A importância e o tempo da ordenação ministerial

Santuário da Família, Pastor Marcos Sabino, Pastor Fernando Alvarez, Dialison, Dialison Cleber, Dialison Cleber Vitti, DialisonCleberVitti, Dialison Vitti, Dialison Ilhota, Cleber Vitti, Vitti, dcvitti, @dcvitti, #dcvitti, #DialisonCleberVitti, #blogdodcvitti, blogdodcvitti, blog do dcvitti, Ilhota, Newsletter, Feed, 2016, ツ

Na maioria das denominações ou igrejas, aqueles que têm cargos importantes são reconhecidos quando são designados para um ofício. As questões diante de nós são: como devemos entender a importância desse ato e quando ele deveria ser realizado?

A importância da ordenação

Para que discutamos a importância do reconhecimento público de uma pessoa que tem cargo importante, precisamos olhar para os diferentes termos usados no Novo Testamento para descrever esse processo. Lemos em Atos 14:23 que Paulo e Barnabé “elegeram presbíteros” em cada igreja em várias cidades da Ásia Menor. O termo grego traduzido para “eleger” é cheirotonço, que é composto das palavras “mão” (cheir) e “estender” (teinô). No grego clássico, a palavra significava “escolher” ou “eleger”, originalmente ao levantar a mão. Atualmente, entretanto, o elemento da “mão” se tornou uma metáfora morta” [#1].

Assim, no grego bíblico, cheirotonço simplesmente significa eleger alguém para um ofício ou designar alguém para uma tarefa específica. A única outra ocorrência do verbo no Novo Testamento é encontrada em 2 Coríntios 8:19, onde um irmão bem apresentado foi “eleito pelas igrejas” para acompanhar Paulo em sua jornada. Está claro nesses termos que cheirotonço significa designar ou eleger alguém para uma posição [#2]. Não obstante, no grego da era patrística, veio significar novamente “ordenar com a imposição de mãos”. Por causa desse uso posterior, alguns intérpretes leem esse significado no Novo Testamento e mantém que Paulo e Barnabé ordenavam homens para o ofício de presbítero pela imposição de suas mãos, indicando algum tipo de reunião especial de autoridade ou poder eclesiástico. Apesar da imposição de mãos ser geralmente associada com o apontamento de presbíteros, o autor transmite tal significado por usar um termo diferente. Por exemplo, quando Lucas quer falar da imposição de mãos, ele usa o verbo epitithçmi mais o nome “mão” (cheir) (Atos 6:6; 8:17, 19; 9:12, 17; 13:3; 19:6; 28:8; veja também 1 Timóteo 5:22). Outros alegam que a palavra cheirotonço significa “votar” no contexto de Atos 14:23. Apesar de ser um significado possível do verbo, não é provável que seja baseado no contexto. Paulo e Barnabé elegeram, não votaram, os presbíteros da igreja.

O outro verbo usado para transmitir a ideia de “eleger” é encontrado em Tito 1:5 quando Tito é exortado por Paulo para “constituíssem kathistçmi presbíteros em cada cidade”. Em ambas situações, no grego clássico e no grego bíblico, kathistçmi é usado com o significado de eleger alguém para um ofício. Por exemplo, Jesus perguntou a alguém: “quem me constituiu juiz ou partidor entre vós (Lucas 12:14)?”. Também lemos acerca de como o Faraó demonstrou favor a José: “que o constituiu governador daquela nação e de toda a casa real (Atos 7:10)”.

