A posse

Elegemos um grupo do WhatsApp para governar o país!

Elegemos um grupo do WhatsApp para governar o país!

Não irei à sua posse
Porque sou negro cotista
Sou filho da diarista
Daquela cuja empregada
que a carteira assinada
Você queria negar.

Não irei à sua posse
Porque sou homoafetivo
Filho do índio nativo
Dono desse lugar
Cujas terras demarcadas
Você reluta em tomar.

Não irei à sua posse
Porque sou mulher educada
Não nasci de fraquejada
E luto por igualdade
E isso me engrandece
Mas respeito e liberdade
não é coisa pra covarde
Isso você desconhece.

Não irei à sua posse
Porque sou trabalhador
Se sem direitos estou
É porque você contribuiu
Pra reforma trabalhista
Assassinou o sindicato
E o povo pagará o pato
Do modelo escravagista.

Não irei à sua posse
Porque eu sou um retirante
Filho de um imigrante
Imitante de Jesus
Que também por um instante
foi um simples imigrante
Pra cumprir com sua cruz.

Não irei à sua posse
Porque sou deficiente
Sou humano, sou valente
Mas tenho vergonha na cara
Minha cadeira de rodas
Segue outra direção:
A do respeito, inclusão
A direção bem contrária
Dessa farsa anunciada.

Não irei a sua posse
Porque eu sou a poesia
Sou poeta sou folia
Sou a cantiga de rodas
Sou quilombo, sou favela
Sou a pipa da janela
Voando a favor do vento
Caindo na plantação
De uma reforma agrária
Sou a raça libertária
Sou alegria perene
Por isso não me condene!
Sua graça é temporária.

Recebido no grupo do Comitê pela Democracia
Autor desconhecido.

Balanço do ano

Correntes do WhatsApp

Olá meus amados amigos! Muito obrigado pelas 4512 correntes que me foram enviadas até agora, via e-mail e principalmente pela coisa inútil chamado WhatsApp!

Neste ano, graças a elas, tomei algumas atitudes que mudaram minha vida pra melhor e vou compartilhar com todos vocês. São elas:

  1. Já não saco mais dinheiro em caixa eletrônico porque vão me colar um adesivo amarelo ou jogar uma linha no meu ombro e quando eu dobrar a esquina irão me roubar;
  2. Já não tomo Coca-Cola porque me avisaram que serve pra limpar mármore e que um cara caiu no tanque da fábrica e ficou totalmente corroído;
  3. Não vou ao cinema com medo de sentar numa agulha contaminada com o vírus da Aids;
  4. Estou como uma inhaca de gambá violenta porque desodorante causa câncer de mama;
  5. Não estaciono o carro em Shopping Center com medo de cheirar perfume e ser sequestrado;
  6. Não atendo meu celular com medo que alguém peça para digitar 55533216450123=t4rh2 e eu tenha que pagar uma fortuna de ligação para o Irã, ou então ouça um analfabeto dizer que sequestrou minha filha enquanto um outro analfabeto bandido fica gritando que nem viado?..ai pai, ai pai;
  7. Não como mais Bigmac (nunca comi na verdade) pois é tudo feito com carne de minhoca com anabolizante;
  8. Não como mais carne de frango, Chester pois os frangos foram alterados geneticamente, tomam hormônios femininos e têm seis asas, oito coxas e não têm bico, penas nem cabeça;
  9. Não saio com mais ninguém porque tenho medo de acordar na banheira cheio de gelo e sem meus rins;
  10. Refrigerante em lata, nem pensar! Tenho medo de morrer de leptospirose do mijo do rato;
  11. Não tenho mais nenhum tostão, pois doei tudo para a campanha em prol da operação da Nildinha, que é uma menina que precisa fazer uma operação urgente, que só tem mais dois meses de vida (desde 1993);
  12. Escrevi em 500 notas de R$1,00 uma mensagem para a Nossa Senhora da Frieira, para me dar muito dinheiro, e acabei perdendo umas 20 notas, pois eu escrevi demais;
  13. Este mês devo receber o meu celular Ericsson, por ter repassado os e-mails para 2366 amigos, e mês que vem recebo os mil dólares da Aol e da Microsoft, além do notebook, da Ferrari e dos prêmios da Nestlé;
  14. Não bebo mais refrigerante Kuat, pois ele tem uma substância que causa câncer;
  15. Jesus e Nossa Senhora já devem estar morando lá em casa de tanta visita deles que recebo por e-mail e pelas incontáveis mensagens que recebi de privado e em grupos do ZapZap.

