Saúde de Ilhota em crise

Vereador Rogério do PT

Em momentos de crise, precisamos de muita serenidade para saber lidar com as situações adversas. Em Ilhota, nossa querida cidade, tem muito para ser feito em todas as áreas. A saúde por exemplo, é um setor da administração pública que sempre terá coisas pra fazer. A doença não pede licença.

Para diminuir os problemas, investir na saúde preventiva é um dos caminhos.

Embora sabendo que os recursos nem sempre são o suficiente para atender toda demanda, faz-se necessário uma análise criteriosa na distribuição dos mesmos. Não é coerente economizar na saúde pra investir em outras áreas, isso é o mesmo que deixar de atender. Vale lembrar que os homens e mulheres que são escolhidos para os serviços públicos municipais, principalmente em áreas como a saúde, em sua maioria sabem que são recrutados para uma jornada árdua, onde o retorno nem sempre é rentável e seguro.

Muitas vezes o que os agentes públicos precisam e buscam é o reconhecimento em caso de sucesso e liderança em caso de adversidade, mas jamais desesperança e descontrole. O dirigente que se coloca a frente de um país, estado ou município, precisa ter sempre como objetivo o bem estar das pessoas e jamais a sua própria imagem.

A imagem de um administrador vem com o resultado do seu trabalho.

Artigo postado no perfil do Vereador Rogério do PT no Facebook.

Anúncios

Vice-prefeito Joel é o novo secretário de saúde de Ilhota

Portaria 142018 - Nomeação de Joel Soares para Secretário de Saúde

Agora vai! Agora é pra valer.

Depois do trágico uso do mensageiro de texto/áudio/vídeo WhatsApp, em que uma conversa do prefeito a um servidor da Prefeitura, seu cargo de confiança em pleno horário de trabalho, ter sido enviado por engano no grupo dos capas do emedebê e ter viralizado na rede, prefeito cumpriu com o prometido e exonerou a secretária de saúde. no dia 5 desse mês. Você poderá entender melhor acessando este link!

Mas a pasta não ficou vaga por muito tempo. Dois dias depois, o vice-prefeito Joel José Soares irá responder pela Secretaria Municipal da Saúde. A portaria (que deveria ser um decreto) Nº 14/2018, datado em 7 de fevereiro, publicado Diário Oficial dos Municípios ontem (8/2/2018), confirma o que a rádio pião e as imensas notificações do ZapZap vinha alertando. Será o Joel! E pior que foi mesmo.

Houve muita especulação de quem seria o nome. Comentei num outro post, que a boca miúda, daria a entender que o pretendente seria ex-secretário da pasta e ex-vereador Lavino, ou mais um apadrinhado político de Luiz Alves. Também especulou-se alguém de Balneário Camboriú. Na Pedra de Amolar correu o boato que poderia ser até o Keka, candidato a prefeito derrotada na última eleição. Só que não! O Dida botou o Joel mesmo pra felicidade dos republicanos ilhotenses.

O que tenho a dizer disso tudo? Nada! Cada um está em uso de seus juízos e sabe o que é melhor pra sim, mas para os outros e pra coletividade, ai já não sei. Mas eu acho que o Joel pegou um baita pepino pra descascar e um abacaxi gigante. Se a saúde estava tão mal assim, isso poder manchar a imagem do bom menino que o vice tem. Até agora ele não teve nada que desabonasse sua imagem de político. Estava longe do furdunço, não se envolveu em treta, não tinha nada. Agora na saúde, o buraco é mais embaixo e vai ter muita unha pra roer. Todo mundo sabe como anda a saúde no estado. Não precisamos desenhar nada. Vai ter muito serviço pela frente. Só quero ver. Mas sou humilde e reconheço valores. Desejo boa sorte.

Fiz um post no Facebook comentando sobre a exoneração da antiga secretária de saúde. Olha só o que esse cidadão comentou:

Comentário de Maurício Juttel

Mas o que entendi, ouvindo alguns por ai, é que a indicação do Joel para pasta é transitório até o rei encontrar outro definitivo para o lugar de secretário. Não sei, vamos aguardar pra ver.