A imposição de mãos é geralmente associada com a eleição ou comissionamento de alguém para um ofício específico ou tarefa. Os sete que foram escolhidos para servir a igreja para aliviar as responsabilidades dos apóstolos foram apresentados “perante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos (Atos 6:6)”. Na igreja de Antioquia, o Senhor escolheu Barnabé e Paulo para realizar uma tarefa especial: “Então, jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despediram” (Atos 13:3). Em outro contexto, Timóteo é exortado por Paulo para não negligenciar o dom que foi dado a ele “mediante profecia, com a imposição das mãos do presbitério [#3] (Atos 14:4)”. Deveria ser notado que ali o corpo inteiro de presbíteros impôs suas mãos e elegeu Timóteo para o serviço e não somente um presbítero ou bispo. Finalmente, Paulo adverte a Timóteo: “A ninguém imponhas precipitadamente as mãos (1 Timóteo 5:22)”. Apesar de Paulo não especificar a designação pública de alguém para o ofício de presbítero, o contexto lida exclusivamente com presbíteros [#4].

Oração e jejum também são associados com a seleção e eleição de líderes. Os apóstolos seguiram o exemplo de Jesus que orou toda noite antes de escolher seus 12 discípulos, os apóstolos (Lucas 6:12-13). Depois que a igreja selecionou os sete, lemos que os apóstolos oraram “impondo-lhe as mãos” (Atos 6:6). Similarmente, quando Barnabé e Paulo foram eleitos como missionários, a igreja jejuou, orou e então os enviaram (Atos 13:3).

O Novo Testamento nunca usa a palavra “ordenar” (no sentido moderno e técnico) em conexão com um líder cristão que é designado para um ofício [#5]. Assim, geralmente leva a um mal-uso do termo “ordenar” em nosso contexto moderno, se alguém tiver em mente o conceito bíblico de eleição pública ou designação para um ofício. Hoje em dia, a palavra “ordenar” carrega consigo a ideia de que uma graça especial é transferida através do ato de impor as mãos. Diferente da tradição episcopal que alega que a autoridade do ofício vem do bispo e é passada para quem é eleito pela imposição de mãos, a autoridade do ofício vem de Deus, que chama e concede dons a homens para liderar sua igreja (Atos 20:28; 1 Coríntios 12:28; Efésios 4:11). O Novo Testamento não ensina que aqueles escolhidos para liderar a igreja são “ordenados” para um ofício sagrado e sacerdotal. Ele não ensina que somente os chamados “ordenados” homens do clero possuem o direito de pregar, batizar e conduzir a Ceia do Senhor, ou pronunciar uma benção.

É o dever da igreja reconhecer aqueles a quem Deus separou para essa importante tarefa. Grudem comenta: “Se alguém é convencido que a igreja local deveria selecionar presbíteros, então pareceria apropriado que a igreja que elegeu aquele presbítero – não um bispo externo – deveria ser o grupo que outorga o reconhecimento externo da eleição ao designar a pessoa em um ofício ou ordenar o pastor” [#6]. Strauch adverte contra o entendimento da eleição de presbíteros à luz do sacerdócio do Velho Testamento:

Presbíteros e diáconos não são eleitos para um ofício sacerdotal especial ou uma ordenação clerical santa. Em vez disso, eles estão assumindo ofícios ou serviços de liderança entre o povo de Deus. Deveríamos ser cuidadosos para não sacralizar essas posições mais do que os escritores da Bíblia o fazem. O Novo Testamento nunca acoberta a designação de presbíteros em um mistério ou ritual sagrado. Não há rito sagrado para realizar ou cerimônia especial para cumprir. A eleição de presbíteros não é um santo sacramento. A eleição não confere graça especial ou fortalecimento, nem faz alguém se tornar padre, clérigo ou homem santo no momento da designação.”[#7]

O tempo da ordenação

É comum que as pessoas recebam o título de “pastor” sem terem sido ordenadas. Porém, se a análise acima estiver correta, então ser um “pastor” da forma correta (ou diácono) é ser “ordenado” no sentido de ser designado publicamente para esse ofício. A ideia de separar o título do ato público de comissionamento não é achada na Bíblia. Presbíteros não são eleitos para um ofício depois de se tornarem presbíteros. Mas ao se tornarem presbíteros, eles são eleitos para o ofício.