Então queridos criadores de correntes, se vocês não passarem esta corrente, para cento e quinze mil amigos, em exatos cinco minutos, um urubu vai te cagar, e você vai viver doente pro resto da vida!

A todos meus amigos, familiares e conhecidos… para todos aqueles que em 2018 me passaram correntes dizendo que, se eu as reenviasse, ia ficar rico ou milionário, informo que NÃO FUNCIONOU!

Que em 2018 por favor mandem dinheiro, presentes, vales de gasolina, tickets,vales cerveja e etc, mas não correntes nem besteiras via e-mail e ZapZap.

#Obrigado!

Com alegria,
#DialisonCleberVitti

[Tutorial] Aprenda a criar links para o seu número no WhatsApp e facilite o papo entre outros contatos

Tutorial WhatsApp

Então meus amigos… já é possível criar links para vídeos, fotos, textos e praticamente qualquer coisa da internet. Mas e se você quisesse criar um link para a sua própria conta do WhatsApp, de maneira que qualquer pessoa que clicasse nele fosse direcionada a uma conversa com você no aplicativo?

Saiba que isso já é possível, graças a um recurso do WhatsApp chamado “Click to Chat” (algo como “clique para conversar”). Ele gera um link que, ao ser clicado, leva o usuário a uma conversa com determinado número. Você pode até criar o link com uma mensagem pré-determinada para a pessoa que clicar nele te enviar.

Esse recurso pode ter uma série de utilidades. Por exemplo, se você estiver tentando vender seu carro, pode colocar as fotos dele junto com um link para o seu número. Nesse link, você também pode colocar uma mensagem como “Olá, tudo bem com você?”; assim, o potencial comprador não terá nem o trabalho de digitar. E você pode fazer tudo isso sem revelar seu número de telefone à internet inteira.

Veja a seguir como fazer isso

  1. Copie e cole este link https://api.whatsapp.com/send?phone=seunumerodetelefone&text=Olá!%20Vamos%20fazer%20contato? e divulgue onde quiser.
  2. Substitua a informação seunumerodetelefone pelo seu número, da seguinte maneira:
    • XXYY000000000.
      1. XX é o código internacional do seu número. O código do Brasil é 55, então, se o seu celular for daqui, substitua XX por 55.
      2. YY é o DDD. Se seu número for da região do Vale do Itajaí, por exemplo, substitua YY por 47, caso  seja de São Paulo, substitua YY por 21.
      3. 000000000 é o seu número de telefone. Se ele for, por exemplo, 99938-3519, substitua o 000000000 por 999383519.
    • Assim, se o seu número for brasileiro, do Vale do Itajaí (47), e for 99938-3519, você deverá substituir “seunumerodetelefone” por 5511999383519.
  3. Substitua a informação Olá!%20Vamos%20fazer%20contato? pela sua mensagem, da seguinte maneira:
    • Como não é possível inserir espaços nos links, é necessário substituí-los pelo símbolo %20. Assim, se você quiser que a sua mensagem seja Olá! Vamos fazer contato?, você precisará substituir o espaço sua%20mensagem por Olá!%20Vamos%20fazer%20contato?.
    • Então, se você quiser criar um link para o seu número com a mensagem pré-definida Olá! Vamos fazer contato?, e o seu celular for brasileiro, do Vale do Itajaí, com o número 99938-3519, o seu link ficará https://api.whatsapp.com/send?phone=5547999383519&text=Olá!%20Vamos%20fazer%20contato?.
  4. Você já pode enviar esse link para qualquer pessoa. Quem clicar nele será levado para uma tela de conversa do WhatsApp assim:
    Reprodução
    O problema é que, como pode ser visto acima, ele deixa exposto o seu número e a mensagem pré-definida que a pessoa receberá. Mas é possível contornar essa situação.
  5. Acessando o link por um dispositivo móvel qualquer, não há problema algum em enviar a mensagem. Basta estar com o WhatsApp instalado e iniciar a conversa. Caso esteja pela web, pra enviar a mensagem é só clicar em send conforme possa-se observar pela imagem em destaque acima.
  6. Acesse um site de encurtamento de links, como o bit.ly ou o ow.ly.
  7. Cole o seu link no campo correspondente e clique em encurtar URL ou Shorten.
  8. Você receberá uma versão encurtada do seu link. Por exemplo, jogando o link https://api.whatsapp.com/send?phone=5511999383519&text=Olá,%20meu%20amigo! (que usamos de exemplo acima) no bit.ly, recebemos o link http://bit.ly/2SigiHF, que funciona da mesma maneira.
    • Pelo bit.ly você consegue personalizar seu encurtador. Usando o exemplo sugerido nesse tutorial, você poderá substituir a informação 2SigiHF por uma de seu agrado, mas para isso, terá que ter uma conta e estar logado na rede. 
  9. Agora você pode usar o link sem o medo de deixar seu celular exposto! Compartilhe à vontade!