Depois do racha do emedebê, abriu mais uma secretaria pra negociar com os descontentes das outras agremiações. Uma força já negou, outros estão construindo o super PP.

Acho que o Dida vai ficar sozinho, #SóAcho!

Com alegria,
#DialisonCleberVitti

Prefeito Dida exonera secretária de saúde, sua maior apoiadora nas eleições

Portaria 11/2018 da Prefeitura de Ilhota sobre a exoneração de Jocelene da Silveira

Esse é o Dida sendo o Dida. Eu já sabia que isso iria acontecer, cedo ou tarde, mas nunca imaginei que iria demorar tanto. Por isso não o apoiei em sua campanha eleitoral, não votei nele e saí bem antes, quando soube que ele seria o candidato. Tentei avisar, ninguém ouviu e fui zombado.

Dida cumpriu com o prometido. Não o de campanha, mas a sua em particular. Enquanto desfrutava de suas férias, deu a ordem via ZapZap e logo, ao retornar, exonerou seu maior expoente durante a sua campanha eleitoral que resultou na vitória, Jocelene da Silveira, esposa do popular Dr. Lucas. A Portaria 11/2018, foi assinado em 5 de fevereiro e publicado hoje no Diário Oficial dos Municípios. Junto com a secretária, outros duas servidoras em regime de comissão também foram exoneradas.  Cheila Carla Darossi, do cargo de Diretor de Departamento e Jaqueline Aparecida Ferreti, do cargo de Chefe de Divisão.

Os áudios que o prefeito Dida enviou por engano a outros destinatários no final da semana passada, deu o que falar e falou bonito. Reza uma lenda da The Zueira Never Ends quem não sabe escrever, envia áudio. Também, quando os tiozinhos, as pessoas leigas usam a internet sem saber como funciona, dá nisso.

Depois de ter aprontado todo furdunço no ZapZap, ele publicou uma nota justificando o ocorrido, que foi postado aqui neste blog (leia a carta acessando este link). Em resumo ele dize, segundo a nota, que para quem em insiste em atacar o seu governo, os resultados estão aí para quem quiser ver. Como um clássico carrasco medial e utilizando-se de um terrível golpe de um machado super afiando, cortou a cabeça dos seus “pseudos” traidores. O prefeito começou a mudar e foi logo pela saúde, que estava de mal a pior. Cortou a cabeça da atual secretária Jocelene e membros de sua equipe.

Não vou e nem quero comemorar a desgraça alheia, pois isso vai contra minha conduta que deveria ser um princípio compartilhado por todos, mas postarei minha opinião. Nada a favor da coisa, nem muito menos contra. Cada um sabe o que faz e estão todos em pleno uso de seus juízos.

Nas entrelinhas dos bastidores da política é assim que a coisa funciona, cheio de altos e baixos, perseguições, trairagens, cinismos e todos os adjetivos propício para aqueles que deslumbram o poder. Na política, quem está com a razão é sempre o mais forte. Nem sempre é assim, nesta ordem, pois o mais fraco, do outro lado, é quem geralmente paga o pato, por não ter força para encarar o enfrentamento, perde e cai no esquecimento.

Agora, a pasta da saúde está vaga. A boca miúda, a rádio peão que circula na cidade dão por conta que o prefeito pretende contratar o ex-secretário Lavino ou mais um apadrinhado político de Luiz Alves. Há quem diga que poderá ser mais um do ex-prefeito Periquito de Balneário Camboriú, que perdeu a disputa lá e migraram pra Zióta. O banco de aposta está aberta.

Por fim, quero crer que essa portaria seja mais uma das coincidências da vida. A portaria que exonerou uma das emedebista mais fervorosas do 15, é a de número 11.

Carta de renúncia de Ademar Felisky da função de delegado do Diretório do MDB de Ilhota

Carta de renúncia de Ademar Felisky da função de delegado do Diretório do MDB de Ilhota

É minha gente, o ZapZap tá dano o que falar. Ele foi feito para escrever, mas como nem todo mundo sabe escrever, envia áudio e dá no que deu.

