que tornaram o Google+ tão especial”. Essa é a mensagem que você vai ler ao abrir pela última vez o seu perfil no Google+. A rede não vingou e já era mais uma!

O que houve com o Google+?
Em dezembro de 2018, anunciamos nossa decisão de desativar as contas pessoais do Google+ em abril de 2019.

Os outros produtos do Google (como o Gmail, o Google Fotos, o Google Drive e o YouTube) não foram afetados pela desativação das contas pessoais do Google+ e podem continuar sendo usados. A Conta do Google que você usa para fazer login nesses serviços será mantida. As fotos e os vídeos que já estiverem armazenados em backup no Google Fotos não serão excluídos. Saiba mais.

O que houve com meu conteúdo do Google+?
Estamos excluindo o conteúdo das contas pessoais do Google+ e das páginas do Google+. Esse processo levará alguns meses para ser concluído, e o conteúdo talvez seja mantido durante esse período. Enquanto isso, se você já tiver criado conteúdo no Google+, poderá fazer o download e salvar o conteúdo restante do Google+ e excluir seu perfil do Google+. Também será possível ver e excluir sua atividade restante do Google+.

Como isso me afetará se eu também usar o Google+ com uma conta de trabalho ou escola do G Suite?
O Google+ para o G Suite continuará como um recurso para a troca de ideias entre as pessoas de uma organização. Saiba mais sobre como estamos continuando nosso investimento no Google+ para o G Suite.

Caso esteja em dúvida se sua organização usa o G Suite, verifique aqui. Os clientes do G Suite verão algumas alterações nos recursos do Google+ relacionadas à desativação das contas pessoais do Google+. Você pode encontrar mais detalhes aqui ou conversar com o administrador do G Suite para saber mais.

Veja todas as Perguntas frequentes para saber mais detalhes sobre a desativação do Google+.

Anúncios

Rastreamento em Incognito?

incognito anônimo privacidade

Pode surpreendê-lo que os anúncios ainda pode segui-lo em “Incognito” e outros modos de “navegação privada”. Isso é porque o modo Incognito não é realmente privado.

Modo de navegação anônima só apaga a sua pesquisa e navegação na história local – apenas o conteúdo em seu computador. Sites, motores de busca, provedores de serviços de Internet, e os governos podem ainda controlar facilmente você em toda a web. É por isso que é importante usar alternativas de privacidade que não compartilham suas informações pessoais, como o DuckDuckGo para pesquisa.

Usando o modo Incognito para mantê-lo em linha privada é tipo de como usar um balde para apagar um incêndio.

Se você não sabia que a navegação privada não é privada, você não está sozinho! 67% das pessoas que usam a navegação privada sobre-estimar a proteção que os modos de navegação privada oferecer. Agora você não tem que ser parte dessa estatística – Boa vinda ao lado Duck!Assinatura de Dax

Adeus, Google+! Sua conta pessoal na rede social do Google será desativada em 2 de abril de 2019

Google+ dcvitti

Se você recebeu um e-mail desse porte é por que tem uma conta pessoal do Google+ ou gerencia uma página do Google+ e ela será desativada. Que pena!

Em dezembro de 2018, anunciamos a desativação das contas pessoais do Google+ marcada para abril de 2019, devido ao pouco uso e aos desafios envolvidos na manutenção de um produto de qualidade que atendesse às expectativas dos consumidores. Agradecemos a você por fazer parte do Google+ e gostaríamos de informar as próximas etapas do processo, incluindo como fazer o download das suas fotos e de outros conteúdos.

Em 2 de abril de 2019, sua conta e qualquer página do Google+ que você tiver criado serão desativadas, e o conteúdo excluído. As fotos e os vídeos do Google+ no Arquivo dos álbuns e suas páginas do Google+ também serão excluídas. Você pode fazer o download e salvar seu conteúdo. Basta fazer isso antes de abril. Fotos e vídeos armazenados em backup no Google Fotos não serão excluídos.

O processo de exclusão de conteúdo das contas pessoais do Google+, das páginas do Google+ e do Arquivo dos álbuns levará alguns meses, e o conteúdo será mantido durante esse período. Por exemplo, é possível que os usuários ainda vejam partes da conta do Google+ pelos registros de atividades, e alguns conteúdos pessoais do Google+ poderão ficar disponíveis para os usuários do G Suite até que a conta pessoal do Google+ seja excluída.

A partir de 4 de fevereiro, não será mais possível criar novos perfis, páginas, Comunidades ou eventos no Google+. Consulte a página de Perguntas frequentes para mais detalhes e informações sobre a desativação.