Gostou da dica? Aproveite o link e envie uma mensagem pra gente. O número informado é real e não tenho nenhum problema em divulgar. Caso esteja lendo esse post via web, basta apenas usar e estar logado no WhatsApp Web, se você está num dispositivo móvel, é só clicar, conversar e pronto!

Extraído originalmente do Olhar Digital.

Whatsapp é perigoso!

Whatsapp é perigoso!

AvaazAcho que estamos todos em choque. Acabamos de eleger o presidente mais extremista das últimas décadas. O que será de nosso futuro?

A verdade é que não tem como saber. Mas tem uma coisa que todos podemos fazer para garantir que ele seja responsabilizado: Consertar o Whatsapp.

Bolsonaro não teria vencido sem o WhatsApp. 98% do seu eleitorado viu notícias falsas nas eleições e 89% acreditou nelas. E se você acha que ele vai parar com as mentiras agora que ele ganhou, pense bem: se funcionou tão bem uma vez, por que ele pararia agora?!

O Whatsapp está sofrendo uma forte pressão global para combater a enxurrada de fake news que inundam a plataforma. Um grande apelo dos brasileiros e brasileiras pode fazer a diferença para a proteção da democracia em nosso país e no mundo. Assine agora para adicionar seu nome e vamos ser a oposição popular. Hoje. Clique para exigir uma limpeza em nossas redes sociais.

As empresas e exércitos de trolls que atuam em nome de Bolsonaro não vão parar depois da eleição. Modi da Índia, Hu na China, Putin na Rússia… essa nova roupagem da tirania usa enormes exércitos de trolls para controlar a conversa na internet e moldar a opinião pública. Os novos autocratas adoram este método muito mais do que a censura óbvia da tirania “tradicional”. Agora, eles podem mentir online descaradamente, e ganhar legiões de apoiadores!

Se não fosse Bolsonaro a usar esses métodos para subverter nossa democracia, poderia ter sido outro partido ou político – inclusive, há evidências de que o PT usou táticas semelhantes. Por isso, limpar as redes sociais é lutar contra a corrupção! Podemos conseguir isso pressionando as próprias empresas a fazer reformas reais. Assine a campanha agora  — a Avaaz entregará as assinaturas no escritório do WhatsApp, em São Francisco: Clique para exigir uma limpeza em nossas redes sociais.

A Avaaz está lutando contra as notícias falsas e a desinformação em todo o mundo. No Brasil, nosso grupo de combate às fake news expôs uma das maiores redes de desinformação do país e conseguiu derrubá-la. Mas foi muito pouco, e muito tarde. Os algoritmos das redes sociais têm grande poder sobre nossas sociedades, e eles estão nos envenenando à força nesse mesmo instante. Em nome de tudo que amamos, precisamos limpá-los antes que seja tarde demais.