Essa é a carta de renúncia do ex-prefeito Ademar Felisky da função de delegado do Diretório do emedebê de Ilhota. Para colaborar com as notícias dos tabloides da região, o povo da oposição estão mexendo os seus os pauzinhos e conseguem se infiltrarem nos grupos adversários.

Na coluna Pimenta, do Jornal Metas, o editor descreve a situação do caso do ex-prefeito Ademar Felisky comentando a respeito de sua carta de renuncia da função ao qual foi  já pegou eleito.

Ademar entregou um requerimento onde comunica a sua renúncia da função de delegado do Diretório do MDB de Ilhota. A decisão foi tomada depois dele ouvir o áudio do prefeito Dida que todo mundo ouviu (logo irei criar um podcast e publicar esses áudios). Segundo a coluna Pimenta, Ademar nunca escondeu sua simpatia pelo Dr. Lucas como candidato a prefeito nas últimas eleições, porém, foi voto vencido, e acabou trabalhando pela eleição de Dida. Também deve estar se sentindo parte da “Turma do Lucas”, como mencionou Dida no áudio.

Sabe o que tenho a dizer disso tudo? Nada! Apenas observo. Eles que são ilhotenses que se entendam. Se alguém quiser me contratar para assessoramento de comunicação social e marketing, me chama no inbox. Um salve a todos e fiquem com  as bênçãos de Deus!

Aos meus amigos de Ilhota – Carta do Dr. Lucas

Dr. Lucas Gonçalves do PMDB

Frente aos recentes acontecimentos, venho aqui me manifestar e dar a minha versão frente ao áudio do prefeito que circula na cidade.

Desde a eleição para prefeito que fui derrotado nas urnas, meu discurso sempre foi de não mais me candidatar a cargo político, mas procurado pelo então amigo Dida, me senti na obrigação e até para retribuir o carinho que recebi do MDB de Ilhota, de apoiá-lo na última eleição, em que ele saiu vitorioso com uma margem expressiva de votos, nunca visto na história de ilhota.

Friso aqui e desafio a qualquer um a dizer o contrário, que NUNCA pedi nada para apoiar o Dida, sempre foi ele que pedia para que eu ficasse à frente da saúde, e eu então indiquei minha esposa que é enfermeira de formação e com experiência em gestão de saúde e SUS.

Me surpreende, e muito, que ele insistisse tanto para que ficássemos a frente da saúde e agora venho descobrir pelas suas próprias palavras que ele pressionava minha esposa para que ela saísse.

Isso para mim além de ser uma traição sem medida, me transparece mais um ato de covardia, mas para que? Nunca fui ameaça para seu futuro político, não vou me colocar em uma nova disputa política, minha esposa também não, então para que tudo isso?

Isso só ele mesmo pode responder, mas que não seja leviano de levantar falsas acusações sem provas, pois aí o processo deixa de ser corriqueiro e vamos até às últimas consequências…

Não desejo o mal do Dida e de sua administração, apesar dos seus rampantes de insanidade em determinadas situações, ele tem a chance de ser o melhor prefeito de Ilhota, de se reeleger e perpetuar sua ideologia por muitos anos, mas como pessoa o Dida morreu, querer destruir quem só o ajudou e nunca pediu nada troca, e o mesmo que cortar a mão de quem sempre só o alimentou.

Me afasto definitivamente e de forma irrevogável da política e da administração de ilhota, mas permanecerei ilhotense de corpo e alma.

Publicado no perfil de Lucas Gonçalves em 2 de fevereiro de 2018. Logo em seguida o perfil saiu fora do ar.

Não podemos deixar que colham os frutos de tudo que plantamos – Política Nacional de Medicamentos

Política Nacional de Medicamentos

Nossa amiga Elizabeth Nunes, farmacêutica e responsável pela farmácia básica do município produziu mais um artigo e vamos publicar em nosso blog pra levar aos quatros ventos a realidade de nossas políticas públicas gerenciadas por Ademar e Tonho, nesses quase oito anos de administração do PMDB.