Assim, ser eleito para o ofício de presbítero implica que um homem possui as qualificações bíblicas, tem sido chamado por Deus, tem sido aprovado pela congregação e consequentemente tem sido reconhecido publicamente como aquele que possui o ofício. Não necessariamente implica que ele trabalha de tempo integral para a igreja ou foi para o seminário. Em vez disso, significa que Deus tem chamado e dotado uma pessoa para a liderança humilde da igreja. Também é sem precedente bíblico chamar alguns líderes da igreja de “pastores” antes da ordenação e então “reverendo” ou “ministro” depois da ordenação.

Informações adicionais/notas

Presbíteros deveriam ser “ordenados” se pela ordenação nós simplesmente queremos dizer reconhecimento público de alguém para um ofício e ministério particular. Talvez um termo mais apropriado e bíblico seria “eleição” ou “comissão”. A eleição para um ministério era geralmente acompanhada por oração, jejum e imposição de mãos. Esses atos públicos atraem a atenção para a seriedade e importância da eleição. Ademais, presbíteros deveriam ser eleitos tão logo quanto assumissem seus ofícios.

  • #1 Portanto, é improvável que o verbo signifique “ser eleito pelo voto popular”. Veja J. M. Ross, “The Appointment of Presbyters in Acts xiv. 23,” Expository Times 63 (1951): 288–89; Strauch, Biblical Eldership, 137–39.
  • #2 Para um uso similar, veja Philo, De Specialibus Legibus 1.14.78.
  • #3 Mais tarde, Paulo indica que o dom foi dado a Timóteo através da imposição das suas mãos, o que provavelmente indica que Paulo estava distante do conselho de presbíteros mencionado em 1 Timóteo 4:14.
  • #4 A imposição de mãos também é encontrada em conexão com aqueles que recebiam o Espírito (Atos 8:17, 19; 19:6) e aqueles que recebiam cura (Atos 9:12, 17; 28:8).
  • #5 Banks, por exemplo, escreve: ”Ordenação, como conhecemos, não aparece simplesmente nas epístolas paulinas” (R. Banks, “Church Order and Government”, in Dictionary of Paul and His Letters, eds. Gerald F. Hawthorne, Ralph P. Martin, and Daniel G. Reid [Downers Grove, IL: InterVarsity, 1993], 135).
  • #6 Grudem, Systematic Theology, 925.
  • #7 Strauch, Biblical Eldership, 285.

Por Benjamim Merkle, Traduzido por Matheus Fernandes. Extraído do portal Púlpito Cristão, via Voltemos ao evangelho.

ordenação ministerial

Anúncios

3 anos de uma nova vida na presença do Senhor

Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2016, Newsletter, Feed, Santuário da Família, Igreja, Pastor, Francisco da Silva,

Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo
2 Coríntios 5:17

Se há um mês que curto muito, esse é o mês de fevereiro! Grandes coisas acontecem e aconteceram comigo nesse período. Geralmente é quando o país volta ao trabalho, após as festividades de fim de ano e as férias. Comemoro grandes realizações em fevereiro, como a volta às aulas/estudos, o meu nascimento/aniversário, meu atual emprego, férias iés :), só não é o mês que comemoro o meu casamento, pois veio acontecer lá em outubro, mas é o mês que nasci novamente, e nasci para uma vida em Cristo.

No 24 de fevereiro, é uma data muito marcante, um grande e importante dia para minha vida, pois é a data quem que aceitei a Jesus Cristo  como meu único e suficiente Senhor e Salvador. Sei que fiz uma excelente escolha e não arrependo nenhum pouco disso. Estou convicto dessa valorosa decisão.

Nesse memorável dia, foi meio triste o dia, posso até comentar sobre isso numa outra oportunidade, mas quando chegou à noite, fui, a convite de minha amada esposa, Rose, ao qual muito amo e admiro, para o culto no templo da igreja Santuário da Família de Ilhota, lugar onde congrego desde então. Não me lembro daquela pregação, da palavra que foi pregada, mas sei que foi impactante pra mim. O Pastor Marcos Sabino era quem pregava naquela noite de domingo e continua sendo o pastor lá na igreja, onde auxilia dos trabalhos pastorais do ministério ao lado do Pastor Francisco da Silva, pastor presidente que está na foto comigo. O Pastor Marquinho é um grande amigo que esteve presente também em importantes momentos da nossa vida, como o pastor que celebrou o meu casamento, mas nessa mesma igreja (coincidência? Isso é plano de Deus). Nesse dia ainda, outro irmão se reconciliou com Cristo e lá estamos juntos louvando ao Senhor até hoje.