Se você for o proprietário ou moderador de uma Comunidade do Google+, poderá fazer o download dos seus dados da Comunidade e salvá-los. A partir de março de 2019, será possível fazer o download de outros dados, como autor, texto e fotos de todas as postagens das Comunidades públicas. Saiba mais

O botão de Login do Google+ usado para se conectar a sites e apps não funcionará maise, em alguns casos, poderá ser substituído pelo botão de Login do Google. Você ainda poderá fazer login na sua Conta do Google sempre que encontrar botões do Login do Google. Saiba mais

Se você tiver usado o Google+ para fazer comentários no seu ou em outros sites, esse recurso será removido do Blogger até 4 de fevereiro e, de outros sites, até 7 de março. Seus comentários do Google+ serão excluídos de todos os sites a partir de 2 de abril de 2019. Saiba mais

Se você for um cliente do G Suite, o Google+ permanecerá ativo para sua conta do G Suite. Entre em contato com o administrador do G Suite para saber mais detalhes. Além disso, você contará com novos recursos e uma nova aparência em breve. Saiba mais

Veja como isso poderá afetar vocêse for um desenvolvedor e utilizar as APIs do Google+ ou do Login do Google+.

A equipe do Google+ agradece a todos que tornaram esse produto tão especial. Somos gratos pelo talentoso grupo de artistas, líderes de Comunidades e pensadores que fizeram do Google+ um lar. Ele não seria o mesmo sem o entusiasmo e a dedicação de todos.

YouTube terá mudança em postagens automáticas no Twitter e no Google+

Youtube dcvitti

YouTubeEu e muitos youtubers devem ter recebidos um aviso sobre uma atualização que pode impactar a comunidade do YouTube. Após o dia 31 de janeiro, a funcionalidade para postar automaticamente a atividade do YouTube (envios, vídeos com marcações “Gostei” etc.) no Twitter e no Google+ não estará mais disponível. Descobrimos que compartilhar essas ações com uma mensagem personalizada (em vez de com postagens geradas automaticamente) oferece uma experiência melhor ao criador de conteúdo e aos seguidores dele nas redes sociais.

Ainda é possível compartilhar vídeos nessas plataformas. Veja como:

  • Na página de exibição em qualquer dispositivo: clique em Compartilhar, depois clique no ícone da rede social.

Para saber mais informações sobre como compartilhar vídeos, confira este artigo da Central de Ajuda.

Equipe do YouTube.

[Tutorial] Aprenda a criar links para o seu número no WhatsApp e facilite o papo entre outros contatos

Tutorial WhatsApp

Então meus amigos… já é possível criar links para vídeos, fotos, textos e praticamente qualquer coisa da internet. Mas e se você quisesse criar um link para a sua própria conta do WhatsApp, de maneira que qualquer pessoa que clicasse nele fosse direcionada a uma conversa com você no aplicativo?

Saiba que isso já é possível, graças a um recurso do WhatsApp chamado “Click to Chat” (algo como “clique para conversar”). Ele gera um link que, ao ser clicado, leva o usuário a uma conversa com determinado número. Você pode até criar o link com uma mensagem pré-determinada para a pessoa que clicar nele te enviar.

Esse recurso pode ter uma série de utilidades. Por exemplo, se você estiver tentando vender seu carro, pode colocar as fotos dele junto com um link para o seu número. Nesse link, você também pode colocar uma mensagem como “Olá, tudo bem com você?”; assim, o potencial comprador não terá nem o trabalho de digitar. E você pode fazer tudo isso sem revelar seu número de telefone à internet inteira.