A implementação de um novo modelo de assistência farmacêutica básica, pautado no atendimento de necessidades e prioridades locais, é um dos importantes resultados alcançados com a Política Nacional de Medicamentos – PNM, cuja operacionalização teve início no primeiro semestre de 1999. Até abril do corrente ano, 98,5% dos municípios 5.424 foram qualificados a receber os recursos financeiros para o cumprimento das metas estabelecidas para a assistência farmacêutica.

O Ministério da Saúde repassou aos municípios, em recursos financeiros ou em medicamentos via direta ou por intermédio das Secretarias Estaduais um total estimado de R$1,3 bilhão. Tais recursos foram destinados à assistência farmacêutica básica; à aquisição de medicamentos essenciais de saúde mental, de alto custo; e de todos aqueles adquiridos diretamente pelo Ministério para programas estratégicos (Aids, hanseníase, tuberculose etc.).

A PNM, aprovada pela Portaria 3.916/98, tem como propósito garantir a necessária segurança, eficácia e qualidade dos medicamentos, a promoção do uso racional e o acesso da população àqueles considerados essenciais. Envolve diferentes aspectos, entre os quais figuram, por exemplo, aqueles inerentes ao perfil epidemiológico do País, que apresenta doenças típicas de países em desenvolvimento e agravos característicos de países desenvolvidos.

Assim, ao mesmo tempo em que são prevalentes as doenças crônico-degenerativas, aumenta a morbimortalidade decorrente da violência, especialmente dos homicídios e dos acidentes de trânsito. Além disso, emergem e reemergem outras doenças, tais como a cólera, a dengue, a malária, as doenças sexualmente transmissíveis e a Aids. (Rev. Saúde Pública Vol. 34 Nº. 2 São Paulo Apr. 2000)

O que eu quero mostrar com esta matéria publicada pela revista de Saúde Pública no ano de 2000, é que a assistência farmacêutica poderia ter sido instituída no município de Ilhota antes da nossa administração com a implantação da Farmácia Básica como ponto de partida, pois esta assistência não se resume somente na farmácia, mas em várias ações, sendo que a principal é a de promoção do uso racional de medicamentos. Mas, não o fizeram!

Como mostra a matéria acima, os recursos vinham. Com uma Assistência Farmacêutica como nunca houve em Ilhota, educação com IDEB acima da média nacional, saúde com os melhores conceitos da região, cultura e esporte promovendo vários eventos e cursos, administração com várias obras e transporte coletivo.

Querem mudar? Pois mudem. Tirem o Ademar e Tonho e coloquem o Lucas e Vanildo. Não para continuar como está, mas para melhorar o que já é bom. Eu amo essa cidade. Nasci, cresci, casei e criei meus filhos aqui.

Por isso, convoco o povo inteligente de Ilhota para juntos fazermos desta, a melhor cidade para se viver. É 15, é Lucas e Vanildo!

Que Deus abençoe a todos.

Elizabeth Nunes, mulher, mãe, católica, farmacêutica, militante do PMDB e é claro torcedora do Fluminense que está em 1º.

Farmácia básica, uma conquista de todos!

Farmácia básica da Secretaria Municipal de Saúde de Ilhota

“Não podemos deixar que colham os frutos de tudo que plantamos!” É com a citação da compa Elizabeth Nunes, nossa grande amiga farmacêutica e responsável pela farmácia básica do município merece todo nosso respeito e admiração pela prestação do serviço, que resumimos a evolução das políticas públicas do governo de Ademar e Tonho na área da saúde, em especial a Farmácia Básica que são 190 itens básicos disponibilizados a comunidade, incluindo os medicamentos de uso contínuo. Alem disso, 48 itens em psicotrópicos são oferecidos e 225 processos do componente especializado atendidos e mais os processos em andamento.