A Ele confessei os meus pecados e entreguei a minha vida. Arrependo daquela vida pecaminosa, triste e sofrida que passei até então. Não quero mais viver aquele mundo. Sou grato a Ti, Senhor, por tudo que Tu fez e está fazendo em minha vida, pelas graças alcançadas, pelas vitórias recebidas, pelos livramentos, bênçãos, tudo mesmo. Sei que somos novo na fé e temos muito que aprender. Seu caminho é estreito e pretendo seguir adiante por ele, até o fim. Peço ao Espírito Santo que nos dê discernimento e sabedoria. Sei que nosso ministério ainda não começou, estamos aguardando pelo chamado e quando vier estaremos prontos, apto e capacitado para pregar as boa novas de Nosso Senhor a todos em qualquer lugar e circunstâncias. A Ti entrego minha alegria e felicidade.

Aproveito para agradecer também aos amigos que estão comigo nesta nova fase e aos velhos também, que não desfizeram a nossa amizade movida por essa decisão. Aos irmãos em Cristo, aos pastores de nossa igreja, os parentes e familiares, colegas de trabalho, ao meu chefe, seguidores em nossas redes sociais, a todos, obrigado por tudo. Por vocês oramos sempre!

O tempo está em Tuas mãos. ‪#‎Amém!

😀

Quinto culto da campanha de Libertação do Santuário da Família de Ilhota

Nesta quarta-feira, dois de setembro, mais uma noite de grande adoração ao Deus pai altíssimo. O culto na templo da igreja Santuário da Família de Ilhota foi o quinto culto da Campanha de Libertação promovida pelo santuário, com o tema “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres” (João, 8:36).

A abertura do culto foi de responsabilidade da irmã obreira da casa do Senhor Katiane e leu o livro de Deuteronômio, 32:1-4. Assim descreve a santa escritura:

Inclinai os ouvidos, ó céus, e falarei; e ouça a terra as palavras da minha boca. Goteje a minha doutrina como a chuva, destile o meu dito como o orvalho, como chuvisco sobre a erva e como gotas de água sobre a relva. Porque apregoarei o nome do Senhor; dai grandeza a nosso Deus. Ele é a Rocha cuja obra é perfeita, porque todos os seus caminhos juízo são; Deus é a verdade, e não há nele injustiça; justo e reto é.

A ministração do louvor foi orquestrado pela irmão Priscila Sabino.

A oferta foi dirigida pela irmã Raquel Lana, que neste dia, a igreja comemorou o seu aniversário e de-lhe de presente, um livro. A leitura bíblica da oferta foi do livro de Malaquias, 3:10:

Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança.

 A irmã Lucineide foi quem louvou a Deus com um maravilhoso hino ao Senhor.

A pregação do culto foi promovido pelo Pastor Marcelo Domeneghetti, de Camboriú que anunciou o evangelho de Cristo a igreja, descrito no livro de Lucas, 15:3;8-9.  Domeneghetti resumiu que o capítulo 15 do livro do evangelista Lucas como o capítulo das coisas perdidas e o capítulo das restaurações, onde há apenas uma parábola com três verdades. A palavra de Deus, pregado pelo preletor, nos diz:

E ele lhes propôs esta parábola, dizendo:
(…)
Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? E, achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida.

A Deus entrego este post com objetivo em divulgar a obra de minha igreja. Louvado seja Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Amém!

