Câmara de Vereadores de Ilhota irá iniciar o processo de transmissão via internet das sessões

Plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Ilhota

Sinceramente, eu não entendi essa Lei. Gratificação para assessor de áudio e vídeo? Como diria o povo joinvillense… Éééguaaa.

Esse projeto é de iniciativa do próprio Poder Legislativo, da Mesa Diretora. O Projeto de Lei Ordinária 01/2018 foi dado entrada no dia 9 de janeiro e deliberado pelo Plenário da Câmara de Vereadores de Ilhota na segunda sessão extraordinária Câmara deste ano, em 5 de fevereiro. Como havia comentado, iniciamos bem os trabalhos legislativos do ano, com sessão extraordinária. Se o projeto passou por alguma comissão, se teve algum parecer jurídico, eu não sei. O que apenas sei, consultando o portal da Câmara de Vereadores de Ilhota, só há o parecer do impacto orçamentário/financeiro e alguns outros anexos, e mais nada. O prefeito, respeitando a decisão do plenário, sancionou no dia 6 de fevereiro.

Entendo que, com essa lei, a Câmara irá transmitir em tempo real as sessões ordinárias, extraordinárias, solenes e audiências públicas.

Como sou um mero mortal e um simples contribuinte, só sei das coisas quando é publicado pelo Diário Oficial dos Municípios e é por lá, oficialmente nesse instrumento, onde eu sei das coisas e emito minha opinião. Graças ao DOM é que nós sabemos das coisas. Os bastidores, as entrelinhas da política, fofoca de homem velho, isso não me interessa, deixamos essa besteirol americano a cargo da rádio pião e rádio corredor. A Lei Ordinária Nº 1903/2018 foi publicado em 8 de fevereiro, ontem.

Cada um faz a lei que entender melhor para o município. É pra isso que elegemos vereador… pra propor leis que irá beneficiar a sociedade no geral, fiscalizar o executivo, discutir, promover debates e votar essas matérias e temos uma assessoria jurídica para emitir os pareceres. Pronto! A partir daí, a democracia representativa está em pleno uso de suas atribuições do estado de direito e exercendo sua função. Mas em minha modesta opinião, se alguém nos consultasse, a respeito dessa lei, eu diria ou aconselharia a criar um novo cargo para administrar todo esse processo. E qual seria esse cargo??? Eu vos apresento… o assessor de imprensa!

Não necessariamente poderia ser um jornalista graduado, formado na Univali, o bom seria, mas uma pessoa que entendesse bem da coisa e fosse linkado com o universo da crossmedia. Esse carinha ou mina da comunicação teria a função de não somente ligar o botão da webcam, dar o play e transmitir as sessões para internet e controlar a mesa de som, mas produzir conteúdo, releases, informações. Além de gerenciar uma conta no YouTube, Facebook, Twitter e Instagram, iria aproximar de fato a comunidade com os vereadores já que é a casa do povo e toda informação, claro, é sempre bem vinda.

Somos carentes de notícias. Ilhota é pobre de conhecimento. As únicas informações que temos hoje da Câmara de Vereadores do município são os atos publicados no portal do legislativo, por que se não fossem obrigatórios, as pautas, atas, tramitações de projetos de leis e otras coisitaas más, nem isso saberíamos, nada seria publicado, mas como é imprescindível, isso dá um trabalho…

Contrata um jornalista aí, presidente! Isso irá fazer bem para todos. Vereador Rogério bem sabe disso. Dinheiro pra isso temos, até porque, foram devolvidos mais de R$ 300 mil pra Prefeitura de Ilhota ano passado.

Se não impulsionar as transmissões e divulgar as coisas deliberadas pela Câmara, serão 800 conto jogado fora. Não estão pensado e esperando que será comunidade que irá fazer isso, né? Vai me dizer que estão? De graça? #SQN

Com alegria,
#DialisonCleberVitti

Vereador Rogério do PT na tribuna da Câmara de Vereadores

Anúncios

Câmara fará sessão itinerante no Alto Baú

A segunda sessão ordinária do ano reuniu sete vereadores e foi presidida pelo vereador Rogênio Luiz (PSDB), mais conhecido como Deno.

Jornal IlhotaUm requerimento do vereador Roberto Prebianca (PP), aprovado na sessão desta quarta-feira (22), autorizou a Câmara de Vereadores de Ilhota a realizar uma sessão itinerante no Alto Baú num prazo de 45 dias. De acordo com o parlamentar, o mesmo pedido foi feito no ano passado. “No entanto, a mesa diretora não realizou. Este encontro é extrema relevância para discussão e apreciação dos trabalhos realizados pelo legislativo. Na ocasião também poderemos debater assuntos de interesse da comunidade”. O vereador Calinho (PMDB) se mostrou solidário a iniciativa. “Devemos promover várias sessões itinerantes, contemplando todos os bairros do município”, enfatizou.A data ainda não foi definida.

Ainda durante a sessão, o vereador Calinho fez menção a criação do Jornal Ilhota, elogiando o trabalho do meio de comunicação na cidade. “É uma importante ferramenta para transmitir o anseio do povo e nos bem informar”, disse. Em seu discurso também abordou o redimensionamento da energia elétrica no interior. “A visita a sede regional da Celesc, juntamente com a secretária Ana Lucia Wilvert, foi muito importante. Pudemos ver através dos comentário da matéria veiculada no Jornal Ilhota, que as pessoas estão buscando estas melhorias”.

A segunda sessão ordinária do ano reuniu sete vereadores e foi presidida pelo vereador Rogênio Luiz (PSDB), mais conhecido como Deno. O presidente da mesa diretora, Luiz Peixe (PDT), não estava presente por motivos particulares. Apesar de Ilhota ter 12.355 habitantes,  apenas funcionários da casa e cinco moradores estiveram presente na sessão. Deno disse que está preocupado com a falta de participação da comunidade nas reuniões. “É muito importante que as pessoas participem ativamente de nossas sessões, pois assim saberão como é a atuação dos vereadores, o que discutimos e votamos, podendo assim, acompanhar de perto nossos trabalhos”.

Projetos

Na sessão desta quarta-feira (22), três projetos do executivo foram apresentados pela mesa diretora e encaminhados às comissões. O primeiro autoriza o poder executivo a firmar convênio e repassar valores a Associação Acadêmica de Ilhota – AACADI. Neste ano o executivo pretender aumentar o repasse, chegando a R$ 30 mil, divididos em oito parcelas. O segundo autoriza a prefeitura a firmar convênio e repassar valores para Apae. Já o terceiro permite que a prefeitura doe óleo diesel para Associaçõa dos Bombeiros Voluntários de Ilhota.