A Farmácia Básica do município instituída a quase 8 anos, atende em média, 200 pessoas por dia. Somando aos atendimentos das demais Unidades de Saúde nos bairros, são atendidas em torno 4,5 a 5 mil pessoas/mês. Ilhota, segundo dados do IBGE, possui 12.356 habitantes, ou seja, 40% da população utilizam do serviço da secretaria de saúde.

É ou não uma verdade? É ou não uma conquista de todos pra todos? É ou não um benefício ao nosso município. Agora reflitam, será que o candidato do PSD tem corpo técnico pra dar continuidade a essa política? Não, porque eles não irão vencer! Não iludam com a carinha de bonzinho deles e nem do candidato do PSD, pois aquela montureira de partidos o que irá sobra pra saúde e nossa farmácia básica?

Lembramos-nos de como era a saúde quando o outro lado estava na administração ao qual tinha o apoio condicional do candidato Daniel… um verdadeiro caos! Alguém aí se lembra das ambulâncias que transportavam capim (trato, ração de animais) e materiais de construção ao invés de paciente? Cômico, mas isso era a nossa saúde, um verdadeiro desrespeito com a nossa comunidade. Só quem viveu aqueles tempos conhece as barbáries dessa gente!

Não podemos deixar que colham os frutos do que plantamos

Farmácia básica da Secretaria Municipal de Saúde de Ilhota

Ilhota superou a meta estabelecida pelo governo federal no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB. A secretaria de Educação conseguiu ficar 36% acima do percentual estipulado nos anos iniciais do Ensino Fundamental e 10% acima nas séries finais. Uma educação de qualidade requer equipe de diretores e professores comprometidos com ensino-aprendizagem, participação democrática, alunos motivados, famílias participando e acompanhando as atividades escolares de seus filhos.

Representantes do Ministério da Saúde vieram a Ilhota avaliar os serviços prestados pelo Estratégia de Saúde da Família – ESF, antigo Programa Saúde da Família – PSF. Os 11 auditores da instituição analisaram a Equipe 1 referente a Unidade de Saúde do Baú, Equipe 2 da Unidade de Saúde Central e a Equipe 3 da Unidade de Saúde Pedra de Amolar. A avaliação consistia em quatro conceitos: muito satisfatório, satisfatório, regular e insatisfatório. Ilhota recebeu as melhores notas da região, sendo dois satisfatórios e um muito satisfatório.

“Tenho certeza que surpreendemos os auditores. Mesmo sendo uma cidade pequena, mostramos a eles que somos organizados e prezamos pela saúde da nossa população”

A vistoria faz parte do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica, que procura induzir a instituição de processos que ampliem a capacidade das gestões federal, estadual e municipal, além das equipes de Atenção Básica, em ofertar serviços que assegurem maior acesso e qualidade.

Esse artigo foi publicado pela nossa colega Beth Nunes, farmacêutica responsável por toda política da farmácia de nosso município. Nossa saúde é exemplo sim para outras cidades! Com certeza a maioria dos que reclama é da oposição e mesmo assim, são usuários do serviço, que já pegaram remédio e também já foi atendido por um dos profissionais na unidade de saúde e foram atendidos como igual a todos. Nós do PMDB vamos ganhar essa eleição e dar a continuidade a este trabalho. Não vamos permitir que estraguem o que está andando bem, e não vamos aceitar promessas sem plano de governo… quem fala de boca não se compromete!

Farmácia Básica realiza mais de quatro mil atendimentos em maio

 Farmácia básica da Secretaria Municipal de Saúde de Ilhota

Banner da Prefeitura de Ilhota - Assessoria de ImprensaA Farmácia Básica do Centro de Ilhota, juntamente com as unidades de saúde dos bairros, realizou em maio 4802 atendimentos. Com mais de 200 tipos de remédios, a instituição ainda aceita doações. Todas as pessoas que tiverem medicamentos que não estão sendo utilizados em sua casa, devem trazê-lo até a farmácia. “Temos que evitar o desperdício. Muitos cidadãos podem estar precisando destes medicamentos que estão em casa, sem uso. Até mesmo se estiver com a data de validade vencida, é importante que as pessoas tragam até aqui para darmos o destino correto no lixo”, afirmou a farmacêutica Elizabeth Nunes.