Veja a seguir como fazer isso

  1. Copie e cole este link https://api.whatsapp.com/send?phone=seunumerodetelefone&text=Olá!%20Vamos%20fazer%20contato? e divulgue onde quiser.
  2. Substitua a informação seunumerodetelefone pelo seu número, da seguinte maneira:
    • XXYY000000000.
      1. XX é o código internacional do seu número. O código do Brasil é 55, então, se o seu celular for daqui, substitua XX por 55.
      2. YY é o DDD. Se seu número for da região do Vale do Itajaí, por exemplo, substitua YY por 47, caso  seja de São Paulo, substitua YY por 21.
      3. 000000000 é o seu número de telefone. Se ele for, por exemplo, 99938-3519, substitua o 000000000 por 999383519.
    • Assim, se o seu número for brasileiro, do Vale do Itajaí (47), e for 99938-3519, você deverá substituir “seunumerodetelefone” por 5511999383519.
  3. Substitua a informação Olá!%20Vamos%20fazer%20contato? pela sua mensagem, da seguinte maneira:
    • Como não é possível inserir espaços nos links, é necessário substituí-los pelo símbolo %20. Assim, se você quiser que a sua mensagem seja Olá! Vamos fazer contato?, você precisará substituir o espaço sua%20mensagem por Olá!%20Vamos%20fazer%20contato?.
    • Então, se você quiser criar um link para o seu número com a mensagem pré-definida Olá! Vamos fazer contato?, e o seu celular for brasileiro, do Vale do Itajaí, com o número 99938-3519, o seu link ficará https://api.whatsapp.com/send?phone=5547999383519&text=Olá!%20Vamos%20fazer%20contato?.
  4. Você já pode enviar esse link para qualquer pessoa. Quem clicar nele será levado para uma tela de conversa do WhatsApp assim:
    Reprodução
    O problema é que, como pode ser visto acima, ele deixa exposto o seu número e a mensagem pré-definida que a pessoa receberá. Mas é possível contornar essa situação.
  5. Acessando o link por um dispositivo móvel qualquer, não há problema algum em enviar a mensagem. Basta estar com o WhatsApp instalado e iniciar a conversa. Caso esteja pela web, pra enviar a mensagem é só clicar em send conforme possa-se observar pela imagem em destaque acima.
  6. Acesse um site de encurtamento de links, como o bit.ly ou o ow.ly.
  7. Cole o seu link no campo correspondente e clique em encurtar URL ou Shorten.
  8. Você receberá uma versão encurtada do seu link. Por exemplo, jogando o link https://api.whatsapp.com/send?phone=5511999383519&text=Olá,%20meu%20amigo! (que usamos de exemplo acima) no bit.ly, recebemos o link http://bit.ly/2SigiHF, que funciona da mesma maneira.
    • Pelo bit.ly você consegue personalizar seu encurtador. Usando o exemplo sugerido nesse tutorial, você poderá substituir a informação 2SigiHF por uma de seu agrado, mas para isso, terá que ter uma conta e estar logado na rede. 
  9. Agora você pode usar o link sem o medo de deixar seu celular exposto! Compartilhe à vontade!

Gostou da dica? Aproveite o link e envie uma mensagem pra gente. O número informado é real e não tenho nenhum problema em divulgar. Caso esteja lendo esse post via web, basta apenas usar e estar logado no WhatsApp Web, se você está num dispositivo móvel, é só clicar, conversar e pronto!

Extraído originalmente do Olhar Digital.

5 dicas para fazer um abaixo-assinado online vitorioso

Abaixo-Assinado Celesc

A equipe da Change.org pesquisou vários abaixo-assinados vitoriosos, que trouxeram mudanças em 2014, e reuniu cinco dicas comuns a todos eles para ajudar quem quiser preparar o seu. A Change.org é o maior portal de petições online do Brasil. São 260 milhões de pessoas fazendo a diferença em 196 países e 15 milhões só no Brasil.

Vamos as dicas:

1. Faça um título simples, curto e atraente

É a primeira coisa a ser lida por quem vai participar do seu abaixo-assinado. Por isso, exige um cuidado especial. É importante sintetizar a ideia do que você quer mudar e não ultrapassar três linhas. Deve ser direto e atraente. Você pode colocar uma hashtag depois do título, o que ajuda a divulgar nas redes sociais. Como ocorreu com o #LuzNaPraça e o #LiberaAnvisa.

2. Diga quem tem o poder de mudar o que você deseja

“Tomador de decisão” é a pessoa ou organização que pode resolver o problema relatado no abaixo-assinado, seja o prefeito, o Ministério Público, uma empresa ou outra instituição. É importante escolher, no máximo, um ou dois tomadores de decisão, pois listar muitos facilita que eles “empurrem” a responsabilidade uns para os outros. Há exceções: uma petição para o Congresso Nacional, por exemplo, pode ter vários parlamentares como responsáveis. Na Change.org você pode cadastrar no seu abaixo-assinado o email do tomador de decisão para que ele receba centenas de mensagens cobrando uma solução. Quanto mais assinaturas, mais mensagens.