Com esperança, Flora, Ricken, Christoph, Fadi, Emma, Alice, Rosa, e todo o time da Avaaz.

Mais informações

Assim que enfrentaremos Bolsonaro

JAIR BOLSONARO

Acho que estamos todos em choque. Acabamos de eleger o presidente mais extremista das últimas décadas. O que será de nosso futuro? A verdade é que não tem como saber. Mas tem uma coisa que todos podemos fazer para garantir que ele seja responsabilizado: Consertar o Whatsapp.

Bolsonaro não teria vencido sem o WhatsApp. 98% do seu eleitorado viu notícias falsas nas eleições e 89% acreditou nelas. E se você acha que ele vai parar com as mentiras agora que ele ganhou, pense bem: se funcionou tão bem uma vez, por que ele pararia agora?!

O Whatsapp está sofrendo uma forte pressão global para combater a enxurrada de fake news que inundam a plataforma. Um grande apelo dos brasileiros e brasileiras pode fazer a diferença para a proteção da democracia em nosso país e no mundo. Assine agora para adicionar seu nome e vamos ser a oposição popular. Hoje! Clique para exigir uma limpeza em nossas redes sociais

As empresas e exércitos de trolls que atuam em nome de Bolsonaro não vão parar depois da eleição. Modi da Índia, Hu na China, Putin na Rússia… essa nova roupagem da tirania usa enormes exércitos de trolls para controlar a conversa na internet e moldar a opinião pública. Os novos autocratas adoram este método muito mais do que a censura óbvia da tirania “tradicional”. Agora, eles podem mentir online descaradamente, e ganhar legiões de apoiadores!

Se não fosse Bolsonaro a usar esses métodos para subverter nossa democracia, poderia ter sido outro partido ou político – inclusive, há evidências de que o PT usou táticas semelhantes. Por isso, limpar as redes sociais é lutar contra a corrupção! Podemos conseguir isso pressionando as próprias empresas a fazer reformas reais. Assine a campanha agora  — a Avaaz entregará as assinaturas no escritório do WhatsApp, em São Francisco: Clique para exigir uma limpeza em nossas redes sociais.

A Avaaz está lutando contra as notícias falsas e a desinformação em todo o mundo. No Brasil, nosso grupo de combate às fake news expôs uma das maiores redes de desinformação do país e conseguiu derrubá-la. Mas foi muito pouco, e muito tarde. Os algoritmos das redes sociais têm grande poder sobre nossas sociedades, e eles estão nos envenenando à força nesse mesmo instante. Em nome de tudo que amamos, precisamos limpá-los antes que seja tarde demais.

Com esperança, Flora, Ricken, Christoph, Fadi, Emma, Alice, Rosa, e todo o time da Avaaz.

Mais informações

Aquieta tua alma de militante

Somos companheiros, somos militantes

Aquieta tua alma de militante…
Aquieta teu coração indignado.
Foram muitas conversas e outras tantas jogadas fora.
Teve conversas de mundos que não se cruzam mais.
Teve conversas de afetos arranhados, entre a tristeza e o acalanto.
Teve conversa entre o aprender e o educar.

Aquieta tua alma de militante…
Encontra um refúgio na crença de que nada é em vão.
Alguns corações disparados na calada da noite
Algum choro inconsolável, por se perder na indiferença alheia.
Uma gargalhada fora de lugar,
Um sorriso tranquilo no lugar certo.
Noites de sono interrompido, medos por si e pelo outro que nem se conhece ainda.

Aquieta tua alma de militante…
…e deixa fluir o que há de melhor em você, para compartilhar com quem enxerga o mundo em formas similares.
Teve solidariedade, teve empatias, o amor brotou de expressões tão diversas, a esperança teve picos altos e ligeiros.
A fraternidade nos acolheu em tempos de grande tensão.
Teve abraço apertado e olhar de aconchego.
Teve chão para se pisar firme. Teve horizonte para se olhar.

Aquieta tua alma de militante…
Permita-se dormir o sono dos justos.
Você não está só.
Nada foi em vão.