😀

Um propósito com Deus em orar

Oração com propósito, dcvitti, Santuário da Família, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2015, Newsletter, Feed

Hoje (31/08) termina mais um mês e durante todo o mês de agosto eu fui o encarregado pela oração em minha igreja Santuário da Família de Ilhota, onde congrego há 2,5 anos. Durante a oração, dobramos os nossos joelhos todas as terça-feiras na companhia de outros irmãos para interceder num só propósito com Deus em orar. Meu objetivo foi que junto destes irmãos de trazer (em oração) pessoas em que muito amamos, mas que ainda, não serviam ao Nosso Senhor, afim que Ele restaure o nosso altar, nosso templo, pois somos morada do Espírito Santo. Orei pela minha mãe Catarina, irmã Josiane e amigo Altair.

Esta foi a segunda vez que fui encarregado da oração. Pra quem nunca orava, sem convocado/convidado pelos anjos da igreja a orar, sem dúvida, é um imensa graça. Os meus pastores, agradeço pela oportunidade.

😀

Por determinação da justiça, pastor é voluntário, não empregado!

Igreja do Santuário da Família, Santuário da Família, Igreja, Pastor, Marcos Sabino, #DialisonCleberVitti, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2015, Newsletter, Feed

O trabalho desenvolvido por religiosos não constitui vínculo de emprego, tendo em vista a própria natureza voluntária da atividade sacerdotal.

Nos termos da legislação trabalhista, atividades desenvolvidas por padres, pastores e afins não constituem vínculo de emprego com as respectivas instituições religiosas, tendo em vista a própria natureza comunitária e acentuadamente voluntária da atividade sacerdotal.

Um pastor evangélico não conseguiu ter o vínculo empregatício reconhecido. A 8ª Turma do TRT2 entendeu que a pessoa que exerce a atividade de pastor não desenvolve vínculo de emprego com a igreja.

Em seu pedido inicial, o evangélico afirmou que foi admitido na função de pastor em 1997, sendo injustamente dispensado 10 anos depois, quando recebia a quantia mensal de R$2.368,08. Informou que realizava diversas atividades religiosas, bem como celebração de cultos diários, ceias, batismos, cerimônias, programas de rádio, obras sociais em prol da igreja e arrecadação de contribuições, além de outras relacionadas à administração e conservação do templo.

A Igreja foi condenada em 1ª instância, mas recorreu da decisão, alegando que a relação com o pastor decorria de fé e vocação espiritual. Sustentou que, em 1997, o autor sentiu o chamado de Deus, abraçando por definitivo a vontade de se tornar uma pessoa dedicada à vida religiosa, de forma livre e espontânea.

Segundo o relator do recurso interposto pela igreja, desembargador Alberto Fortes Gil, aquele que exerce atividade de pastor – difundindo os ensinamentos religiosos, pregando e auxiliando os fiéis, por vocação e pela fé – não é considerado empregado nos termos da legislação trabalhista, por ausência dos elementos que caracterizam a relação de emprego.

Um desses elementos é a subordinação jurídica, não observada no caso concreto, pois o pastor estava submetido a um eclesiástico superior em obediência à hierarquia e às regras internas da instituição religiosa.

Também estava ausente o requisito da onerosidade, visto que a ajuda de custo recebida pelo religioso não se confunde com um salário. Para o magistrado, é perfeitamente natural o recebimento de uma ajuda financeira por quem se dedica integralmente à atividade religiosa, exatamente para viabilizar a sua subsistência e a de sua família. Não havia, ainda, a pessoalidade na prestação dos serviços, pois, caso o pastor precisasse se ausentar nos cultos, outro pastor ou colaborador era chamado para realizá-los, sem que houvesse qualquer advertência ou desconto na ajuda de custo concedida aos religiosos.

“A jurisprudência também tem entendido que as atividades desenvolvidas por padres, pastores e afins não constituem vínculo de emprego com as respectivas instituições religiosas, tendo em vista a própria natureza comunitária e acentuadamente voluntária da atividade sacerdotal”, finalizou o relator. Por esses motivos, a 8ª Turma do TRT2 indeferiu o pedido de vínculo empregatício do pastor e, consequentemente, das verbas trabalhistas, como horas extras, férias, 13º salário, FGTS, aviso prévio e seguro desemprego, entre outras.