3. Faça um só pedido que tenha chances de se concretizar

Coisas impossíveis de serem alcançadas, como paz mundial ou fim da corrupção, são erros comuns nos abaixo-assinados. Pedir muitas demandas em uma só petição, como listar 10 questões a serem resolvidas pela prefeitura, também não funciona. A recomendação é evitar pedidos amplos demais: ao invés de “proteção para a Floresta Amazônica”, você pode pedir a criação de um parque ambiental em uma determinada área. Os abaixo-assinados são realmente efetivos, tanto para mobilizar mais pessoas quanto para conseguir uma mudança, quando eles apresentam demandas concretas e simples de serem captadas pelos usuários na internet. Na mobilização online, um passo de cada vez gera transformações mais sólidas.  A dica é pedir, por exemplo, que a prefeitura reabra uma escola ou que ela contrate um pediatra para o posto de saúde. Isto vai resolver esta demanda concreta e também chamar a atenção para a precariedade do serviço público.

4. Faça um texto didático com até 4 parágrafos

O texto é coração do abaixo-assinado, pois é nele que as pessoas entendem o que você quer mudar. Por isso ele precisa ser didático, simples e autoexplicativo. Não precisa de links para outras histórias nem referências exteriores como artigos científicos. É ideal que ele não ultrapasse 4 parágrafos, pois dificilmente as pessoas lerão mais do que isso. O primeiro parágrafo apresenta a demanda e mostra quem você é (profissão, idade, motivação para o abaixo-assinado). O segundo descreve mais a sua história pessoal e sua ligação com o problema – por que você se importa com isso? Os dois últimos parágrafos devem falar dos efeitos do abaixo-assinado. Para escrevê-los, a recomendação é que você responda a perguntas como: o que acontece se a mudança que eu pedi na petição for feita? Qual a chance do tomador de decisão nos ouvir? O que acontece se ninguém responder? É importante que o abaixo-assinado sensibilize as pessoas. Quanto mais pessoas forem tocadas pela história, mais elas vão apoiar. Elas irão entender que é uma luta de Davi contra Golias e que vale a pena ajudar.

5. Use as redes sociais para buscar apoiadores

É normal você sentir que já “cumpriu a missão” ao criar um abaixo-assinado. Mas o problema que você descreveu não se resolve sozinho. Você precisa chamar seus amigos para assinar, contar com colegas para divulgarem, fazer barulho com a petição. É importante mostrar que a petição é uma ferramenta de pressão. Ela só vai ser útil se você divulgá-la em todos os lugares, se reclamar com a autoridade responsável por telefone e internet. Quanto mais você chamar pessoas para assinarem e espalharem seu abaixo-assinado pela internet, mais chances ele tem de ser vitorioso. Os tomadores de decisão – sejam empresas, autoridades ou órgãos públicos – têm medo de que sua reputação fique manchada. Quando algo começa a se disseminar e eles veem o tamanho do barulho que está sendo feito e correm para responder e resolver o problema. Uma dica para convidar as pessoas a assinarem é colocar o texto /invite depois do endereço do abaixo-assinado. Isso abre uma ferramenta que manda mensagens aos seus amigos do Facebook. Veja o exemplo neste link.

Assista ao vídeo e conheça o que os abaixo-assinados vitoriosos têm em comum.

As expressões “abaixo-assinado”, “petição”, “campanha” e “mobilização” são usadas neste texto como sinônimo.

Fonte: Catraca Livre

Google+ tem fim antecipado para abril de 2019

Google+

Mais uma rede social do Google que morre, que vai para o cemitério virtual da companhia e de todos eles, o que mais temos saudades é o Orkut.

O Google confirmou que vai antecipar a desativação do Google+ e seus aplicativos em quatro meses. A decisão foi tomada após a descoberta de um problema de segurança no software de atualização distribuído em novembro e que resultou no vazamento de dados de aproximadamente 52,5 milhões de usuários.

Em nota publicada em seu blog, a empresa confirmou a reprogramação para abril de 2019. Anteriormente, a desativação estava prevista para agosto. Os aplicativos ligados à rede social serão desativados em até 90 dias.

A falha foi descoberta pela própria plataforma durante procedimentos de checagem padrão. O vazamento permitiu que dados pessoais de usuários, como nome, endereço de e-mail, ocupação, idade e outros, fossem acessados por desenvolvedores de aplicativos mesmo quando estavam marcados para não serem públicos. A empresa afirma, contudo, que informações relativas a dados financeiros, números de documentos, senhas pessoais e similares permaneceram inacessíveis.

“Nenhum terceiro comprometeu nossos sistemas, e não temos evidências de que os desenvolvedores de aplicativos que inadvertidamente tiveram esse acesso por seis dias tenham conhecimento disso ou o usaram indevidamente de alguma forma”, assegurou David Thacker, vice-presidente de gestão de produto da plataforma.

O Google+ foi lançado em 2011. O objetivo de sua criação era rivalizar com o Facebook como rede social. A meta, porém, nunca foi atingida.