Recebido via WhatsApp e desconheço a autoria

Sua tia não é fascista, ela está sendo manipulada

Sua tia não é fascista, ela está sendo manipulada

Você se pergunta como um candidato com tão poucas qualidades e com tantos defeitos pode conseguir o apoio quase que incondicional de grande parte da população?

Você já tentou argumentar racionalmente com os eleitores deles, mas parece que eles estão absolutamente decididos e te tratam imediatamente como inimigo no mais leve aceno de contrariedade?

Até sua tia, que sempre foi fofa com você, agora ataca seus posts sobre política no Facebook?

Pois bem, vou contar uma história.

O principal nome dessa história é um sujeito chamado Steve Bannon. Bannon tinha uma visão de extrema direita nacionalista. Ele tinha um site no qual expressava seus pontos de vista que flertavam com o machismo, com a homofobia, com a xenofobia, etc. Porém, o site tinha pouca visibilidade e seu sonho era que suas ideias se espalhassem com mais força no mundo.

Para isso, Bannon contratou uma empresa chamada Cambridge Analytica. Essa empresa conseguiu dados do Facebook de milhões de contas de perfis por todo mundo. Todo tipo de dado acumulado pelo Facebook: curtidas, comentários, mensagens privadas. De posse desses dados e utilizando algoritmos, essa empresa poderia traçar perfis psicológicos detalhados dos indivíduos.

Tais perfis seriam então utilizados para verificar quais indivíduos estariam mais predispostos a receber as mensagens: aqueles com disposição de acreditar em teorias conspiratórias sobre o governo, por exemplo, ou que apresentavam algum sentimento de contrariedade difuso ao cenário político atual.

A estratégia seria fazer com que esse indivíduo suscetível a essas mensagens mudasse seu comportamento, se radicalizasse. Como as pessoas passaram a receber as notícias e a perceber o mundo principalmente através das redes sociais, não é difícil manipular essas informações. Se você pode controlar as informações a que uma pessoa tem acesso, você pode controlar a maneira com que ela percebe o mundo e, com isso, pode influenciar a maneira como se comporta e age.

Posts no Facebook podem te fazer mais feliz ou triste, com raiva ou com medo. E os algoritmos sabem identificar as mudanças no seu comportamento pela análise dos padrões das suas postagens, curtidas, comentários.

Assim, indivíduos com perfis de direita e seu tradicional discurso “não gosto de impostos” foram radicalizados para perfis paranoicos em relação ao governo e a determinados grupos sociais. A manipulação poderia ser feita, por exemplo, através do medo: “o governo quer tirar suas armas”. Esse tipo de mensagem estimula um sentimento de impotência e de não ser capaz de se defender. Estimula também um sentimento de “somos nós contra eles”, o que fecha a pessoa para argumentos racionais.

Sites e blogs foram fabricados com notícias falsas para bombardear diretamente as pessoas influenciáveis a esse tipo de mensagem. Além disso, foi explorado também um sentimento anti-establishment, anti-mídia tradicional e anti “tudo isso que está aí”. Quando as pessoas recebiam várias notícias de forma direta, e não viam essas notícias repercutirem na grande mídia, chegavam à conclusão de que a grande mídia mente e esconde a verdade que eles tem.

Se antes a mídia tradicional podia manipular a população, a manipulação teria que ser feita abertamente, aos olhos de todos. Agora, todos temos telas privadas que nos mandam mensagens diretamente. Ninguém sabe que tipo de informação a pessoa do lado está recebendo ou quais mensagens estão construindo sua percepção de realidade.

Com esse poder nas mãos, Bannon conseguiu popularizar a alt right (movimento de extrema direita americana) entre os jovens, que resultou nos protestos “unite de right” no ano passado em Charlottesville, Virgínia que tiveram a participação de supremacistas brancos. Bannon trabalhou na campanha presidencial de Donald Trump e foi estrategista de seu governo. A Cambridge Analytica trabalhou também no referendo do Brexit, que foi vencido principalmente por argumentos originados de fake news.