Nº do processo: 0143800-88.2008.5.01.0055 – RO

Fonte: Site Pão e Vinho por Rodney Silva: “Pastor evangélico não obtém vínculo empregatício com igreja”. Jornal da Ordem. 19 Setembro, 2011.

😀

5º Congresso Infantil Ovelinha de Jesus

5º Congresso do Ministério Infantil Ovelhinhas de Jesus da igreja Santuário da Família 2014, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2014, Newsletter, Feed

O ministério infantil Ovelhinha de Jesus, prepara-se para o seu quinto congresso. O grupo pertencente a igreja Santuário da Família de Ilhota e organiza o evento que irá acontecer neste final de semana, sábado e domingo, dias 13 e 14 de setembro. A igreja, fica situado na Avenida José Izidro Vieira, 55, no bairro Vila Nova, cidade de Ilhota (ver o mapa no Google Maps neste link).

Sob a liderança da professora Rose que está a frente do ministério a muito tempo, esse congresso promete abalar a estrutura espiritual da igreja, momento de conversão e oportunidade em conquistar mais almas pra Jesus. Alguns pais estão voltado pra igreja e louvando ao Nosso Senhor. Muitas coisas aconteceram dificultado a realização do congresso, mas com persistência, confiando cada vez mais em Jesus Cristo, tudo o que foi levantado, caiu. Minha esposa orou, dobrou o joelho e tudo deu certo. Certamente, o esse é o mais importante ministério da igreja de Nosso Senhor.

Com o tema “Soldadinho de Cristo. Vai e o Senhor seja contigo” as crianças estão se preparando para marchar e lutar a favor da família e do Nosso Deus Pai altíssimo, invocando sempre Jesus Cristo em nossas atividades. As professoras dos ministério preparam o uniforme e toda temática deste congresso e certamente será marcante esses dias de culto ao Senhor.

E, olhando o filisteu, e vendo a Davi, o desprezou, porquanto era moço, ruivo, e de gentil aspecto. Disse, pois, o filisteu a Davi: Sou eu algum cão, para tu vires a mim com paus? E o filisteu pelos seus deuses amaldiçoou a Davi. Disse mais o filisteu a Davi: Vem a mim, e darei a tua carne às aves do céu e às bestas do campo. Davi, porém, disse ao filisteu: Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu venho a ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado.
1 Samuel 17:42-45

Aproveitando a situação, o grupo está se organizando também na internet. Esse quinto congresso terá como encaminhamento e inserção do grupo nas mídias. Site, blog, Twitter, Instagram, página no Facebook e perfil no Google+ já foram criados e logo estarão no ar além do canal no YouTube. Daqui pra frente será mais fácil atualizar as novidades das ovelhinhas e de anunciar a boa nova de nosso Senhor. Fiquem atentos, pois eu irei gerenciar essas redes, para honra e glória de meu salvador.

Participe deste abençoado congresso e aceite Jesus Cristo como seu único e exclusivo salvador. Amém!

😀

A Santa Ceia do Senhor

Santa Ceia do Senhor, Dialison Cleber Vitti, Dialison Cleber, Dialison Vitti, Dialison, Cleber Vitti, Vitti, #DialisonCleberVitti, @dcvitti, dcvitti, #blogdodcvitti, Ilhota, 2014, Newsletter, Feed

Por que é importante participar da Santa Ceia?

A Santa Ceia é uma ordenança do próprio Cristo para a Igreja, de modo que é bastante mencionada no Novo Testamento. É um memorial instituído por Ele afim de lembrarmos o Seu sacrifício na cruz em prol do perdão dos nossos pecados, para que pudéssemos desfrutar da vida eterna ao lado do Pai.

Acesse esse link e veja as palavras de Jesus ao celebrar a Santa Ceia.