Para obter medicamentos da Farmácia Básica é necessário: ser morador de Ilhota, ter Carteira de Saúde no município; ter receita médica ou odontológica, de preferência do SUS; se for medicação de uso contínuo, a receita tem validade para seis meses; a receita de medicamentos controlados tem validade para 30 dias; os antimicrobiano s(antibióticos) serão dispensados de acordo com a RDC 20/2011 e a receita tem validade para 10 dias.

A farmacêutica Elizabeth ressalta que as receitas médicas e odontológicas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) devem adotar, obrigatoriamente, a Denominação Comum Brasileira – DCB (ou seja, o nome genérico, da substância ativa), instituída pela Portaria nº 1.179, de 17 de junho de 1996 da ANVISA – ou, na sua falta, a Denominação Comum Internacional (DCI).

A receita deverá ser emitida em português compreensível e por  extenso, em letra legível, observada a nomenclatura e o sistema de pesos e medidas oficiais, além de conter: nome do paciente;do medicamento; posologia e quantidade a ser dispensada; nome do médico ou odontólogo com o respectivo carimbo contendo o número de registro no CRM-SC ou CRO-SC; endereço residencial do paciente; data e assinatura. “A dispensação deverá ser feita na quantidade determinada na receita. Se for medicamento de uso contínuo, será fornecido a quantidade para o período máximo de 30 dias, sendo a validade da receita a partir da data de prescrição. Será obrigatório, no ato da entrega do medicamento, anotar a quantidade de medicamento fornecida e datar e carimbar a receita”, explica Elizabeth.

A farmácia básica funciona anexa ao Posto de Saúde Central e fornece medicamentos gratuitamente à população, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

Atendimento humanizado na saúde

 Atendimento humanizado na saúde

Jornal IlhotaSeu Augusto dos Santos Luiz, de 52 anos, acordou cedo nesta quarta-feira (22). O motivo? Pegar uma senha na Unidade Central de Saúde. O morador da Ilhotinha foi cedo para evitar filas e ser atendido por primeiro. Ao chegar no posto, teve uma surpresa. Agora, a partir das 3h30, a unidade já está aberta e distribuindo senhas a população. O atendimento médico começa logo depois, às 6h30, prosseguindo até às 19h.

Para o servidor público, o sistema beneficia muito a comunidade. “Deveriam ter feito muito antes. Assim não tem como furar fila ou se sobrepor aos outros. Nossa rede de saúde agora está ainda melhor. Olha, moro há décadas nesta cidade e nunca vi um serviço tão bem feito como atualmente”, conta. O paciente foi atendido às 8h por um clínico geral.

Segundo a idealizadora do projeto, secretária de saúde, Jocelene da Silveira, esta é uma forma de humanizar o atendimento. “Em média, cerca de 1200 pessoas utilizam semanalmente os serviços disponibilizados pela unidade central, fora os atendimentos das agentes do PSF e as visitas domiciliares da equipe médica. Com tamanho número de pacientes, antes acabava ocorrendo desorganização nas filas e ninguém sabia quem era o primeiro. Agora a realidade é outra. O atendimento é mais rápido, não há confusão e dentro do planejamento de atendimento médico, todos são atendidos”. Jocelene ressalta que é muito importante que o usuário chegue cedo a unidade ou encaminhe um representante para tirar a ficha. “Este serviço não será feito nos outros postos, pois não há esta necessidade”.

Outro morador que foi pego de surpresa ao chegar a unidade foi o aposentado Francisco Sebastiano Prim, de 74 anos. Ele chegou às 5h para ser um dos primeiros da fila. O morador do bairro Vila Nova ficou feliz ao ver as portas abertas. “Tem água, café e televisão. O tempo passa rapidinho. Sempre usei os serviços públicos de Ilhota. Moro aqui há 50 anos. E, olha, eu digo, a nossa cidade  não perde em atendimento para nenhum outro município”.