Quando a manipulação veio à tona, Mark Zuckerberg foi chamado ao senado americano para depor. Pra quem entendeu o que houve, ficou claro que a democracia da nação mais importante do mundo havia sido hackeada. Mas os congressistas pouco entendimento tinham de mídia social; e quem estaria disposto a admitir que a democracia pode ser hackeada através da manipulação dos indivíduos?

Zuckerberg estava apenas pensando em estabelecer um modelo de negócios lucrativo com a venda de anúncios direcionados. A coleta de dados e a avaliação de perfil psicológico das pessoas tinham a intenção “inocente” de fazer as pessoas clicarem em anúncios pagos. Era apenas um modelo de negócios. Mas esse mesmo instrumento pode ser usado com finalidade política.

Ele se deu conta disso e sabia que as eleições brasileiras podiam estar em risco também. Somos uma das maiores democracias do mundo. O Facebook tomou medidas ativas para evitar que as campanhas de desinformação e manipulações ocorressem em sua rede social. Muitas contas fake e páginas que compartilhavam informações falsas foram retiradas do Facebook no período que antecede as eleições.

Mas não contavam com a capilarização e a popularização dos grupos de Whatsapp. Whatsapp é um aplicativo de mensagens diretas entre indivíduos; por isso, não pode ser monitorado externamente. Não há como regular as fake news, portanto, fazer um perfil fake no Whatsapp também é bem mais fácil que em outras redes sociais e mais difícil de ser detectado.

Lembram do Steve Bannon, que sonhou com o retorno de uma extrema direita nacionalista forte mundialmente? Que tinha ideias que são classificadas como anti minorias, racistas e homofóbicas? E que usou um sentimento difuso anti “tudo que está aí”, e um medo de os homens se sentirem indefesos para conquistar adeptos?

Pois bem, ele se encontrou em agosto com Eduardo Bolsonaro. Bolsonaro disse que o Bannon apoiaria a campanha do seu pai com suporte e “dicas de internet”, essas coisas. Bannon é agora um “consultor eventual” da campanha. Era o candidato ideal pra ele, por compartilhava suas ideias, no cenário ideal: um país passando por uma grave crise econômica com a população desiludida com a sua classe política.

Logo depois de manifestações de mulheres nas ruas de todo o Brasil e do mundo contra Bolsonaro, o apoio do candidato subiu, entre o público feminino, de 18 para 24 por cento. Um aumento de 6 pontos depois de grande parte das mulheres se unir para demonstrar sua insatisfação com o candidato.

Isso acontece porque, de um lado, a grande mídia simplesmente ignorou as manifestações e, por outro, houve um ataque preciso às manifestações através dos grupos de Whatsapp pró-Bolsonaro. Vídeos foram editados com cenas de outras manifestações, com mulheres mostrando os seios ou quebrando imagens sacras, mas utilizadas dessa vez para desmoralizar o movimento #elenão entre as mais conservadoras.

Além disso, Eduardo Bolsonaro veio a público logo após a manifestação e declarou: “As mulheres de direita são mais bonitas que as de esquerda. Elas não mostram os peitos e nem defecam nas ruas. As mulheres de direita têm mais higiene”. Essa declaração pode parece pueril ou simplesmente estúpida mas é feita sob medida para estimular um sentimento de repulsa para com o “outro lado”.

Isso não é nenhuma novidade. A máquina de propaganda do nazismo alemão associava os judeus a ratos. O discurso era que os judeus estavam infestando as cidades alemãs como os ratos. Esse é um discurso que associa o sentimento de repulsa e nojo a uma determinada população, o que faz com que o indivíduo queira se identificar com o lado “limpo” da história. Daí os 6 por cento das mulheres que passaram a se identificar com o Bolsonaro.

Agora é possível compreender porque é tão difícil usar argumentos racionais para dialogar com um eleitor do Bolsonaro? Agora você se dá conta do nível de manipulação emocional a que seus amigos e familiares estão expostos? Então a pergunta é: “o que fazer?”

Não adiante confrontá-los e acusá-los de massa de manobra. Isso só vai fazer com que eles se fechem e classifiquem você como um inimigo “do outro lado”. Ser chamado de manipulado pode ser interpretado como ser chamado de burro, o que só vai gerar uma troca de insultos improdutiva.