Em 1 Coríntios 11:23-28 todos oram antes de ceia. Segue o versículo escrito pelo apostolo Paulo:

Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha. Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice.

1 Coríntios 11:23-28

Antes de ceiarmos, o povo de Deus canta o louvor, pelo menos em minha igreja, “A Mensagem da Cruz” ou Rude Cruz, hino 291 da harpa cristã.

Por fim, uma vídeo em que o Pastor Silas Malafaia fala sobre a Santa Ceia. Confira:

😀

Santuário da Família promove o segundo Aviva Ilhota

Segundo Aviva Ilhota na igreja Santuário da Família de Ilhota

Venha se aventurar  no mais profundo amor de Deus!

Pastor Isac EtniA igreja evangélica Santuário da Família de Ilhota, templo abençoado por Nosso Senhor Jesus Cristo e lugar onde congrego, promoverá neste final de semana, dias 26 e 27 de julho, o segundo congresso Aviva Ilhota, a ser ministrado pelo conferencista e Pastor Isac Etni, da cidade de Araraquara/SP. No link, você poderá conhecer o perfil do pastor no Facebook e caso queria segui-lo no Twitter, esse é o caminho @PastorIsacEtni.

Serão dois dias de muitas bençãos onde promoveremos um grande clamor a Deus, para que possamos ganhar muitas almas para Nosso Senhor, tornar Ilhota pra Jesus e muitos irmãos possam ser batizadas pelo Espírito Santo. Nestes grandes dias, sua vida será mudada por completo, assim como eu fui, pelo poder de Deus.

Portanto, convidamos você e sua família a participarem desta grande festa em louvor, adoração ao nosso Senhor Jesus Cristo. Compartilhem e marquem sua presença!

Avivamento

Deus espera poder em nos dar um avivamento. Em Isaías 33.9-10 está escrito a respeito desse assunto: “A terra geme e desfalece; o Líbano se envergonha e se murcha; Sarom se torna como um deserto, Basã e Carmelo são despidos de suas folhas. Agora me levantarei, diz o Senhor; levantar-me-ei a mim mesmo, agora serei exaltado.” Deus falou isso a Israel naquela época. Em Jesus Cristo e através de Jesus Cristo Ele diz as mesmas coisas para nós hoje. Deus, quando diz: “Agora me levantarei, diz o Senhor; levantar-me-ei a mim mesmo, agora serei exaltado”, o faz porque a terra estava “gemendo e desfalecendo”. E com isso Ele quer expressar exatamente o que está escrito também em Isaías 44.3: “Porque derramarei água sobre o sedento, e torrentes sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade, e a minha bênção sobre os teus descendentes.” E é exatamente isso que Deus quer dar a uma terra que, a Seus olhos, está “gemendo e desfalecendo”. Naturalmente essa promessa vale em primeiro lugar para Israel, mas fico tão feliz porque posso ter a certeza de que o Senhor dirige essas palavras também a nós atualmente.

Para alcançarmos um avivamento real, certas condições precisam estar presentes em nossas vidas. Mas existe uma outra coisa que não devemos esquecer quando falamos de despertamento: a oração. Temos de orar por um despertamento! A seguir, não quero falar das razões para implorarmos por avivamento. Pretendo mostrar, com alguns exemplos bíblicos, que a oração por avivamento está plenamente de acordo com a Bíblia. Pensemos em Asafe, que no Salmo 80 orou três vezes: “Restaura-nos, ó Senhor Deus dos Exércitos, faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos” (v. 19, comp. também os vv. 3 e 7). Naturalmente aqui, dentro do contexto, trata-se de uma vivificação exterior. Mas quando se conhece a história bíblica de Israel mais ou menos profundamente, então se sabe que uma vivificação, uma restauração exterior sempre antecedia um avivamento interior. Por isso, quando Israel orava por nova vida, isso era também um clamor por nova vida espiritual, por renovação interior.