Portal Imprensa

O Google Map Maker já era, foi desativado e está no cemitério virtual do Google

Google Map Maker World

Todos os anos, o Google realiza uma ‘faxina’ entre os seus produtos e serviços, aposentando, aqueles que não mais se encaixam nos propósitos da empresa. E o site norte-americano Slate criou um cemitério interativo onde os internautas poderão enviar flores e mensagens para os ‘falecidos’ serviços da gigante da internet, o “Google Graveyard” cemitério do Google, em tradução livre.

O Google Map Maker foi oficialmente desativado no dia 31 de março de 2017, e muitos dos recursos dele serão integrados ao Google Maps.

Desde 2008, a comunidade do Google Map Maker editou e moderou milhões de elementos com o intuito de melhorar a experiência no Google Maps. Para facilitar que todos os usuários do Google Maps contribuam com alterações do mapa, começamos a migrar as funcionalidades do Map Maker para o Google Maps em computadores e dispositivos móveis.

Os principais recursos de edição atualmente disponíveis no Google Maps são:

Google Map Maker LogoSegundo a gigante da internet, o Google continuará adicionando novos recursos de edição ao Google Maps regularmente.

Se você quiser continuar compartilhando seu conhecimento local no Google Maps e interagir com uma comunidade dedicada de pessoas com interesses iguais aos seus, participe do programa Local Guides. Nele, você poderá:

  • Acumular pontos;
  • Ganhar recompensas pelo envio de edições e outras informações; e
  • Receber acesso antecipado a novos recursos do Google Maps.

Para mais informações, acesse o Local Guides Connect, onde nós continuaremos postando atualizações sobre o lançamento de novos recursos no Google Maps.

Fonte

Conheça o cemitério virtual do Google

Cemitério virtual do Google

É muito triste, mas divertido ao mesmo tempo. Aproveite e deixe uma flor para um produto do Google falecido de sua preferência. O meu foi para o Orkut.

É difícil perder um ente querido, especialmente se esse ente querido for um serviço do Google. É por isso que o site Slate abriu as portas do Google Graveyard, um espaço virtual para luto. Enterrados nesses locais sagrados estão alguns dos serviços malogrados do Google. Alguns, como o Google Reader, viveram vidas longas e prósperas, cheios de admiração e glória.

A maioria, como o Google Wave e o Google Buzz, lutou para conquistar um lugar neste mundo implacável e implacável, onde as tecnologias continuamente se chocam e a inovação reina. Mas se esses serviços transformaram nossa produtividade ou apenas poluíram nossas caixas de entrada, todos eles tocaram nosso mundo de alguma forma.

Acesse por este link e clique em uma sepultura para deixar uma flor e deixe o processo de cura começar. Valeu!

O nosso país falhou, a gente falhou. Eu falhei!

Essa semana no Rio de Janeiro, mataram a vereadora e seu motorista. Morreu uma médica na Linha Vermelha, latrocínio. Morreu um gari, assassinado. Morreu um feirante, morto a facadas. Morreram dois jovens de uma favela, envolvidos com o tráfico. Um policial foi alvejado na saída do trabalho, caiu morto. Uma mulher foi morta pelo marido, feminicidio. Mataram também um jogador de futebol de várzea, se engracou com a mulher do açougueiro e pá, mataram. Deram dois tiros num caminhoneiros, ele não quis entregar seu caminhão para assaltantes. Um filho matou o pai, ele usava drogas e o pai batia nele. Uma moça foi estuprada e morta num terreno baldio também…

Todo dia tem vítima da violência. No Rio, em SP, no Acre, em Manaus, em Porto Alegre, em Camboriú. Todo dia a gente perde a dignidade. Sejam estas pessoas de esquerda, direita, policial, jornalista, ativista, médico, padeiro, gari, bandido…

O nosso país falhou. A gente falhou. Eu falhei. Em dois dias eu li extremos absurdos nas redes sociais, grupos de WhatsApp, ouvi horror nas ruas. Ninguém se entende. Ninguém quer dar o braço a torcer. Ninguém admite o erro. Ninguém quer fazer nada. Uso uma rede social para pedir que eu e você, levantemos nossa bunda para fazer alguma coisa. Daqui uns meses temos eleições, quem sabe uma possibilidade de mudar, mas sem salvadores da pátria. Eles não existem.

A escuridão no país tropical parece não ter fim, mas só nós podemos dar luz a um futuro. Será a última vez que vamos poder acreditar. Vem junto, vem.

Artigo de Rafael Weiss postado originalmente em seu perfil no Facebook.

Vereadora Marielle Franco