Tenha empatia. Essas pessoas não são tolas ou malvadas; elas estão tendo suas emoções manipuladas e estão submetidas a uma percepção da realidade bastante diferente da sua.

Tente trazê-las aos poucos para a razão. Não ofereça seus argumentos racionais logo de cara, eles não vão funcionar com essas pessoas. A única maneira de mudar seu pensamento é fazer com que tais pessoas percebam sozinhas que não há argumentos que fundamentem suas crenças e as notícias veiculadas de maneira falsa.

Isso só pode ser feito com uma grande dose de paciência e de escuta. Peça para que a pessoa defenda racionalmente suas decisões políticas. Esteja aberto para ouvi-la, mas continue sempre perguntando mais e mais, até ela perceber que chegou num ponto em que não tem argumentos para responder.

Pergunte, por exemplo: “Por que você decidiu por esse candidato? Por que você acha que ele vai mudar as coisas? Você acha que ele está preparado? Você conhece as propostas dele? Conhece o histórico dele como político? Quais realizações ele fez antes que você aprova?”

Em muitos casos, a pessoa tentará mudar o discurso para falar mal de um outro partido ou do movimento feminista. Tal estratégia é esperada porque eles foram programados para achar que isso representa “o outro lado”, os inimigos a combater.

Nesse caso, o caminho continua o mesmo: tentar trazer a pessoa para sua própria razão: “Por que você acha que esse partido é tão ruim assim? Sua vida melhorou ou piorou quando esse partido estava no poder? Como você conhece o movimento feminista? Você já participou de alguma reunião feminista ou conhece alguém envolvido nessa luta?”

Se perceber que a pessoa não está pronta para debater, simplesmente retire-se da discussão. Não agrida ou nem ofenda, comportamento que radicalizaria o pensamento de “somos nós contra eles”. Tenha em mente que os discursos que essa pessoa acredita foram incutidos nela de maneira que houvesse uma verdadeira identificação emocional, se tornando uma espécie de segunda identidade. Não é de uma hora pra outra que se muda algo assim.

Duas das mais importantes democracias do mundo já foram hackeadas utilizando tais técnicas de manipulação. O alvo atual é o nosso país, com uma das mais importantes democracias do mundo. Não vamos deixar que essas forças nos joguem uns contra os outros, rasgando nosso tecido social de uma maneira irrecuperável.

P.S.: Por favor, pesquise extensamente sobre todo e qualquer assunto que expus aqui, e sobre o qual você esteja em dúvida. Não sou de nenhum partido. Sou filósofo e, como filósofo, me interesso pela verdade, pela ética e pelo verdadeiro debate de ideias.

Artigo recebido e compartilhado via WhatsApp e desconheço a autoria.

Alteração nos backups do WhatsApp no Google Drive

WhatsApp

Segundo o novo contrato entre o WhatsApp e o Google, os backups do WhatsApp não serão mais contabilizados na cota de armazenamento do Google Drive. No entanto, qualquer backup do WhatsApp sem atualização há mais de um ano será removido automaticamente do armazenamento.

Esta política entrará em vigor para todos os usuários em 12 de novembro de 2018, embora algumas pessoas talvez vejam os benefícios na cota antes. Para evitar qualquer perda, recomendamos que as pessoas façam o backup do WhatsApp manualmente antes dessa data.

Ações recomendadas:

  1. Verifique se foi feito o backup do seu cliente WhatsApp para Android atual.
  2. Se você quiser atualizar qualquer backup existente, faça o backup manual do seu cliente WhatsApp antes de 30 de outubro de 2018.

Equipe do Google Drive

Alteração às cópias de segurança do WhatsApp no Google Drive

Google Drive

Devido a um novo acordo entre o WhatsApp e a Google, as cópias de segurança do WhatsApp deixarão de ser contabilizadas para a quota de armazenamento do Google Drive. No entanto, todas as cópias de segurança do WhatsApp que não são atualizadas há mais de um ano serão automaticamente removidas do armazenamento.