Santuário da Família

A Igreja Santuário da Família é uma instituição religiosa que tem por principal objetivo a evangelização, visando a Salvação e Regeneração do ser humano, promovendo o Reino de Deus em suas vidas e famílias, usando para tanto, todas as formas lícitas mediante as Escrituras (1Co.9:19-23). Esta instituição religiosa, através de sua convenção, ordena, integra e orienta Igrejas locais, as quais são compostas pela união de cristãos fiéis, regenerados e batizados, que se congregam e trabalham para a promoção do Reino de Deus em sua localidade e através da obra missionária, fundamentando-se na Bíblia Sagrada para todas as suas ações, desse modo caracterizando igrejas de profissão genuinamente evangélica.

YouTube

Confira alguns vídeos do Pastor Isac Etni na rede. Assista!

Clique na carrinha abaixo e confira a notícia do primeiro congresso

😀

Mensagem do Pastor Rafael Bello em missão ao Santuário da Família de Ilhota

Um sucesso! O primeiro congresso de avivamento o “Aviva Ilhota” realizado nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro no Santuário da Família de Ilhota foi um dos eventos marcantes para o ministério na cidade e certamente entrou pra nossa história.

Neste vídeo, tive a honra e colher o depoimento do Pastor Rafael Bello que foi o mensageiro de Nosso Senhor e ministrou a palavra. Assista a mensagem do Pastor carioca colhido na noite após o último culto na cidade. Um grande homem ungido e abençoado por Deus. Muitas vitórias nestas noites e almas libertas.

Em tempo, tenho que agradecer a todos os irmãos da minha igreja que colaboraram para realização deste congresso em especial ao irmão Evangelista Moises Silva que apresentou o Pastor Rafael através dos vídeos no youtube. Cometi um pecado e quero aqui me retratar. Duvidei dos sonhos do irmão Moises que em nossas conversas via inbox no Facebook, me relatava que um dia traria o Pastor Rafael Bello a Ilhota. E nosso evangelista, homem que prospera muito em sua vida e usa a irradiante luz do Espírito Santo em seus sonhos, cumpriu com o prometido. Estas postagem serve de lição a todos que acreditam no sonho. Crê em Nosso Senhor Jesus Cristo e tudo será realizado.

Ah! Se você estiver procurando pelas fotos, logo eu publicarei na fanpage do blog no facebook ou quem sabe em nosso canal do Flickr.

Paz do Senhor Jesus Cristo a todos!

Santuário da Família de Ilhota promove o Aviva Ilhota com Pastor Rafael Bello

Aviva Ilhota com Pastor Rafael Bello no Santuário da Família de Ilhota

A Igreja Santuário da Família de Ilhota promoverá o primeiro Aviva Ilhota, um congresso de avivamento repleto de bênçãos e vitórias com a participação do Pastor Rafael Bello do Rio de Janeiro. O evento acontecerá nos dias 30/11 e 1/12 na sede do Santuário em Ilhota.

Nestes grandes dias, sua vida será mudada pelo poder de Deus. Com o tema “Como permanecer cheio do Espirito em meio a uma geração que se esqueceu de Deus” o Pastor Rafael Bello resgatará vidas através da palavra.

Portanto, convidamos você e sua família a participarem desta grande festa em louvor, adoração ao nosso Senhor Jesus Cristo. Compartilhem e marquem sua presença!

Santuário da Família

A Igreja Santuário da Família é uma instituição religiosa que tem por principal objetivo a evangelização, visando a Salvação e Regeneração do ser humano, promovendo o Reino de Deus em suas vidas e famílias, usando para tanto, todas as formas lícitas mediante as Escrituras (1Co.9:19-23).

Esta instituição religiosa, através de sua convenção, ordena, integra e orienta Igrejas locais, as quais são compostas pela união de Cristãos fiéis, regenerados e batizados, que se congregam e trabalham para a promoção do Reino de Deus em sua localidade e através da obra missionária, fundamentando-se na Bíblia Sagrada para todas as suas ações, desse modo caracterizando igrejas de profissão genuinamente evangélica.