Esta política entrará em vigor para todos os utilizadores a 12 de novembro de 2018, embora alguns utilizadores possam observar as vantagens ao nível da quota mais cedo. Para evitar a perda de cópias de segurança, recomendamos que seja criada uma cópia de segurança manual do WhatsApp antes de 12 de novembro de 2018.

Ações recomendadas

  1. Confirme se foi criada uma cópia de segurança do seu cliente WhatsApp para Android atual.
  2. Se pretender atualizar cópias de segurança existentes, crie uma cópia de segurança manual do seu cliente WhatsApp antes de 30 de outubro de 2018.

A equipa do Google Drive

Prefeito Dida exonera secretária de saúde, sua maior apoiadora nas eleições

Portaria 11/2018 da Prefeitura de Ilhota sobre a exoneração de Jocelene da Silveira

Esse é o Dida sendo o Dida. Eu já sabia que isso iria acontecer, cedo ou tarde, mas nunca imaginei que iria demorar tanto. Por isso não o apoiei em sua campanha eleitoral, não votei nele e saí bem antes, quando soube que ele seria o candidato. Tentei avisar, ninguém ouviu e fui zombado.

Dida cumpriu com o prometido. Não o de campanha, mas a sua em particular. Enquanto desfrutava de suas férias, deu a ordem via ZapZap e logo, ao retornar, exonerou seu maior expoente durante a sua campanha eleitoral que resultou na vitória, Jocelene da Silveira, esposa do popular Dr. Lucas. A Portaria 11/2018, foi assinado em 5 de fevereiro e publicado hoje no Diário Oficial dos Municípios. Junto com a secretária, outros duas servidoras em regime de comissão também foram exoneradas.  Cheila Carla Darossi, do cargo de Diretor de Departamento e Jaqueline Aparecida Ferreti, do cargo de Chefe de Divisão.

Os áudios que o prefeito Dida enviou por engano a outros destinatários no final da semana passada, deu o que falar e falou bonito. Reza uma lenda da The Zueira Never Ends quem não sabe escrever, envia áudio. Também, quando os tiozinhos, as pessoas leigas usam a internet sem saber como funciona, dá nisso.

Depois de ter aprontado todo furdunço no ZapZap, ele publicou uma nota justificando o ocorrido, que foi postado aqui neste blog (leia a carta acessando este link). Em resumo ele dize, segundo a nota, que para quem em insiste em atacar o seu governo, os resultados estão aí para quem quiser ver. Como um clássico carrasco medial e utilizando-se de um terrível golpe de um machado super afiando, cortou a cabeça dos seus “pseudos” traidores. O prefeito começou a mudar e foi logo pela saúde, que estava de mal a pior. Cortou a cabeça da atual secretária Jocelene e membros de sua equipe.

Não vou e nem quero comemorar a desgraça alheia, pois isso vai contra minha conduta que deveria ser um princípio compartilhado por todos, mas postarei minha opinião. Nada a favor da coisa, nem muito menos contra. Cada um sabe o que faz e estão todos em pleno uso de seus juízos.

Nas entrelinhas dos bastidores da política é assim que a coisa funciona, cheio de altos e baixos, perseguições, trairagens, cinismos e todos os adjetivos propício para aqueles que deslumbram o poder. Na política, quem está com a razão é sempre o mais forte. Nem sempre é assim, nesta ordem, pois o mais fraco, do outro lado, é quem geralmente paga o pato, por não ter força para encarar o enfrentamento, perde e cai no esquecimento.

Agora, a pasta da saúde está vaga. A boca miúda, a rádio peão que circula na cidade dão por conta que o prefeito pretende contratar o ex-secretário Lavino ou mais um apadrinhado político de Luiz Alves. Há quem diga que poderá ser mais um do ex-prefeito Periquito de Balneário Camboriú, que perdeu a disputa lá e migraram pra Zióta. O banco de aposta está aberta.

Por fim, quero crer que essa portaria seja mais uma das coincidências da vida. A portaria que exonerou uma das emedebista mais fervorosas do 15, é a de número 11.